História Por um Acaso - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Yukino Aguria
Tags Drama, Gray X Lucy, Graylu, Grayxlucy, Romance
Exibições 72
Palavras 2.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii gente, espero que gostem, mais um cap <3

Capítulo 4 - Preto e Rosa não se misturam!


Fanfic / Fanfiction Por um Acaso - Capítulo 4 - Preto e Rosa não se misturam!

Acordei com uma loira ao meu lado. E que loira.

Tá certo que ela é minha prima, mas é impossível não reparar no seu corpo escultural, ela é linda. Mas e daí que ela é da família? Primos se pegam toda hora né, me sinto meio mal em pensar assim pelo fato de que eu tô bem foda-se ultimamente e eu só quero beber, festa, mulher, festa, mulher e beber. Acho que ela ficaria puta comigo se eu ficasse com ela, então vou evitar. Porém, posso aproveitar mais um pouco né? Puxei ela para mais perto de mim, parecia um anjinho dormindo, fazendo biquinho, que fofo. Dou um beijo longo na testa dela.

'' Obrigado ''

Levantei-me e fui tomar um banho para acordar. Após o banho percebi que meu celular tinha algumas mensagens não lidas e 2 ligações, Lissana, Cana e Juvia... Quanto fogo, tô podendo. Decido ligar para Cana, vai que ela quer marcar algo comigo.

- '' Alô? '' 
- '' Oi morena, tudo bem linda? '' 
- '' Ah, Gray? Tudo ótimo meu anjo, poxa, te liguei ontem e você nem atendeu. '' - Provavelmente ela estava fazendo biquinho do outro lado da ligação
- '' Desculpa gatinha, dormi cedo '' - Mentiraaa - '' Tá afim de fazer algo hoje? Nossas aulas voltam nas próximas semanas, passou rapidão né '' 
- '' Passou mesmo! Vai rolar um luau na prainha hoje, tá afim de ir? Você só precisa ir vestido de branco. '' - Opa, partiu.
- '' Pode deixar, tu vai me ver lá hoje ''
- '' Só ver? '' - Cana disse com uma entonação um tanto quanto maliciosa 
- '' Isso a gente decide lá na hora '' - Eu ri - '' Beijão, gata. ''

Desci e fui até a cozinha, Wendy já devia ter saído, ela estuda em uma escola diferente da minha, sinceramente, eu preferia que ela estudasse na mesma que eu. Tipo, minha irmã é super gatinha e o tanto de muleque que deve dar em cima dela e ela nem pode se defender. Isso me deixa puto. Fiz meu misto quente e me joguei no sofá. Após alguns minutos deparo-me com uma figura descendo as escadas lentamente, cabelo bagunçado, parecia o Exu.

- Caralho ein, o Halloween chegou mais cedo? - Debochei dela, e ela me mostrando o dedo do meio.
- Se fuder, jumento. - Como é que é? Quem essa peituda tá achando que é?

Me levantei e parei na frente dela e fiquei encarando a mesma que desviou o olhar. Ela estava levemente corada, oh tadinha... Que nada, essa é a hora que eu me aproveito. Sobre o que eu disse antes sobre evitar? Esquece, não sou desses. Fui fazendo ela andar pra trás vagarosamente, até que ela encostou na parede e ficou sem pra onde ir. Comecei a pressionar ela contra a parede e sentir seus seios fartos contra o meu peitoral, abaixei minha cabeça e pus meus lábios contra sua orelha.

- Ei, delícia - Falei sussurrando, sua pele branca se arrepiou toda, sorri de forma maliciosa por conta disso. - Você mal chegou aqui e talvez você conhecesse o antigo Gray, mas as coisas mudaram. Pela forma de como você reagiu agora, eu acho que você quer conhecer o novo né não? 
- Grrrr... ESTÚPIDO, MONGOL, ME SOLTA!! - Ela tentou me afastar, isso só me fez rir. - Você é um cocozão, a única coisa que mudou de antes pra agora é que você está mais pervertido! Porque continua o mesmo bebezão. - Ela sorriu e me deu língua. É o que maluco, vamos ver quem é o bebezão.

Coloquei meu joelho entre suas pernas, a imobilizando. Comecei a beijar seu pescoço lentamente, fazendo ela gemer baixinho, opa, parece que achei seu ponto fraco, não é mesmo? Abri um pouco meus olhos para ver o rosto dela, ela parecia um tomate, que fofa. Assim que eu ia passar para a melhor parte, alguém bate na porta e eu a solto dando uma piscadela à ela (que me mostra o dedo do meio, novamente, e sai correndo). 


