História Por amar você (Gastina) - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Exibições 163
Palavras 2.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI GENTE. To aki de volta né, pse :/ qq aconteceu? Fiquei ansioso pra escrever o hot Pelfi e achei que o outro cap ficou pequeno d+ (e ficou msm, foi o menor cap da fic td) então eu voltei aki de trouxa e vim escrever o cap hot de Pelfi (sério, acha que me apaixonei por Pelfi pq pqp, viciei neles), então já podem gritar de emoção ^^ até as notas finais :*

Capítulo 30 - Iluminados pelas estrelas


As partes quentes estão em itálico, se não gostar pule ^^

P.O.V DELFI

Mochila feita, repelente pego, mala de primeiros socorros ok, o que falta? Acho que só a presença de um moreno de olhos verdes perfeito, em todos os sentidos. Bem, eu já tinha tudo arrumado, então só tinha que ir para o Roller encontrar a razão da minha felicidade (N/R: Delfi ta doce hj em, to até estranhando ela '-'). Fui caminhando calmamente até o Roller, eu estava tão em paz, estava sentindo uma sensação muito boa, olhei no relógio e vi que era 14h50 então tratei de ir mais rápido para o Roller para chegar na hora. Quando cheguei lá era 14h55 então eu encostei na parede para esperá-lo. Quando Pedro chegou só faltou meu queixo cair, ele estava numa caminhonete, ela não parecia ter nem 3 meses, ou seja, parecia ser nova, o salário dele dava pra comprar um carro desses?

- Delfi, você vem ou não? - Pedro perguntou de dentro do carro rindo, eu entrei ainda impressionada.

- Me responde uma coisa. Como você conseguiu comprar um carro desses? - eu perguntei ainda completamente surpresa e ele riu.

- O carro foi só presente dos meus pais, digamos que eles estão numa situação financeira muito boa - ele respondeu.

- Faz sentido, mas você nunca fala muito sobre seus pais - eu comentei.

- Digamos que eu sou um pouco fechado, eu gosto mais de falar do presente - ele respondeu rindo. - aliás, comprei isso pra você no caminho pra cá - ele me entregou uma caixa com um óculos escuro dentro e eu sorri.

- Obrigada, são lindos - eu disse e o coloquei.

- Vamos? - ele perguntou colocando o próprio óculos escuro.

- Estou pronta - eu brinquei e ele riu, logo ele deu a partida.

Ficamos no carro dele ouvindo música e conversando, demos boas risadas, ele é tão divertido, eu dava boas gargalhadas quando estava com ele, quando ele está perto é impossível pra mim ficar triste, ele é tudo o que eu sempre quis. O rádio começou a tocar "Drag me Down" da One Direction (por mais que eu ache q td mundo conheça o link ta na descrição) e eu dei um pulo de alegria e comecei a cantar a música, alguns segundos depois Pedro começou a cantar comigo, no final da música eu ri pela empolgação que tivemos e ele fez o mesmo. Eu me virei para o lado deitando no banco para poder olhá-lo.

- Sabia que você faz muito bom pra mim? - perguntei serena.

- Eu fico feliz que eu possa te fazer uma pessoa melhor - ele respondeu no mesmo tom - e que você faça eu deixar meu lado malvado sair - ele brincou e nós dois rimos.

- Estamos chegando? - perguntei voltando a minha posição normal.

- Quase - ele respondeu - aliás esqueci de te dizer que vamos ficar na cabana dos meus pais. - ele disse e novamente eu quase deixei meu queixo cair.

- Deve ser uma cabana muito linda - eu disse, ainda surpresa.

- É tudo que você merece por ser uma namorada maravilhosa - ele disse e eu lhe dei um selinho.

- Fofo - disse apertando suas bochechas e ele deu uma leve risada.

- Chegamos - ele estacionou o carro. A casa realmente era linda, as paredes do lado de fora eram brancas com partes de madeira na ponta de paredes, tinha uma varanda que dava vista para a floresta (N/R: tecnicamente eles estão em cima de um penhasco) e ela tinha uma mesinha nela, já sei onde eu e o Pedro vamos tomar café da manhã.

- Vamos entrar? - ele perguntou e eu assenti. A casa era mais linda por dentro do que por fora, as paredes eram brancas e o piso de madeira, os móveis eram em tons de branco marrom e vermelho. - quer ver o quarto? Alguma coisa me diz que você vai gostar muito dele - ele disse e eu ri, e ele tinha razão. Quando entramos no quarto eu fiquei maravilhada, ele tinha um guarda roupa e uma cama apenas, o que deixava um espaço enorme sem nada, e eu adorava isso mas o que eu mais adorei foi...

- Uma parede de vidro - eu disse pulando de tanta estéria. - eu amo paredes de vidro, você pode ver tudo do lado de fora.

