História Porn Videos - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Alan Ferreira, Mike, Pac, Rafael "CellBit" Lange
Tags Alan Cry Baby, Aloid, Bem Leve, Cellbit Durão, Cellps, Mitw, Pk Crossdress, Pkxinim, Porno, Silpminome, Tarika Puta
Exibições 142
Palavras 3.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hola pessoas ^^

Esse capítulo foi reescrito várias vezes, mas só está última vez que eu reescrevi que eu realmente gostei :)

Eu espero que vocês gostem do capítulo ^^

E desculpa com a demora pra atualizar :/

Boa Leitura :3

Capítulo 26 - O jogo


Pov Matheus Neves  ( Pk )

- Pode falar Pk - Disse Mike.

- Bom, eu recebi algumas mensagens estranhas no meu celular - Falei vendo Guaxinim que estava do meu lado apertar minha mão com força,  como se quisesse falar; acalmasse, - Elas diziam algumas coisas bem pessoais minhas, além disso a pessoa que enviou as mensagens disse vai ser uma matéria no jornal da escola.

- Se não for muito desconfortável pra você - Cellbit falava com certo receio - Você poderia falar pra gente o que tá escrito nas mensagens?

- Se quiser pode faltar só pro seus amigos - Disse Felps - Nós entendemos que é algo pessoal. 

- Vocês também são meus amigos - Fiz uma pequena pausa - Todos aqui somos amigos! Por isso eu vou mostrar as mensagens pra vocês!

"Oi Pk *carinha sorrindo".


"Sabe, descobri várias coisas aqui no seu quarto"

"O que o pessoal da escola ia sabe que você usa antidepressivos de forma indevida?"

"Que coisa feia Pk! Remédios foram feitos para cuidar de doenças não para se drogar"

- Ele basicamente mexeu no meu quarto, provavelmente encontrou algum frasco dos meus antigos antidepressivos e mexeu mais um pouco até encontrar algumas coisa que levasse ele a pensar nisso.

- Isso é - Alan falou me olhando - Verdade Pk?

- Isso foi uma fase ruim da minha vida - Falei lembrando de tudo "aquilo" - Quero esquecer.

- Nossa - Disse Felps - Nós estamos aqui, sempre que precisar de uma ajuda estaremos aqui para te escutar.

- Eu posso não sou a melhor pessoa pra dar conselhos - Disse Pac de forma divertida - Mas eu sempre vou estar do seu lado pra quando precisar desabafar.

Em seguida o sinal bateu e alguns alunos iam entrando pra dentro da sala.

- Muito obrigado gente - Disse mais calmo por todos terem reagido bem - Que tal hoje nós começarmos a "procurar" pessoas que podem estar envolvidas nisso - Naquele momento lembrei de Lukas - Eu sei até porque quem começar.

[...]

- Tá falando que aquele baixinho andava te stalkeando?! - Disse Mike - Eu vi ele junto com outro cara indo para um canto afastado dos bancos.

- Vamos ir lá falar com ele - Alan parecia um pouco nervoso - Vamos tentar ir com calma...

- Ok, vai eu o Pk junto com o Guaxinim - Disse Mike - Se formos todos juntos pode dar merda.

- Qualquer coisa da um grito - Disse Void olhando a gente ir para o local que Mike avia dito.

Íamos se aproximando deles e percebemos que eles abaixavam a voz conforme íamos chegando perto, Lukas chegou a se levantar dizendo que ia tomar água.

- Ei, Lukas, Espera aí - Guaxinim falou vendo o garoto ignorar a gente e andar de forma rápida até o bebedouro - Sério que ele vai ignorar a gente?

- Vamos atrás dele então - Mike arrumou um pouco a posição dos óculos enquanto falava - Talvez ele só não tenha escutado.

Chegando no bebedouro ele tomava água virado de costas.

- Lukas - Chamei  Pode conversar um pouco?

Ele apenas ignorou e foi caminhando pelo corredor então fomos andando atrás dele, mas quando ele percebeu que estávamos o "seguindo" ele começou a correr.

Fomos correndo atrás dele e eu pude ver o Mike pegando o celular ligando para o Felps e falando:

- Ele tá correndo! Vem todo mundo correndo agora pra terceiro corredor! - Não deu nem dois minutos e o pessoal tava correndo junto atrás do Lukas.

