História Por Amor - SwanQueen - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Ouat, Swanqueen, Swens
Visualizações 281
Palavras 1.722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie sim mais um ... Como todas sabem é a história de ester mais não ser idêntica a bíblia as coisa vão muda e muito para quem não percebeu nossa Diana é nada mais nada menos que a mulher maravilha ou seja essa Fic guarda muita ação ainda..temos uma rainha foda Regina uma comandante de exercito top Zelena,



Boa leitura

Capítulo 9 - Capitulo 9 - Casamento


Fanfic / Fanfiction Por Amor - SwanQueen - Capítulo 9 - Capitulo 9 - Casamento

X

Tinker

Eu estava voltando de viagem hoje, depois de anos implorando a Regina ela finalmente me permitiu ir ao Egito e eu estava radiante, pois sempre quis viajar e conhecer novos lugares não que isso seja muito fácil em minha posição, mas em breve Regina me disse que eu iria me casar então tinha que aproveitar todo meu tempo pra fazer o que me desse vontade antes de que esse bendito casamento chegasse.

Cheguei no palácio e estranhei aquele lugar estava uma bagunça, os empregados e escravos levavam flores e arrumavam cadeiras e eu estava totalmente perdida, o que estava acontecendo aqui? Chamei um dos empregados e ele veio em minha direção.

– Princesa! – ele disse fazendo uma vênia.

– O que esta acontecendo aqui?

– Bom senhorita hoje é o casamento do seu irmão Killian.

– Killian casar? – disse já começando a segurar o riso, pois eu sempre disse que ele teria de se casar um dia e ele dizia: “- No dia em que isso acontecer Killiam Jones Mills não mais existira.”

– Sim e a cerimônia será hoje ao entardecer. – só podiam estar de gozação com minha cara, se eu não tivesse voltado não iriam nem me esperar pro casamento? Alguém vai me ouvir e vai ouvir muito.

Entrei no palácio e avistei minha irma Zelena  e corri em sua direção.

– minha irma. -  disse feliz a abraçanda e ela me girou como sempre fazia comigo desde criança e eu adorava até hoje.

– Minha baixinha voltou mal posso acreditar. – ela disse me colocando no chão.

– Pode me contar as novidades e rápido já soube do casamento do Killian. – eu achei que ela ficaria animado, mas ao invés disso seu sorriso foi diminuindo e até que ela ficou sério como nunca ficou comigo. – Disse algo errado?

– Não fadinha é que aconteceram muitas coisas enquanto você estava fora. – ela disse triste.

– Mas só quero saber o que deixou você assim. – disse a abraçanda, Zelena sempre foi Minha irmã predileta e eu nunca a vi assim algo de muito sério deve ter ocorrido.

– Vamos pro seu quarto e eu te conto lá, você deve estar exausta da viagem.

Fomos pro meu quarto e Zel começou a contar tudo o que tinha ocorrido e quando ela terminou eu estava com muita raiva.

– Agora eu entendo o motivo de tanta tristeza minha irmã – disse o abraçando.

– Eu achei que nunca ia sentir o que senti ao olhar pra Diana, mas agora tudo acabou. – ela disse.

– Preciso conhecer essa moça. – eu disse me desgrudando dela e indo em direção a porta.

– Fadinha não fala nada pra ela sobre mim.

– Mas Zel ela deve saber o que você sente e.... – ela nem deixou eu completar.

– Não quero que ela sofra por algo impossível, alias eu nem sei se ela sentiu o mesmo que eu.

– Tudo bem vou ficar quieta sobre isso.

– Obrigada por me ouvir maninha.

Descobri onde a tal garota Diana estava e fui pra lá, ela estava sendo preparada para o casamento através de um ritual que incluía: jejum, banhos, massagens e muito mais.

Não sabia como ela era, mas avistei apenas duas moças diferentes que deviam ser as filhas do tal rei de sei la da onde, tinha uma que estava sendo paparicada e ela devia ser a noiva, me aproximei dela.

– Você deve ser Diana não é? – disse sem ao menos me apresentar e ela me olhou assustada, agora eu entendi o motivo dos meus dois irmãos estarem apaixonados pela tal garota ela era linda.

– Você é quem? – ela disse ainda sem entender o que eu estava fazendo ali.

– Desculpe, sou a sua futura cunhada. – disse lhe dando um sorriso.

– Nossa me perdoe. - ela disse ficando de pé e me abraçando, ela parecia ser uma ótima moça e eu soube que seriamos grandes amigas.

X

Diana

Eu acordei com um monte de gente invadindo meu quarto e olhei pra eles assustada e ai me informaram que eles iriam me preparar pro meu casamento e eu me lembrei de tudo e tive que segurar minhas lagrimas e pra piorar tinha sonhado com Zelena.

No meu sonho ela me resgatava montado em um cavalo branco na hora do casamento e me levava pra um lugar onde só estávamos nos dois e ele dizia que me amava e eu dizia o mesmo e depois ela me beijava.

Mais infelizmente tudo não passava de um sonho e minha realidade era outra.

Aquelas pessoas todas estavam me enlouquecendo e minha vontade era de expulsar todos do meu quarto, mas não podia e ainda tinha que aturar Merida que não me deixava em paz e ainda ficava me olhando com uma carinha de vencedora e com um sorriso nos lábios e aquilo estava começando a me irritar.

– Do que você tanto ri Mel? – disse já nervosa.

