História Por Quem Não Se Apaixonar - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Comedia, Hall, Hoseok, Jhope, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kook, Namjin, Namjoon, Pombo, Pombos, Rap Monster, Rapmonster, Seokjin, Suga, Tae, Taehyung, Taetae, Trouxa, Vhope, Yoongi, Yoonseok
Exibições 163
Palavras 2.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Fala ai povo e pova, eu voltei.

Para aqui e vamos bater um papinho maroto, por favor.

Estou muito preocupada com a qualidade da fanfic, sério, está assustadora a diferença do feedback do ultimo capítulo para os outros! E eu fiquei com isso na cabeça e tentando encontrar o problema.

Do jeito que sou paranoica eu pensei até em excluir a fic, mas então eu imaginei os seguintes motivos para essa baixa:
- A má formatação do texto
- Capítulos grandes
- Atraso

Então, para tentar melhorar eu primeiro tentei melhorar a formatação dos capítulos e deixar a escrita mais direta, já que eu tenho mania de dar voltas absurdas sem necessidade. (e arrumei outra vez o capítulo 2, porque estava horrível, quem conseguiu ler aquilo está de parabéns.) E diminuí esse capítulo para ver se tem um retorno melhor, assim como me esforcei para não demorar muito.

Enfim, chega isso está muito grande. Até o fim, beijos!

Capítulo 5 - Bancos me fazem de trouxa


Fanfic / Fanfiction Por Quem Não Se Apaixonar - Capítulo 5 - Bancos me fazem de trouxa

 

_ Namjoon, me arruma alguma coisa para beber? Parece que essa treta vai ser do caralho! _ Suga passou por mim, quase me levando com ele ao esbarrar em meu ombro, mas eu estava estático demais tentando entender o que acontecia para xingar ele.

 

_ Min Yoongi! Tenha mais respeito pela treta dos outros! Mas que orifício lubrificado. _ Depois do comentário, Jin foi se sentar ao lado de Yoongi que se engasgou com o café ao tentar segurar o riso após a fala do outro _ O que foi?

 

_ Orifício lubrificado, hyung?

 

E uma intensa discussão à respeito do nome do orifício iria se iniciar, se o menor dos presentes não se anunciasse.

 

_ Nam-Hyung, eu já vou embo...ora, okay? _ disse ainda de cabeça baixa. Todos olharam na direção do pequeno. _ Nos vemos amanhã, Jeon. Tchau gen...

 

_ Mas já vai, Hyung? _ Taehyung parecia dizer hyung como se a palavra deixasse um gosto azedo em sua boca. _ Ah, não vai não. Por que não faz mais um pouco de companhia para nós?

 

Gente, esse ET do mau é o Tae que eu conheço? Como assim?

 

Eu já sou um ser curioso para caralhos por natureza, como é que eles fazem isso comigo? Eu preciso muito descobrir o que está acontecendo.

 

_ Tudo bem...

 

Passei meus olhos pelo local tentando entender o que estava acontecendo. Parei meus olhos em Namjoon, ele parecia muito próximo de meu professor. Ah, mas eu vou tirar algo dele. E vou tirar com gosto.

 

Não pense merda, tenha misericórdia, meu dia está sendo difícil.

 

_ Criou raízes, Kook?

 

Que ser escroto.

 

_ Por que você não toma no cu, Taehyung?

 

_ Que ideia ótima! Gostaria de me ajudar? Tem um banheiro ali no fundo.

 

Apenas respondi com minha melhor atuação de vômito e me sentei ao lado de Jin, que estava ao lado de Yoongi que por sua vez estava ao lado de Tae.

 

_ Senta aqui, Hyung? _ olhei para meu professor enquanto apontava para a banqueta ao lado da minha. Ele ainda parecia muito tímido ou nervoso, seja lá o que aquilo for, e eu não queria manter esse climão desconfortável.

 

O pequeno caminhou, cauteloso, em minha direção. Nesse curto caminho, ele olhou repetidas vezes na direção de Tae, que à essa altura já nem lembrava de sua existência, estava muito ocupado levando bronca de Namjoon por fuçar na caixa da encomenda de álbuns novos com a mão engordurada de coxinha.

 

_ Tudo bem? _ Disse-lhe baixinho.

 

Ele apenas concordou com a cabeça freneticamente. Como alguém poderia ser tão fofo? Baguncei seus cabelos soltando uma risadinha e recebi um olhar de reprovação.

 

_ Não faça isso, eu sou mais velho. _ Praguejou enquanto passava a mão pelos cabelos, arrumando-os, ele parece ter um macete para arruma-lo assim, como aqueles modelos que jogam os cabelos para trás quando estão na ponta da passarela e todos estão tirando fotos.