- EI CALMA AÍ CARA A GENTE SÓ QUER CONVERSAR! - Pac tentava falar pro garoto que não parava de correr.

Logo ele abriu uma das portas que dava pro pátio e começamos a "perseguir" ele perto do local que ele estava sentado anteriormente vendo ele ir na direção do mesmo banco que ele sentava antes e praticamente pulando em cima do garoto que ele estava sentado antes.

- DANIEL ELES QUEREM ME PEGAR - Disse se escondendo atrás do garoto que agora eu sabia que se chamava Daniel - FAZ ALGUMA COISA.

- Ok - Ele murmurou - O que vocês querem com o meu amigo?

Eu estava quase morrendo de falta de ar, sentei no chão mesmo puxando o Guaxinim junto segurando sua mão e a apertando com bastante força.

- C-Conversar - Falei recuperando o ar dos meus pulmões.

- Sobre o que? - O Daniel perguntou.

- É um assunto particular com ele -Falou Guaxinim apontando para Lukas.

-Não existe particular entre a gente - Disse Daniel nos olhando - Ele vai me contar depois de qualquer forma.

Suspirei meio frustrado, eu teria que ser direto.

- Por que estava me seguindo a alguns dias atrás Lukas? - Falei de olhos fechados, mas pude sentir que o pessoal estava surpreso por eu ter sido direto.

- Seguindo? Perai! Era por isso que você estava estranho Lukas? Estava seguindo esse cara! - Daniel segurou com força o braço do garoto que se escondia atrás de si.

- E-Eu posso explic- Ele foi cortado pelo amigo.

- Então explica merda! - Exclamou Daniel que parecia irritado.

Lukas parecia levemente assustado enquanto olhava para os lados como se estivesse com medo de sermos pegos.

- O-Ok - Ele falou sentando no chão igual eu avia feito antes - Uma pessoa mandou eu te seguir.

Ele estava visivelmente desconfortável em falar sobre isso, o que acabou me intrigando, resolvi fazer perguntas mais objetivas.

- E por que essa pessoa mandou você me seguir?

- Ele mandou eu seguir várias pessoas - Disse olhando fixamente pro chão.

- E por que ele mandou você fazer isso?

- Ele quer saber dos segredos das pessoas - Lukas continuava olhando fixamente pro chão - Ele sabe da vida de muita gente, ele está sempre lá, esperando alguém falhar para que no futuro ele possa usar isso contra a pessoa.

Todos ficamos quietos ouvindo apenas o barulho das pessoas correndo e gritando.

- Ele é uma pessoa horrível - Ele continuou falando - Somos manipulados por ele.

- Existe mais pessoas que ele manda fazer coisas? - Perguntei. Eu estava arrancando o que eu precisava devagar.

- Sim. Ele costuma chama a gente de peças - O garoto baixinho parecia preste a chorar - Eu realmente me sinto uma peça dele! Manipulado a fazer o que ele quer!

O garoto já derramava lágrimas, nesse momento Lukas foi abraçado por Daniel que batia levemente em suas costas pedindo para ele se acalmar e continuar falando.

- Ele diz que eu sou o cavalo que se arrisca a fazer o "trabalho sujo" - Ele parecia desabafar.

- Você não pode falar quem mais esta fazendo isso com você? - Perguntei vendo ele soluçar devido ao choro.

Meio relutante ele pareceu análisar alguma coisa logo apontando o dedo para um de nós.

Ele estava apontando o dedo na direção de Tarik.

- Sua amiga - Ele disse secando as lágrimas - Ela faz parte disso.

Pac pareceu ficar em estado de choque, mas logo adquiriu uma expressão irritada.

- Não fique assim - Disse Lukas ao ver que Pac avia ficado irritado - Você sabe melhor do que ninguém que ela sofre! Não julgue ninguém que está nisso, somos todos manipulados.

- Obrigado, isso já é o suficiente - Disse vendo ele ainda ser amparado por Daniel - Espero que tudo fique bem com você.

Eu levantei do chão com a ajuda do Guaxinim fazendo um sinal para o pessoal ir embora.

Quando já estávamos meio longe eu ainda pude ouvir algumas palavras que Lukas e Daniel trocaram.

