História Por que não meu melhor amigo? - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 523
Palavras 1.938
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


O último e já venho com o extra q

Capítulo 22 - Vinte e dois


- Nem vem, eu já disse que não. - Desviei meu olhar e tentei seguir para o banheiro, tentei porque ele me segurou pelo pulso e me jogou na cama com uma certa força. 

 

- Ah, mas nem beijinhos assim? - Beijou meu pescoço as vezes mordiscando com os lábios. - Nem mordidinhas? - Desceu um pouco mais e mordeu meu ombro. - E chupões? - Levantou minha camiseta e chupou com gosto meu mamilo esquerdo. 

 

- Ahh... Channie não faz assim hmm. - Tentei me controlar, mas estava impossível já que seus dentes revezavam com a língua na tentativa de me provocar em uma área tão sensível. 

 

- Não resista, Baekhyun. - Voltou ao meu pescoço e deu uma chupada forte. - Você sabe que eu posso te deixar louco só com a minha voz. 

 

Me virou de bruços e se deitou em cima de mim roçando sua ereção com força entre as minhas coxas, mas não continuei. 

 

Senti um cheiro estranho no lençol. 

 

Cheiro esse que só sentia quando me jogava na cama do Luhan

 

MALDITO

BICHA

VADIA

 

Me levantei irritado e Chanyeol me olhou confuso. 

 

- Sai daí, Channie, aquele viado do Luhan fez coisas na nossa cama, você vai ficar infectado. - Avisei já tomando distância.

 

- Como assim? Não tô vendo nada.

 

- Sente esse cheiro. - Levantei parte do lençol e coloquei perto do rosto dele. - Eu não tenho cheiro de sexo igual àquela quenga... sai daí a gente toma banho junto, se desinfeta e vamos fazer outra coisa. ok?

 

- Fazer coisinhas no banho é? - Seu sorriso era pervertido e seu olhar exalava luxúria. - Se é assim tudo bem. - Me segurou com as mãos possessivas em minha cintura e me beijou despudoradamente enquanto me guiava para o cômodo.

 

Como senti falta desses beijos.

 

Já dentro do banheiro começou a me apalpar em todas as partes me fazendo gemer por entre o beijo.

 

- Tira essa roupa Baek. - Sussurrou próximo ao meu pescoço me fazendo arrepiar por completo. 

 

Fiz o que ele pediu o mais lentamente possível, quase um streap. 

 

- Sabe Channie eu tenho um fetiche muito intenso reprimido por sexo no banho desde aquela vez que tomamos juntos lá em casa. - Falei com a voz baixa e cheia de luxúria. 

 

- A é? - Se aproximou de novo e pegou com força na minha bunda. - E o que você acha de realizarmos ele, hum? - Distribuiu beijos pelo pescoço e ombro. 

 

- Quem sabe outro dia. - Sua cara de indignação foi impagável e seu bico mordido por mim.

 

Me afastei, fui para o box e liguei o chuveiro. 

 

- Você não vem? - Perguntei arqueando a sobrancelha. - Eu deixo você fazer algumas coisinhas... - Não precisei de muito, já que ele praticamente pulou para dentro e me abraçou com força e roçando seu membro no meu.

 

Ele estava tão duro que me fez repensar a ideia de não fazer nada no banheiro. 

 

E realmente repensei. 

 

Me abaixei sob seu olhar de dúvida e dei um sorriso malicioso como resposta. 

 

- Brincar um pouquinho não faz mal né? - Peguei seu membro pela base e aproximei meu rosto. - Se você não gozar rápido demais te prometo fazer bem mais que isso aqui. - Passei a língua pela glande e ouvi seu gemido rouco. 

 

Todos os pelos do meu corpo ficam eriçados quando ouço essa voz grave gemendo, e tudo só piora quando tenho consciência de que sou o único capaz disso. 

 

Suguei a glande com vontade e passei a masturbar lentamente, contradizendo os movimentos que fazia com a boca, que eram rápidos. 

 

Sua mão foi ao meu cabelo tentando inutilmente me fazer chupar tudo.

 

Eu não iria fazer o que ele queria. 