 

Não que eu tenha reparado.

 

_ E daí? Você parece mais novo.

 

_ O que? _ Ele me olhou com uma expressão de bravo que me lembrou muito um gatinho ameaçando avançar em você.

 

_ E fofo? _ Sim, foi uma pergunta, alguém me explica como um homem pode ser fofo?

 

_ Como assim fofo? Claro que não!! Eu sou muito... Muito...

 

_ Fofo! _ E eu comecei a gargalhar tão alto com a expressão que ele fez à seguir, que os outros pararam suas discussões individuais para observar o que estava acontecendo.

 

_ Para... Jung... Ei! _ ele tentava desesperadamente me fazer parar, o que acabava por fazê-lo parecer mais fofo a cada instante, e eu? Eu estava atirado na jiromba de tanto que ria.

 

E é claro que o que não poderia faltar é Jeon Jungkook se estatelando deliciosamente no chão mozão.

 

Senti meu banco inclinando para trás, mas eu sou lerdo demais para me segurar.

 

Já estava até abrindo os braços para abraçar meu marido quando uma mão se pôs em minhas costas e outra puxou o assento de volta para seu lugar. Olhei de olhos arregalados para o ser humano ao meu lado. Gente, fui salvo por meu príncipe encantado, seria meu sonho?

 

Não que eu seja uma princesa...

 

Nem ele um príncipe, nada a ver.

 

_ Caralho, criança! Você tem problemas? Como que fica se balançando assim em uma cadeira alta dessas? Imagina se você cai dessa altura?! E para piorar quando vê que está caindo ao invés de se segurar em algum lugar você abre os braços e vai como se estivesse brincando de Bungee Jumping? Vou te contar um segredo sua capivara com cérebro de miojo, você precisa de uma corda para isso! _ Eu apenas observava com os olhos arregalados e a cabeça caída no ombro aquela coisa pequena e fofa com uma voz ao mesmo tempo nasalada e aveludada, como de um molequinho na puberdade, me dando uma bronca e toda a minha atenção era transferida para como os brincos em suas orelhas combinavam tão bem com o brilho daqueles olhos pequenos e escurinhos, que faziam uma curva estranha quando ele estava bravo.

 

_ Já estão tendo uma DR? Uou! Mas nem deu tempo de eu tentar estragar a relação deles. _ Comentou Suga com provavelmente algum dos três mongoloides que riam tanto da cena que eu não sabia como que eles não tombavam para trás também.

 

_ ...elieve I can fly, é, maluco? Acha que é pra se jogar? _ comentava Jimin, ainda irritado.

 

_ Joga, joga no meu colo e vem! _ cantou Yoongi com sua voz tão afinada quanto um pato macho parindo um canivete num rio de álcool.

 

Pelo canto do olho pude ver Namjoon enfiar algo comestível ou não na boca da taquara rachada do grupo. O que importa é que funcionou.

 

_ Você está me ouvindo, Jungkook? _ Ele tinha as mãos na cintura na mesma pose de mãe que o Jin fazia quando bravo e que me fazia sentir uma criança levada, o que provavelmente foi o responsável por meu lábio inferior começar a tremer como o de uma criança prestes a chorar. _ Ei, Jeon... _ virei o rosto para o lado, ansioso. _ Para de pirraça moleque! Se não fosse por mim você tinha se estatelado.

 

Por que todo mundo me tratava como criança naquela merda de vida? Se eu fosse tão infantil nem nessa cidade eu estava. Vão tomar em seus respectivos cus.

 

_ Eu já estou acostumado a cair. Não iria ser diferente. _ fiz minha careta de criança birrenta. _ E para de me tratar assim, eu não sou criança! _ Virei-me para frente com minha melhor pose de maduro.  _ Namjoon-hyung, eu quero vitamina de morango com estrelinhas! _ Abri um sorriso absurdamente grande ao me lembrar do gosto maravilhoso daquele Néctar dos Deuses.

 

Ué, por que estão todos rindo?

 

Namjoon bagunçou meus cabelos com um sorrisinho de canto e foi preparar meu pedido. Fiz um bico contrariado enquanto posicionava novamente meu cabelo no lugar.

 

_ Quem é o fofo agora, hein, Jeon? _ Me virei para o lado de onde vinha a voz levemente estridente com a testa franzida.

 

_ Eu já mandei não fazer isso com as sobrancelhas, Jungkook! Vai ficar cheio de rugas. _ Jin falou atrás de mim, sabe-se lá como ele conseguiu ver o que eu fazia. _ Eu vi seu reflexo no vidro dali. _ Apontou enquanto eu só conseguia pensar em como diabos Ele soube o que eu pensei. _ Estava prestando atenção na sua narração.

