História Pôr da Lua - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amy Lee, Anjo, Dark, Demonho, Emo, Evanescence, Lobisomen, Romance, Sobrenatural, Suspense, Vampiro
Visualizações 8
Palavras 1.506
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Incontrolável


- Darkness vai fazer um Show?? - Literalmente gritei e todos me olharam novamente.

- Sim!

Ignorei totalmente todos os olhares da sala, quase não estava acreditando que a Darkness e iria fazer um show.

- E tem mais! Eles tem uma vocalista! Quer dizer, como todos as músicas deles não tem letra, fiquei sabendo que uma delas vai ter.

- Meu Deus! O que eu estou fazendo aqui? Quando vai ser esse show?

- Eles deram uma entrevista hoje e falaram que o show vai ser daqui uma semana.

- O quê? Entrevista? Uma semana? - falei olhando para os outros que estavam na sala. - Mas eu tenho que ficar aqui mais do que isso...

- Imaginei... - ela disse com uma voz triste.

- ... - Me afundei no sofá enfiando a cabeça entre as pernas. - Eu quero ir ao show da darkness... - Fiz uma voz de choro.

- Não fica assim Hana, a gente pode... - A ligação caiu.

- Andy??

Ligação Off


Comecei a chorar ali mesmo, não me importava com os outros que estavam alí. Eles apenas permaneciam em silêncio me observando.

- Você gosta tanto assim deles? - Cold me perguntou incomodado.

- Eu prometi a Andy que no primeiro show deles a gente iria juntas! - tentava enchugar as lágrimas. - Por quanto tempo mais tenho que ficar aqui?

- Você sabe... mais de uma semana para que o Iks possa fazer efeito e...

- Vocês não me contam nada, nem sei o que é esse negocio de Iks, como posso confiar, vocês são estranhos! Aparecem e somem e...

-  Hanna, se acalme... - Charrice me interrompeu.

Todos me olhavam com um certo ar de "ela está surtando", e percebendo minha alteração euforica respirei produndamente como sempre faço quando quero me acalmar e falei.

- Eu quero ir pro quarto...

- ... - Cold resmungou algo e logo sumiu.

- Tudo bem, eu a levo. - Charrice falou tentando sorrir levemente.

- Você está bem assim? - Len me olhou confuso.

Não eu não estava bem, queria ficar sozinha sumir, dormir e sonhar com ele...

- Eu só preciso descansar... - Fitei o chão.

- É... okay. - e logo em seguida sumiu também.

- Desculpa Hanna, isso tudo é para o seu bem, eu não posso dizer muito, mas o Iks... - Iyan nos olha. - Digamos que é para manter você viva, mas não se assuste. E essa coisa de sumir e...

- Charrice... - Iyan a interrompe, ele nos olha incomodado e eu ainda mais incomodada que ele falei.

-  O quê? Ela é a única que tenta me explicar as coisas e você ainda interrompe? Por que não continua quieto ai? - Essas cosias todas estava me deixando nervosa e apenas joguei essas palavras fora.

- ... - Ele se faz parecer supreso e da um sorrizo irônico de canto me ignorando e olhando pro lado.

Foi a primeira vez que o vi sorrir, mesmo sendo um sorrizo irônico não vou negar que fiquei surpresa. Tive um certo odio de mim por achar seu sorrizo bonito.

- Você acha que tem condições de impor algo sobre mim, nervosinha? - Ele falou confiante com um tom de autoridade com aquele mesmo sorrizo.

- Iyan! - Charrice reclama.

Eu desviei o olhar constragida, pareceu até que suas palavras e seu sorrizo fizeram algum efeito irresistível em mim. Normalmente eu não agiria assim, mas o quê foi isso? Minha real vontade era de retruca-lo e não de ficar calada!

Charrice me olhou atenta e parece ter percebido minha frustração, quase como se estivesse rindo de algo por dentro.

Olhando para Iyan, Charrice esbanjava um sorrizo estranho no rosto como se tramasse algo, ou seria minha imaginação.

- Ok, ok. Já chega vocês dois... Hanna precisa ir descansar.

- Ah Claro... - Ele contínua com sua irônica.

- E eu... - Charrice fala sem desviar seus olhos do tablet. - Preciso sair agora, você sabe... poderia levar a Hanna até o quarto dela? Obrigada. - Ela da um sorrizo e por fim some.

- O quê? - Arregalei os olhos.

- Ts... fala sério. - Ele se senta direito no sofá.

*O quê Charrice quer com isso? Que frustrante! Isso foi muito forçado. *

Ele fica por alguns segundos olhando em minha direção e levanta vindo para perto de mim. Ficando em pé a minha frente ele me olhou de cima a baixo parando o seu olhar sobre a sandália que ele havia me dado.