 

Abocanhei de forma rápida e retirei no mesmo instante, sorri ao ouvir seu murmúrio choroso. 

 

Bem perto da virilha comecei a morder de leve subindo aos poucos até chegar perto de seu umbigo onde puxei a pele entre os dentes. 

 

- Baek não seja malvado. - Sua voz estava mais grossa que o habitual e me fez desejar mais ainda uma tortura lenta e dolorosa. 

 

- Channie, não seja apressado. - Sussurrei de forma erótica e senti se arrepiar com a minha respiração chocando contra seu abdômen. - Mas se você quiser eu paro. - Me levantei com cara de inocente e não sabia se sua reação poderia ser melhor ou pior quando seus braços me pagaram com brutalidade.

 

Seu olhar era insano, mas ao invés de sentir medo só senti minha vontade de ser tomado por ele aumentar. 

 

Gemi alto ao sentir seus dedos bem próximo a minha entrada enquanto apertava minha bunda com força. 

 

- Isso Baek, se entregue a mim e eu serei bonzinho. - Sussurrou antes de morder meu ombro. 

 

- Não... Seja malvado aahh eu gosto assim. - Meu rosto ferveu, mas não ultrapassou o prazer ao sentir seus dedos me penetrando brutalmente. 

 

- Você gosta que eu seja malvado é? - Sua voz estava em um tom perigosamente sedutor. - Se você quiser posso ser bem mais do que isso. 

 

- Ahh Channie, hmm, não aguento mais. Me faça seu, ahh. - Gemi sem pudor e ouvi sua risada vencedora. 

 

Me virou de costas sem tirar seus dedos de mim e me fez empinar a bunda. 

 

Sentia seu olhar pesado sobre mim enquanto movimentava os dedos em vai e vem rápidos na minha entrada. 

 

Não sabia se gemia ou ficava com vergonha. 

 

- Ah, Baekhyun, como você consegue ser tão gostoso?! 

 

- Pare de enrolar, Channie, eu não aguento mais. - Pedi choroso e rebolei em seus dedos antes de serem brutalmente retirados de mim.

 

Seus braços rodearam minha cintura com possessão e colocou seu membro entre as minhas pernas encostando nos meus testículos quase me levando a loucura. 

 

Em um movimento rápido me afastei e voltei com força contra o seu quadril e o fiz me penetrar querendo ou não. 

 

Soltamos um gemido uníssono em puro deleite e sem mais demora começou a se afundar em mim com estocadas precisas e demoradas. 

 

- Chanyeol não me torture, ahhhhh, só um pouco mais rápido. - Pedi gemendo e empurrando minha bunda com força tentando com sucesso ir mais fundo e quase ser acertado naquele local que me levava a loucura. 

 

- Ah Baek, tão apressado. - Mordeu minha nuca e começou a aumentar o ritmo das investidas e sentia cada vez mais perto do lugar que eu queria. 

 

- Mas fundo Chanyeol por favor. - Saiu mais choroso que o esperado, mas o resultado foi bom já que acertou gradualmente na minha próstata me fazendo gemer alto e agudo.

 

Sua mão foi para o meu membro e começou a me masturbar na mesma velocidade.

 

Estava tudo tão sexy e prazeroso que já sentia meu orgasmo próximo, e não seria um grande problema já que quando sair daqui vamos ter outro round.

 

- Baek, ahh, vamos juntos, hmm. - Pediu e foi quase uma ordem ao meu corpo que se contraiu todo e gozei deliciosamente em sua mão e logo fui preenchido pelo sêmen dele.

 

Encostei a testa na parede em busca de ar.

 

- É sempre tão bom. - Sussurrou ao pé da minha orelha. - Eu te amo tanto. - Beijou minha nuca e se retirou de mim.

 

- Eu também te amo. 

 

Tomamos o banho direito e sem nada de toques a mais ou safadezas. 

 

Somente banho.

 

Depois de secos, nos jogamos na cama, claro depois de trocar os lençóis, e começamos beijos quentes e mãos arranhando toda pele encontrada no caminho.

 

Virei Chanyeol de jeito que ficasse deitado em baixo das minhas pernas e me sentei em seu quadril, rebolando em seu membro o deixando cada vez mais duro. 

