História Por Você - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lucas "T3ddy" Olioti
Exibições 11
Palavras 2.786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


[Foto dos personagens]

Capítulo 21 - Will gosta de mim?


Fanfic / Fanfiction Por Você - Capítulo 21 - Will gosta de mim?

— Bem vamos começar né? — ela desperta e assinto a olhando. Ela começa com leves acordes e vejo que agora que ela toca, seu mundo é somente uma coisa: Musica pra te fazer lembrar- Lucas lucco — Tá tão difícil pra você também, né? Com o coração vazio, mas sempre de pé... Buscando alguma direção... E quantas vezes você me escreveu e não mandou, pegou o telefone e não ligou, partiu seu próprio coração? Eu tenho uma má notícia pra te dar, isso não vai passar não cedo, não adianta esperar... Às vezes ficamos bem, mas depois vem o desespero, eu tento esconder, mas vi que pensei em você o dia inteiro oooh... — ela dá uma breve pausa de olhos fechados enquanto a olho impressionado pela letra linda e sua voz maravilhosa, que se eleva e continua — Mas sempre haverá uma data, palavra, um olhar, um filme, uma música, pra te fazer lembrar... Um perfume, um abraço, um sorriso só pra atrapalhar... Só pra te fazer lembrar de mim... — ela faz mais uns acordes perfeitos e para a música em um ritmo perfeito e suave. Ela permanece de olhos fechados e dá um sorriso envergonhado enquanto ainda a olho perplexo e surpreso pela linda letra, e por sua voz.

— Uau... — digo e solto uma risada e ela me olha e solta uma risadinha deixando o violão de lado — Tá... Maravilhosa. — rio impressionado mais uma vez e ela morde as unhas — Foi você quem fez?

— Sozinha. — ela morde os lábios e se aproxima de mim — Gostou mesmo? — assinto e ela sorri mais uma vez, e me abraça apertado.

— Você canta muito bem. — digo em seu ouvido e ela ri me apertando um pouco mais. Sem querer desprendo seus cabelos, e aos poucos ela deita em meu colo.

Eu ainda estou somente de cueca, e isso lhe facilita ficar zanzando com os dedos em minhas coxas nuas. Aliso seus cabelos enquanto ela me faz carinho nas pernas e sorrio pensando em sua doce voz cantando pra mim. Olho para minhas mãos em seus cabelos e percebo fios em minhas mãos. O cabelo dela está começando a cair...

— Amanda? — digo e ela me olha. Digo ou não? E se eu disser e ela ficar magoada? Ai meu Deus... Fico a olhando e ela sorri vindo até meu rosto e me dando um selinho. Logo em seguida pergunta o que foi.

Olho para seus cabelos e faço um cacho com o dedo indicador, o que faz mais uns poucos fios se enrolarem nele. Ela olha para meu dedo, e seu olhar cai enquanto ela pega nos fios e os olha com lágrimas nos olhos.

— Eu acho que já tá na hora de cortar né? — ela estala e me olha em seguida.

— Não. — respondo rápido e ela pressiona os lábios — Eles ainda estão lindos, e você não vai precisar cortá-los.

— Eu vou fingir que vou acreditar em você. — sua voz soa divertida e ela se afasta pegando em minha mão. Se levantando, ela me leva junto e fica de costas enquanto colo nossos corpos e caminhamos juntos até o banheiro.

— O que aconteceu com seu pai? — pergunto passando a mão na lateral de seu corpo e ela se vira.

— Ele já morreu. — sua voz entristece — Não gosto de falar disso, me deixa triste.

— Ta bem desculpa. — beijo sua bochecha e ela me abraça, e sem querer esbarramos e nos colamos na porta do banheiro — Mas agora eu queria falar de outra coisa. — pego em sua cintura com certa delicadeza e ela morde os lábios — Fazer é mais apropriado de dizer. — mordisco seu lábio e ela aperta meu ombro excitantemente, e por impulso a tomo em um beijo quente e que só ela sabe dar.

