História Por Você - G!P - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camreng!p
Visualizações 339
Palavras 1.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa noite, desculpa o atraso, eu amo vocês então não me matem.
Aproveitem o domingo de amanhã , e tenham um feliz dias dos pais.🌹❤

Capítulo 46 - Família Jauregui.


LAUREN POV

Dinah: ei palmito, que cara é essa ?

Lauren: cara de quem vai casar daqui a uma semana, eu tô nervosa pra caralho. 

Minha filha e minha mulher  brincavam na grama enquanto eu e Dinah tomávamos cerveja em baixo da árvore, as duas de vestido florido e laço no cabelo, minha filha sorria com as brincadeiras que a mãe fazia.

Dinah: ela tá crescendo rápido, vocês botam fermento na mamadeira dela?

Lauren: deve ser o mesmo que a Camila comia, olha essa bunda, aliás,  não olha não! 


Dinah: eu já tenho minha morena, pode ficar com a bunduda.

Vi que minha filha chorava, me levantei correndo e fui até elas, Camila limpava o vestido com desenhos de rosas, havia um pouco de terra nos cabelos castanhos de minha filha.

Lauren: o que houve? Eu tirei os olhos de vocês por 1 segundo, vem aqui meu anjo.

Peguei minha pequena no colo e ela escondeu o rosto no meu pescoço, beijei suas pequenas mãos que também estavam com terra.

Camila: ela foi tentar pegar uma flor e perdeu o equilíbrio, ela quer ser independente, não me deixou pegar pra ela.

Lauren: que garotinha esperta.

Sorri para minha futura esposa e voltei a olhar minha linda filha, os olhos verdes tão clarinhos no sol, os cabelos castanhos enrolados, o sorriso tão lindo igual o da Camila, as bochechas sujas de terra, eu preciso tirar uma foto disso.

Lauren: chama a Dinah amor, quero uma foto de nós três. 

Camila: o vestido da vitória está sujo amor.

Lauren: ela está linda amor, quero ela exatamente assim.

Dinah vinha com uma cara de tédio, pegou meu celular e eu puxei Camila pela cintura para ficar ao meu lado, minha filha ainda agarrada em meu pescoço.

Dinah: você não sabe sorrir não palmito? Chancho, ensina ela a sorrir pra foto.

Lauren: vai tomar no cu, Jane! 

Camila: olha a boca Lauren!

Dinah: trouxa.

Lauren: o que?

Dinah: olha o passarinho. 

Depois de tirar várias fotos nos fomos para casa, Camila tomou banho de banheira com nossa filha e eu fiquei apenas com inveja mesmo, aproveitei para pedir pizza e Alejandro foi comprar cerveja.

Meia hora depois ouvi batidas na porta, peguei a carteira para pagar a pizza mas quando abrir a porta meu coração parou, não era a pizza, não era o Alejandro, são os meus pais. 

Clara: olá, eu estou procurando por minha filha, Lauren Michele Jauregui.

Meus olhos não acreditavam no que viam, minhas mãos tremiam, meu corpo todo parecia está petrificado, meu pai sorria abertamente pra mim, e ela, minha mãe me olhava dos pés a cabeça, eu não era mais a magrela de cabelos longos castanhos e bochechas rosadas, meu pai tocou nos ombros de minha mãe e disse.

Michael: a procura acabou Clara, Olá Lauren.

Lauren: oi...oi... pai.

Minha mãe abriu a boca em descrença, seus olhos agora estavam em meus olhos, meu pai ainda segurava os ombros dela.

Alejandro: boa noite.

Meus pais olharam para o homem atrás deles, no mesmo instante Alejandro olhou preocupado para mim, respirei fundo e busquei coragem.

Lauren: Alejandro, esses são meus pais.

Clara: Lauren, minha filha, o que houve com  você? 

Alejandro: vamos conversar com mais calma, lá dentro.

