História Por toda uma vida... Pelo menos uma parte dela. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Steve Rogers
Tags Stony
Exibições 291
Palavras 1.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Nossa primeira vez.


Fanfic / Fanfiction Por toda uma vida... Pelo menos uma parte dela. - Capítulo 3 - Nossa primeira vez.

Steve me beijava, era um beijo calmo, Steve pensava seus lábios contra os meus, e sugava meu lábio inferior. Quando eu senti sua língua nos meus lábios eu abri passagem. E foi ai que as coisas começaram a ficar mais, intensas. 

Ele me beijava com muito desejo, sua língua estava desesperada, ele a passava por cada canto da minha boca, eu passava minha mão na sua nuca, e puxava seus cabelos de leve, enquanto ele me puxava cada vez mais pra perto de si. 

Ele me colocou as suas mãos nas  minhas costas e eu enrolei minhas pernas na sua cintura, quando eu fiz isso ele me levantou e me segurou pela bunda e apertou firme, quando ele fez isso eu suspirei em seus lábios, eu já estava super excitado e o Steve também, porque dava pra sentir seu pênis rígido. Quando eu senti ele pulsar eu não acreditei que eu estava fazendo isso, eu não conseguia acreditar naquele momento que Steve me desejava tanto quanto eu desejo ele. 

Steve me levou pro meu quarto e ele não deixou de me beijar por nenhum  momento (a gente quase caiu na escada, mas a gente nem ligou). Quando chegamos no meu quarto ele foi logo trancando a porta. 

-Só tem a gente, não precisa trancar a porta gênio.

-Eu esperei muito por isso, não posso correr o risco.-Ele disse sério, e então voltou a me beijar ele caminhou a passos lentos até a cama e me jogou na mesma. 

Eu cai deitado de costas, e o Steve ficou parado em pé ao lado da cama. Nós ficamos nos encarando por um tempo, até que eu sorri pro Steve e ele veio engatinhando por cima de mim.

Ele parou de quatro sem se encostar em mim, e ficou me encarando, eu passei a mão por todas as suas costa e parei quando chegou na sua nuca. Eu vou falar a verdade, eu tô meio nervoso, parece que estou na minha primeira vez, eu não sei o que fazer, como fazer, sei  de mais nada, a única coisa que eu sei é que eu amo o Steve. 

-Eu te amo. 

Quando eu disse isso, Steve sorriu e me beijou novamente. Ele me beijava e fazia movimentos como se estivesse transando comigo. Seu beijo era completamente excitante e apaixonado. Ele já estava me levando a loucura só com um beijo.Steve interrompeu o beijo e me olhou nos olhos. 

-Eu também te amo meu baixinho.- Cara disse que eu sou dele. Tá ele me chamou de baixinho, mas eu até que gostei. 

-É, eu sou o seu baixinho.- Quando eu disse isso ele sorriu e eu não aguentei e beijei ele. 

Enquanto nós nos beijávamos eu virei o Steve e fiquei por cima dele. Eu me sentei um sua virilha e fiquei olhando o Steve, eu não acredito que finalmente eu tenho ele só pra mim. O Steve é bonito e tudo mais mas eu não fiquei olhando pra ele por muito tempo, eu fui logo beijar ele, que é uma coisa maravilhosa. 

Enquanto nós nos beijávamos Steve foi tirando a minha roupa e eu estou só de cueca. Agora nós estamos ajoelhado na cama um de frente pro outro se beijando Steve segura a minha s=cintura com firmeza. Então eu tiro a camisa do Steve, e passo a não por sua barriga definida, então olho pra baixo e abro o zíper da sua calça. 

Quando eu tiro a calça do Steve, eu consigo ver a grossura e o tamanho do seu pênis, mesmo com a cueca. Eu fico olhando pro seu volume, então olho nos olhos do Steve que dá um sorriso safado. Ele pega a minha mão e leva até o seu pênis. Quando eu encosto no seu membro ele tira a sua mão da minha e fecha os olhos. 