- Venha... eu não estou com tempo. - ele falou depois de alguns segundos.

* Tempo pra ficar no sofá igual uma estatua?*

- Acho que tenho que aprender como andar nessa casa. - Falei com o seu mesmo sorriso irônico.

- Não será tão preciso... - ele falou dando as costas e me fazendo segui-lo. - Você não ficará muito tempo aqui. - ele completou.

- Ah... Claro. - falei sem graça, ele tinha razão.

O silêncio predominou o lugar depois dessas poucas palavras que tivemos. Eu observava bem o lugar para ser capaz de andar sozinha da próxima vez, quando me lembrei da conversa que tivemos no jardim sobre quando eu perguntei sobre história que envolvia meu sonho e ele ficou esquisito.

Pensei que talvez poderia continuar aquilo e perguntar algo mais.

- É... eu vi muitos CDs do Evanescence na sala. - Tentei puxar uma conversa.

- É... ele parecia desinteressado.

- Sabe... eu estava pensando se você não poderia me contar sobre aquela história triste que você se lembrou quando cantei a...

- Hã? - ele para de andar e me interrompe me olhando de canto. - É aqui o seu quarto....

- Ah, sim.

* Ok, ele realmente não queria falar sobre isso. *

Quando eu iria tentar ser amigável e dizer um boa noite ele já havia sumido.

* Que se passava pela minha cabeça? um arrogante desse e eu querendo ser amigável...*

- As pessoas dessa casa não sabem o que ser é ser gentil. - Bufei.

Abri a porta do quarto e eu vi aquela cama gigante perfeitamente arrumada me esperando. Nem me importei em tomar um banho antes e me joguei nela.

Depois de alguns minutos refletindo como minha vida estava nesse lugar o som de um piano pode ser ouvido ao longe levemente atravessando as paredes, imaginei ser Charrice tocando afinal...

Minha angústia ao ouvir aquele som, se esvaziava lentamente de mim e com minha respiração se acalmando aproveitei aquelas notas relaxando um pouco e por fim adormecendo.

Sonho On


Eu estava naquele mesmo lugar escuro, só que dessa vez não havia barulho alto, mas a mesma música de piano.

Olhando para todas as direções pude ver uma pequena luz se acender no meio do quarto que eu me encontrava.

No mesmo instante pude ouvir uma respiração baixa atrás de mim e me virando rapidamente pude ver...

- Você está aí!

- E você aí... novamente. - ele fala abrindo os olhos.

- Você realmente não me ver como uma pessoa?

- Você é só uma pequena luz... - ele fala se aproximando de mim como se eu não fosse nada demais.

- Aquela vez que nós nos... beijamos, você... - eu abaixei a cabeça envergonhada. - Você não me sentiu?

- Ha? - ele sorriu silenciosamente. - Você me beija e agora você está com vergonha?

Ele não respondeu minha pergunta, mas continuou me olhando atentamente.

- Sabe... eu nem sei seu nome, você...

- Eu também não sei o seu... - ele me interrompeu.

- Então me diga o seu, por favor? Eu lhe direi o meu.

- O que eu ganho sabendo seu nome?

- Por favor? - implorei.

- ... - Ele suspirou e falou. - Não acho que uma luz vai fazer muita coisa com meu nome... Eu me chamo Livian.

* Livia? * Não consegui conter o pequeno riso.

- Livia... parece nome de garota...

- Ts... não é Livia, é LiviaN. - Ele pareceu um pouco irritado. - Não vai me dizer o seu senhorita luz?

- Claro... eu me chamo...

Quando de repente sinto uma explosão invadir minha cabeça e ao olhar para o chão debaixo de Livian um buraco se formou e ele começou a cair.

Assustada eu subitamente acordei em um grito com enorme pontada no peito

 

Sonho off


- Nãoo! Livian! - Me sentei na cama ofegante.

Arregalei os olhos ao ver que o quarto estava cheio de fumaça, cacos de vidro espalhados e uma pedra gigantesca como uma bola de fogo que havia sido lançada pela janela.

Olhando para mesma, pude ver um homem com uma capa preta revestido de sombras lentamente se aproximando de mim, ele parecia me encantar para ficar paralisada enquanto mais barulhos de vidros se ouviam pela casa.

Em questão de segundos aquela coisa já estava quase por me tocar, quando sinto alguém me puxar pela cintura e me jogar para trás se colocando na minha frente, me fazendo chocar contra a parede.

- Iyan!

 


Notas Finais


Capítulo grande o de hoje pra vcs ♡
O.O Mas o próximo promete ein e.e hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...