Eu dei passagem para todos entrarem, tirei alguns brinquedos do sofá para que pudessem sentar, minha mãe olhava os quadros espalhados pela sala, havia fotos de minha filha, minha com Camila, Camila e nossa filha, Eu e Alejandro na base, e uma foto enorme de todos nós.

Michel: essa criança tem seus olhos.

Lauren: sim, ela é minha filha.

Camila: amor, eu...

Camila parou na entrada da sala, nossa filha estava em seus braços, Camila olhou para todos na sala, ela nunca havia visto meus pais nem em fotos e Alejandro apenas conhecia meu pai.

Lauren: vem aqui amor, quero lhe apresentar seus sogros.

Camila andava devagar como se estivesse indo para força,  minha filha ria como se a situação fosse cômica, mas de certa forma era.

Clara: Michel...

Michael: Olá senhorita...?

Camila: Cabello, Camila Cabello.

Lauren: futura Cabello-Jauregui. Essa é minha futura esposa pai, mãe da minha filha.

Minha mãe estava mais branca que o normal, em poucos segundos ela estava desmaiada nos braços do meu pai, Camila ficou nervosa e eu tentei acalmá-la, minha mãe já estava deitada no sofá, Alejandro foi busca água e minha filha dava gargalhadas, toda aquela situação estava me deixando tonta, minha cabeça doía, meus olhos perdiam foco.

Alejandro: fique firme, eu estou aqui, sua mulher e sua filha também, somos uma família, seja forte Lauren, como sempre foi.

Respirei fundo e fechei os olhos por alguns segundos, as mãos fortes de Alejandro apertando eu ombro para mostra que estava ali comigo, sem me preocupa com a situação eu lhe dei um abraço, daquele abraço eu terei forças para o que viria pela frente.

Um tempo depois minha querida mãe acordou, meu pai sentado ao seu lado ajudando ela a se recompor, Alejandro segurava minha filha sentando em sua poltrona e eu e Camila sentadas no outro sofá.

Clara: Lauren... Você sumiu... e agora você não é mais você...

Michael: pare, Clara não viemos aqui para isso.

Clara: eu preciso de respostas Michael, você está vendo o mesmo que eu, nossa filha não é mais nossa filha, olhe isso, Ela parece com o Cris. Lauren, por que fez isso com você? Por que não procurou ajuda, por que não se tratou ?

Lauren: olá estranha, meu nome é Lauren Michelle Jauregui Morgado, tenho 30 anos e sou intersexual, sou general do exército Americano, sou mãe/pai daquela garota no colo do avô, essa ao meu lado é minha futura esposa, minha companheira, minha melhor amiga, minha vida, mãe da minha filha, aquele sentado na poltrona é meu pai, meu sogro, meu Porto seguro, o avô mais babão de toda florida, essa é a minha vida, essa é minha família, essa sou eu. 

Camila: muito prazer Senhor é senhora Jauregui.

Michel: O prazer é  nosso Camila.

Clara: Lauren... você está me dizendo que ainda tem aquilo dentro de suas calças, e por querer ?

Alejandro: "aquilo" senhora Jauregui, se chama pênis, eu não faço a menor idéia do por que de vocês estarem aqui, mas eu não vou admitir que vocês venham insultar qualquer um de minha família, se querem conversa, eu exijo respeito!

Michel: me desculpe senhor Cabello, viemos aqui pois uma senhora nos procurou, ela disse que nossa filha iria se casar com uma criança, ela não falou mais do que isso é um endereço, no caso,  esse endereço.

Eu sabia muito bem quem era essa senhora, todos nós sabíamos, Camila apertou minha mão,  sinal claro que ela estava nervosa, Alejandro levantou do sofá com a expressão incrédula.

Alejandro: que senhora ? Qual o nome?

Clara: ela pediu que não falasse.

Lauren: EU NÃO TÔ NEM AÍ PARA O QUE ELA PEDIU.

Camila: amor, se acalme.

Lauren: Leve nossa filha para o quarto Camila, por favor meu amor.

Camila: Lauren...

