História Porque você só me liga quando está bêbada? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gray Fullbuster, Lucy Heartfilia
Tags Graylu
Visualizações 325
Palavras 3.202
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Depois de meses de enrolação, resolvi concluir essa one Eeee. Ela, talvez, tenha ficado meio fraquinha, mas por favor, me perdoem e não desistam de mim. Acho que já deu para perceber que é GrayLu, um casal que eu simplesmente amo, na verdade eu gosto é de casais diferentes então resolvi fazer deles dois. Bom é isso, boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único





     - Heey Gray! - A voz doce saiu arrastada do outro lado da linha.

     - Lucy? Que merd- 

     - Gray! - A garota gritou cortando o moreno e soltando uma risada divertida logo em seguida, certamente estava bebendo - Heey Gray... Blue Pegasus, agora. 

     Dito isso, Lucy apenas desligou o telefone deixando um Fullbuster carrancudo reclamando sozinho. O garoto soltou um 'Tsc' e olhou no celular por alguns segundos, para logo depois direcionar xingamentos ao aparelho que acabou por irritar seus olhos, efeito da luminosidade alta da tela.

     02:39

     Amaldiçoou a Heartifilia por ferrar com seu sono em plena madrugada. 
     Gray Fullbuster era o tipo de pessoa que quando acordava durante a noite não consegui mais dormir, era assim desde criança - fato que não agradava muito seus pais que tinham que aturar o mais novo contando as histórias que sonhava sobre magos durante toda a noite -, não acordava por causa de pesadelos quase nunca os tinha mas sim pelo calor, sempre foi uma pessoa sensível a tal temperatura, então qualquer mudança climática lhe roubava o presente dado por Morfeu, e tudo piorava pelo simples motivo de odiar o barulho que os ventiladores e ar-condicionados faziam.


     Levantou-se lentamente da cama e andou até o guarda roupas de forma sonolenta, pegou uma calça jeans preta uma camisa azul e se vestiu, o fato de dormir apenas de roupa íntima lhe foi bastante conveniente. Caminhou até o criado mudo a procura das chaves do seu carro, a falta de luz no quarto não o ajudou muito, e se sentiu obrigado a ligar a lanterna do celular - estava com preguiça o suficiente para não ir até o interruptor e ligar a lâmpada -, logo que encontrou a mesma, por instinto, desligou sua fonte de iluminação e se dirigiu até a porta. 


     Se arrependeu amargamente de seu feito. 


     Acontece que os pés do moreno resolveram sair brincando de bola com os móveis, em cada cinco passos, era um dedo a menos. A sorte de Gray era que morava sozinho, então, tirando os vizinhos, ninguém ouvia seus xingamentos ou seus dedos se esmagando. Destrancou a porta da frente calçou seu tênis e xingou, mais uma vez, os cômodos da casa. Como se fossem os culpados da sua falta de vontade de se dirigir até um interruptor, ou até mesmo do fato do Fullbuster não ter se importado em ligar, novamente, a lanterna do celular.


     Deixou a casa com sua rotineira expressão de tédio, aquela que seus amigos já se acostumaram ver e que fazia desconhecidos pensar que o moreno estava sempre de mal humor. Destravou o carro logo entrando no mesmo e no momento seguinte já estava dirigindo ao resgate da loira. Exato, resgate, conhecia bem a Heartifilia para saber que a loira se tornava demasiadamente sociável quando exagerava na bebida, conversava com tudo que tinha o desprazer de aparecer em seu caminho - e esse tudo se aplicava realmente a tudo, desde pessoas até postes e paredes. 


     O Fullbuster estreitou os olhos tentando lembrar o caminho do lugar dito por Lucy. Blue Pegasus era uma boate que ficava ao Sul de Magnólia, não tão distante da faculdade onde o moreno e a loira frequentavam. Não era um lugar onde Gray costumava ir, principalmente depois que ingressou no curso de direito - os estudos lhe tomavam boa parte de seu tempo. Dado pelo estado em que o som da voz de Lucy saiu, tinha completa certeza de que ela bebeu o suficiente para não conseguir se colocar em pé com tanta facilidade. Mas tinha algo que deixava deixando Gray, no mínimo, curioso.