Eu não aguentei então empurrei o Steve e puxei a sua cueca até a altura dos joelhos. O pênis do Steve é lindo, ele é grande, grosso, cheio de veias e com a cabeça rosadinha. Eu fiquei olhando por alguns segundos então eu comecei a masturbá-lo de leve, depois fui aumentando a velocidade aos poucos até o Steve dar um gemido que foi o melhor som que eu ouvi em toda a minha vida, e não consegui conter o sorriso. 

-Vai, pode mamar.- Steve falou com uma voz rouca e embargada pelo prazer. 

-Seu desejo é uma ordem.- Eu sussurrei e então me posicionei pra fazer o homem da minha vida feliz. 

Eu coloquei bando beijinhos na cabeça do pênis dele, depois coloquei ele na minha boca. Vou confessar que foi meio difícil fazer oral no Steve, o pênis dele é grande e grosso demais, então ficou meio complicado, além do fato deu ser completamente inexperiente nesse assunto, é a primeira vez que eu coloco um pênis na minha boca. 

Depois de um tempo com movimentos meio desajeitados eu comecei a pegar o jeito da coisa e o Steve começou a gemer mais alto, e eu fiquei feliz com isso. Depois o Steve colocou a mão na minha nuca e puxou o meu cabelo. 

-Minha vez.- Ele disse com um sorriso travesso. 

Então ele me deitou na cama, tirou a minha cueca e jogou pra longe. Eu estava com muito tesão e foi maravilhoso quando o Steve colocou meu pênis na boca, o que mais me espantou FOI QUE O Steve colocou o meu pênis na boca de uma vez só, e fazia movimentos rápidos, parecia até um profissional do ramo. Mas eu não dei muita importância pra isso, eu foquei na sensação maravilhosa que o amor da minha vida estava me proporcionando. Eu estava quase no meu limite, meus gemidos já haviam virado gritos e urros de prazer. 

-Steve... eu... eu... vou gozar.- Eu disse tentando tirar meu pênis da sua boca. mas ele segurou meus pulsos e continuou com os movimentos, eu não aguentei e logo gozei na boca do Steve. 

Depois que eu gozei na boca do Steve, e ele engoliu tudo - Que não foi pouco- ele sorriu pra mim e disse:

-Acho que alguém gostou do meu boquete- Ele disse, e depois veio pra cima de mim com tudo e me beijou. 

Quando parou de me beijar ele mordeu mordei meu lábio inferior, ele me virou de bruços, abriu minhas pernas e se posicionou entre elas. Eu respirei fundo esperando a penetração, mas eu me surpreendi quando senti a língua do Steve no meu ânus. 

A sensação é maravilhosa. O Steve me penetrava com a língua e quando eu dei conta já estava gemendo. Meu ânus se contraía involuntariamente e eu nunca pensei que uma língua num cú seria algo tão bom assim. Steve parou se passar a sua língua no meu ânus e eu não gostei nada nada disso. 

-Hey.- Eu protestei e o Steve riu. Então se deitou em cima de mim e me abraçou. 

-Calma meu baixinho, sua noite de prazer está só começando.- Ele sussurrou no meu ouvido, o que fez com que eu me arrepiasse todo. Depois ele me deu um beijo no meu pescoço.- Baixinho você não sabe o que te aguarda.- Isso me fez ficar com um pouco de medo. 

Steve começou a dar vários beijos pelo meu pescoço e pelas minhas costas. Então ele voltou a me abraçar, bem forte. Então começou a esfregar a cabecinha do seu pênis na minha entrada, e isso já foi o suficiente pra minha respiração ficar acelerada. 

-Isso vai doer um pouquinho.- Steve disse e me penetrou. 

Jesus! Parece que pegaram a minha entrada e rasgaram em dois, e o pior é que quando eu olhei pra trás, Steve só tinha colocado um pouco, então ele colocou tudo o resto de uma só vez. 

