História Por amar você - Capítulo 14


Escrita por: ~ e ~JadyEduarda

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Fama, Romance
Visualizações 800
Palavras 4.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hoje eu, Ka, vim postar para vocês porque estamos com um pequeno problema com a Jady, mas faremos um jeito. Me desculpem o horário mas minha vida é muito corrida durante a semana e prometemos postar toda segunda, então cá estou cumprindo a nossa promessa.

Galera, acho que vocês não estão entendendo o real motivo da Sky não voltar, está bem no comecinho da estória mas no próximo capitulo tudo estará mais esclarecedo. Por enquanto, fiquem com mais um super capítulo de pav!

Capítulo escrito por mim.

Capítulo 14 - Mágoas.


Fanfic / Fanfiction Por amar você - Capítulo 14 - Mágoas.

Capítulo 13

Skyler Humphrey POV

Rosemary Beach – 28 de Agosto de 2013. 

Foi como se toda a minha base tivesse sido arrancada de mim e eu estivesse perdida em meio a tanta confusão. Tudo tinha virado de cabeça para baixo e eu ao menos tive um tempo para respirar, processar e agradecer a Deus pelos melhores sete dias da minha vida. Os melhores sete dias que não passaram de uma mentira. 

Nos últimos dois dias, depois de toda a confusão com a entrevista do Justin e com a minha resposta pública, nada foi igual. Algumas pessoas acreditaram nele (ou em mim), outras pessoas queriam apenas caçar uma verdade que eu sabia que existia. Eu não conseguia andar na rua sem sentir uma presença estranha me seguindo, sem ser parada por algumas pessoas querendo explicações. Já até me pediram foto! E eu nunca vou conseguir entender isso. 

Fui obrigada a trancar todas as minhas redes sociais, quando começaram a pegar fotos minhas para fazer fofoca e criar fakes fingindo ser eu para enganar pessoas. Também limitei todo o contato que eu poderia ter com Justin, se ele não teve coragem de admitir que me conhece, nem precisava admitir que passamos sete dias nos amando, ele não tinha o direito de acompanhar a minha vida nas redes sociais. Era melhor esquecermos tudo que aconteceu. Já aceitei que não passei de uma diversão para ele.

Terminei de guardar as roupas na mala e me sentei no chão, deitando a cabeça na cama. Briana deu um suspiro tão alto que foi torturante. 

— Não acredito que você irá se mudar. — resmungou. 

— Acho que vai ser bom. — tentei sorrir — Você sabe como eu amo fotografia e estudar sobre isso vai me fazer muito bem. Já era o meu sonho mesmo. 

— Antes você queria cursar fotografia por aqui na Califórnia. 

— Agora eu quero estudar por lá. — dei de ombros — Por favor, Bri, não tenta dramatizar isso. Você sabe o motivo de e estar fazendo isso, sabe que será melhor esse sumiço por um tempo. Minha vida já está um drama só, não colabore para isso. 

Brianq encarou meus olhos e depois olhou para os pôsteres do Justin nas paredes. 

— Tudo tem um motivo, Sky. Temos que descobrir o motivo dele ter feito isso. 

— Ele queria sexo fácil e teve, não tem outro motivo. Fizemos promessas um para o outro e ele não teve a dignidade de cumprir uma coisa tão fácil. — me levantei e caminhei até o maior pôster que tinha na minha porta, era tamanho real e me fez lembrar de como era bom ser quase do tamanho dele — Nunca vou conseguir me arrepender do que eu fiz, mas ele me magoou de verdade. 

— Você não acha que deveria falar com ele antes de se mudar para o outro lado do universo?

— Eu não acho nada. — dei de ombros — Estou tranquila com a minha decisão. E para de ser exagerada. 

— Agora eu sou exagerada, Sky? Você vai sair do calor de Rosemary para congelar a pepeca em Londres!

— Irei usar duas calcinhas, não precisa se preocupar com as minhas partes intimas. — debochei, revirando meus olhos e caminhando até a caixa com acessórios que iriam comigo. 

— Ok, eu estou exagerando um pouco mas não quero ficar longe de você. 

— Você pode me visitar e eu vou vir aqui também. Não tem problema com isso, cara. 

— O dia que eu encontrar a bicha do Justin Bieber eu vou dar um tapa naquela carinha de bebê idiota, só porque ele fez a minha amiga se mudar para o Alaska! — ela começou a socar o travesseiro — É isso que eu vou fazer com aquela carinha de trouxa. 