     Lucy ligou para ele.


     Não que não fosse de seu costume falar com a loira, e sim o fato de não serem tão próximos como queria que fossem. Nunca a Heartifilia se dirigia a ele quando tinha muitas pessoas por perto - talvez o motivo disso tenha se ocasionado a fama de pegador que Gray adquiriu quando ainda estava no ensino médio -, mas tinha deixado de ser assim, tanto pela falta de tempo, quanto ao fato de estar nutrindo alguns sentimentos pela Heartifilia. Porém, não via motivos para o comportamento da garota, afinal, já haviam dormido juntos durante uma festa que ocorreu na casa dele. 


     Após um tempo considerável dirigindo pelas ruas quase desertas de Magnólia, Gray finalmente conseguiu ver a construção grande com enorme letreiro em neon escrito "Blue Pegasus". E percebeu, também, que entre as poucas pessoas que saiam da boate, estava uma loira abraçada e rindo para um poste. 


     Provavelmente achou graça de uma piada que o mesmo contou. 


     O moreno gargalhou internamente, tanto pela visão da garota quanto pela piadinha infame que fez sobre Lucy e seu poste. 
     
     - Você só me faz passar vergonha. - O Fullbuster soltou sorrindo assim que parou o carro no encostamento em frente a loira e desceu a janela. Ele se inclinou sobre o banco do passageiro para a observar melhor. - Me deve uma noite de sono.

     A Heartifilia murmurou algo  ao poste e se virou para o carro olhando nos olhos do moreno.

     - Se for para sair e não passar vergonha no meio da rua, nem saio. - Disse com um meio sorriso soltando sua fonte de apoio e caminhou aos tropeços até o carro onde se escorou na porta e apoiou a cabeça na janela. - Quanto sua noite de sono... Vou pensar em uma forma de lhe recompensar depois. 

     - Porque não ligou para Erza ou Levy? - O moreno indagou não escondendo sua curiosidade - essa que era quase palpável. 

     - Não ficou contente com a minha ligação Fullbuster? - Retrucou estreitando os olhos escorando uma mão na bochecha corada pelo álcool.
 
     - Você sempre faz isso. - Se inclinou um pouco mais sobre o banco do passageiro e abriu a porta - Só me liga quando está bêbada. 

     - Eu não estou bêbada. 

     Lucy entrou no carro logo fechando a porta e se virou para o moreno que não esperou que a Heartifilia colocasse o cinto de segurança para começar a dirigir rumo ao apartamento em que a loira dividia com as duas amigas.

     - Não foi o que pareceu minutos atrás, digo, você estava sorrindo enquanto abraçava um poste! - Exclamou não contendo um riso no final. - E você também parecia bastante animada quando me ligou, sem falar nesse cheiro de bebida que não engana ninguém.

     A loira inflou as bochechas. Estava um pouco alterada, mas não era para tanto.

     - Eu estava apenas refletindo sobre o que aconteceu dentro da boate enquanto me apoiava no poste! -Defendeu-se - Você deveria ter visto a Cana subindo no palco do Gj e batendo na bunda dele! - Gray fez o que pareceu ser uma careta. Certamente ele não queria ter visto tal cena, a garota tornou a olhar para frente. - Esse não parece ser o caminho para sua casa. 

     - É porque não é.

     - Nem pense em me levar para meu apartamento! - Gritou em um tom quase desesperado - A Erza tem sono leve, e ela fica pocessa quando acordam ela. E eu não estou exagerando, tem uma razão para a chamarem de demônio escarlate!

     Gray suspirou derrotado revirando os olhos, mudou seu trajeto, agora indo rumo sua casa. Escondendo a frustração de ter, por alguns segundos, pensado que teria sido apenas por esse o motivo da loira ter lhe ligado. Por hora, resolveu deixar o pessimismo que sempre estava presente em si de lado. 


