História Por você - Camren - Versão Lauren - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Shawn Mendes
Tags Camren, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Visualizações 208
Palavras 1.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


4/5

Capítulo 11 - Capítulo 11


E ela se encaixa no projeto tão completamente que é só sobre isso que eu desejo pensar.

Mas há detalhes a serem trabalhados. E apresento a isca do meu esquema. Pagamento.

Como eu suspeito, ela ri de minha oferta para pagar seus oitenta mil dólares em empréstimos estudantis em troca de sua participação na encenação. Ela não percebe que eu já paguei, e tenho certeza de que, se ela soubesse, teria ido embora imediatamente.

Mas ela não foi embora. Ela ainda está aqui ouvindo atentamente cada palavra minha, mas posso sentir que Camila não está comprando a minha proposta. Eu temia que daria trabalho convencer essa garota, e parece que eu estava certa.

Não ajuda muito o fato de que estou um pouco distraída da minha tarefa. Tudo o que posso pensar é ter essa mulher na minha cama.

Mas obrigo-me a lembrar que o objetivo desta conversa não é esse. Meu objetivo hoje é levá-la a concordar com a ideia de fingir ser minha namorada. O pagamento deveria ter sido o meu ponto de venda. Não foi, e fico feliz por isso.

Ainda assim, ela quer saber mais. Estou contente com isso também.

– O que exatamente você quer que eu faça? – pergunta.

Isso é contra seu melhor entendimento, eu sei.

Mas Camila não pode evitar.

Relaxo. Meu esquema não alcançou seu interesse ainda, mas estou perto de terminar de tentar seduzila para jogar o jogo para o qual a estou convidando.

– Finja que somos um casal. Eu convidaria você a várias reuniões onde minha mãe iria nos ver juntas. Eu esperaria que você se pendurasse no meu braço e se comportasse como se estivéssemos loucamente apaixonadas.

– E isso é tudo?

– Isso é tudo.

Isso não é tudo que eu quero, mas é tudo que eu tinha planejado pedir hoje à noite. Meus planos estão à beira de mudar.

E é só porque eu a estou estudando tão de perto que noto a garota engolir em seco.

– Esse relacionamento fingido. Até que ponto eu iria ser chamada a... atuar?

Não sei se fico com raiva ou excitada ao ver Camila tão nervosa com a perspectiva de dormir comigo.

Excitada, eu decido. A maneira como os olhos dela sobem e descem pelo meu corpo, como seu olhar continua voltando aos meus lábios, eu sei que ela está tão atraída por mim como eu por ela. Ela simplesmente não quer ser considerada uma prostituta, e nem eu iria querer isso para  Camila.

Ela vai ter que ficar mais confortável do que isso se espera que eu lhe dê aquilo que ela quer, o que ela precisa. Posso tolerar inocência, mas não vou aceitar ambiguidade quando se trata de uma relação física.

– Não adianta pisar em ovos sobre isso. Você está perguntando sobre sexo.

É então que tomo a minha decisão de uma vez por todas. Embora não estivesse previsto neste acordo, embora não fosse isso que eu tinha pensado para esta noite, eu tenho que possuir essa mulher e não posso esperar mais para que ela saiba disso.

– Nunca pago por sexo, Camila. Quando eu possuir você, será de graça.

Os olhos dela se arregalam e inequivocamente escurecem. Ela se contorce em sua cadeira. Eu havia revelado a ela sua fraqueza por mim e agora ela não sabe como reagir. Está impotente.

E eu estou ligada pra caralho em seu desconforto.

– Talvez eu devesse ir embora – diz ela.

– Você quer fazer isso?

Sei que não. E eu a estou convidando para ficar.

– N-não sei bem, sim, acho que sim. Eu deveria ir embora. – Camila gagueja sua resposta.

Isso é sexy como o inferno. Eu quero ouvi-la tremendo e gaguejando com a minha língua em sua boceta.

– Porque você está desconfortável com a minha proposta? – Não consigo parar. Eu tenho que fazer essa garota se contorcer mais. – Ou porque eu lhe disse que vou transar com você?

– Sim... Eu... Isso.

Eu inclino minha cabeça, intrigada. Ela está jogando duro para conseguir ou está ignorando a química entre nós?

– Mas estou certa de que isso não é uma surpresa para você, Camila. Você sente a eletricidade entre nós. Sua linguagem corporal expressa isso muito bem. Eu não ficaria surpresa ao descobrir que você já está molhadinha.

O rubor queima seu rosto e eu quase como a garota aqui mesmo.

Eu pisco um sorriso.

– Não se sinta constrangida. Você não sabe que eu sinto o mesmo? – É a minha vez de mudar de posição no meu lugar. – Se você fosse ler atentamente o meu corpo, você veria a evidência do que acabei de dizer.

Foda-se o meu objetivo para esta noite. Não adianta falar mais sobre isto, a única coisa que me interessa agora é ela, a boca, os seios, as pernas compridas esticadas. É a minha casa noturna e eu poderia facilmente deitar essa mulher em cima da mesa e penetrar na boceta dela agora mesmo, ter ela se apertando em torno de mim.

A única coisa que me impede de fazer isso é que aqui é também onde ela trabalha. Não seria justo com Camila, então eu devo me controlar.

Mas por mais desconfortável que isso possa me deixar, não estou disposta a terminar esse flerte acalorado. Então, não paro.

– Vamos deixar de lado por um momento a minha proposta para contratá-la e discutir essa outra coisa ainda mais. Por favor, entenda que estão bem distantes uma da outra. Eu não quero nunca que você pense que meu desejo sexual faça parte de uma farsa para meus pais e os amigos deles.

– É que eu... Eu não sei como reagir a alguém afirmando que me deseja. – Ela está nervosa.

Surpresa.

Fico meio perdida com isso. Franzo a testa.

– Mas nenhuma pessoa lhe disse isso antes?

Com certeza ela sabe como ela é atraente. Sua beleza vai além de sua aparência física, tem a ver com sua aura, seu comportamento, a forma como seus olhos brilham e a maneira como a testa fica franzida de preocupação. Ela é uma combinação de forte e fraco, como um vaso bonito que tenha sido quebrado e colado de volta tão perfeitamente que você só pode ver as rachaduras quando olha bem de perto. Ela simboliza o nascer da fênix das cinzas.

Muitas pessoas devem ter se queimado na sua presença.

Ela se atrapalha com a taça.

– Não com tantas palavras. Ações às vezes.

Eu quase lamento a sua admissão.

– Isso é uma vergonha.

Como é que ninguém reconheceu a preciosidade do tesouro que está diante de mim? Ela não o reconhece em si mesma, inclusive. É decepcionante. Desolador, se eu fosse do tipo que tem um coração.

Sem querer, eu me vejo chegando do outro lado da mesa para tocar sua mão. Esfrego meu polegar por sua pele insuportavelmente macia.

– Eu pretendo dizer-lhe isso sempre que puder.

Agora, de onde diabos veio isso? Mas assim que essas palavras saíram da minha boca, soube que são verdadeiras. Eu estou quebrando todas as minhas regras com esta mulher, agindo fora da minha própria natureza. Talvez outras pessoas tenham sobrevivido às suas chamas, mas eu temo que já esteja queimando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...