Gargalhei, jogando a minha cabeça para trás. 

— Quando ele sorrir para você duvido muito que você consiga fazer isso. — dei de ombros. 

— Eu posso dar um soco e um beijo ao mesmo tempo, querida Skyler. — me olhou debochada. 

— Você é doente. — me sentei ao lado dela na cama e encarei todo o meu quarto. Estava meio desorganizado por causa da minha mudança. 

— Eu vou sentir sua falta todos os dias. — sussurrou — Será que eu posso ficar com a sua coleção de card do Justin? 

— Briana, vai se foder, eu vou me mudar e não morrer, tá?! — gritei, tacando um travesseiro em seu rosto.  

Ela gargalhou, rebatendo com uma porrada que me fez cair da cama. Gargalhei, colocando meu cabelo para trás dos ombros. 

— Promete me ligar todos os dias?

— Para de drama! — deitei no chão. 

— E me mandar mensagem. 

— Para de drama!

— E não fazer nenhuma amizade que possa me substituir. 

— Já parou?

— E, o mais importante, se alguém te mandar nude você vai me mandar. 

— Briana! — gargalhei. 

— Eu só queria deixar claro mesmo. — deu de ombros. 

(•••)

Acariciei o pelo macio do Rato Bieber com delicadeza. Ele teria que ficar em Rosemary, talvez ele não ficasse bem com o clima de Londres. Ouvi meu celular tocar. Coloquei o Rato deitado no meu peito e atendi a ligação, sabendo que era a Tia Lilian. 

— Oi, tia. — resmunguei. 

— Oi, amor. Fiquei sabendo que irá para Londres amanhã de manhã, é uma pena que eu não tenha me despedido adequadamente de você. 

— Foi uma decisão de última hora. — expliquei — Eu preciso muito disso. 

— Sky, algo me diz que o Justin não queria te magoar. Eu vi com os meus próprios olhos a tristeza dominando todo ele no dia que deixamos você no aeroporto. — suspirou — Tem certeza que não quer dar uma chance?

— Tia, eu não preciso de chances, ok? Eu preciso esquecer tudo isso e focar apenas no meu futuro. Nada irá me ligar ao Justin. Acabou

— Você ainda o ama, agora além do amor de fã, então sim sempre terá algo ligando vocês. 

— Por que você está fazendo isso? Já me decidi, não quero falar com ele. — acariciei o Rato Bieber e praguejei por ter escolhido esse nome para o bicho — A questão é que se eu falar com ele terei que viver escondida. Eu não quero isso, Tia. Não quero ser uma pessoa que ele vai curtir num final de semana e depois vai fingir que não conhece, vai negar que conhece para milhões de pessoas. 

— Eu entendo você, mas não posso negar que estou chateada com toda essa situação. Vi amor no olhar dos dois e gostaria de continuar vendo. 

— Eu sempre vou amá-lo, sempre serei a fã número um dele. Agora um pouco longe, mas serei. 

— Então perdoa! Amar é dar chance. 

— E eu tô dando a ele a chance de não precisar sair como mentiroso. Mentira nunca dura muito tempo, tia. Vocês me ensinaram assim, sabemos que isso não vai ficar escondido por muito tempo. — molhei os lábios com a língua — Uma hora ou outra a verdade irá aparecer. 

Quando desliguei a ligação com a tia Lilian, depois de muito conversar e depois dela muito implorar para eu não me mudar. Comecei a refletir sobre como tudo aconteceu. Eu não planejei nada e as coisas foram acontecendo de uma forma tão rápida... Mas sou incapaz de mudar algo. 

Me levantei da cama e coloquei o Rato Bieber na gaiola dele. Abri um sorriso ao me afastar. Eu não sabia quando o veria novamente, partiria pela manhã. Meu celular vibrou até o último toque. Eu sabia que era ele, suas ligações se intensificaram desde a entrevista que ele deu, chegava a três por minuto. 

Desta vez ele tinha deixado uma mensagem de voz. Engoli a seco e disquei para ouvir. 

