História Por que não meu melhor amigo? - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 543
Palavras 1.157
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Dezoito


 

Acordei por volta das 10 da manhã.
 

Estava realmente muito cansado mentalmente e agradeci por ser sábado, não teria que ir a aula naquele estado. 
 

Virei para o lado e vi meu pequeno acordado, mesmo em silêncio e sério, ainda continuava fofo. 
 

- Bom dia Tae. - Ouvi seu murmúrio, provavelmente estava com a fralda suja. 
 

Me levantei e fiz tudo o que tinha de fazer com ele e comigo. 
 

Ele não parecia calmo como sempre, estava agitado e só não chorava por que eu o pegava antes. 
 

Estava igual a mim, sem ele para ocupar minha cabeça, vinha a cena de Chanyeol deitado naquele estado e a vontade de chorar voltava.
 

Desci e preparei nosso café e mais uma vez a tristeza me atormentava. 
 

Pela primeira vez não iria fazer café preto porque Chanyeol não estava ali. 
 

Tae começou a chorar ao mesmo tempo que eu. Mas desta vez eu não consegui me controlar e desabei em lágrimas.
 

- Desculpa meu anjo, o appa vai tentar ser forte por você. - Coloquei sua cabeça em meu peito tranquilizando tanto a ele quanto mim.
 

O dia vai ser longo, tristeza, tédio, medo e tudo o que se pode sentir em um dia ruim dentro de uma pessoa só. 
 

E para melhorar mais ainda começou a chover. 
 

Maravilha não? 
 

Depois de comer resolvi que já estava na hora de ligar para a empresa de segurança. 
 

- Alô? - Perguntei quando uma voz masculina e grave do outro lado atendeu. 
 

- Pois não? 
 

- Eu quero contratar o serviço de segurança de vocês, preciso urgentemente.
 

- Sim, diga qual é tipo de proteção. 
 

- Eu preciso de segurança para a casa toda, um particular para mim e um para o meu filho, e a babá ou minha mãe. 
 

- Sua casa tem quantos quartos, quantos moradores, qual a localização, idade do seu filho e o motivo da proteção. 
 

Respondi tudo o que foi perguntado. 
 

- Já está tudo certo, por volta de umas duas horas da tarde  um dos nossos representantes estará na sua casa afim de confirmar o contrato, sim? O nome dele é Daehyun.
 

- Obrigado. - Desliguei em seguida. 
 

- Tae meu amor, o que você acha de chamar o tio Lulu para vir aqui animar a gente? 
 

Ele respondeu com um sorriso pequeno, mas o suficiente para me sentir um pouco melhor. 
 

Disquei o número do meu amigo. 
 

- Lulu? 
 

- O que Baek? Sabia que você está empatando a minha foda. - Isso era bem visível em seu tom de voz, mas ele não sabia de nada do Chanyeol então iria relevar. - Chanyeol não está dando conta é? 
 

Ele não devia ter falado dele.
 

Funguei tentando controlar as lágrimas e a tristeza que já estava tomando meu coração outra vez. 
 

- Baek?  Você está bem? Por que está chorando? 
 

- Vem aqui para casa? - Pedi com a voz bem alterada. - E venha de carro por favor. 
 

- Tudo bem já estou indo, mas ir de carro se eu moro quase na mesma rua?
 

- Só venha, é mais seguro assim por favor. 
 

- Ok, até mais tarde, chego aí em menos de 10 minutos. - Encerrou a ligação.
 

Me joguei no sofá, Tae estava deitado no outro então poderia entrar um pouco no meu momento fossa até meu amigo chegar.
 

Não demorou mais do que o tempo estimado para o interfone tocar e eu liberar a entrada deles. 
 

- Nossa Baekhyun você está horrível. - Sehun falou preocupado. 
 

- Eu sei Hunnie, entrem e eu vou contar o motivo. 
 

Entraram rapidamente e Luhan já correu para o sofá que o Tae estava e o pegou logo em seguida. 
 

- Ele é tão fofo. - Encheu as bochechas gordinhas de beijos. - Eu quero um, Sehunnie. 
 

- Se a gente achar alguma louca igual a Dara, pode ser. - Riu da própria piada. 
 

Mesmo no meu estado, eles conseguem animar qualquer lugar. 
 

- Mas então, vai nos dizer o motivo dessa fossa toda?
 

Respirei fundo e tentei não chorar. 
 

- O Chanyeol está em coma. 
 

As expressões deles mudaram de primeira para espanto e depois para deboche. 
 

- Ta bom agora fala sério. - Luhan falou como se pedisse para ser uma brincadeira, e eu também queria que fosse, mas não era. 
 

- É a verdade. - Abaixei a cabeça. 
 

- Se é verdade por que está em casa e não no hospital cuidando dele?
 

- Eu bem que queria, mas o motivo que levou ele para lá é o mesmo que está me prendendo aqui, e mesmo que eu quisesse, iria ficar só na recepção porque ele está na UTI.
 

-Baek por que você não me disse antes? - Luhan já chorava sem controle assustando o Tae. 

 

Fui até ele e peguei meu pequeno antes que o choro de todos o assustasse mais. 
 

- Não tive tempo, descobri ontem e já era de noite. 
 

- E por que você está tão calmo hyung? - Sehun perguntou pela primeira vez demonstrando um semblante triste. 
 

- Não posso ficar chorando pelos cantos enquanto tenho um bebê para cuidar, e chorar não vai resolver nada a não ser piorar meu estado.
 

- Bem, isso é verdade.  Mas qual foi o motivo? 
 

- Homofóbicos, por isso pedi para virem de carro. 
 

- Eles não são loucos de chegar perto do Luhan, ou eu mato eles. - Sehun estava realmente bem alterado. 
 

- Não mata Sehun, olha o tamanho do Chanyeol e conseguiram deixar ele naquele estado, não seria problema para eles fazerem isso com vocês. 
 

- Verdade, infelizmente. 
 

- E eu não posso sair por que estão "limpando" a cidade.
 

- E o que você vai fazer para conseguir estudar e visitar o Chanyeol? - Luhan perguntou.
 

- Eu contratei seguranças, não se preocupe. 
 

- Quando eles vêm? 
 

- Daqui a pouco, que horas são? 
 

- Uma e quarenta e cinco.  -  respondeu olhando no relógio do braço. 
 

- Eles estão quase chegando, vou colocar o Tae pra dormir um pouco, ele vai estranhar se ver muita gente. 
 

- Sim, vai lá. A gente te espera aqui. 
 

Subi as escadas devagar já que ele estava quase dormindo e se o agitasse de novo provavelmente demoraria a dormir. 
 

Coloquei ele no berço e fiz um carinho na sua cabeça, cantei uma música calma para que dormisse logo. O que não demorou muito. 
 

Voltei para a sala e me deitei no colo dos dois, com o Sehun nos pés e Luhan na cabeça me confortando tentando não chorar mais. Mas era possível ver seus olhos cheios de lágrimas contidas.
 

Por volta de duas e quinze o interfone tocou outra vez, o homem se identificou como Daehyun e eu prontamente concedi a passagem. 
 

Ele bateu na porta e assim que falou a primeira frase um frio na espinha me acertou em cheio. 
 

- Olha vejam só, você não é o carinha que adotou meu filho com a Dara? 

 


Notas Finais


Meu twitter: @byunbibu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...