História Porque eu te conheci - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 2
Palavras 1.663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá bolinhos!! ^-^ Aqui está o primeiro capítulo, espero que gostem!! Bjs ❤🌼🐢

Capítulo 2 - CAPÍTULO 1


Fanfic / Fanfiction Porque eu te conheci - Capítulo 2 - CAPÍTULO 1

Estrada para Seul, nas proximidades de Seul 

                                                            2007

                 Sr. Kim        P.O.V   
  
   Estava chovendo muito e, eu em alta velocidade naquela estrada, tudo porque... Aish... como isso é possível..

                 Flashback   On 

   
   Eu estava dirigindo tranquilamente quando ouço meu celular tocar, já era tarde da noite e poderia ser uma emergência, resisti muito para não atender, mas resolvi atender quando vi que era minha esposa que estava ligando para mim.


   - A-A-Amor. - Falou ela com dificuldade, por  conta do choro. Tinha alguma coisa errada, o que me deixou muito preocupado, obviamente.

   Por que ela estava chorando? O que será que aconteceu? Isso Está me deixando...

   - O que foi, aconteceu alguma coisa? Por favor, se acalme e fale comigo, huh?! - Depois de um certo tempo chorando finalmente consegui entender o que ela queria me contar : Minha filinha havia sumido de casa e não encontravam  ela em lugar nenhum.

                            Flashback Off 

    Como podem perder uma criança de apenas 6 anos, os portões sempre estão fechados e por isso é... Aish, Aish, Aishh, Drogaa!!
     
   Eu batia no volante do carro cada ver mais, aumentando a velocidade do mesmo, eu não podia ir tão rápido assim, estava chovendo e não dava para enxergar nada, apenas a luz do farol do carro, que não ajudava muito a enxergar a estrada. Cada vez chegando mais e mais perto de...

       Um carro!!

   Tentei desviar, mas não deu tempo, sorte a minha não ter me machucado tanto e os outros? Olhei para frente e paralizei, " Merda o que eu fiz!!"  Era apenas isso que se repetia e se repetia em minha cabeça. Até que tomei uma atitude e fui ver o estrago que tinha feito.
    Era uma família,de no mínimo quatro pessoas, provavelmente estavam indo viajar, não podia deixa-los ali, mas também não podia estragar minha carreira, não podia mesmo e, minha família, não, eu definitivamente não posso. Então, a minha única ideia foi fugir, entrei no carro rapidamente, o liguei e corri o mais rápido possível. Não queria ser desumano, mas e a minha família? Tinha mil coisas passando pela minha cabeça mas minhas prioridades eram minha carreira e minha família.
    Meia hora depois eu cheguei em casa, minha mulher estava totalmente inconsolável. Tentei procurar minha filha, chequei em todos os lugares, mesmo que os empregados já tivessem visto, procurei e procurei, eu queria acha-la.

   -  Na Na!! - Eu gritava e gritava, por todo canto, assim como minha esposa e meu filho.
 Meu filho estava tão procupad quanto eu. Ele estava sendo forte, mesmo se sentindo culpado por não ter ficado com ela antes dela ter se perdido, ele devia ter cuidado da irmã, ele devia, me controlei o máximo que pude para  não brigar com ele, não culpa-lo. Mas ele devia cuidar de sua irmã mais nova.
  

 - Por que não cuidou dela, por que não ficou com ela? Você é o irmão mais velho, devia cuidar de sua irmã! - Eu gritava com ele e exclamava, ele não falava nada apenas chorava. Eu não podia culpa-lo, eu apenas queria culpar alguém, queria achar um culpado pelo sumiço da minha filha. Eu me perguntava onde ela estava, onde ela poderia estar.
   Sai sem rumo, passando por vários lugares onde talvez ela poderia estar, no parquinho, na sorveteria, no mercado, onde uma criança poderia estar a essa hora da noite. Nenhum sinal dela, estava tão frustrado por não acha-lá.

Voltei pra casa sem nada, minha mulher chorava, gritava, berrava e eu não podia fazer nada, não podia contar para ela sobre o acidente da volta para casa. Fui na Policia pedir para que eles ajudassem a encontra-lá, eles me disseram o pior, que ela poderia já ertar morta, insisti tanto, que Por fim resolveram fazer algo a respeito, questionaram-me sobre o machucado em minha testa, menti obviamente, dizendo que cai. Voltei para casa para consolar minha família, era a única coisa que eu podia fazer.
   No outro dia, eu fui direto tomar um café, para ficar acordado já que eu não tinha dormido a noite toda procurando por ela,  eu e minha esposa, que não parava mais de chorar temendo o pior. Fomos na delegacia ver se eles tinha alguma notícia novamente, mas nada, nada. Fui no jornal pedir para que aninciassem que minha filha havia desaparecido, que se achassem eu daria uma boa recompensa.
    Passou-se dias, semanas, meses e nada, apenas trotes. A polícia nos disse que encerrariam a procura, que as chances dela estar viva eram mínimas. E assim foi, um caso em aberto, um caso esquecido, por tudo e todos.
   Eu não tinha mais opções, a não ser desistir também. Com certeza ela já não estava mais viva. Minha família estava abalada e isso só prejudicava mais, nem eu nem minha família tínhamos esperança de achar-lá mais, resolvemos desistir, nunca pensei que faria tal coisa.
  