— Você não me atende tem dias e eu só queria falar que não é o que você está pensando. Primeiramente, nunca achei que deixaria uma mensagem de voz para alguém, é coisa de gente velha. Mas você me obrigou a isso, me bloqueando em todas as redes sociais possíveis. Por que fez isso comigo, ursa? — sussurrou com a voz embargada — Não sei se você irá ouvir a minha mensagem, mas eu espero que sim. Fiz isso para o seu bem, ursa. Para você ter paz e sossego, não queria te magoar. Acredita nas minhas palavras, sei que elas não estão valendo muito para você no momento. Apenas tente acreditar em mim. Deixe-me redimir tudo isso, porque eu sinto falta de muito mais que o seu corpo. Eu sei que te decepcionei, é tarde demais para pedir desculpas? — suspirou — Eu vou manter a minha promessa e vou te ligar todos os dias. Quando você achar que está pronta para me atender eu vou me considerar o cara mais feliz desse mundo. Eu te amo, beijo. 

Não tinha reparado que estava em prantos até ser necessário fungar. Levei meu celular até o peito e o apertei. Ele pode ter tentado me proteger mas partiu meu coração, eu não queria viver com um coração partido. 

Por amar você é melhor esquecer isso. — sussurrei, me levantando para apagar a luz. 

Na manhã seguinte sentia todo o meu corpo cansado. Era como se eu pudesse dormir por dias seguidos mas eu ainda estaria morrendo de cansaço. O cansaço era psicológico e parecia uma tortura. Desliguei meu despertador e me levantei da cama, indo até o banheiro. 

Depois de me banhar vesti uma calça preta, uma blusa de mangas até os cotovelos e separei um casado. Aviões eram sempre frios demais. Calcei meus tênis e penteei meus cabelos. Sai do meu quarto com a minha mala e a caixa de coisas que eu iria levar. Algumas coisas meus pais mandaram para lá assim que eu aceitei fazer o curso. 

— Bom dia. — resmunguei entrando na cozinha. 

— Bom dia, minha filha. — minha mãe me abraçou apertado — Não acredito que você já está saindo de casa. 

— Sua mãe passou a noite chorando por causa disso. — meu pai beijou a minha testa. Ele estava magoado com o que eu fiz, mas estava feliz por eu sair da frente das câmeras. 

— Não precisem chorar, eu vou voltar. — sorri — Ou talvez não, eu nasci para ser um pássaro livre entende?! Agora eu sou uma pessoa livre! — debochei — Acho que vou me encher de tattoos, piercings e alargadores!

— Eu faço meu chinelo te acertar daqui, Sky. — meu pai fingiu estar sério. 

Dei risada e me sentei na mesa. Minha mãe estava grudada em mim, o que era bem estranho. 

— Não precisem se preocupar. 

— Você promete mandar mensagem todos os dias? 

— Prometo, mamãe. 

— Todos os dias não, todo o segundo. 

— Não prometo. — abri um sorriso. 

— Aí meu bebê! — levou as mãos a boca — Olha Skyler Humphrey é para você comer verduras e legumes todos os dias, ok? Não esquece que você é alérgica a nozes, então não coma nozes. — arregalou os olhos — Não esqueça que você tem que comer fígado uma vez por semana, o corpo precisa das proteínas que tem no fígado, ok?! — meu pai e eu começamos a rir — Eu não sei se você terá crise de asma, mas separei a sua bombinha para você levar. 

— Mãe, não tenho crise de asma desde os nove anos. 

— E dai?! Temos sempre que estar preparados! — alegou. 

— Ok, mãe. — revirei os olhos. 

— Skyler, nada de drogas! — meu pai cerrou os olhos — Um pai sempre sabe quando o filho está nessa vida e eu juro que se você entrar eu te arrebento. 

— Ele fala isso mas na época da facul era quase o traficante. 

— Eu era um bad boy!

— Adorava uma maconha. — minha mãe debochou. 

— Faça o que eu mando e não faça o que eu faço! — apontou para mim — E isso é para você, mocinha. 

Dei risada assentindo, mas revirei meus olhos. Eu amava essa loucura dos meus pais e seria uma das coisas que eu mais sentiria falta. 

Puta que pariu. Estou indo morar longe. 

Depois do café da manhã, meu pai colocou minhas coisas no carro e eu me despedi do meu quarto e do Rato Bieber. Voltaria para ele depois, com certeza. Quando pisei fora de casa senti um flash na minha direção mas tentei ignorar. 

— Está indo viajar, Skyler? — perguntou. 