- Por que nunca me falou disso? - Daniel parecia perguntar com uma certa preocupação na voz.

- Não queria te envolver nos meus problemas.


[...]

A educação física foi reservada para o time de Vôlei treinar para o jogo que eles teriam de tarde, como Pac joga no time ele foi treinar deixando a gente conversando.

- Nós, deveríamos ir falar com a Maria? - Perguntava Alan.

- Acho melhor o Pac ir falar com ela - Disse e logo suspirei.

O que leva uma pessoa a querer saber dos segredos da outra? O que leva uma pessoa a querer expor a vida pessoal de alguém? Era mais do que obvia que a pessoa que mostrou nossos vídeos era pessoa que manipulava Lukas e Maria.

- Tá pensando no que Pk? - Guaxinim me questionou enquanto acariciava meus cabelos.

- O que leva uma pessoa a fazer esse tipo de coisa? - Murmurei.

- Fracasso na vida - Respondeu Void que amarrava com pequenas tirinhas algumas mexas de cabelo do Alan.

- Verdade  - Concordou Felps.

Suspirei, resolvi focar minha cabeça em outra coisa, já que se eu ficasse preocupado demais eu podia ter uma crise ali mesmo.

[...]

Pov Autora

No outro canto da área de educação física Lukas chamava discretamente Maria para conversar. Ele estava terrivelmente nervoso, afinal ele avia revelado informações importantes sobre coisas que ele nunca deveria ter abrido a boca.

- Hey, Maria! - Chamava a atenção da garota de forma baixa - Pode falar comigo um minuto.

- Claro - Respondeu de forma calma se aproximando do garoto que estranhamente não estava acompanhado de seu melhor amigo - O que gostaria de me falar?

- Eu deixei escapar - Falou em um sussurro.

Por um minuto tudo na volta de Maria pareceu ficar mais lento. Ela só podia ter escutado errado! Lukas avia realmente deixado alguma informação escapar?! Só podia ser um pesadelo.

- Não brinque com esse tipo de coisa Lukas - Disse com um sorriso nervoso no rosto enquanto colocava um mexa de cabelo atrás da orelha - Esse tipo de brincadeira me assusta.

- O Pk venho falar comigo - Disse logo soltando um suspiro cansado - Eu tava com toda aquela informação presa na minha garganta. Eu soltei.

Maria sentiu seu estômago se revirar.

- V-Você não falou nada sobre ele ou qualquer um de nós né? - Perguntou com um pouco de esperança do baixinho não ter entregado tudo.

- Não. Eu só falei que... Você tava junto nisso - Falou enquanto fechava os olhos - Eu contei sobre a parte de todos sermos manipulados! Eu não esclareci muita coisa.

Maria sentiu um pouco de alívio nas costas. O garoto não avia dado detalhes importantes, no momento que pensou isso ela pode ver alguém atrás de Lukas com uma expressão sarcástica no rosto.

- Então o baixinho não conseguiu ficar de boca fechada? Tinha que contar pro magricelo algumas coisas - Ronaldo abusava do tom de voz debochado, mas logo soltou uma risadinha ao ver a as expressões dos amigos que de mostravam medo - Não se preocupem, o meu trabalho não é ser o fofoqueiro.

- N-Não se atreva a falar nada pra ele Ronaldo! - Disse Maria tentando parecer ameaçadora.

- Olha, eu não vou contar porra nenhuma! - Falou revirando os olhos, mas como de costume logo colocando do um sorriso que exalava deboche - Mas eu já não garanto que o Zelune não vai dizer nada.

Lukas tremeu quando sentiu duas mãos pressionando seus ombros assim lhe assustando e fazendo seu corpo tremer.

- BHU! - O garoto de boné gritou no ouvido do baixinho que sentiu que iria infartar - O que vocês estão fofocando?

Maria iria fazer um sinal para Ronaldo não falar nada a Zelune, mas já era tarde de mais. O garoto já avia abrido a boca.

- O Lukas contou algumas coisas pro magricelo que agora sabe que ele é a Maria tão envolvidos na merda - Disse quase rindo.

- Baixinho linguarudo - Disse Zelune batendo na cabeça do menor - Quero ver se a chefia descobre que você andou soltando a língua.