  Busan 

                               2017


     Beak Ma Ri  On


   Eu estava arrumando minhas coisas, porque, infelizmente, eu iria me mudar para uma cidade nova: Seul. Teria que começar tudo de novo, foi tão difícil achar novos amigos aqui, lá vai ser pior ainda. É o que eu imagino.

  - Mãe, temos mesmo que nos mudar? - Perguntei fazendo uma cara fofa, vá que ela mude de ideia.
 

 -  Não adianta fazer esse biquinho, você sabe que é por caida do trabalho do seu pai, vai ser melhor, a casa vai ser muito mais bonita, você e sua irmã não vão precisar mais dividir o quarto!  Huh, isso não te anima? - Pelo visto não funcionou, fazer o que, pelo menos ia ter meu próprio quarto, minha privacidade.
   

- Pelo menos posso me despedir dos meus amigos? - Perguntei desanimada.
 

  - Claro, por que não leva sua irmã? - Falou minha mãe guardando suas panelas em uma caixa grande.
 

 - Tudo bem! - Respondi dando um sorriso. - Só não sei se ela vai querer sair comigo, ela está tão animada arrumando suas coisas para a viajem.
 

 - Sim, apenas não demore tá?! - Acho que ela estava ficando irritada, ué, eu não tinha falado nada de mais. Eu não tinha arrumado quase nada das minhas coisas, eu estava tototalmente atrasada e com preguiça de arrumar minha malas, mas talvez se eu deixar tudo aqui atirado, a In Ha arrume para mim, ela tem TOC. Dei um sorriso sem perceber, quando olhei para o lado vi In Ha que nem uma doida arrumando sua mala, dobrando sua roupa, organizando tudo por cor e estação.


  - In Ha? - Chamei ela 1, 2, 3 vezes e nada. - IN HA? - Gritei, vendo ela tomar um susto derrubando algumas roupas que estava guardando na mala cair no chão.
 

 - O que? Não está vendo que estou ocupada?! - Falou brava, indo juntar suas roupas do chão.
  

 - Só queria saber se você queria dar uma volta comigo, se despedir dos amigos! Huh, quer? - Falei olhando para ela, vendo ela abaixar a cabeça. Tinha esquecido, ela não tinha muitos amigo, ela era muito tímida para isso. E ela não conhecia minhas dias melhores amigas, pois as mesmas tinham se mudado fazia pouco tempo e ela como não saia de casa não as conhecia.
 

  - Tudo bem, quer me acompanhar então? - Falei antes dela falar alguma coisa sobre não ter amigos, não gostava de ver ela triste, nesta nova escola que vamos estudar eu vou tratar de fazer com que ela tenha vários amigos!
 

 - Não, tudo bem, vou ficar aqui e arrumar minha mala, vou arrumar a sua também, já que você nem pra fazer isso se presta. - Como essa menina pode falar isso de mim. Bom, tudo bem, vou aproveitar enquanto posso.
   

- Como quiser, vou indo já volto para te ajudar, tchau. - Falei dando um beijo nela, logo sai do quarto indo para a porta da frente. Fui para a casa do lado onde estavam minhas duas amigas Sun e Moo. Bati na porta vendo Sun abrir que se surpreendeu com minha visita.
     - Oii, nem acredito que você vai nos deixar.- Falou Sun me dando um abraço bem forte. Retribui, logo depois Moo veio, então demos um abraço em grupo.

  - Não acredito que vou para outra cidade e vou deixar minhas duas melhores amigas aqui. - Falei olhando para as duas quase chorando. - Vocês prometem que vai me ligar ou mandar mensagens todos os dias?. - Assim que ouviram o que eu disse concordaram. Eu não queria deixa-las mas fazer o que, tenho que ir. Depois de um tempo conversando com ela eu me despedi, dando um beijo na testa de casa uma, sempre fui tipo uma Unni ou uma Omma para elas mesmo tendo a mesma idade. Sempre fui muito responsável, como perceberam com a minha mala. Mas fora isso sempre fui estudiosa e determinada em tudo o que eu queria e quero para meu futuro.

   Chegando em casa percebi que na frente tinha um caminhão de mudança e, meus pais estavam colocando as caixas dentro do caminhão. Passei por todo aquele tumulto na sala e fui para meu quarto vendo que estáva tudo arrumado e guardado nas malas e caixas, em seus devidos lugares.
  

- Não vai me ajudar a levar essas caidas para baixo? - Falou In Ha com uma caixa enorme nas mãos.
 

 - Tá doida? Isso deve estar bem pesado para você levar, deixe que o papai leve para baixo!  Vem vamos levar apenas as malas.- Peguei a caixa que estava com ela e deide no chão, dando para ela uma mala. - Vamos descer!
  Descemos as escadas, uma mala com cada uma de nós. Algumas malas iam no caminhão de mudanças, já, outras iam no carro. Sim, nos íamos de carro, será uma longa viajem! Com tudo pronto e arrumado para irmos entramos no carro e fomos indo em direção a Seul. Coloquei meus fones e fiquei olhando na janela, In Ha fez o mesmo. Já, meus pais ficaram conversando a viajem toda, eu acho, eu dormi metade da viajem.
   


Notas Finais


Espero que tenham gostado!! Qualquer crítica construtiva é bem vinda!! Se quiserem dar opiniões ou qualquer outra coisa podem falar. Bjs ❤🌼🐢


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...