História Porque você me viu naquela noite ? - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Porque Você
Visualizações 42
Palavras 1.750
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Lembranças


Shigatsuky ak

Anos atrás 

- Mamãe. .Onde a senhora esta me levando ? - Perguntei a olhando, quando olhei para frente vi a casa de meus tios em chamas, arregalei meus olhos - Shigatsumy. .. Ele está lá dentro ... A tia .. O meu tio .. Estavam todos lá dentro - Falei com os olhos pestes a soltarem lágrimas, mais minha mãe logo percebeu e me deu um soco na boca.

- Nada de chorar ! Já falei que você não é uma garota ! Mais bem que eu queria ter uma filha ! Mais veio você! Um atraso para a minha vida ! Não sei porque não te abortei ! - Ela me disse olhando para frente, eu engoli o choro, e não olhei para ela.

Pouco tempo depois, eles sairam com os corpos, mais aquilo estava mais para pedaços, eu fiquei imóvel, não pisquei, não fiz nenhuma reação, até que senti minha mãe segurando meu braço com força.

- Vamos para casa ! - Ela disse me puxando, olhei para o rosto da mesma, mais ela não demonstrava tristeza alguma, eu estava quebrado por dentro, o Shigatsumy foi o único amigo que eu tive ... Ele me aceitava .. Os garotos da minha sala me zoavam, e apesar de eu ser o mais velho, ele sempre me consolava com um sorriso, como se a gente fosse irmãos de sangue, minha tia me tratava bem, sempre eu me divertia quando estava com ela, mais quando minha mãe chegava, todo meu mundo acabava, eu queria que minha tia fosse minha mãe. .

Acordei desses pensamentos quando minha mãe me jogou dentro do porão, me fazendo rolar escada a baixo, quando cheguei ao último degrau, cuspi pouco sangue, ela caminhava logo atrás de mim, eu me arrastei para longe dela, meu corpo estava dolorido, mais ela puxou minhas pernas para perto dela, meu coração disparou, eu já sabia oque aquilo significava, fiquei totalmente gelado, o chão do porão era onde minha mãe bebia, e quebrava suas garrafas, então ele contia pequenos cacos de vidro, quando ela me arrastou, senti vários cortando minha barriga.

- Onde você pensa que vai ! Amado filho ? - Ela disse colocando aquelas algemas de escravos em mim, e depois me deitando de barriga para cima, eu me mechi de vagar, para ver melhor, e logo vi ela trazendo aquela mesinha cheia de armas.

- Mamãe hoje eu fui comportado !? - Falei baixo, ela sorriu com um prego e martelo na mão. 

- Foi sim ! Dessa vez a mamãe não vai fazer quase nada ! - Ela falou colocando o prego na minha perna direita, eu sorri, quando ela disse que não iria fazer quase nada.

Passou poucos segundos, e a vi ergendo o martelo, depois o abaixando com força na minha perna, assim cravando o prego na minha perna, eu gritei bem alto de dor, mais ninguém poderia me ouvir.

- Poxa filhinho querido ! Errei essa ! Mamãe vai tentar de novo tá ? - Ela disse pegando mais pregos, e pregando cada um deles na minha perna, depois de ter usado o saquinho inteiro, eu agradeci a Rikudou por ter acabado.

Mais foi só ilusão, ela pegou um alicate, e começou a arrancar um por um, quando tirava cada um deles, jogava ao lado do meu rosto, e grudado neles, tinha pedaços da minha carne, quando tirou todos, ela me olhou sorrindo e pegando uma garrafinha de álcool, e despejou ele na minha perna inteira.

Eu não aguentei de dor e acabei desmaiando, mais acortei com minha mãe colocando ferro de passar nas minhas costas, nesse tempo, eu axo que eu tinha mais ou menos uns 7-8 anos, ficou várias queimaduras, eu me debatia de dor, logo ela parou, pegou uma agulha, e ficava colocando e tirando da minha costa várias e várias vezes, até que um momento ela colocou e puxou para baixo, assim rasgando metade da minha costa, assim que terminou, costurou bem de vagar, e jogou álcool de novo, estava quase amanhecendo, então ela se levantou e me arrastou para um tipo de "jaula", me jogou lá, eu ainda estava acorrentado, e me trancou.

- Amanhã de noite a mamãe volta ! - Ela disse se despedindo de mim com um sorriso, eu estava sem expressão, minhas lágrimas tinham acabado, eu estava rouco, e aí eu me pergunto onde está meu pai, ele sempre foi tão bom comigo, mais minha mãe disse, que ele tinha sumido e que nunca mais iria voltar, porque ele tem vergonha de me ter como filho.

Quando estava de tarde, eu chutava ser umas 1:00 da tarde, eu estava sem comer nada o dia inteiro, eu estava morrendo de fome, até que vi minha mãe aparecer com uma tigela de comida, colocou a minha frente, como não conseguia comer com as mãos, tive que comer que nem um cachorro, a comida estava fervendo, eu gritei, minha mãe já estava saindo, e se despediu com um sorriso de mim, mesmo aquela comida fervendo, a comi, pois não aguentaria esperar por ela ficar fria.