- Uma fonte confiável me essa informação - ele disse rindo.

- Isso tudo é tão perfeito - eu disse indo em sua direção e ficado na frente dele. - obrigada - eu disse com os olhos lacrimejando.

- Não há de que - ele disse e logo depois me abraçou. - eu te amo. - ele disse e eu me reconfortei em seu peito.

- Eu também te amo - disse sem quebrar o abraço.

- Ta afim de tomar banho de cachoeira? - ele perguntou e meus olhos brilharam - vou considerar isso como um sim - ele disse rindo - você pode se trocar no quarto, eu vou para o banheiro - ele disse e eu assenti. Alguns minutos depois eu estava vestida, pois minha roupa consistia apenas em um maiô preto e um shortinho jeans.

- Delfi? - ele chamou batendo na porta - posso entrar?

- Claro - eu assenti e ele abriu abriu a porta.

- Uau, você tá linda - ele disse e colocou as mãos na minha cintura e depois me deu um selinho.

- Obrigado, você também ta um gato - eu respondi, a roupa do Pedro consistia em uma camiseta cinza e uma bermuda preta com detalhes de fogo em vermelho e amarelo em baixo.

- Aguenta ir andando? - ele perguntou rindo.

- Eu posso ser delicada, mas ainda não sou de vidro Pedro - eu brinquei rindo e ele fez o mesmo.

- Então vamos - ele falou me estendendo a mão, eu peguei a mesma e nós saímos da cabana.

Nós descemos o penhasco inteiro até a floresta e depois andamos até a cachoeira, ela era linda, totalmente cristalina e tinha até uma caverna atrás da queda d'água, a qual eu com certeza iria lá. Eu não pude me conter, tirei o short direto e pulei na água, Pedro deu uma leve risada, mas logo depois tirou a camisa e pulou comigo, eu nadei em direção a ele e segurei seus ombros.

- Sabia que você é muito lindo? E que o fato de você não admitir isso te torna ainda mais? - eu disse e ele riu.

- Obrigado - ele disse sorrindo e depois me deu um beijo calmo e apaixonado, ficamos um bom tempo assim até nos separarmos por falta de ar, eu fiquei acariciando sua barriga.

- Você amou o meu abdômen em - ele disse brincando e eu ri.

- Desculpe, eu não resisto a um homem sarado - eu devolvi a brincadeira e dessa vez ele riu. Ficamos nadando por um bom tempo, depois fomos para trás da cachoeira e ficamos no beijando, ele deitou e eu fiquei por cima claro (N/R: hum, convencida ¬¬), mas logo depois estava ficando tarde então decidimos voltar.

- Sabia que a vista do pôr-do-sol daqui é muito linda? - ele perguntou e eu neguei com a cabeça - vem, vamos nos sentar lá fora - ele disse me puxando pela mão até o lado de fora, nos sentamos na grama e ficamos observando o Sol se pôr, ele tinha razão, a visão era linda. Quando o Sol terminou de se pôr nós voltamos para dentro.

- Pedro - eu o chamei, precisava perguntar uma coisa - nós vamos fazer... aquilo?

- Só se você quiser - ele respondeu.

- É que sabe... eu nunca fiz isso antes, eu quero fazer, mas eu estou insegura - eu disse cabisbaixa, mas ele levantou minha cabeça.

- Delfi, eu não vou fazer nada que você não queira. - ele disse me reconfortando e eu sorri.

- Tudo bem, eu confio em você, então eu estou segura, vamos fazer isso - eu disse totalmente certa.

- Tem certeza? - ele perguntou para confirmar.

- Total - eu respondi.

- Então tudo bem. - dito isso ele começou a me beijar, um beijo calmo, eu coloquei minhas pernas envolta de sua cintura e ele me carregou até o quarto.

Quando chegamos no quarto ele me colocou na cama com cuidado e sem quebrar o beijo, mas logo depois ele tirou a camisa e voltou a me beijar, mas dessa vez era um beijo feroz e cheio de desejo.

Eu comecei a arranhar seu abdômen, o que o fez suspirar em meio ao beijo, eu já estava aérea e não tinha mais controle sobre meu corpo, era como se eu estivesse no automático. Ele começou a passear com as mãos pelo meu corpo, até tirar o meu short.

- Eu juro que nem sei mais o que estou fazendo - eu disse rindo e ele fez o mesmo.

- Só relaxe - ele disse me encarando, seu olhar me transmitia confiança, o que me impulsionava a continuar.

Ficamos nos beijando mais um tempo, até que eu decido tirar sua bermuda, eu conseguia sentir sua ereção por cima da cueca, ele continuou passeando com as mãos em meu corpo e parou nas alças do maiô, como se estivesse pedindo permissão para tirá-lo, eu fiz sinal com a cabeça para indicar que estava tudo bem e ele tirou meu maiô lentamente e depois ficou admirando meu corpo.