Quando percebo sua blusa de pijama está no chão junto com seu short largo e sua langerie, e ela sentada em cima da pia com as pernas em minha cintura enquanto me movo dentro dela. Ela geme em meu ouvido chegando ao seu ápice, e quando percebo que vou gozar, saio de dentro dela e gozo rente a pia.

— O que você ta fazendo comigo? — ela diz mole com a boca colada em meu ombro e solta uma risadinha. Faço a mesma pergunta a ela, e em seguida nos beijamos novamente, e logo vamos para o banho juntos.

Eu estou cem por cento apaixonado e encantado por essa garota! É impossível não se notar isso em mim... Eu a amo! Mesmo em tão pouco tempo.

[1MêsEMeioDepois]

Hoje terá mais uma sessão de quimioterapia para Amanda, nas duas últimas que ela teve, eu fiz questão de estar aqui do seu lado, mesmo não sendo de grande ajuda. Vê-la tentando lutar pela sua vida, me faz querer ficar ainda mais ao seu lado para ver sua recuperação!

Enquanto seguro sua mão, conto os minutos para a quimioterapia acabar logo pra não ter que vê-la sonolenta, enjoada e mal... A única coisa boa que tem nisso, é que eu posso ficar aqui do lado dela, cuidando dela e fazendo o que ela precisar. Pode parecer estranho mas eu gosto de estar ao lado da mulher que amo, cuidando dela, vendo-a precisar de mim pra algo. Me sinto útil quando isso acontece. E ainda mais para ela... Que emagreceu tanto! Está com olheiras, e as vezes só sabe chorar. E como eu fico? Fico mal de ver que ela está sofrendo assim... Meu coração dói e as vezes não aguento ficar perto e me retiro.

E essa doença dela que me fez conhecê-lá, é o que me faz ter forças pra aguentar vê-la assim... Por que? Por que ela me dá vontade de fazê-la lutar pelos seus objetivos, esse câncer é o que me faz ficar perto de Amanda. Não que se ela não tivesse eu não iria ficar, mas é que ela fortifica o que há dentro de mim. Fortifica o amor que eu sinto por ela! Fortifica a minha vontade de vê-la sorrir e de ver o brilho de seus lindos olhos! Fortifica a minha vontade de vê-la cumprir a promessa que ela me fez... De sobreviver por mim. Tentar ela tenta, e eu sei que ela vai conseguir.

— O Will disse que assim que você sair daqui ele vai pra sua casa te ver, e Diana mandou um beijo. — digo lendo as mensagens que ela pediu para ler, e ela assente vagarosamente de olhos fechados — Você ta se sentindo bem?

— Eu to me sentindo fraca. — sua voz embarga, e seguro sua mão. Ela me dá um leve aperto e sorri de canto enquanto beijo carinhosamente seus dedos.

— Quer alguma coisa pra comer? — pergunto e ela nega — Quer tomar banho pra dormir? — ela assente e imediatamente me levanto, e arrumo sua roupa de dormir, e coisas pro banho.

A pego com cuidado no colo, e a levo para o banheiro. Tiro sua roupa, e com muito cuidado começo a banhá-la. Lhe faço carinho enquanto lhe dou banho, e ela devolve com lindos sorrisos calmos e tristes que ao mesmo tempo que me fazem gelar, me fazem ficar triste.

Assim que termino de vestir a roupa nela, a levo para a cama, e me sento ao seu lado, e passo a mao em seu cabelo enquanto a olho. Merda... Eu esqueço que os cabelos dela estão cada vez mais frágeis e caem com facilidade!

— Eu não ligo. — ela diz de olhos fechados quando retiro minha mão, e em seguida abre os olhos procurando por mim — Amanhã você vai me fazer um favor.

— O que você quiser. — beijo sua mão e ela sorri lindamente.

— Você vai me levar em um cabeleireiro e eu vou raspar minha cabeça. — sua voz é firme e seu olhar confiante.

— Amor, você não precisa cor... — ela me interrompe.

— Lucas, para de falar isso! Uma hora querendo ou não eu vou ter que fazer isso! E eu não quero chegar a um ponto de ver falhas na minha cabeça, quero cortar antes disso! — diz elevando um pouco a voz e em seguida dá uma tossida.