— Isso não é da sua conta. Por que está me seguindo? 

— Quero saber o que aconteceu entre você e o Justin Bieber. 

— Nada! — exclamei — Todos já sabem disso. Me deixem em paz, por favor. 

— Venha, minha filha. — meu pai segurou meus ombros e encarou feio o paparazzi — Saia da frente!

Entrei no carro e bati a porta com força. Estava começando a me irritar. Se antes eu defendia o Justin em relação aos paparazzis agora será bem pior. Eu estava sentindo na pele o mal que eles podem fazer. Não desejava para ninguém, principalmente para alguém que eu amava. (Negrito)

Deitei minha cabeça no vidro e relaxei quando o carro começou a se movimentar. Eu começaria uma vida nova, longe dos paparazzis. 

Justin Bieber POV

Toronto, Canada – 29 de Agosto de 2013

— Oi, aqui é a Skyler — ela deu uma risadinha gostosa —, não posso atender no momento. Deixe seu recado após o barulhinho irritante. — gargalhou. 

Desliguei a ligação e encarei meu celular um pouco agoniado. Ouvir sua voz na caixa eletrônica era reconfortante mas não era a mesma coisa de ouvi-la dizer que me ama. Não me sinto no direito de obrigar Skyler a falar comigo, mas eu simplesmente quero. É uma necessidade, quero saber que ela ainda me ama e que ainda me apoia. 

Me levantei da cama e peguei as roupas que estavam jogadas no chão para colocar na mala. Estava na hora de voltar a turnê, mas eu não me sentia preparado ainda. Uma folha caiu da minha jaqueta e eu franzi a testa. Joguei as roupas de qualquer jeito na mala e me abaixei para pegar a folha. 

Uma caligrafia que eu nunca vi estava ali, numa letra linda e desenhado. Era a carta de Skyler, como eu não lembrava disso?

Flashback On

Guiei meus lábios até encontrar com os de Skyler e apertei a sua cintura. Ela estava agarrada a minha camisa, me aproximando ainda mais nela. Era tão bom poder tocar nela daquela forma. Senti uma ausência quando ela se afastou de mim. Abri meus olhos e passei as mãos no rosto dela para secar as lágrimas. 

— Também tenho algo para você. — sussurrou, encarando meu olhos.

— Você já me deu essa pulseira. — apontei para o objeto em seu pulso. 

— É algo que escrevi. — ela tirou uma carta do bolso da calça jeans e me entregou. 

— Faz muito tempo que não recebo uma carta. — abri um sorriso e ameacei abrir a carta.

— Leia quando estiver em sua casa. — ela me alertou. Não queria concordar com aquilo, estava curioso, mas assenti. — Obrigado por tudo, meu amor.

— Eu quem agradeço, minha Belieber. — ela assentiu e saiu do carro. Segurei seu pulso e encarei seus lindos olhos, estavam verdes — Eu amo você, Skyler Humphrey. 

Ela sibilou um "eu te amo" em meio às lágrimas e bateu à porta com força. 

Flashback Off

Olhei para o meu pulso e sorri vendo a pulseira que Skyler me deu no met. Era tão simples mas me deixava tão feliz. 

Me sentei na cama e comecei a ler a carta, sabendo que meu coração transbordaria de saudades. 

"Querido Justin, 

Agradeço à Deus por ter te colocado em minha vida, na hora em que eu mais precisei. Nós dois estávamos na hora certa e no lugar certo. Naquele momento, tudo foi tão perfeito.

Cada segundo que eu passei contigo, tentei aproveitar o máximo possível, pois sabia que talvez poderiam ser os únicos, e posso afirmar com toda certeza do mundo: foram os mais bonitos da minha vida.

Adorei ficar ao teu lado, sentir seu abraço, o teu cheiro, teu calor, você! Seu beijo me fez acreditar que era possível existir um amor puro, verdadeiro! Você fez parte de um momento maravilhoso da minha vida, e eu não poderia estar mais feliz. 

Estou escrevendo está carta meio aos prantos, pois a cada linha, um momento nosso me vem a cabeça, e se eu pudesse voltar e congelar o tempo, com certeza o momento escolhido seria o nosso primeiro beijo!

Mas já não há tempo... Foi-se o tempo. 