 

 

Eita cu.

 

Sangue de Jesus tem poder, tem poder, tem poder!

 

Quando eu já estava quase mandando um Nega Chei Xalagá nas habilidades ninjas de visão do Jin(?), Namjoon colocou um copo grande de plástico à minha frente, já que da última vez que ele entregou a vitamina em um copo de vidro eu consegui quebrar o copo e o braço da estátua do Jay Z que por algum motivo ficava ali, bem em um lugar que alguém poderia facilmente quebrar...

 

(Sabe, Jungkook, Geralmente as pessoas não quebram estátuas de mármore com copos de vidro...).

 

Suas frases são tão complexas que me dão pânico, Namjoon.

 

(Vai ler que você entende.)

 

Eu não, mantenho distância daqueles seus livros do demo.

 

(Desisto.)

 

Fala assim não, papito.

 

(Papito?)

 

O marido da mãe é meu pai.

 

(Eu não sou marido do Jin!)

 

(Eu não sou sua mãe!)

 

Para de glicose anal. Caralho.

 

(Não te criei para falar palavrão pra mim, Jungkook!)

 

Nada à comentar.

 

_ Então Jimin... _ Chamou Jin, que parecia irritado. Respirou antes de prosseguir. _ De onde você e Tae se conhecem?

 

Jimin deu um salto tão afeminado que uma gazela ficaria com inveja, e Namjoon xingava-o de depravado, seja lá o que isso significa, por ter molhado sua camisa de café.

 

Graçasadeux. Tomara que manche e ele nunca mais consiga usar aquela desgraça, eita negócio fora de moda. Minha santinha Coco Chanel, ilumina esse ser.

 

E não, que-ri-da, não é porque eu gosto da CC e entendo um tiquinho de moda que eu sou gay. Para com esse pensamento preconceituoso aí, miga.

 

_ Bem, nós... _ Ele se encontrava de cabeça baixa, mas olhava de canto de olho para a direção onde Tae se encontrava com um sorriso cínico absurdamente quadrado. Arqueou as sobrancelhas enquanto mordia o canto do lábio inferior na tentativa de segurar seu sorriso escandaloso, o que me lembrou de como sua boca era macia, e misteriosamente me deu vontade de morde-la, mas passou. Lógico. Voltei à olhar para o baixinho ao meu lado assim que ele pareceu tomar ar para se pronunciar. _ Somos irmãos.

 

Oi?

 

Esperem eu me recuperar, por favor.

 

Não estou bem.

 

Carai.

 

Eita cu.

 

Eita Coelho.

 

Ai meu ânus.

 

Passei à girar minha cabeça de um lado para o outro tentando encontrar alguma semelhança entre os dois. Mas como diabos, irmãos? Mas se o Jimin é mais velho, por que fica tão encolhido ao lado do Tae?

 

Por que diabos Tae é muito mais alto que o irmão mais velho dele?

 

_ Caralho, ET. Parece que guardaram todo o fermento para você! _ E aqui podemos presenciar a pérola dita por Suga.

 

Jin, Namjoon e Tae riram do comentário do outro, enquanto que eu ainda estava muito perplexo para fechar a boca que formava um perfeito O, e Jimin cruzava os braços, provavelmente tentando fazer uma careta de bravo, mas que não funcionava, já que sua bochecha gordinha se enchia e ele ficava com cara de bebê.

 

Gente, ficaria muito feio se eu mordesse a bochecha do meu professor?

 

É, eu sei que ficaria. Socorro.

- Propaganda da Jequiti  -

Só percebi que eu estava encarando Jimin quando ele me encarou ainda com aquele biquinho, levantando a cabeça como se me perguntasse qual o meu problema, e minha resposta foi fazer o movimento de “fofo” com os lábios, e andes de rir e virar o rosto, vi suas bochechinhas ficarem absurdamente vermelhinhas. Maxente, pega leve com a minha sanidade!

 

Não que ele tenha mexido com a minha sanidade, eu só achei fofo porque ele se parece com uma menina quando faz isso. Apenas.

 

(Calma, você realmente acha que é hétero? Por acaso você tem problemas, moleque? Risos.)

 

E você realmente acha que não é o mozão do Jin?

 

(Esse é o argumento mais baixo que eu já ouvi.)

 

Você ouve minha narração?

 

(Não...)

 

Lê?

 

(Não... Eu não sei como funciona isso. Agora fiquei curioso, preciso descobrir como funciona.)

 

Como você me responde sem saber como funciona?

 

(Exatamente. Como será que isso acontece... Para de fugir do assunto!)

 

Que assunto?

 

(Você não é hétero Jungkook! Assuma.)

 

Só se você assumir que curte tomar um SeokJin.

 

(Quê?)