- Vocês não vão contar né?  - Perguntou Maria que parecia extremamente nervosa - Temos que estar todos juntos nessa, então sem entregar ninguém.

Ronaldo revirou os olhos, Maria tentava sempre manter a calma deles fora da presença do "Rei". Claro que ele concordava que eles deveriam se proteger, mas se sentiu levemente ofendido por ela achar que alguém contaria para a "chefia"

- Ninguém vai contar Maria - Murmurou Zelune.

Os jovens continuaram conversando sem perceber um detalhe importante.

O Rei os observava de longe.

[...]

- ESTÃO PRONTOS GAROTOS! - O treinador do time masculino de Vôlei gritava - VOCÊS SABEM OS ESQUEMAS! REZENDE, EU TE ENSINEI A FAZER AS TROCAS E SAÍDAS! ENTÃO VÃO LÁ É TRAGAM MAIS UM TÍTULO PRA PORRA DESSA ESCOLA!

Tarik estava empolgado.

Jogar no time de Vôlei da escola foi uma das melhores decisões da sua vida escolar isso ele não podia negar. Cada vitória que seu time tinha era algo que o enchia de determinação para continuar os jogos da escola. Pac se sentia orgulhoso de ser um dos melhores sacadores do seu time.

Eles estavam com o time padrão: Rezende, Júlio, Christian, Vilhena, Will e  Pac. Na reserva avia mais alguns três garotos que provavelmente nem entrariam na quadra.

Os garotos começaram a se posicionar na quadra vendo que jogariam com uma das escolas mais bem colocadas, mas aquilo não intimidou Rezende que juntou os garotos falando uma única frase.

- Eles são fracos na defesa.

Com apenas aquilo dito todos pareceram entender o que deveriam fazer.

[...]

Três sets a um.

O time adversário avia feito o primeiro set, o que deixou o time de Rezende meio nervoso, mas logo eles acabaram fazendo um set se aproveitando do fato da defesa do time adversário não estar tão boa e logo fizeram o último ponto assim ganhando aquela partida.

- BELO JOGO RAPAZES! - Falou o treinador como sempre, gritando.

- Obrigado treinador - Disseram os garotos.

- VÃO TOMAR UMA DUCHA, TEM INTERAÇÃO ESCOLAR DAQUI A POUCO.

Pac odiava a interação escola que tinha logo após os jogos, não passava de um jogo enorme de três cortes onde todos estouravam a bola na cara um do outro. Isso definitivamente não era algo que Pac gostava.

Os garotos tomavam banho em cabines separadas no banheiro do ginásio, então conversávam alto para todos escutarem e terem uma boa intenção falando sobre o jogo, garotas e derivados.

Quando todos já estavam se secando e colando a roupa Tarik falou:

- Eu não vou ir lá fazer a interação - Disse enquanto colocava a bermuda.

- A gente já imaginava,  você não gosta muito desse tipo de coisa - Disse Júlio - Não tem problema não cara.

- Valeu - Disse sentando no "banco" que tinha no vestiário.

- Eu acho que vou ficar aqui também - Rezende disse enquanto movimentava o braço levemente - Meu braço tá doendo desde daquele corte que eu dei na bola.

- Ok, A gente vai indo - Falaram os garotos indo para fora do vestiário.

Nos primeiros momentos dos dois garotos no vestiário foi um completo silêncio, Nem Tarik nem Pedro sabiam como começar um assunto amigável para acabar com o tédio.

- Ahm, Pedro? - Tarik chamou a atenção do outorga garoto sentado à seu lado - Fala alguma coisa aleatória aí pra começar um assunto.

Rezende acabou rindo com a fala de Pac logo fechado os olhos rindo um pouco ainda.

- Posso te contar um segredo? - Falou pensando completamente num "plano"

- Claro - Respondeu Pac olhando curioso o colega de Vôlei.

- Eu nunca fui chupado por um homem, mas eu tenho curiosidade - Falou olhando o garoto que o encarava com um leve sorriso.

Agora tudo começava a se encaixar na cabeça de Tarik. "Ele não avia machucado o braço, ele apenas queria uma desculpa para ficar sozinho comigo" Ele pensava.