~

MEU DEUS, O QUE QUE TÁ ACONTECENDO COM ESSE GURI?
             Eu preciso sair daqui antes que ele volte. Eu não consigo parar de pensar no que acabou de acontecer. Um lado meu tem vontade de voltar lá e dizer: '' Garoto (palmas), que pegada fenomenal ein, tá de parabéns''. Mas meu outro lado tá tipo: '' Você acha que sou tuas negas? ''. Sério, eu sei que ele tá passando por um lance MUITO difícil, mas eu não quero ser só mais uma das minas que ele pega não! Eu não sou dessas, eu vou ajudar ele a superar mas não dessa forma, não sou escrava sexual! Eu nunca nem transei e tenho orgulho de gritar pro mundo que sou virjona, isso ai, LUCY HEARTFILIA É VIRGEM! Caham.

A porta do quarto da Ul estava aberto e como não havia vestígio de ninguém, entrei e juntei minha fantasia. Não posso ficar mais nem um segundo aqui, eu posso tomar o café da manhã em casa. Fui até a porta e olhei ao redor, não parecia ter ninguém. ''Certo Lucy, é agora, você vai descer as escadas e sair, simples''. Descendo as escadas, parei na frente da porta quando de repente:

- Lucy? - Essa não era a voz do Gray, mas era de um conhecido, e que conhecido. Me virei lentamente e fitei seus lindos olhos azuis.
- Sting! O que faz aqui? - O abracei. Sting, meu outro primo, porém por parte de mãe, diferente do Gray. Eles são bem amigos pelo o que eu sei (infelizmente possuem personalidades parecidas também)
- Eu que pergunto, Blondie. Vim apoiar meu maninho por conta do lance que rolou... Acho que você já sabe né?
- Sei sim, muito tenso.... - Ele parecia bem abatido, depois que eu e Gray me afastamos, acho que quem ''cuidou'' dele foi o Sting. - Ajude-o por favor, você sabe, Gray é difícil.
- Ah e como sei..
- Isso ficou um tanto quanto homossexual, você não é gay né Sting? - Eu ri
- Tá brincando comigo Blondie? - Ele pôs sua mão no seu amigo de baixo como se quisesse evidenciar o mesmo e mordeu seu lábio, corei na mesma hora. - Se você quiser eu o mostro pessoalmente, sem tecido por cima. Quer?
- Jesus amado, tava brincando - Ele riu de mim - Ei, tenho que me mandar antes que o moreno volte, beijos, até. 
- Ah peraí! Você ainda está morando ''sozinha''? - Ele deu uma pausa e reformulou a pergunta - Q-Quer dizer não quero invadir sua casa e estuprar você enquanto estiver dormindo, até por que acho que acabaria não sendo um estupro, não é Blondie?
- Idiota - Revirei os olhos - Sim, meu pai mal vive lá, como sempre, você sabe já estou acostumada.
- Meu bem, tome cuidado ok? E se precisar desabafar ou qualquer coisa tô aqui, você sabe que eu sou um vagabundo, mas eu só quero seu bem. 
- Obrigada - Sorri e acenei dando tchau, isso me animou como nunca.

 

Como eu moro perto de onde o Gray está agora, fui andando. Eu tenho sérios problemas com meu pai e não gosto de pensar muito nisso, sempre que passo alguma dificuldade relacionada a isso, eu ligo pro Sting e ele vai lá em casa e ficamos vendo filmes de terror, comendo brigadeiro e pipoca, ele é como se fosse um irmão pra mim. Para os maliciosos de plantão, não, nunca rolou nada entre a gente ok? Não é como se ele não tivesse tentado, mas eu não sou dessas, não é só por que fui lesada com o Gray que vou ser com todo mundo. #lucyparapresidente. Na metade do caminho ouço o toque do meu celular, vejo quem é e dou um sorriso. Natsu.

- '' Ei princesa! Tudo bom contigo? '' - O rosado falou animado do outro lado da linha.
- '' Oie! Tudo sim e com você? Tá cuidando bem da sua irmã né? '' - Natsu tinha uma irmã mais nova, Chelia.
- '' A capetinha tá bem sim,mas deixa ela pra lá. Oh vai rolar um luau hoje, lá na prainha, tá afim de ir? A Erza, o Jellal e outra galera disse que ia, vêm também poxa, se quiser te dou até carona. Por favooor. ''
- '' Tá bom fofo! Eu vou, e aceito a carona, que horas você passa aqui? ''
- '' 17:30, pra pegar o pôr do sol, que tal? ''
- '' Tá ótimo! ''
- '' Beleza então, beijos linda. ''
- '' Beijão. ''

 

~ Quebra de tempo, 17:30
 

Tinha acabado de me arrumar, coloquei um biquíni por de baixo da minha blusa branca, caso eu fosse entrar no mar (sou doida sim), um short e uma tanga de praia. Poucos minutos depois Natsu chegou buzinando.

- Vamos Lucy!
-Já vouu

Virgo tinha saído mais cedo para fazer compras e ainda não tinha voltado, decidi escrever um recadinho só para ela não ficar preocupada, isso pode ser bem tenso mas a pessoa mais próxima de uma mãe que eu tenho é ela. Adentrei o carro do Natsu, garotos com carros é aquela coisa né, cuidam como se fosse filho, todo organizado, cheirosinho, limpinho. O Natsu tava um gato também, ele, o Gray e o Sting são daquele tipo de caras que toda menina é afim. Bons nos esportes, bonitos, marombas, de certa forma gentis, o que tem de menina que baba neles... Mas o Natsu é só um amigo meu, um muito importante, até sinto ciúmes dele de certa forma. 