– De você toda triste no dia do seu casamento.

– O problema é meu se estou triste ou não, agora pare de olhar pra mim vá arranjar algo pra fazer.

– Nunca pensei que veria isso. – ela disse gargalhando.

– Veria isso o que?

– VocÊ com inveja de mim. – isso me subiu uma raiva e eu me levantei. – VocÊs podem nos dar licença um minuto?

– Sim senhorita.

– Obrigada. – disse e me voltei pra Merida quando eles saíram. – Que história é essa de eu estar com inveja de você?

– Pensa que eu não vi como você olhava Pra Zelena ontem e do tanto que você queria que fosse ele ao invés do Killiam. – isso era verdade, mas não ia deixar passar.

– Você é a criatura mais asquerosa que já conheci, sabe que eu estou triste e fica aqui me massacrando. – ela riu.

– Pra você ver o que eu passei em toda minha vida. – ela disse e já ia começar com o papo de eu sempre ter tudo e ela nada, o que era mentira, pois sempre fomos tratadas iguais.

– Não comece Mérida estou cansada de você e suas histórias.

– Mas eu to adorando te ver sofrer irmãzinha querida e vou ficar mais feliz quando te ver naquele altar tendo que dizer sim pro seu futuro marido. – ela disse rindo e eu não me contive dei logo um tapa na cara dela. – Agora a menina doce esta mostrando as asinhas é?

– Se você não se calar agora eu vou arrancar essa porcaria que você chama de cabelo. – ela ficou quieta, pois lembrou de uma surra que eu dei nela uma vez.

Os empregados voltaram e continuaram a me preparar e do nada entrou uma garota muito bonita e veio direto na minha direção.

– Você deve ser Diana não é? – eu a olhei sem entender e assenti.

– Você é quem?

– Desculpe, sou a sua futura cunhada. – ela disse me dando um sorriso.

– Nossa me perdoe. – disse e fui abraça-la eu não costumava fazer isso com qualquer pessoa, mas ela me olhou de um jeito carinhoso e eu não resisti, senti que talvez uma amizade pudesse nascer entre nós.

– Você não parece muito feliz com seu casamento. – ela soltou depois de um tempo enquanto observava eles arrumarem meus cabelos.

– E não estou. – eu disse mesmo sabendo que ela poderia levar isso pro seu irmão.

– Posso saber o motivo? – ela disse de forma doce com sua voz musical.

– Eu só não suporto nos mulheres termos de fazer o que nos é mandado sem ao menos poder questionar. – menti em partes, afinal se eu tivesse me casando com Zelena eu estaria feliz e satisfeita.

– Eu te entendo. – ela disse pegando em minha mão. – Mas agora eu tenho que ir, acho que devo me arrumar para a cerimônia, mas não fique triste Diana – ela disse de modo carinhoso – vai dar tudo certo e espero que possamos ser amigas.

– Eu também espero isso. – eu disse sinceramente.

...

Eu já estava pronta e vestia um lindo vestido branco com uma pequena cauda, segurava um enorme buque de lírios e meus cabelos estavam presos em um belo penteado em que minha coroa ficava evidentemente a mostra e por cima de tudo o véu.

Meu pai caminhou comigo em silêncio para o salão da festa eu anda estava magoada por ele ter me trazido aqui para um casamento forçado sem nem me dizer nada ou perguntar minha opinião. Começaram a tocar uma linda musica quando entramos pelo longo tapete carmesim que me levava ate o altar onde estava o meu futuro marido, observei ao redor e todos elogiavam minha beleza e foi ai que eu o avistei pra piorar tudo Zelena estava linda próximo de Regina, a princesa e Killian no altar, ele me olhava tristemente e quando nos olhamos ao mesmo tempo ele desviou o olhar.

Meu pai me entregou pro tal Killian e ele me olhava com uma expressão divertida nos olhos, a cerimônia teve inicio e o sacerdote começou:

– Estamos reunidos nesta noite para celebrar a união das famílias Hale e Mills através do matrimônio de Diana e Killian.

Ele uniu nossas mãos e continuou. - Que os deuses da grande Pérsia unaM vocês e que vocês sejam felizes de baixo da vontade deles e os honre com a vossa alegria. – ele disse e pegou um manto com as cores: vermelha, azul, verde e amarelo e nos cobriu nos fazendo ficar juntos de baixo do manto e prosseguiu – Que as cores representem tudo que irão enfrentar nesta nova etapa da vida de vocês como casados, a cor vermelha é pra que nunca falte paixão e amor entre vocês, o azul serve para que tenham tranquilidade, ternura, afetuosidade em tudo o que fizerem um para com o outro, o verde é para que o casamento de vocês venham trazer muitos filhos e pra que ambos sejam férteis e finalmente o amarelo que venha representar a esperança de que apesar de as vezes virem momentos difíceis vocês sempre conseguiram superá-los com o amor. – ele tirou o manto  sobre nos e continuou.

– Para selar esta união vocês devem beber desta taça. – uma sacerdotisa entregou a ele uma taça transparente e linda com alguns desenhos em ouro imagino eu – ela foi abençoada por todos os nossos deuses e ira selar a união de vocês como eterna ou ate o fim que pertence a todos nos a morte. – ele entregou a taça a Killian que bebeu um gole e depois a mim, que fingi beber eu nunca queria me sentir unida a este homem.

– Eu vos declaro marido e mulher e que os deuses os abençoe.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...