E assim se passou minha infância, de noite torturado até o amanhecer, e por volta da tarde um prato de comida ou quente de mais ou gelado de mais, depois de tanta tortura e de tanta comida quente, que tinha deixado minha boca toda queimada até minha garganta, comecei a ficar imune a tudo isso, meu corpo já não sentia dor, minha boca não sabia mais diferenciar oque era quente ou friu, nem mesmo o sabor, meus sentimentos de uma criança de 9 anos tinham sumido, meu corpo tinha perdido totalmente sua cor, fiquei branco que nem um fantasma, eu não sentia tanta fome assim, perdi totalmente a razão de viver, depois de 3 longos anos, desisti de ser salvo por alguém, eu me sentia vazio.

Quando minha mãe notou isso, pareceu que ela se cansou de mim, até que uma noite foi diferente, ela me levantou por uma correntes nos braços, as algemas estavam cadeadas e as chaves estavam na cintura da mesma, senti as mãos dela tirarem minhas calças, junto a minha cueca, eu tinha acabado de completar 10 anos, ela pegou meu membro e massageou, eu corei, e não sei porque caralhos de motivo acabei gemendo.

Quando soltei esse barulho estranho, ela sorriu, eu não estava entendendo nada, porque soltei esse barulho ? Oque está acontecendo ? Por que ela está fazendo isso ? Fui cortado desses pensamentos, quando senti a boca dela na minha, eu não fiz nada, fiquei imóvel, ela demorou para se afastar de mim, quando se afastou, segurou meu rosto e ficou sorrindo para mim.

- Vejo que valeu apena te deixar crescer ! Você se tornou um garotinho bonito ! Mais nenhuma garota vai te querer ! Você vai passar a sua vida sozinho ! Por isso que hoje vou te transformar em um homem ! Considere isso como um presente de aniversário da sua mamãe ! - Ela me disse sorrindo, virei meu rosto, mais depois voltei a olhar para frente, a mesma se agachou, e segurou meu membro, aproximou sua boca dele, e começou a chupalo, e fiquei sem entender nada, mais ao mesmo tempo aquilo de algum jeito era prazeroso, acabei soltando alguns gemidos, até que senti um alívio, logo após isso ela se levantou, e ficou me olhando - Filho ! Você não serve para ser um garoto ! Mais sim uma bela garotinha ! Você geme tão facilmente ! Que tal se a mamãe te ajudar a se transformar em uma garota ? - Ela disse pegando um alicate, eu odiava e ao mesmo tempo temia aquilo, ela o abriu e colocou na direção das minhas "bolas", quando ela ia fechar, por impulso a dei um chute no rosto, e peguei com o pé a chave, joguei para cima e peguei com os dentes, me levantei um pouco, e descadiei as algemas, caindo de pé no chão, ela estava se levantando e vindo até mim, com uma faca, eu peguei a primeira coisa que vi, quando ela ia me atacar, atravessei seu peito com o objeto, jirei e o tirei, ela logo caiu no chão,  então caminhei até ela, já estava vestido com uns chortes muito velho e curto, e sem camisa, meu corpo era coberto de cicatrizes, a fiquei olhando, a mesma sorria para mim - Você acha que esse é o fim de um maníaco ? Morrer para um garotinho de 10 anos é patético !

- Cala boca !

- Vou te contar uma coisa Shigatsuky ! Eu quem matei seu pai ! Pois aque filha da puta não quis colaborar comigo aos meus planos ! Matei sua tia ! Aquela puta ! Matei seu melhor amigo ! Matei todos eles ! Pois eles iriam atrapalhar seu desenvolvimento como meu erdeiro ! - Ela disse quase morrendo, eu estava puto, mais ao mesmo tempo quebrado - Eu queria uma garota ! Mais veio um lixo como você ! Você será igual a mim no futuro ! Talvez pior que eu ! Todas vezes que saí foi para matar !

- Eu nunca serei igual a você sua vadia ! 

- Já falando palavrões ! Espero que você seja um bom assassino ! Não quero que todo esse meu esforço tenha cido em vão ! E.... Antes de morrer.... Quero .... Lhe ... Dizer ... Para... Ficar esperto .... Pois em ... Um futuro ... Não muito ... Longe ... Eles virão atrás. .. De você. .. Também. .. Por conta ... De .. Você. .. Ser ... Meu ... Filho....Eles ... São. . a ---- - Ela não terminou a frase e morreu, eu estava feliz por ela ter morrido, mais o "eles virão atrás de você" me deixou curioso, mais logo esqueci.

Passou uns dias e a política veio até minha casa, eram cinco, matei todos, e para disfarçar usei o rádio da polícia e disse que eles estavam se demitindo, levei os corpos todos desmontados para o banheiro e os queimei, foi a minha primeira "chacina".

Fui crescendo e mudando de cidade, eu me tornei frio e sanguinário, e minha vida foi correndo assim, e odiando o estrupo cada vez mais.

Voltando ao presente 

- Maldita mulher ! Você tinha razão ! Eu me tornei exatamente oque você disse ! Mais ainda não tenho um sucessor ! Vou mudar essa merda de maneira de educar um filho para ser assassino ! - Falei sentado em um banco, esfriando a cabeça, pois se eu tivesse ficado, mataria ela em dois segundos, mais por enquanto preciso dela.


Notas Finais


Espero que tenham gostado =^-^=
Fiquem com Rikudou !!
E até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...