História Por trás das câmeras CAMREN - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 172
Palavras 1.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente,
Lauren é sempre confusa assim?
"te amo, mas não posso" traduz os sentimentos da Lauren por Camila.
Já Camilinha quer dizer para o mundo que Lolo é sua garota.

sentimentos retraídos.

não pude postar ontem. passei o dia trabalhando! mas aqui estou, e fiz esse capítulo com muito carinho especialmente para vocês.

Capítulo 6 - Eu cuido de você


Fanfic / Fanfiction Por trás das câmeras CAMREN - Capítulo 6 - Eu cuido de você

 

Cabello, Karla Camila:

[...]

Um banho era do que eu precisava. Desde que Lauren saiu em disparada desse quarto, eu não consegui parar de pensar em nosso beijo, no meu primeiro beijo, no seu toque e de como meu corpo pulsava com aqueles toques.

Decido por uma roupa leve. Hoje irei descer para almoçar no restaurante do hotel. Preciso que notem o quanto feliz estou.

- Hmm. – Balbucio pensando quais peças vestir.

Opto por um short jeans, uma rasteirinha com um pouco de brilho, e uma camiseta branca alongada com uma frase que diz supere em fundo vermelho. Um rabo de cabelo e uma maquiagem bem leve completam meu look.

- Estou radiante! – Exclamo para mim mesma ao passar rímel em meus cílios. – Pronto! – Digo alto ao finalizar.

Ao sair do quarto me vejo em frente ao quarto de Lauren. Estou pronta para chama-la para ir almoçar comigo. Assim eu saberia como ela está. Estou prestes a bater. Desisto. Melhor eu deixa-la a sós mesmo.

[...]

Estou sentada em um canto do local, já finalizando meu almoço. Meu momento sagrado...[é, eu adoro comer]... é interrompido.

- Com licença? – Diz um dos garçons do espaço. O olho e faço sinal que prossiga. – Sr. Austin está perguntando se pode sentar-se com a senhorita. – Meu Deus! É tão difícil passar uma segunda sem turbulências?

- Sim. – Digo seca ao concordar com a presença dessa companhia desagradável.

Austin e eu nos conhecemos ainda na época do programa. Ele tentou de todas as formas ficar comigo. Eu, claro, nunca quis. Apesar de bonito e ter um sorriso encantador, ele não faz meu tipo. Talvez se ele tivesse cabelos longos e escuros, um par de olhos verdes e um sorriso intrigante e lindo... quem sabe, né? Tentarei ser simpática.

- Que bom que aceitou meu pedido. – Diz ele puxando a cadeira para sentar-se à minha frente. Eu sorrio sem graça. – Sabia que iria encontrar vocês aqui. – Ele diz sorrindo. – Me apresentei sábado na cidade. E esse o melhor hotel para pessoas públicas como a gente. – Ele finaliza esperando uma resposta empolgada tanto quanto as palavras dele. Eu apenas continuo comendo e lhe respondo com um simples “é”, tornando a levar um pouco mais de comida a boca. Ele então tenta novamente começar uma conversa. Será que ele não se toca? – E o restante cadê? Estranho encontrar você sem suas amigas. – Ele indaga olhando ao redor.

- Bom, Ally está fazendo compras. Certez!. Mani e Dinah saíram cedo e mais tarde irão para um cafeokê. E Lauren, bom... – Pauso. – estar no quarto.

- Estava, né? – Diz ele acenando para alguém que estava atrás de mim. Me viro no impulso e vejo Lauren feito uma bala cruzando o espaço atrás de mim. – HEI, LAUREN! – Ele grita. Sim ele gritou e todos olharam. Eu já não posso ver sua expressão ao ouvir os gritos do chato ao chama-la, pois eu já havia virada novamente e degustava meus últimos goles do meu suco maravilhoso de laranja. É, eu terminei meu almoço, e acho que já posso encerrar esse pequeno encontro desnecessário com a desculpa de que preciso ir. 

- Oi, Austin! – Diz ela ao chegar em nossa mesa. Eu a olho e ela me sorri. Eu então sorrio de volta.

Ela já puxa uma cadeira e fica entre nós dois, mas mais próxima a mim.

- Não esperava encontra-lo. – Diz ela com um sorriso sínico. Ela nunca o suportou. – Mas qualquer oportunidade de ver Camilinha não pode ser desperdiçada, não é? – Seu sorriso sínico continua junto com sua fala debochada, e ele sorri satisfeito. Ele é um panaca e ela o provoca. E eu continuo com meu sorriso de tédio.

- Claro! – Exclama ele. – Não posso ir contra o destino, concorda? – Ele me olha e pisca. Eca! Nojo.

Eles passaram a conversar sobre assuntos quaisquer. Apesar dela não o suportar não quis ser mal-educada. Ele vez ou outra me olha de canto. Eu estou achando isso tudo um saco, mas prefiro esperar até que Lauren termine de comer. Ela havia pedido seu almoço. Ele comia uma sobremesa enquanto conversavam, e eu... bom, estou brincando com o gelo do copo de água que pedi um pouco antes. Não estou prestando atenção no que eles falam, mas minha atenção é tomada quando o bocó pergunta se Lauren aprova um romance meu com ele. Cristo!

