História Por acaso nos esbarramos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla
Personagens Personagens Originais
Tags Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Exibições 77
Palavras 722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oioi, voltei, com o primeiro cap hahah.
Boa leitura :)

Capítulo 2 - Você?


POV Karol Sevilla

Acabo de chegar em Buenos Aires, me atrasei na hora de sair do avião e agora estou em uma corrida contra o tempo. Eu estava em uma turnê pelo Brasil e agora, finalmente, de férias. Por um mês.
Sinceramente? Nem sei oque vou fazer nessas férias.
Em meio aos meus pensamentos e na minha correria pelo aeroporto, sinto um choque contra meu corpo e estava quase indo para o chão quando senti um braço envolvendo minha cintura impedindo de que isso acontecesse
Olhei para cima e vi um homem lindo, de cabelos pretos e olhos castanhos

- Opa - ele disse - parece que eu te salvei, linda.
- Engraçadinho, pelo menos não sou eu que saio trombando em todo mundo. - falei.
- Espera, você que estava correndo igual uma louca e nem me viu, então a culpa não foi totalmente minha.
- Ei vamos parar com o barraco aí Rugge, temos uma reunião esqueceu? - um menino meio loiro falou.

Foi só aí que percebi que tinha mais três meninos em volta da gente, que falta de educação a minha, nem me apresentei

- Er.. desculpa por trombar em você, prazer, Karol. - falei dando um abraço em todos e por último no "Rugge" igual chamaram ele, sussurrei - da próxima vez, toma mais cuidado grandão. - então saí dando uma risadinha irônica deixando os quatro pra trás.
Eles tem caras de serem legais, e não são estranhos... Juro que já os vi em algum lugar, só não lembro onde.
Bom, após isso cheguei na empresa do meu pai, aonde ele estava me esperando e logo pulei em seus braços, meu pai é minha única família depois que minha mãe faleceu, ele me ajuda em tudo.

- Papai, que bom te ver, estava morrendo de saudade
- Eu também filhinha, como foi de viagem? - ele respondeu.
- Foi ótimo, bem cansativa também - sorri.
- Bom, então descanse, fique na sala 3 no fim desse corredor, fiz ela só pra você, enquanto eu estiver aqui e não puder te levar pra casa ok?
- Mas eu sei ir pra casa, papai.
- Não sabe não, nós mudamos de casa
- Que? Mas e as minhas coisas?
- Calma, já levei tudo e já deixei arrumadas no seu quarto, fica tranquila e descansa. Estou indo para uma reunião. - beijou minha testa e saiu.

30 minutos depois

POV Ruggero Pasquarelli

Eu estou em uma reunião com o senhor Roberto, o produtor da nossa banda. Mas não consigo parar de pensar na menina linda que trombei hoje mais cedo… Karol, que nome lindo... Não, cala a boca, Ruggero! Você tem namorada. Ah esquece, vou prestar atenção na reunião porque estou boiando aqui

- Então, é isso, aceitam? - Roberto falou em seguida.

Eu e os meninos nos entre olhamos, porque eu não fazia ideia doque o Roberto estava falando, apenas assenti e os meninos aceitaram a "proposta" que eu nem sabia oque era. Mas se eles aceitaram, deve ser coisa boa.
Roberto saiu de lá e logo em seguida resolvi perguntar
- Mano, eu não prestei atenção nenhuma na reunião, que proposta é essa?
- Ta boiando, cara? - Lionel falou - bom, vou resumir, vamos passar 3 meses morando com a filha do Roberto. Ele vai fazer uma viagem e ela não tem com quem ficar, e como nós somos como filhos pra ele, ela vai morar conosco. Ele foi chamá-la agora.
- Ela não tem mãe, não?
- Não né velho, - completou Agus - senão o Roberto não iria nos fazer essa proposta. E vai ser até bom ter uma companhia feminina lá na nossa casa.
- Que loucura, mas ok. - falei.
- Mas e você, - falou Michael - tava no mundo da Lua? Ou, quero dizer… no mundo da Karol?
- Que? Nada a ver cara, eu tenho namorada.
- Ah a palhaça de circo, nem lembrei dela. - disse ele novamente.
Todos riram, eles odiavam a Candelária e eu nem sei o motivo, mas realmente, ela se maquiava como uma palhaça as vezes, e eu não posso discordar.
Então, finalmente, Roberto entrou e falou:
- Bom, essa é minha filha, e espero que se dêem bem.
Nós nos entre olhamos pela segunda vez, surpresos obviamente
- Você? - falamos em uníssono.

Notas Finais


Gostaram?
Continuo com 5 comentários :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...