 

- Hm quer comandar hoje é? - Perguntou colocando ambas as mãos nas minhas coxas.

 

- Sempre sou eu que mando, bebê. - Me abaixei e mordi seu pescoço arrancando um gemido baixo e rouco que me fez arrepiar até o último fio de cabelo.

 

Fiquei de joelhos em uma altura suficiente para roçar a glande na minha entrada, mas como Chanyeol é muito apressado me forçou a sentar com tudo e em seguida gritar alto como se fosse a primeira vez fazendo aquilo. 

 

- Continua tão apertado. - Fez pressão na minha cintura, um pedido mudo para me mover. - Rebola Baek ahh bem gostoso. - Me movi do jeito que ele queria em movimentos circulares enquanto subia e descia por toda a extensão do seu membro. 

 

Gemia alto e agudo toda vez que ia mais fundo e acertava meu ponto sensível. Estava completamente extasiado e só aumentou ao sentir seus dedos me tocando no mesmo ritmo que eu rebolava. 

 

- Ahhh Channie mais ahhh. - Gritei e segurei suas mãos como apoio o impedindo de me tocar.

 

É estranho, mas eu prefiro só me penetrando, não serviria para ser ativo. Gostava mais assim. 

 

É bom quando me toca, mas prefiro somente sentir ele em meu interior. 

 

Olhei para o espelho do guarda roupa e a imagem refletida não poderia ser mais perfeita. 

 

O encaixe dos nossos corpos era perfeito, como se fosse feito um para o outro.

 

O ranger da cama e a movimentação desenfreada dos quadris era quase impossível não se notar e se mais alguém visse com certeza iria se sentir tentado a provar.

 

O ritmo aumentou e já sentia meu corpo tremer com os espasmos denunciando o ápice próximo. 

 

- Channie eu vou, ahhh. - Avisei já soltando todo meu sêmen em seu abdômen e consequentemente o dele dentro de mim. 

 

Cai de lado ofegante e olhei para os olhos dele admirando a imagem do seu rosto suado e sorridente. 

 

- Mas que demora, hein? - Luhan entrou sem bater. - Achei que não fosse terminar nunca. 

 

- Vai a merda Luhan. - Me levantei e peguei uma calça de moletom. - A quanto tempo você tá aí? - Vesti e joguei o lençol em cima de Chanyeol que ainda estava meio absorto do mundo

 

- Faz um tempinho já, eu e o Sehun estávamos com o Tae até você parar de gemer, aí quando parou, eu vim aqui. 

 

- E o que você veio fazer aqui? 

 

- Vim aproveitar sua piscina, você nunca usou ela que eu sei, veste uma roupa de banho e vamos. - Saiu do quarto mas voltou. - Eu comprei fralda de piscina para o Tae, não se preocupe. 

 

Saiu definitivamente e eu me joguei na cama. 

 

- Vamos? - Chanyeol perguntou sorrindo. 

 

- Fazer o que né?

 

X - - - X

 

Depois de comer estamos os quatro dentro da piscina com Luhan brincando com o Tae. Seu sorriso ficava cada vez maior quando batia os bracinhos na água e espirrava no rosto dele.

 

Estávamos todos tão felizes, e agora era certeza de que nada iria destruir minha felicidade. 

 

Seja uma mulher maluca, seja um homofóbico ou o mundo inteiro. 

 

Eu sabia que agora minha vida estaria perfeita e completa.

 

Por que eu tenho tudo que eu amo ao meu lado, dois amigos loucos e retardados que me fazem rir de tudo, um filho lindo que depende inteiramente de mim e tem uma vida toda pela frente e o mais importante de tudo, ele, meu melhor amigo, amor da minha vida e a razão de todos os meus sorrisos. 

 

Chanyeol. 

 

Eu nunca irei me arrepender de ter dado uma chance a ele.

 

A final de contas ele é meu melhor amigo, não iria me magoar nunca. 

 

E agora posso seguir sorrindo sempre, pois ele vai estar ao meu lado. 

 

Sempre...

 


Notas Finais


Twitter: @byunbibu q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...