Rezende falou mais para testar as suas teorias. Ele avia visto Pac se beijando com uma garota e um garoto naquela semana, não era um mistério que o garoto era bissexual, mas ele se impressionou pelo fato de Pac sempre estar com Mike o que fez ele pensar que os dois estariam em um  relacionamento. Mas depois de ver ele com mais duas pessoas diferentes ele sabia que o garoto estava apenas curtindo a juventude.

Pedro foi retirado de seus pensamentos juntamente com o som de suas calças sendo retiradas. Tarik realmente não é um homem de cerimônias então não estava afim de ficar enrolando Rezende para no final tudo acabar do mesmo jeito.

- O que pensa que tá fazendo?! - Perguntou Rezende com um leve sorriso nos rosto vendo sua calça sendo aberta e abaixada.

- Eu nunca fui chupado por outro homem, mas eu tenho curiosidade - Disse o garoto imitando a voz do outro - Estou te proporcionando isso. Feche os olhos e não pense que é a boca de outro homem.

Rezende fez o que lhe foi pedido,  fechou os olhos, mas desobedeceu na parte de não imaginar que era a boca de um homem, o capitão do time de Vôlei não pode deixar de pensar "Essa é a boca do Tarik"

Sua linha de raciocínio se perdeu quando sentiu a mão de Pac segurar seu membro logo começando a colocar boa parte na boca. Pac aproveitava a experiência para poder mover a cabeça fazendo seus lábios massagearem o pau de Rezende. Usava sua língua para  circular a glande logo chupando com força aquela área sensível do pênis.

Levava as mãos até as bolas de Pedro as acariciando enquanto praticava o oral, Pac fazia a experiência de Rezende de ter outro homem o chupando ser muito boa já que quando podia colocava a glande em sua garganta a apertando um pouco causando uma sensação de prazer ótima no garoto.

Não queria tornar aquilo algo "íntimo", mas optou por manter um bom e envolvente contato visual quando percebeu que o maior não fecharia os olhos. Aquilo excitou Rezende de tal forma que o mesmo não resistiu e segurou os cabelos de Pac os puxando com certa violência fazendo seu pênis entrar mais fundo em sua boca. Inclinando a cabeça pra traz à medida que sentia a sensação do orgasmo estar perto.

Com o tempo Rezende sentia estar prestes a seu ápice, a típica sensação de que o orgasmo estava perto o cercava quando Pac afundou tudo o que consigo conseguia de seu pau dentro da boca logo sentindo ele vontar os lábios para a glande do seu membro a chupando enquanto masturbava a base assim finalmente fazendo Pedro ejacular dentro de sua boca, como seu pau estava perto de sua garganta de Tarik o mesmo pode sentir um pouco do gosto do maior antes de engolir todo seu esperma.

Um pouco ofegante Pedro subia a sua calça vendo Pac ir até a torneira lavar a boca.

- Wow - Rezende falava de olhos fechados - Isso foi intenso.

- Fica só entre a gente? - Pac fez a pergunta com um sorriso divertido no rosto.

- Claro.

[...]

Quando o ônibus escolar levou o time de volta para a escola todos estavam prontos para a ir pra casa, teriam que passar primeiro na diretoria para pegar os atestado que diziam que estavam em jogo para não ganharem as faltas caso acordassem com muita dor no dia seguinte. Depois disso Pac já ia se direcionando para o portão da escola pronto para ir embora quando sentiu um mão no seu ombro.

- Pac? - Era Mike - Como foi o jogo?

- Ah, Oi Mike, o jogo foi bom nosso time ganhou - Disse arrumando uma das mexas de cabelo atrás da orelha.

- Tá muito cansado? - Mike Perguntou.

- Não, por que?

- Tá afim de ir de tomar alguma coisa?  - Perguntou vendo o outro pensar.

- Pode ser, me acompanha até lá em casa pra eu trocar de roupa e a gente já ir? - Perguntou já vendo Mike ficar do seu lado caminhando na direção de sua casa.




Notas Finais


Então...

Quem vê as coisas que eu posto na tl já sabia que algumas dessas coisas iam acontecer ^^

Eu espero que vocês tenham gostado do capítulo :)

Comentem dizendo que acharam :3

Muito obrigado por terem lido

Beijos caramelados :3:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...