- Mas é claro! – Ela responde de supetão, e eu não posso acreditar. Ela deve estar de brincadeira. Só pode. – Acho que é um casal que dará certo. – Ela finaliza e me olha sorrindo. – O que você acha, Camila? – Ela me questiona arqueando a sobrancelha direita. 

Ela só pode estar me zoando. Me declaro. Ela me beija. Ela me deixa. E agora ela me joga para primeiro mané. Que garota difícil de entender.

- O que eu acho? Sério? – Pergunto olhando para os dois. Austin está abobalhado sorrindo e Lauren com um ar de superioridade nesse sorrisinho e com sua sobrancelha ainda arqueada. – Com licença. – Digo me levantando. – Eu acho você uma palhaça, Lauren. – A respondo já em pé em frente à mesa. Dou as costas e saio em direção ao elevador.

[...]

Quando estamos com pressa tudo parece ser mais lento. Dos dois elevadores, um está em manutenção e o disponível estava posicionado no vigésimo andar, conforme mostrava no quadro. Por Cristo! Vai demorar muito até chegar ao P.

- Camila, você pirou? – Escuto Lauren perguntar quase que gritando e gesticulando com as mãos enquanto corria em minha direção.

- Me deixa, Lauren. – Digo olhando fixa para o painel que mostra em que andar o elevador está. Nono!

- Palhaça? Tem certeza? E o que você está querendo então? Fazer um circo comigo? – Ela me lança com fúria nos olhos.

- Lauren, você deixou meu romance sozinho a mesa para vir até mim saber se quero um circo com você? – Pergunto irônica. – Que mal-educada você! – Semicerro os olhos em sua direção fazendo sinal de negação com a cabeça. - Pediu ao menos licença? – P! Elevador chegou e eu vou entrando. E ela me segue.

- Camila, olha, o que aconteceu foi um erro. Eu não quis fazer aquilo. Acho que você me falando aquelas merdas – O QUE? Ela disse merdas? Eu vou voar no pescoço dessa garota. Estou de braços cruzados a olhando firme e ouvindo as asneiras que ela continua a me lançar. – acabei agindo sem pensar. – Ela diz e pausa. – Olha, eu e você não vai acontecer de novo, e nem pode. – Ela suspira. Eu ainda estou com ódio. – Já que você gosta de mim e eu não posso lhe corresponder, melhor nos afastarmos. – Ela encerra esperando uma resposta. E eu não vou responde-la. A ignoro. Quinto! Chegamos.

- Camila, me responde alguma coisa! – Me pede em clamor.

Eu já estou colocando o cartão para entrar em meu quarto. Ela me para me pegando pelo braço.

- Camila, não faz isso. – Ela pede penosamente.

Gente, é sério! Eu sou mais nova que ela, mas certamente sou mais decidida. Ela à minutos atrás estava encerrando o nosso relacionamento que mal acabara de começar já estava acabando. E pior... nossa amizade... aproximação... enfim. E agora me pede em súplica uma resposta. Ainda por cima está me segurando.

- Lauren, vamos resumir a situação, ok? – Eu digo levando seu olhar que estava triste e para baixo. – Você me perguntou, eu te respondi, você me beijou, você saiu, você me jogou para um idiota, você me dispensou, você nos distanciou, e agora eu que preciso te responder? – Pergunto-a com olhar de confusão. Ela se mantém calada. – Lolo, eu te amo. – Ela me olha surpresa, e eu devo ter corado, mas irei até o fim com minha resposta. – Eu não preciso que você me corresponda, se não for o que você sinta também. Mas eu te agradeço por você ter me feito hoje a garota mais feliz do mundo. Eu esperei muito por isso. Não vou estragar o que senti tendo raiva das suas confusões consigo mesma. Eu estou bem. Eu estou muito bem. Ou estava, não é? – Digo questionando-a com o olhar. Ela só continua a me olhar. – Te ver assim... transtornada, não está me fazendo bem. Pois quero te fazer feliz e não triste e confusa. Está tudo bem, ok? Faremos como você achar melhor. – Finalizo decidida, mas por dentro estou em pedaços.

- Camz... – Ela balbucia meu nome e deixa algumas lágrimas escorrer de seu rosto.

Passo meu polegar em seu rosto na tentativa de cessar suas lágrimas que insistem em cair. A abraço. Nosso abraço parece significar que precisamos uma da outra, mas que tudo precisava estar em seu devido lugar.

- Vem! – A convido a entrar. – Eu vou cuidar de ti.

Ela não recusa e me segue entrando no quarto de mãos dadas comigo.

 

 


Notas Finais


e ai, o que estão achando?
Camila é realmente uma grande mulher, não acha?
difícil ela assumir para Lauren, mas agora que assumiu, ela não vai acovardar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...