- Você é tão linda - ele disse enquanto me admirava, eu só conseguia olhar em seus olhos com cara de luxúria.

Ele começou a fazer movimentos circulares na minha intimidade, me arrancando pequenos gemidos, eu já estava completamente molhada, ele estava me deixando louca.

Ele abaixou a cabeça na altura de minha intimidade e começou a chupá-la, eu conseguia sentir sua língua dentro de mim, eu estava fazendo sons tão pornográficos que estava sentindo até vergonha.

Ele continuava fazendo movimentos com a língua dentro de mim e eu acabei por não conseguir me segurar, soltando meu prazer dentro da boca dele.

- Desculpe - eu pedi envergonhada.

- Não peça desculpas - ele disse me encarando e logo depois colocou a boca perto do meu ouvido - o seu gosto é delicioso - ele disse de forma maliciosa e eu troquei a posições, ficando por cima dele.

- Minha vez de te proporcionar prazer - eu disse no mesmo tom que ele.

Eu desci minha cabeça até a altura de seu membro, e tirei sua cueca, fazendo seu pênis saltou para fora, eu estava salivante, comecei lambendo toda a sua extensão arrancando pequenos gemidos de Pedro, logo depois eu o coloquei na boca e comecei a fazer movimentos lentos, arrancando gemidos maiores dele.

- Delfi, m-mais r-rápido - ele pediu entre gemidos e eu realizei seu desejo, fazendo movimentos mais rápidos com minha boca, o que fez ele logo gozar nela, eu engoli tudo sem receio. Ele inverteu as posições novamente, ficando por cima de mim, ele pegou o preservativo na cômoda do lado da cama e colocou em seu membro, logo o posicionando em frente a minha intimidade.

- Está pronta? - ele perguntou, visivelmente preocupado comigo.

- Pedro, é você que vai fazer isso, é claro que eu estou pronta - eu respondi sorridente, e ele me penetrou. 

Ele me segurava meus pulsos acima da minha cabeça na cama, o dando apoio, ele começou com estocadas leves e lentas, e só aquilo já era suficiente para me fazer ter um delírio, eu estava completamente louca, eu fiquei por cima dele, o fazendo sentar na cama e logo comecei a rebolar em cima de seu membro, ele pegou um dos meus mamilos e levou a boca logo começando a chupá-lo, fazendo eu quase gritar de tanto prazer que estava sentindo. Ele segurou minha cintura, para ajudar a ter um ritmo mais rápido e feroz com as estocadas, logo fazendo nós dois chegarmos ao nosso ápice.

Deitamos na cama esgotados, eu coloquei minha cabeça sobre seu peito, nós dois estávamos com a respiração ofegante e pesada.

- Isso foi tão bom - eu disse normalizando minha respiração.

- Realmente foi, você é muito boa - ele brincou e eu ri e logo depois levantei a cabeça para lhe dar um selinho.

- Obrigado por ser um namorado perfeito - eu disse voltando a colocar minha cabeça sobre seu peito e logo fechando os olhos.

- Obrigado por entrar na minha vida - ele disse em resposta e nós dois adormecemos. Mais ou menos duas horas depois eu não estava conseguindo dormir, então me levantei com cuidado para não acordar o Pedro e coloquei meu babydoll preto, e fiquei observando o céu totalmente estrelado pela parede de vidro.

- Delfi? - Pedro disse se despertando - ta acordada ainda?

- Desculpe, eu não consegui dormir - disse me virando para ele, que estava colocando sua cueca.

- Tudo bem, você não tem culpa - ele veio até mim e me abraçou por trás, admirando a vista comigo. - o céu está muito lindo hoje não acha?

- Sim, está completamente estrelado, fizemos amor iluminados pelas estrelas - eu disse e ele deu uma leve risada - eu te amo tanto Pedro, de uma forma que nunca vou conseguir expressar - eu disse serenamente e com sinceridade.

- Eu também te amo incondicionalmente, você se tornou o meu ponto fraco, a minha razão pra acordar e querer viver todo dia - ele confessou e eu relaxei minha cabeça eu seu peito.

- Tudo o que importa agora é que estamos juntos, e vamos continuar assim eternamente.

CONTINUA


Notas Finais


AIOU. Fãs pirando em 3...2...1. AHHHHHHHHHHHH ATÉ EU PIREI. GENTE QUE CAP MARAVILHOSO, TO SENTINDO ORGULHO DE MIM ;-; menos um casal pra fazer hot kk mas eu com certeza vou fazer outro deles pq amo Pelfi incondicionalmente :3 até o próximo cap pessoas ^^ bjs de glitter :*
Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=Jwgf3wmiA04


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...