História Por Amor - SwanQueen - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Ouat, Swanqueen, Swens
Visualizações 400
Palavras 2.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee


Capitulo nada agradável


Por necessário



ate o próximo amores

Capítulo 10 - Capítulo 10 - Violada


Fanfic / Fanfiction Por Amor - SwanQueen - Capítulo 10 - Capítulo 10 - Violada

 

X

 

 

 

 

Diana

 

 

Eu estava no meio da minha festa de casamento e estava muito triste com isso, se fosse com Zelena este seria o momento mais feliz da minha vida, mas com Killian isso seria realmente terrível, vi Zelena saindo da sala e resolvi ir atrás dela.

Ela estava em um canto de cabeça baixa.

– Zelena? – a chamei e ela me olhou triste mais ao mesmo tempo mudou seu olhar pra raiva.

– O que a senhora esta fazendo aqui? – ela disse séria sem me dar aquele sorriso com covinhas.

– Eu queria falar com você, você...você parece triste. – disse na esperança dela concordar comigo e dizer que se sentia do mesmo jeito que eu.

– Eu estou Ótima, só acho que a senhora deve voltar pra sua festa de casamento e o que as pessoas vão falar se ver você a sós com uma pessoa sem ser seu marido. – a olhei triste, eu alimentando um monte de ilusões por ela e lhe fazendo juras eternas de amor e ela nem ao menos me olhou nos olhos, sai de la o mais rápido que pude senti minha pele corar de vergonha.

 

 

 

 

X

 

 

 

Zelena

 

 

Como membro da família real eu era obrigada a estar neste maldito casamento e ainda tinha que ver tudo ao lado do sacerdote bem próximos dos noivos, quando Diana entrou meu coração acelerou como queria ser eu ali, mas infelizmente não era.

Eu passei o dia todo pensando no que poderia fazer pra impedir este casamento, tinha ate ido ate a biblioteca procurar alguma coisa mais tudo que encontrava podia ser usado contra mim e não contra Killiam, pensei em raptar Diana o que seria uma ideia absurda e também pensei em chamar ela pra fugir comigo, mas é claro que ela não ira aceitar nos conhecíamos a dois dias e ela não devia estar apaixonada por mim como eu estava por ela.

Durante a cerimônia ela olhou pra mim e eu tive que desviar o olhar era demais pra mim.

A cerimônia em fim terminou e eu podia parar de sofrer, fui pra festa que pelo jeito iria durar a noite inteira, mas avistei Diana sentada com Killia. e eu não aguentava mais e me retirei pra um lugar afastado, do nada escutei.

– Zelena? – eu conhecia aquela voz e só podia ser dela.

– O que a senhora esta fazendo aqui? – eu disse séria não podia mais ficar perto dela ela agora era casada e não duvido que o Killian inventaria qualquer coisa de traição pra que nos víssemos junto.

– Eu queria falar com você, você...você parece triste. –ela disse e eu tive que tomar uma atitude e disse o mais distante que pude

– Eu estou ótima, só acho que a senhora deve voltar pra sua festa de casamento e o que as pessoas vão falar se ver você a sós com alguém sem seu marido. – ela ficou vermelha e se afastou de mim, eu sou uma idiota mesmo.

 

 

 

 

 

X

Killian

Diana após a cerimonia estava completamente desanimada e triste mais eu nem me importava com isso, eu estava louca para essa festa acabar e poder tê-la em minha cama e sair triunfante perante Zelena, ela achava que podia tudo ela era como Regina elas eram mulheres e não deveriam ter poder algum. Eu estava ali parado falando com algumas pessoas e não pude deixar de notar que Zele a se retirou do salão extremamente nervosa, ela não estava aguentado ver a amada dela casada comigo, isso porque ela nem imaginava o que eu faria com ela, para minha surpresa Diana saiu um pouco em seguida e foi na mesma direção que ela, por sorte ninguém havia notado, esperei um pouco e ela não voltara decidi ir ate lá, pois não ficaria com fama de traído pelo castelo, isso não iria acontecer, se eu suspeitasse que elas estavam tendo algo eu não perderia a chance de denuncia-las e ver as duas morrerem em praça publica como adúlteros, segui pelo pequeno e estreito corredor por onde elas entraram e fui puxado , olhei um pouco surpreso e era a irmã de Diama.