— Ta bom, desculpa. Você faz o que você quiser, eu... Te levo sim tá? — sorrio de canto mesmo não concordando e ela assente me dando um selinho.

Enquanto lhe faço carinho no rosto, aos poucos ela dorme e fico a olhando em seu sono. Queria saber com o que ela sonha... Se é sonho bom ou ruim, se é alegre ou triste, se é comigo ou não... Eu tenho tanto medo! Tanto medo de viajar e do nada receber a pior notícia que poderia receber! Tenho medo de não podê-lá ver dormir assim, tão serena e tranquila... Tenho medo de perder Amanda para essa doença terrível! Eu tenho medo sim! Meu corpo e alma doem de falar, mas sem querer penso nesse tipo de coisa. Eu não quero que isso aconteça jamais! Mas é inevitável não pensar... Mas com fé ela vai se curar. [...]

Acordo com uma batida na porta, e olho para a janela. Já é dia. Estou dolorido por conta da poltrona. Meu Deus... Ando até a porta expreguiçando e a abro. E com quem dou de cara?

— Eu vim ver a Amanda. — Will diz em um tom irritado e olha para dentro. Dou espaço para ele entrar, e ele entra com um pouco de receio.

— Ainda não é horário de visita, e ela vai embora daqui a pouco. — me sento ao lado dela que dorme dizendo meio rude e ele dá de ombros. Esse cara é irritante viu? E além de tudo cobiça o que é meu!

Olho para ele e dou um ironico sorriso e ele devolve do mesmo jeito, ignoro-o levanto o rosto até a mão dela, e a balanço devagar.

— Amor, o Will veio te ver. — digo alisando seus cabelos enquanto ela abre os olhos devagar. Assim que os abre por completo, sorrio e lhe dou um leve selinho, e me levanto — Vou deixar vocês a sós. — olho para ele que me olha desafiador e sem dizer nada saio da sala.

Agora eu tenho que ligar pro meu cabeleireiro, se ela que cortar, assim farei, irei fazer tudo o que ela quiser! Tudo mesmo...

[AmandaOn]

Will se senta ao meu lado, e fica do mesmo jeito que Lucas fica quando está conversando comigo.

— Você ta bem? — passo as mãos em seu rosto percebendo que ele está com olheras, e o rosto magro.

— Totalmente não. — seus olhos se enchem de lágrimas, e sorrio de lado me sentando na cama de pernas esticadas em sua frente.

— Me conta o que foi. — deito sua cabeça em meu colo e ele abraça minhas pernas. Começo a brincar com seus cabelos negros e lisos lembrando de quando éramos crianças que íamos ao parque brincar, nos deitávamos na grama, e ele fazia exatamente assim, como está agora. Sinto tanta falta daquela época!

— Eu tenho sentido sua falta Amanda... Depois que você descobriu essa doença novamente você se afastou de todo mundo. — ouço ele fungar, e presumo que esteja chorando. Ele é sensível, uma qualidade que sempre amei nele! — Começou a namorar com esse cara e esqueceu de mim... E sinceramente, eu não gosto dele! Já viu o jeito que ele me olha?

— Você olha pra ele do mesmo jeito... — solto uma risadinha e ele ri junto assentindo — Ele acha que você gosta de mim, por isso é assim. Ele é um cara muito legal Will, e garanto que se não fosse essa palhaçada dele vocês iriam se dar muito bem! — ele se senta na cama ao meu lado, e me dá as mãos olhando fundo em meus olhos. Sua pele morena exibe um pequeno rubor em suas bochechas enquanto seus olhos cristalinos me olham de uma forma que nunca o vi me olhar.

— Você ama ele?

— Amo... Muito. — sorrio alisando suas mãos e ele abaixa a cabeça.

— Eu quero te falar uma coisa Amanda... Que ta intalado em mim desde quando éramos adolescentes. — ele diz ainda de cabeça baixa, e várias frases de Lucas dizendo que Will gosta de mim me vêm na cabeça. Merda!

Sorrio o tranquilizando, ele dá um aperto em minhas mãos.