Valeu a pena esperar tanto para te conhecer, todos os anos que passei idealizando um encontro nosso, não chegam aos pés do que realmente vivemos. Você me cativou desde o primeiro segundo em que te vi. 

Hoje eu sinto que sempre terá um pedaço meu dentro de você, assim como sempre terá um pedaço seu dentro de mim. Estamos ligados pelos laços do amor.

Sei que agora tenho que te deixar partir da minha vida, não vou mentir dizendo que está sendo fácil para mim, pois não está! E mesmo que os nossos caminhos nunca mais se cruzem, vou seguir em frente feliz, pois quando olhar para trás, você estará lá, fazendo parte do momento mais especial do meu passado.

Eu te desejo toda a felicidade do mundo, espero te encontrar o mais rápido possível. Viver sem você constantemente em minha vida será difícil, mas se caso nós não dermos certo no futuro, espero que tu encontre alguém que te complete, e que você possa ter a capacidade de se entregar a esse amor de tal maneira, como eu entreguei o meu coração á você.

Eu sempre estarei aqui, independente de qualquer coisa. Independente dos altos e baixos da sua vida. Independente das suas vitórias e derrotas. Das suas alegrias e tristezas. Eu sempre estarei, perto ou longe. É tudo por você. Por amar você. 

                Com amor, Skyler ou Ursa, se preferir."

Não acredito que eu fodi com tudo isso. 

Me levantei correndo da cama e sai do quarto, batendo de frente com Scooter e Ryan. 

— Para onde está indo, Justin? — meu amigo perguntou com a testa franzida. 

Peguei a chave do carro e o meu boné que estavam em cima da poltrona. 

— Justin, só falta você chegar para o jatinho sair. Só estão nos esperando, vamos logo com isso. — Scooter disse. 

— Eu preciso fazer uma coisa antes, mas encontro vocês lá. 

— Justin, você não me inventa de fugir de novo! — Scooter disse sério — Não gosto de mentiras e odeio ter que cobrir as suas merdas com mentiras, me entendeu?! Então, por favor, vamos embora daqui. 

— Eu preciso fazer isso, Scott. — olhei-o com suplica — Eu prometo parar de arrotar em todo jantar importante se você me der meia hora aqui em Toronto. 

Ryan gargalhou, mas segurou a risada ao sentir o olhar severo de Scooter nele. 

— Me prometa que não vai fazer merda e nem fugir. 

— Eu prometo! 

— Ryan vai com ele para garantir, eu espero os dois no aeroporto. 

Não discordei muito, apenas segurei o braço de Ryan e sai o arrastando para fora do quarto. Estar em elevadores era torturante para mim, mas parecia mil vezes pior naquele momento. Eu queria chegar logo na casa da Lilian e saber de Skyler, me desculpar e mostrar total o meu arrependimento. Assim ela falaria com a minha ursa e, se fosse necessário a assumir para o mundo eu o faria. 

Scooter teria que me perdoar mas eu provavelmente ganhei umas duas multas durante o caminho. A minha intenção era apenas chegar mais rápido. Estacionei o carro na calçada da Lilian e olhei para o Ryan. 

— Eu preciso da Skyler. 

— Você passou o caminho todo me mandando calar a boca todas as vezes que eu tentei falar alguma coisa e agora você vem com essa? Muito legal da sua parte.  — debochou — Ela está aí?

— Desculpa, eu estou nervoso. Achei uma carta da Skyler, ela me deu no dia que eu a deixei no aeroporto e isso me fez querer correr para os braços dela, adormecendo em seu colo. Mas eu preciso da Lilian antes, esta é a casa dela. — apontei. 

— Então vai logo, não podemos demorar. 

Sai do carro, colocando as minhas mãos no bolso da calça jeans. Subi os três degraus que me levavam até a porta e toquei a campainha. Deve ter demorado um minuto para Lilian abrir a porta, mas na minha cabeça parecia uma eternidade. 

— Justin? — franziu a testa — O que faz aqui?

— Lil, eu sou um fodido, ok? Estraguei todo o lance com a Skyler, mas não foi a minha intenção, eu juro. Só queria a proteger de toda essa atenção e todo esse ódio gratuito. — mordi o lábio. 

— Justin, a única coisa que você errou foi fazer sem explicar a ela. Sky tinha o direito de saber daquela entrevista, ela que tinha que decidir se queria ou não se envolver com a fama, com a mídia e com suas fãs loucas. Sinto muito por ter sido dessa forma, mas você errou. 