–O que você quer Merida?

–Eu... eu queria apenas falar com você cunhadinho – ela me lançou um sorriso e passou as mãos por seu decote generoso, ela estava claramente se insinuando para mim.

–Eu estou procurando Diana – ela se aproximou de mim me colocando contra a parede e ficando com ambas as mãos em meu peito e seu corpo bem próximo ao meu.

–Eu acho que você encontrou algo bem melhor do que minha irmã sem sal. – Nisso ela estava certa ela com certeza fazia mais meu gênero do que a irmã dela, talvez por ela ser uma garota volúvel e mais como as mulheres que eu tinha na rua.

–Você não acha que esta muito saidinha?

–Acho que não, se a rainha pode ter varias mulheres porque o irmão dele não pode?

–Porque eu não tenho paciência para dar a mesma atenção para minha mulher e amantes.

–Mais eu só quero diversão somente isso – Ela estava se insinuando para mim e eu não via motivos para não corresponder, afinal Diana parecia bem sem graça do tipo que eu teria que fazer tudo sozinho.

Resolvi aproveitar o momento peguei ela pela cintura e a sentei em uma pequena mesa e ela entrelaçou as pernas em minha cintura e comecei a beija-la avidamente e a apertar seu quadril o corpo dela era suntuoso e definido então comecei a tocar seus seios e ela arfou, beijei seu pescoço e puxava seus cabelos enquanto eu apertava o seio dela e a mordia. Mais ai me lembrei de que Diana podia estar fazendo o mesmo com Zelena então a afastei de mim, e ela estava ofegante.

–Porque parou? Não gostou?

–Eu adorei Mérida e já vi que eu não ficarei entediado enquanto eu estiver casado com sua irmã. – ela me deu um sorriso todo malicioso.

–Jura?

–Sim, vamos nos encontrar muito, mas agora tenho que ir atrás da sua irmã – a deixei lá e sai do cômodo que eu estava, e quando olhei para saída eu vi Diana ao longe, então decidi voltar para o salão, limpei minha boca que devia estar marcada do batom dela, e ajeitei minha camisa que ela puxara e voltei para o lado de minha esposa, e a peguei pelo braço e a puxei para um canto.

–Onde você estava?

–Fui apenas .. relaxar um pouco estava nervosa.

–Espero que nesse seu relaxamento não tenha encontrado ninguém.

–Não, eu estava sozinha senhor.

– E eu sou burro não é?- Logo você vai aprender que não esta lidando com nenhum burro – fiz sinal para uma de nossas servas e ordenei que levassem minha mulherinha para o quarto. Logo Diana se retirou e depois de um tempo eu subi.

Entrei no quarto e a encontrei ela estava linda com uma camisola branca e olhava alguma coisa na sacada, e ela estava distante, pois nem viu eu me aproximar.

– Boa noite minha mulher! – sussurrei no seu ouvido e ela se virou assustada e entrou no quarto indo pra longe de mim.

– O que você quer? – ela disse se cobrindo quando viu que eu olhava interessado pro seu decote.

– O que eu quero? – já vi que teria trabalho – Quero você horas você é minha esposa esqueceu?

– Infelizmente não consigo esquecer.

– Então venha satisfazer seu marido. - disse abrindo os braços e ela correu pro outro lado do quarto. – Pare de graça Diana como eu disse pra você não tem como fugir de mim somos só você e eu. – ela me olhou assustada e eu fui me aproximando e me aproximando e ela ia indo pra trás ate que não tinha mais pra onde ir e eu agarrei e comecei a beija-la sem sucesso ela não abria a boca. – Me corresponda sou seu marido. – disse já nervoso minha paciência já estava se acabando. Voltei a beija –la e aperta-la contra mim e ela abriu a boca, pelo jeito estava entendendo quem manda aqui até que ela deu uma mordida no meu lábio. – Sua! – ela se afastou e começou a limpar a boca.

– Tenho nojo de você! – ela disse.

– Você esta assim por causa dela não é?

– Por causa dela? Você está louco.. – ela ia dizer mais alguma coisa e eu a cortei.

– Eu fiz um favor pra você e é assim que você me trata?

– Favor?

– Não tem minha irmãozinha? Zelena é a maior pegadora de todos aqui, ela já ficou com varias mulheres por aí e com umas ela já ficou ate a força.