— Agora ta um pouco tarde pra dizer por que você já tem um namorado... — Will dá de ombros e a certeza do que Lucas falava me vêm. Se bem que eu e Lucas não somos namorados... Até hoje... Está enrolado né? Eu prefiro assim. É menos confusão pra carreira dele por namorar uma doente.

— Diz logo Will. — aperto suas mãos e dou um sorriso forçado.

— Eu nunca pretendia te dizer isso, mas eu tenho tanto medo de acontecer algo com você e esse sentimento ficar guardado com uma pontada de dor junto, então eu decidi falar de uma vez... Sei que você não vai largar o cara que ama pra ficar comigo, mas mesmo assim eu te amo. — sua voz grave e linda soa com um tom de tristeza enquanto minha barriga gela — É isso... Eu amo você Amanda — pisco duas vezes e sem pensar o tomo em um abraço — Desculpa por não dizer nada antes. Eu tinha vergonha, sou tímido, você sabe. — ele ri e assinto o apertando.

— Eu também te amo... Só que de uma forma diferente, e bem mais carinhosa. — olho em seu rosto e ele assente — Você vai encontrar uma pessoa que saiba devolver esse amor pra você. — beijo sua testa e ele pega em meu rosto, e abraço forte mais uma vez.

Caraca... Por Deus, nunca imaginei que Will sentisse algo a mais que amizade por mim. Era por isso que ele sempre se distanciava quando arrumava algum namorado. Que dó! Eu fazia meu amigo sofrer em baixo do meu nariz.

— Posso passar na sua casa depois? — ele diz se levantando depois de uma leve conversa sobre mim e Lucas, que ele pediu para falarmos, e assinto. Nos despedimos e ele se vira para a porta exibindo seu lindo corpo musculoso. Will é um belo homem! Um dos mais bonitos que já vi, e nunca senti desejo por ele. Apenas o vejo como um amigo de infância. E não conseguiria ver mais que isso.

Me levanto, e o mais rápido que posso me arrumo para sair dali. Espero que Lucas não tenha esquecido do favor que me deve. Saio do quarto com minhas coisas e as dele na mão, e o vejo sentado no banco que contém no corredor.

Fecho a porta, e me viro para ir até ele, mas ele já está em minha frente.

— Quem te deu permissão pra sair? Posso saber? — sua voz soa mandona e sorrio mexendo em seu nariz.

— Eu. — lhe dou um selinho e ele ri pegando as coisas de minhas mãos — Vou me despedir de Fernando. — digo e antes de ve-lo responder saio em busca dele. Logo o encontro e digo que estou indo para a casa. Como sempre, ele deposita um beijo em minha testa, e se despede com carinho de mim.

Encontro Lucas no mesmo lugar, e lhe dou a mão enquanto caminhamos para fora do hospital.

— Você não esqueceu né? — pergunto dando um beijo em seu ombro quando já estamos andando pelo jardim ao lado de fora do hospital. Ele me olha e nega em seguida — Bom mesmo... — digo e ele sorri enquanto desce seu rosto e nossas bocas se encontram em um beijo carinho e calmo, no meio da rua mesmo.

— Mas eu ainda não concordo. — ele diz quando paramos e voltamos a caminhar em direção ao estacionamento.

— Eu já te expliquei o por que quero isso Lucas. — dou de ombros e ele suspira me abraçando, e não diz mais nada. [...]

Assim que chego na porta de meu apartamento, toco a campainha e em seguida minha mãe abre a porta com um imenso sorriso no rosto.

— Eu já tava com saudades filha. — ela me toma em um abraço antes de eu entrar, e Lucas ri entrando.

— Eu preciso conversar com a senhora. — a aperto e ela nos separa — Quando Lucas for embora. — ela assente e me puxa para dentro.

Assim que entramos, vamos direto para a cozinha almoçar. Já são quase meio dia! Nos sentamos e comemos a lasanha que minha mãe fez. A comida que mais gosto. E pra fazer um agradinho a Lucas, de sobremesa ela fez um creme de abacate. E ele? Amou isso!

Quando acabamos, ajeitamos os três a cozinha e depois sentamos na sala para ver TV. Lucas acabou pegando no sono tadinho... Vou aproveitar pra falar com minha mãe.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...