 

Sabe? Seok... Jin... Suco Jin...

 

(Que bosta Jungkook!)

 

É, eu já fiz melhores.

 

(Então quer dizer que você tem algo para assumir?)

 

Quê?

 

(Você disse que se eu assumisse você assumiria, então você só não assumiu ainda, certo?)

 

...

 

(Certo?)

 

...

 

Você falou muito, Namjoon, essa narração é minha, olha o tamanho dessa nossa conversa! Aff.

 

(Para de fugir do assunto.)

 

Ao voltar à prestar atenção na vida ao meu redor, vi que Jin tinha entregado os espetinhos que havia comprado na barraquinha do Huang-Hyungnim para Namjoon, que de alguma forma conseguia interagir com as pessoas enquanto conversava na narração, enquanto isso eu estava com as costas completamente curvadas e expressão de retardado enquanto alguém balançava a mão em frente ao meu rosto.

 

(Caralho, Jungkook, para de fugir do assunto!)

 

Não me atrapalha que eu estou narrando.

 

_ Está tudo bem? _ Jin perguntou assim que eu endireitei a postura e limpei a baba. _ Você parece abalado.

 

Pisquei algumas vezes.

 

_ Só não me sintonizei ainda.

 

_ O moleque só se fode! _ Suga chamou nossa atenção. _ Só hoje ele leu em voz alta um pornôzão que ele mesmo escreveu achando que é hétero, tretou com o melhor amigo de alguma forma que eu ainda não sei, foi perseguido por um casal de idosos, _ Ele sorria sacana, como se deixar toda a minha desgraça clara fosse a maior delícia de sua vida. _ foi obrigado à fazer cinquenta flexões e teve que beber café coado na meia do treinador porque não deu conta de fazer todas, foi expulso do time, _ eu abaixava mais minha cabeça à cada frase que ele dizia. Estava tentando não me lembrar do café na meia, mas assim que ele falou a ânsia de vômito voltou, e empurrei meu copo de vitamina que já estava na metade para longe. _ apanhou de um delinquente Chinês, e descobriu que o crush que viu a cueca dele duas vezes só ontem _ E nesse momento eu tentava desesperadamente pular por cima de Jin para tirar as cordas vocais de Yoongi na unha. Seria uma ótima ideia para ele parar de falar merda nessa vida, mas Namjoon, provavelmente tentando defender o mozão, me parava apenas com uma mão em meu peito, enquanto a outra lavava a louça de algum jeito ninja. _ é irmão do seu melhor amigo que crusha ele desde o jardim de infância.

 

Nesse momento eu travei, Jin travou, Tae travou, Namjoon travou, e eu não faço ideia do que aconteceu com Jimin, porque eu estava de costas para ele e porque eu não queria saber. Na verdade eu não queria mais olhar em sua face durante essa vida, e quem sabe nem na outra.

 

A única pessoa que não estava brincando de estátua era Yoongi, que simplesmente tomava seu café sem açúcar (já que de acordo com ele de doce só seu apelido), como se não tivesse acabado de puxar a alça de uma granada naquele recinto.

 

A primeira reação que um ser humano teve ali, foi a risada de Namjoon, que fechou a torneira se encaminhando até o armário para guardar alguns copos enquanto comentava em minha narração.

 

(Me ignorou, agora se fode ai.)

 

Filho puto de uma mãe.

 

Em seguida ouvi um resmungo dele, que havia derrubado um copo no chão. Ainda existe gente ferrada como eu.

 

A segunda reação, no caso não humana, foi a de Taehyung, que fez cara de mau rangendo os dentes e bufando enquanto se virava para seu copo de suco e o segurava com tanta força que eu jurava que iria quebrar.

 

A terceira reação, ainda não humana, foi do meu banco, que decidiu que só porque estava se apoiando em apenas uma pequena parte de seu suporte e entortado em um ângulo de quarenta graus, poderia capotar comigo em cima.

 

Dessa vez ninguém me segurou.

 

Oi chão, você vem sempre aqui? Eu venho.

 

 


Notas Finais


Papi Namjoon conhece as crias (aquela carinha)

Okay povon, desculpa o draminha, mas é que fiquei numa bad ultimate pelo capítulo anterior. Por favor, cementem o que acham que tem que melhorar e o que piorou/faltou ou teve demais no outro capítulo ou nesse, se também não tiver ficado bom.

Eu não tenho lido muito por estar ocupada então não tenho nada para sugerir, mas leiam minha OS CrackFluffy quem não leu e tiver interesse;

https://spiritfanfics.com/historia/eu-devo-estar-com-gases-6479344

Para a nota não ficar gigante eu já vou.

Abreijunda e Beijokas da Lauroka S2 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...