-Argh!- Eu não consegui segurar, e dei um gritinho de dor. 

-Tá doendo muito?Quer que eu pare?-Steve disse todo preocupado comigo, e eu teria achado fofo se eu não estivesse quase chorando de dor.- Calma que vai passar, eu vou ir devagar mas é só avisar que eu paro, tá?

-Uhum.

Quando Steve começou a movimentar seu quadril quase que eu pedi pra ele parar, quase. No começo parecia que o membro do Steve estava cheio de arame farpado, mas a dor foi indo embora e o prazer foi tomando todo o meu corpo. 

Steve ia cada vez mais fundo e mais rápido, e eu gemendo cada vez mais alto o nome dele, parecia que os meus gemidos eram o combustível que movia o Steve. Eu não sei explicar muito bem, mas o Steve era digamos "bruto" com os movimentos, mas ao mesmo tempo era carinhoso. Ele tentava fazer de tudo pra eu me sentir o mais confortável, me dava beijos a todo momento e entre um gemido e outro ele dizia que me amava. 

Já faz muito tempo que eu fantasiava eu e o Steve transando, mas não foi nada parecido com o que a gente está fazendo aqui. O que está acontecendo é muito melhor que todas as fantasias, todas as loucuras que eu pensava em fazer com o Steve. 1° que isso aqui está acontecendo de verdade, não é um fruto da minha imaginação, 2° é que eu não estou transando com o Steve, eu estou fazendo amor com ele, e saber que ele me ama, que ele me deseja, que ele pensa em mim como eu amo ele, como eu desejo ele, como eu penso nele, isso sim é bem melhor que todo e qualquer fantasia. 

Os gemidos do Steve estavam ficando cada vez mais altos, e seus movimentos mais rápidos, quando eu escuto ele gritar eu pensei que ele tinha gozado,as não. Então ele saiu de dentro de mim e parecia que estava faltando alguma coisa, ele me virou e eu fiquei de frente pra ele, então ele voltou a me penetrar. Nós estávamos numa posição como se fosse o "papai e mamãe", só que "papai e papai". 

Steve estava com o seu rosto no meu pescoço, me mordendo, beijando, e dando chupões. Seus movimentos eram lentos, mas bem fortes e ritmados. Steve estava com uma mão ao lado da minha cabeça, e a outra está segurando uma de minhas pernas que estão em volta de sua cintura. 

Steve começa a ir mais rápido e eu começo a aranhar todas as suas costas. Eu sinto que vou gozar a qualquer momento. Steve vai indo cada vez mais rápido, nós não estamos gemendo, estamos gritando. Steve dá uma estocada forte e eu não aguento e gozo pela segunda vez. Steve dá mais algumas estocadas fortes e goza dentro de mim. Eu sinto os jatos quentes me preenchendo por dentro. 

Steve para com as estocadas, mas continua dentro me mim. Ele deita a sua cabeça do meu peito e eu começo a acariciar seus cabelos. Nossas respirações estão descompensadas e meu peito sobe e desce rapidamente, com Steve não é diferente. Eu não consigo conter o meu sorriso. Eu ainda não consigo acreditar que eu fiz amor com o Steve. 

Depois de um tempo, quando já estávamos voltando ao normal, Steve tira o seu pênis de dentro de mim e se deita do me lado. Ele olha pra mim com um sorriso de orelha e me puxa pra si. Eu deito minha cabeça no seu peitoral e escuto seu coração batendo calmo. Steve me dá um beijo na cabeça e me abraça forte. 

-Eu te amo, meu baixinho.- Ele sussurrou e meu sorriso ficou maior do que já estava. 

-Também te amo meu grandão.- Eu digo olhando nos seus olhos então eu o beijo. 

 

 


Notas Finais


Bom essa é a minha primeira fanfic publicada, e eu não tenho muita experiência escrevendo lemons, eu dei o meu melhor pra escrever ele e sei que não ficou a melhor coisa do mundo, mas espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...