Levei minha mão até seu lindo rosto, olhei em seus olhos para que ela pudesse ver o meu estado, ela suspirou e beijou meus lábios, ficamos nesse beijo por um tempo, era apenas um roçar de lábios, uma passado calma para outra.

Lauren: agora vá meu amor, eu prometo subir assim que tudo aqui acabar.

Camila: eu te amo.

Lauren: eu te amo.

Camila pegou nossa filha e foi para nossa quarto, Alejandro continuava em pé olhando para meus pais.

Lauren: falem, o que sinue falou para vocês?

Clara: vocês a conhecem ?

Alejandro: minha ex mulher, mãe de Camila.

Michel: como é? 

Lauren: eu quero saber o que ela falou para vocês, por favor pai, seja direto.

Michael: ela apenas disse que nossa filha mais velha iria se casar com uma menor de idade, ela disse que você morava aqui com a menor de idade, ela não menciono nenhuma criança ou que você tinha uma filha.

Clara: ela me disse que não conhecia você é nem a menina que estava com você, ela falou que você era uma pessoa irresponsável e que precisava de limites, ela falou coisas horríveis sobre sua futura esposa, eu... eu... 

Lauren: chega, já entendi.

Alejandro: ela ao menos falou como conseguiu encontrar vocês?

Michel: eu fui eleito prefeito do Texas, e Clara é deputada, nossos nomes estão por todo país, ela nos viu no jornal.

Alejandro: quando encontrar a minha ex mulher novamente me façam um favor.

Clara: qual ?

Alejandro: manda ela se foder e deixar minha família em paz.

Lauren: eu preciso ficar sozinha, cuide delas Ale, eu não demoro.

Andei até a mesa de centro e peguei as chaves do carro, peguei minha jaqueta e sai, sei que eu não deveria ter deixado Alejandro sozinho naquela situação, mas eu não conseguia mais ficar ali no mesmo ambiente que aquela mulher, a mulher que me rejeitou quando descobriu que eu não era um menino, quando os médicos fizeram os exames e descobriram que eu era intersexual, a mulher que me tratava como se eu fosse um animal durante toda minha infância até eu decidir fugir quando eu tinha 15 anos, morei com uns amigos por um ano, trabalhei em vários lugares para poder me manter, quando completei 18 fui para o exército, e a partir dali minha vida começou a andar realmente, fazia 15 anos que eu não via aquelas duas pessoas, eu tive notícias deles por alguns anos ainda, mas com o tempo tudo se foi, eu sai de casa com a roupa do corpo e uma foto do homem que era o único que me via com amor, depois de 15 anos olhar novamente para aquelas pessoas me deixou com vontade de chorar como nunca chorei, eu segurei até agora, mas eu não posso mais segurar, me deixei chorar como um bebê, estacionei o carro e corri, tirei meus sapatos e corri até o mar, me joguei na água e chorei, havia raiva, rancor, saudade, e amor. Eram meus pais ali, depois de 15 anos, eram a porra dos meus pais, deixei meu corpo flutuar na água e deixei as memórias tomarem conta dos meus pensamentos, eu era só uma criança, eu não pedi para nascer assim, eu merecia amor como todas as outras crianças, amor de uma mãe, mas eu não tive.

Ouvi gritos, me pus em pé na água e de longe eu vi o corpo magro e os cabelos longos ao vento, ela correu até a água e nadou até mim, o choro voltou a escorregar por entre os meus lábios, assim que ela chegou até mim vi em seus olhos a preocupação e a tristeza.

Camila: eu...

Lauren: não fala nada amor, vem aqui.

Eu agarrei seu corpo magro e beijei seus cabelos molhados.

Lauren: está bem meu amor.

Camila: era eu que deveria dizer isso.

Sorri da sua voz manhosa e falei.

Lauren: vem mais uma tempestade por aí Camila, mais uma temporada de confusão para nossa história  de amor, mas eu juro que uma hora teremos o nosso final feliz.

Camila: eu te amo.

Lauren: eu te amo. 


Notas Finais


Até mais meu amores.
Amo vocês 🌹❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...