– Isso é mentira ela...

– Cale-se, agora você vai descobrir quem é Zelena Mills. – disse tentando parecer o mais convincente possível – ontem ela falou com você no jardim não foi?

– e o que você tem a ver com isso?

– Ela faz isso com todas e você seria só mais uma na cama dela, ela me disse que se você se casasse com elA seria só mais um brinquedinho pra ela. – minhas palavras já começavam a ter efeito sobre ela, pois ela já deixava uma lagrima escapar e eu tive que me conter para não rir ela é tão inocente.

– Isso é mentira!

– Se não quer acreditar então não acredita, mas agora você é minha esposa e tem deveres para comigo então pare de se afastar.

– disse a puxando pra mim e a prendendo com forças em meus braços, estava cansado já dessa ladainha toda. – Você vai ser minha querendo ou não. – disse já nervoso e a beijando com força e urgência mesmo ela não correspondendo.

 

 

 

X

 

 

 

Diana

 

 

 

– Se não quer acreditar então não acredita, mas agora você é minha esposa e tem deveres para comigo então pare de se afastar. – ele me agarrou com força e eu não conseguia me soltar – Você vai ser minha querendo ou não. – ele disse nervoso e começou a me beijar e eu tentei me afastar mais ele era mais forte. Sem me soltar ele me empurrou na cama e sentou sobre minha cintura e começou a abrir meu manto e mesmo eu tentando para-lo ele conseguiu e ficou me olhando por um momento. – Você é maravilhosa! – ele disse e começou a acariciar meus seios.

– Pare Killian não me toque! Saia de cima de mim me deixa em paz. – disse já começando a chorar.

– VocÊ é minha mulher! Então pare de frescuras se não será pior. – ele disse com uma cara de dar medo.

– Pior do que já esta sendo? Você vai fazer o que me bater? – eu disse entre soluços enquanto ele segurava meus braços.

– Isso não seria má ideia.

– VocÊ não seria capaz. – eu disse e só senti ele apertar meu queixo com força.

– Você não sabe do que eu sou capaz garota, então não me provoque. – ele disse e começou a tirar as alças da minha camisola e isso era demais pra mim, comecei a me debater e cuspi nele e só senti minha pele do rosto queimar ele tinha me dado um tapa. – Ate agora eu fui bonzinho com você, mas cansei. – e num movimento rasgou minha camisola e começou a puxa-la deixando meus seios a mostra onde ele colocou a boca e começou a morder com força me fazendo chorar de dor. – Cale –se! – ele disse e me deu outro tapa na cara que doeu mais do que o primeiro e eu resolvi não resistir mais por enquanto.

Ele saiu de cima de mim e eu pensei que tinha acabado, mas não ele começou a arrancar suas roupas ficando completamente nu e eu desvie meus olhos com medo, o que ele ia fazer comigo? Ele voltou pra cima de mim e terminou de arrancar minha camisola me deixando apenas com minha roupa de baixo que ele se apressou em tira-la mesmo eu travando minhas pernas ele o fez e se colocou no meio delas, e eu só conseguia chorar.

– Agora sim você vai se tornar minha mulher. – ele disse malicioso e eu tomei coragem, parei de chorar e disse:

– Eu nem sou sua mulher, eu não bebi daquela droga de cálice. – disse vitoriosa, mas de nada adiantou ele só me deu um outro tapa na cara mais forte do que todos que me deixou tonta.

– Não me importo. – ele disse e num movimento se colocou dentro de mim, me causando grande dor, ele ficou fazendo movimentos e me machucando cada vez mais e o desgraçado gemia de prazer, até que senti ele derramar algo dentro de mim e ele parou com um sorriso satisfeito. – Vire-se. - ele disse.

– Não vou virar. – disse com a voz quase num sussurro e ele me pegou e me virou contudo e se colocou em cima de mim novamente dessa vez ele se colocou dentro de mim aos poucos por tras e mesmo assim me fazendo gemer e chorar de dor, ele estava me machucando muito. Finalmente ele parou.

– Agora estou satisfeito. – ele disse e pegou um lençol e se cobriu, eu me levantei e vesti minha camisola e percebi que estava sangrando, esse maldito desgraçado tinha me machucado, eu me deitei, pois não tinha o que fazer e nem pra onde ir minha vida a partir de hoje seria um completo inferno.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...