História Por uma foto - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 3
Palavras 967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ok, eu sei, a respeito da foto q é um print, pra vcs verem, uma das minhas leitoras tá nesse grupo kkkkk minhas amigas me incentivam, vlw pra vcs, pra quem le e eu nao conheço um vlw tbm. Gnt, não ta bom, não ta grande, não tá nada, só que eu realmente precisava escrever pq ja fazia muito tempo, sabe, tô sempre ocupada e estava usando essa semana sem aula pra poder relaxar um pouco, eu sei que vcs me entendem, agora boa leitura, perdoem os erros e a falta de criatividade.

Capítulo 11 - Confusão


Fanfic / Fanfiction Por uma foto - Capítulo 11 - Confusão

–Fala logo Kel, tá me assustando.

–Melissa, olha, eu sei que está sendo difícil pra você ter que esconder sua irmã, sei também que a katt ta se precipitado e te deixando louca mais preciso que acredite em mim. Eu sou uma das amigas que a katt mandou pra te ajudar, estou cuidando pra que seu avô não chegue perto da Lay, acredite, ele está mais perto que você imagina.

–Eu já entendi, mais porque ela quer falar com a Lay?

–Mel, já passou do tempo que tínhamos...

P.O.V. Diogo

Caramba, como vou contar agora que a Kel sabe da carta. Merda, elas já devem estar planejando algo. Preciso me adiantar.

P.O.V. Autora (linda, maravilhosa e sem criatividade)

Aurora estava no quarto com Helay, Daniel havia acabado de sair e parecia meio sem saber porque encontraram Helay na piscina.

Melissa e Kelley também estavam procurando o que fazer a respeito de katt e os últimos acontecimentos.

Diogo que estava perto da piscina quando encontraram Helay agora andava em seu quarto tentando pensar no que diria a ele sobre Helay.

A noite deles havia começado quente e acabaria fervendo.

P.O.V. Helay

Eu não entendia porque tive um sonho tão estranho, não entendia porque acordei na piscina, eu não entendia merda nenhuma.

–Lay, sua irma ja deve tar chegando e eu preciso ir antes que me peguem fora do quarto. Se cuida.

–Ate amanhã aurora.

Ela saiu do quarto me deixando sozinha, mais um tempinho depois mel e Kel entraram, pareciam pensativas e isso era estranho.

–Helay, preciso te contar umas coisas e preciso que voce não surte.

–Eu acho melhor nos sentarmos – kel parecia bem séria, mais eu realmente não queria saber de nada agora, estava cansada e precisava pensar.

–olha, preciso pensar um pouco, podem me falar amanhã? –faço uma cara de cachorro sem dono e a mel sede.

–esta bem, amanhã nos falamos.

Elas voltaram pra cama e eu não ia ficar ali. Hoje não.

Peguei meu violão e sai de fininho. Outra vez eu estava fazendo aquilo. Bem, me relaxa fazer o que.

Eu estava a procura do murro que havia sumido outra vez. Andei um pouco até avistar a parede defeituosa e fácil de subir.

Demorou um tempinho mais lá estava eu, em cima do murro tocando e cantando.

–Outra vez te encontro aqui. Sabe que não podia ficar sempre te protegendo. Se um dia me pegarem irei ficar sem emprego.

–Oi Nial, desculpa, sabe que gosto de vir aqui.

–Bobinha, continue contando, estava lindo. Mesmo a letra ainda sendo totalmente ruim e você estar sempre sem ritimo, realmente, melhore  isso, escreve outra coisa, conselho de um amigo...

Então passei o resto da noite cantando com ele, foram várias músicas e foi muito divertido.

–Acho melhor você ir, jaja começa as aulas e não quero ver você na diretoria por dormir em meio a explicação. –nós dois rimos e ele me ajudou a descer.

–Obrigada como sempre. Até mais –aceno e vou correndo para o quarto.

Tento entrar de fininho mais acabo tropeçando e caindo.

–Aonde estava? –A lindona da mamãe mel já estava sendo má.

–So sai um pouco.

–Entao se arruma rápido porque temos que tomar café, aula minha querida.

–nossa tô indo.

De tarde....

As aulas haviam acabado e como sempre haviam sido chatas, entediantes e eu não mereço aquilo.

Eu poderia fazer tanta coisa com esses vários nadas que coleciono, sério, ficar deitada na cama em pleno dia letivo, de pijama e sem nada, absolutamente nada, nada mesmo, não tinha nem um pingo de alguma coisa pra fazer, claro, que ideia brilhante a mel teve, vir pro fim de mundo, sem nenhum conheço e ainda ter que viver na escola, obrigado mãe, a senhora é tão má quanto Melissa por ter essa ideia de gênio.

Me levanto um pouco tonta ja que estava com um pouco de sono, ava, não dormi ontem então isso seria lógico, me aproximo da porta e vejo im bilhete no chão. Parecia uma cartinha, papel branco, letra  pouco caprichada, mais o que me chamou a atenção foi o perfume masculino, típico de alguém...

Venha a grande arvore sozinha e vestida para festa, te vejo lá às nove, o melhor horário já que não tem ninguém vigiando, por favor não conte a ninguém, até...
                                        Bjs...

Ok, estranho, quem me mandaria uma carta falando essas coisas, bem, o Diogo, ja que a carta tem o cheiro dele, sei lá porque ele me chamaria pra sair e ainda por cima usando roupa de festa... Não vou falar nada.

Voltei a me deitar, o que será que a mel vai achar disso tudo? Ela que se dane, eu vou e ponto.

Olho pro relogio que já marcava três e quanta... Nossa, como a hora demora pra passar, acho que vou ver o que tenho na minhas coisas, vamos bagunçar tudo.

Eu mexia em tudo, via minhas roupas, meu sapatos, as maquiagens, (sim eu uso, mais é bem dificil ) eu tinha tanta coisa, até que decido ver embaixo da cama, o que seja que tem lá. Pego a minha mala, e vejo que não tem nada nela, mais ai sinto algo quadrado e um pouco leve para ser um sapato, algo duro pra ser uma roupa, então vejo que é o álbum de fotografias da minha mãe, não me lembro de ter colocado lá, mesmo assim vamos ver as fotos...

Tinham fotos que eu não conseguia reconhecer os rostos, apenas uma vaga memória passava sobre minha cabeça, então so seguia me lembrar de momentos que pareciam horríveis, não sabia se era real ou só invenção de uma mente perturbada.

P.O.V. Melissa

Eu estava meio mal por deixar a situação desse jeito. Bem, pelo menos hoje eu irei contar pra ela, realmente de hoje essa maldita mentira não passa.

   


Notas Finais


Então, acabou assim, fazer oq, gnt comentem, critiquem, falem oq acham, não me importo se vcs derem suas opiniões pra me ajudar pq não to sabendo oq escrever. Até o próximo cap.
Bjs da padii


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...