     A loira só lhe trazia problemas, pensou. Mesmo que o maior problema que ela lhe trazia agora estivesse relacionado ao estado quase indecente em que se encontrava. Usava um vestido vermelho curto e justo de alças finas que lhe realçava as curvas, a peça de roupa era colada no corpo da garota o bastante para que o moreno constata-se que deveria ter um zíper nas costas.


     Agora teria que lhe dar com o problema que surgia entre suas pernas.


     Não era nenhum pervertido, mas, céus! Era um homem! Não conseguia conter os pensamentos impuros que lhe vinham a mente. Sem falar que a Heartifilia era atraente aos olhos de qualquer pessoa. E ele, por já ter dormido com a garota, sabia bem do que a mesma era capaz de fazer entre quatro paredes, principalmente quando estava sobe efeito do álcool. 


     Tentou olhar mais para a rua do que para a Heartifilia ao seu lado, acidente ali já bastava o que ocorria em sua calça, não precisava de outro.


     O moreno não ousou quebrar o clima quase morbido que se instalou dentro do carro, mesmo sabendo que não havia motivo para tal silêncio fúnebre. Gray estava preocupado em apenas cogitar na ideia de que a loira percebesse o volume entre suas pernas, e mesmo que estivesse quase totalmente  concentrado em não virar uma notícia no jornal matinal de Magnólia, olhou para Lucy e percebeu que a garota estava imersa demais em seus próprios devaneios para prestar atenção nele. Agradeceu mentalmente por isso. 


     O silêncio dentro do automóvel durou o resto do caminho até a casa do Fullbuster. 


     Chegaram a residência do maior,  e após deixar o carro devidamente estacionado, Gray saiu do mesmo com as mãos dentro dos bolsos sendo acompanhado pela que loira ainda estava silenciosa e mesmo que tropeçasse algumas vezes nos próprios pés continuava com o olhar distante. O moreno abriu a porta da casa, e só então percebeu que não a trancou antes de sair.

     - Puta merda. - Xingou a si mesmo, se certificaria em não cometer o mesmo erro novamente.  Lucy pareceu despertar e riu da expressão de desgosto que o moreno fazia. 


     Porém, o divertimento da loira sobre o amigo durou pouco, já que ela, assim que tentou passar pela porta batendo no ombro do Fullbuster no intuido de conforta-lo de forma quase sacana, tropeçou em uma pedra inexistente e foi de encontro ao chão. Foi a vez de Gray rir.

     - Hey! - Protestou - Não fique aí rindo, seu imbecil! 

     Sem se importar com insulto a sua pessoa, o moreno entrou na casa, dessa vez trancando a porta e ligando o interruptor, passou direto pela loira que ainda residia no chão e se jogou no sofá. 

     - Você ainda vai ser castigado pela forma gentil que trata os amigos. - Levantou-se caminhando de encontro ao Fullbuster e sentou ao seu lado, de um instante para o outro ficou séria - Gray, você acha mesmo que eu só liguei porque estava um pouco bêbada? 

     - Sinceramente? Sim. - Colocou o braço sobre o apoio do sofá e despejou o peso da própria cabeça sobre a palma da mão olhando na direção oposta a Heartifilia, não conseguia a encarar - Digo, quando eu ainda morava com meus pais e resolvi dar uma festa, você só dormiu comigo porque não estava pensando por si mesma, certo? Eu sei que o álcool estava falando por você... E você nem se deu ao trabalho de falar comigo quando amanheceu, eu acordei e você já tinha sumido.

     - Nã- Quer dizer, sim. Mas eu não te conhecia direito. Gray, hoje - Levou as duas mãos até o rosto do moreno, colocando-as em cada lado de seu rosto o obrigando a olhar para ela - Hoje, eu te liguei porque realmente queria te ver, não foi porque estava com medo de acordar a Erza ou qualquer outra coisa. Sim, eu adimito que o álcool me ajudou um pouco, mas ele apenas me deu a coragem necessária, não a vontade. 
 