— Eu tentei falar com ela, mas ela não me atendia. 

— Você achou mesmo que ela ia fugir por sete dias com você e não levaria um baita esporro do pai dela quando chegasse? Era para ter esperado por ela. 

— Eu quero me desculpar com ela e explicar tudo o que aconteceu. Nem que eu tenha que fugir para encontrá-la, vou até Rosemary ou qualquer outro canto do mundo. 

— Justin, ela acha que você não gosta dela e que só queria sexo. — aquilo foi como uma facada no meu coração. Ela não podia pensar assim de mim, só nós dois sabemos como eu a amo. 

Senti os meus olhos marejarem e suspirei. 

— Eu nunca iria ser esse monstro. Lil, preciso conversar com ela. Me dê o endereço de Skyler, por favor. 

— Eu não posso. 

— Por que não? Não vou fazer merda nenhuma dessa vez. 

— A questão é que nem eu tenho. 

— Para de mentir para esconder a Sky de mim, por favor. — uma lágrima escorreu pelo meu rosto e eu a sequei rapidamente — Estou correndo atrás da sua sobrinha porque ela é muito importante para mim, me ajuda. 

— Justin, Skyler saiu da Califórnia essa manhã. — arregalei meus olhos — Os pais dela acharam melhor tirarem dos Estados Unidos por um tempo e ela, como está bastante chateada concordou com tudo. 

— A ursa foi embora dos Estados Unidos por minha causa?

— Não foi só culpa sua. Na verdade, os dois são culpados por tudo que está acontecendo. — ela sorriu carinhosa para mim — Eu falei com ela ontem e ela me disse que sempre será a sua fã número um, Justin. Espera que ela irá voltar e eu vou arrumar ingressos para ela novamente. 

— Onde ela está?! — sussurrei. 

— Eu ainda não sei. Mas não contaria mesmo se soubesse, os pais dela não querem. Na verdade, o pai dela não quer. — mordi o lábio com força — A Sky vai procurar você, só espera a poeira abaixar. 

— Quando você falar com ela de novo pode dizer que eu estive aqui e que a amo mais do que ela possa imaginar? — ela sorriu e assentiu — Diga que eu vou começar as aulas de culinária para cozinhar pra ela na próxima vez... Irá ter uma próxima vez!

— Tenho certeza que vai. 

Abracei o corpo de Lil novamente e fechei meus olhos. Ela era a 'coisa' mais próxima de Skyler que eu tinha. Me afastei dela e sorri. 

— Eu vou achá-la. Avisa isso para ela e para o pai dela. 

Me virei de costas e sai andando em direção ao carro. Estava me sentindo fraco por saber que Skyler imaginava que eu só queria sexo com ela, muito pelo contrário. 

— Conseguiu o que queria? — Ryan perguntou. 

— Ainda não, mas vou conseguir. 

— Sabe Justin, eu não sou muito bom com essas coisas de sentimentos e tudo mais. O máximo que eu gostei de uma garota foi da Loren, a menina da loja de gibi. — deu de ombros — Mas eu acabei aprendendo que quando é amor de verdade sempre terá um reencontro. Porque tem coisas que ficam ligadas para sempre, e eu sei que algo irá ligar vocês dois até o fim do mundo. 

— Até o fim do mundo? — perguntei esperançoso. 

— Além disso, irmão. Agora você só precisa parar com essa viadagem de ficar chorando pelos cantos, vocês fez a merda e agora tem que arcar com as consequências. Apenas tente achar a Skyler e a convença de que você não é um filho da puta mentiroso. 

Ryan estava certo. Eu e Skyler éramos ligados para sempre, algo muito além do que eu conseguia imaginar. Eu tenho um pedaço dela dentro de mim e ela terá sempre um pedaço meu dentro dela. Para sempre.


Notas Finais


(ESTE CAPÍTULO NÃO ESTÁ BETADO)

Galera, vou dar apenas uma dica: próximo capitulo será destruidor de corações! Qual será o real motivo para a Sky não voltar? Vocês têm suspeitas?

Conheça também Amar sem onde(minha): https://spiritfanfics.com/historia/amar-sem-onde-7658814

Conheça também Mysteries Of Nightclub(Jady): https://spiritfanfics.com/historia/mysteries-of-nightclub-5847266


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...