- Oi lindão, tá xavoso hoje, ein? Tô de olho em você, quero ver você se esfregando em ninguém não. - Fingi ser séria, mas depois ri.
- Poxa Lucee, eu tava acreditando sabia? - Ele fez biquinho todo manhoso.
- Acho que vou ficar de vela aqui mesmo, melhor, tocha olímpica voltou a passar pelo Brasil e quem tá segurando agora sou eu. - Chelia estava sentada no banco de trás fingindo realmente segurar uma tocha, eu ri de sua expressão.
- Perdão, não tinha te visto Chelia!
- To na bad agora - Disse a pequena fingindo se mutilar
- Ow ow ow, você pode parar com isso, deixa de drama mulher - Natsu olhou pra trás enquanto dirigia e isso me deixou um tanto quanto... desconfortável.
- Err... Melhor você olhar para o volante... não queremos nenhum acidente né? hahah... - Até que ele acelerou que nem um louco - Minha nossa senhora, tá amarrado em nome de Jesus Cristo é nessas horas que me arrependo de não ir à igreja. Eu não sou nenhuma vagabunda pra aceitar isso calada, NATSU DESACELERA POR FAVOR, NUNCA TE PEDI NADA.

Bem, apesar dele correr muito, chegamos a salvo na prainha (e bem mais rápido do que o esperado).

O vento soprava forte naquele fim de tarde, poucas nuvens no céu, tudo perfeito para observar o pôr do sol. Ainda haviam poucas pessoas na praia, entretanto, já dava para ter uma noção de como tudo iria ser. Uma grande fogueira, barraquinhas que iam em direção ao horizonte, um pequeno pier com bancos na ponta, que clima perfeito. Senti algo pesado sobre meus ombros, era o braço de Natsu, ele deu um sorriso de comercial pra mim que dizia ''Lindo né?'', eu só assenti. 

Aos poucos mais pessoas iam chegando... Nada de Erza ou Sting, Natsu tinha saído pra comer e eu estava lá, forever alone como sempre sentada em um banco que ficava no pier, estava tão tentada a me jogar na água com roupa e tudo... Eu amo nadar, consequentemente, isso lembrava minha mãe, uma vez quando mais nova ela deu aula de natação para crianças carente e ela me levava junto, ela não era especialista nem nada, mas fazia parte de um projeto e as crianças amavam ela.

Sinto lágrimas quentes descendo meu rosto. Droga! 

Uma mão pousa em meu ombro, sinceramente não quero virar ainda mais com essa cara de choro, mas viro de qualquer jeito. Reconheço esses olhos cor de ônix de longe, Gray. Ele se senta e passa a mão pela minha cintura, obrigando-me a aproximar dele, eu to tão foda-se nesse momento que já encosto minha cabeça em seu ombro e aproveito a vibe da bad.

- O que houve? - Sua voz rouca saiu como um sussurro, confesso que quase arrepiei.
- Nada de mais, só parei pra pensar o quanto minha vida é um lixo. - Dei um sorriso cínico à ele e voltei a abaixar a cabeça.
- Ei ei, não fala assim...
- Eu não disse nenhuma mentira.

Ele parou um pouco para pensar.

- Certo, então vamos ser dois bostas e inúteis junto! - Ele se levantou, me puxou e me colocou em seus ombros, como se eu fosse um saco de batatas. - Uau, que bela vista eu tenho daqui. Não sabia que seu traseiro era tão fenomenal assim, Lucizinha, acho que minha priminha cresceu de mais. - Ele deu um tapa na minha bunda, quem ele tá achando que é?
- EI, AQUI NÃO É FESTA NÃO! Me solta, eu não sou nenhuma vagabunda pra você me levar assim... GRAAAAY. - Ele só ria, viado. Eu acabei rindo da cena também... Só ele pra me animar, idiota.

Fomos parar no meio de uma multidão, em meio àquela galera eu vi uma cabeleira rosa. Era minha chance:

- NATSUUUU, ME SALVA NENÊ! - Ele se virou pra mim e deu um sorriso de primeiro instante, logo após viu o Gray. Só pensei em uma coisa.

Vai rolar treta meu bem.

- OH NEGRESCO SOLTA A LUCY - Ele gritou pro Gray, enquanto eu segurava minha risada.
- Osh, tu tá chamando quem de negresco oh Littlest Pet Shop? - Gray rebateu com um sorriso vitorioso, mal sabia ele que aquilo só tava começando.

Que que eu fiz meu senhor amado.


Notas Finais


Se vocês curtirem, comentem
Se acharem que algo deve melhorar, comentem também.
Preciso do feedback pra saber se to fznd o certo ou o errado ç.ç <3
Bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...