     A Heartifilia, ainda com as mãos no rosto dele, não esperou moreno falar alguma coisa e sem qualquer consentimento ou remorso aproximou-se mais e selou seus lábios nos dele. Gray, mesmo surpreso, deixou-se levar pelo gosto adocicado, misturado com um pouco de resquício do alcool, de lucy - a verdade era que ele esperava a tempos por aquilo, já estava começando a se esquecer do sabor do beijo da loira.


     O Fullbuster, se afastou apenas para apreciar a face corada, dessa vez não pela bebida, da menor. Tornou a se aproximar, encostou a ponta gelada do nariz no pescoço alvo exposto da loira inspirando o aroma suave da pele de Lucy, que se arrepiou com o ato. Depositou um beijo casto na região, deslizando a mão direita até a cintura fina da loira, apertou-a de leve. As mãos da Heartifilia já haviam abandonado o rosto de Gray e se encontravam agora em frente ao peito do rapaz segurando-lhe a camisa. Deslizou até o lóbulo da orelha, desta vez mordendo, se certificando que não estava a machucando. A loira arfa jogando levemente a cabeça para trás. 


     Ele aproveita e deposita um beijo no queixo dela seguindo pelo pescoço e chupando a tez macia. Lucy solta o ar com força ao sentir a lingua umida e quente de Gray desfilar por sua pele deslizando até onde o decote da frente de seu vestido lhe permitia. 


     Eles se encararam, Lucy ainda mais corada e agora respirando com um pouco mais de dificuldade, o desejo transbordando no olhar, porém, não era apenas algo carnal, e o olhar de Gray não era nem um pouco diferente. Queria te-la só para ele, mesmo se fosse apenas por aquele momento. A verdade era que ambos se desejavam.

     - Aqui não... - Ela diz baixo - Vamos para seu quarto...

     O Fullbuster não esperou que a Heartifilia repetisse, logo ele já estava a carregando rumo ao seu quarto, ligou o interruptor e depositou Lucy em sua cama, se colocando por cima dela. Apertou as coxas da loira com força e tratou de tirar o vestido apertado que a mesma usava, e como imaginado, realmente havia um zíper na parte de trás, o maior só não imaginava que ela estaria sem sutiã - o que lhe agradou muito -, jogou o vestido longe passando as pontas dos dedos frias pela barriga quente dela, o choque térmico a causou cócegas e ela sorriu divertida. 


     Ainda colocado entre as pernas da loira, o maior se curva até alcançar a boca da garota iniciando um beijo quente onde ambas as linguas se entrelaçarão começando uma dança sensual onde apenas as duas sabiam dançar. Os mãos ardilosas de Gray descem vagarosamente até a calcinha da Heartifilia, uma repousa no quadril dela e a outra continua deslisando-se por cima da intimidade ainda coberta da loira. O corpo avantajado da menor estremece. 


     Sem qualquer pressa, a mão que antes estava apenas a deslisar pela intimidade da garota invade sorrateiramente sua calcinha. Lucy sente os dedos do moreno acariciarem seu clitóris, um gemido é contido pela boca do maior, ele agora se concentrava naquele ponto pulsante, dois dedos foram de encontro a fenda da loira descendo cada vez mais até penetra-la totalmente, ela arqueia as costas e dessa vez o Fullbuster não se deu ao trabalho de abafar o gemido da garota em baixo de si, ele sorri deliciando-se com a melodia que saia de sua boca. Seu polegar faz pressão no ponto da loira fazendo movimentos circulares, os dedos que estavam dentro dela começaram a se mexer de forma lenta, ela estava tão molhada que facilitava os movimentos dos dedos dele. Lucy não conseguia mais manter seus olhos abertos, unia as sobrancelhas com força e apertava o lençol branco da cama como se sua vida dependesse disto.


     A boca do moreno vai de encontro ao seio da loira, ele passa a lingua pelo bico já firme da Heartifilia molhando-o com saliva e logo assoprando a parte humida, ela já não consegui segurar os gemidos, Gray abocanha o seio da loira o chupando com volúpia, a mão livre agarra a cintura da garota com força - certamente ficaria marcada. Ainda com os dedos dentro da menor, ele começa a acelerar os movimentos indo mais fundo desta vez, e seu polegar continuava a acariciar o clitóris da garota só desta vez com mais velociade. O Fullbuster levou a boca até o outro seio repetindo o que fez com o primeiro, Lucy geme com alto, sentindo o orgasmo lhe alcançar, o ventre da garota treme e ela sente seu ventre tremer, a loira murmura o nome do maior de forma incoerente. Ela abre os olhos exastos sorrindo de leve, com a respiração descompassada e o suor escorrendo pelo rosto, ele retira a os dedos de dentro dela e os lambe sentindo o sabor do suco da menor.


     O Fullbuster coloca-se de joelhos tirando a camisa e deixando a mostra seu abdómen trabalhado, Lucy morde os lábios com a cena. Ele retira a calça a jogando longe, a loira se surpreende com a volume na cueca do rapaz, ele tira a ultima peça intima mostrando um membro completamente ereto e pulsante, não estava mais aguaguentando. Leva as mãos até a calcinha da garota, a retirando com pressa. Lucy agora estava completamente exposta. E ela estava amando aquilo. Se sentia quente, e mesmo acabado de ter um orgasmo, ela já queria mais, ela queria ele. 


     O moreno se curva para o lado até alcançar o criado mudo e retirar de lá uma camisinha, ele se apressa em coloca-la. Após colocar devidamente a proteção, Gray se posiciona melhor entre as pernas da loira se ageitando em sua abertura, ele a penetrou de vagar, ela era quente, humida e apertada, o órgão pulsante do rapaz ficou ainda mais ereto, quando finalmente chegou até o fim, gemeu com o prazer, como queria sentir isso novamente. 


     O corpo de Lucy vibra ao sentir o moreno se mexer dentro de si, os movimentos começaram lentos, o membro de Gray saia quase que completamente dela e depois entrava até ela ficar preenchida por completo. Ele começou a acelerar as estocadas, a loira já estava vendo estrelas, o maior - e coloca maior nisso - apertou as duas coxas da Lucy com força forçando o quadril dela para frente, os gemidos eram altos o suficiente para até os vizinhos ouvirem, não que eles estivessem procupados com isso. O Fullbuster acelerou mais aprofundando o máximo que conseguia, e a loira não conseguia mais distinguir as palavras que saiam de sua boca. Gray se joga deitando na cama levando Lucy consigo  colocando-a por cima de si. A Heartifilia começa a cavalgar, seus seios balançavam com tamanha força com que ela se mexia, o moreno aperta o quadril da garota para ajudar-lhe nos movimentos, quando lucy não aquentou mais o peso de seu corpo, caiu por cima do peito de Gray, sentia como fosse se quebrar a qualquer momento, e estava adorando, ela joga a cabeça para trás fechando os olhos com força, o Fullbuster abre os dele apenas para ver a expressão de prazer que Lucy lhe proporcionava. Ambos chegaram ao prazer máximo juntos, a loira derreteu por cima dele e ele retira-se de dentro dela apenas para jogar a camisinha fora.


     A Heartifilia deitou-se exausta e quando Gray retornou  para cama ela agarrou-se nele, o sono lhe consumindo por inteira, ela dirige um último sorriso ao moreno antes de cair nos braços de Morfeu. O Fullbuster acariciou o rosto da loira por um tempo, admirando a face cerena dela, e quando percebeu que perderia para o cansaço, abraçou Lucy com força. Desta vez ele não deixaria ela escapar quando acordasse. 







          Escrita por: Kayho S.C
 


Notas Finais


Socorro, eu morro de vergonha de fazer hentai, então se ele estiver com muito erro ou muito fraquinho, me perdoam, eu fico vermelha só pensar em que escrevi e tenho ataque no coração corrigindo ele *////* sorry....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...