História Porta para o Passado - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Gajeel Redfox, Igneel, Irene Belserion, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Virgo, Wendy Marvell, Zeref
Tags Acnologia, Acnolu, Fairy Tail, Interativa, Lucy, Mistério, Natsu, Revelaçoes, Romance, Universo Alternativo, Zelu, Zeref, Zerlu
Visualizações 279
Palavras 1.912
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI GENTEEE!!
Bem-vindos de volta!
Ok, vocês já sabem. Descansei o suficiente, mais do que isso seria preguiça, então estou voltando adiantada! (Novidade)
Vamos fazer assim, a data que eu digo, dividam ela por dois, eu nunca cumpro nem metade do prazo ashasha

Agora uma novidade de verdade (ou não kkk):
Decidido por vocês, lembrem-se que apenas alguns capítulos agora terão escolhas!

Férias agora só ano que vem :3
Boa leitura de volta! *^*

Capítulo 4 - Celestial contra Matador


Acnologia foi salvar Lucy.

Visto que o azulado estava em melhores condições, chegar ao sequestrador seria muito mais fácil. De decisão tomada, Acnologia foi impedido de correr até as mechas loiras das quais estavam distanciando-se. Olhou para trás, Natsu havia lhe segurado na capa negra.

- Eu vou salvar a Luce também! – disse com o já normal olhar de desconfiança, este que irritava e muito o homem.

- Sai do meu pé, pivete! – puxou a capa de suas mãos. – Seja menos idiota e ajude as pessoas atacando esses dragões desgraçados!

Com a palavra de ordem, junto a Acnologia voltando a correr, o rosado arregalou os olhos e tomou sua atenção para o redor. Obrigatoriamente teve que deixar sua companheira para ser salva, mas era uma droga para ele, não confiava em Acnologia para fazer algo do tipo, contudo ainda, Natsu estava machucado e talvez não conseguiria correr até Lucy, de fato seria mais inteligente outra pessoa ir. Por fim, conformou-se apenas desta vez e dedicou suas forças a espantar os dragões, pois derrotar cada um deles era impossível para ele, que ainda estava ferido.

Quanto a Acnologia, ele foi em uma velocidade fora do normal até onde sua visão encontrava Lucy e a outra silhueta, esbarrou em algumas pessoas, desviou de rugidos dos dragões e sem dar devida importância ao que estava acontecendo diante de si, sem muito esforço alcançou seu alvo, sorriu vitorioso por isso, e puxou o sequestrador pela gola, fazendo com que tanto a pessoa quanto Lucy tivessem grande impacto com a força de Acnologia os parando bruscamente. Foi por pouco que o sequestrador não soltou a loira e a derrubou.

- Posso saber para onde ia levar a loirinha? – perguntou demasiado ameaçador com seu pingo de sarcasmo, sem antes olhar o rosto da pessoa.

E esta, seriamente virou seu rosto assim como parte do corpo, encarou ao homem severamente, quem arregalou um pouco os olhos quando viu quem enfim era.

- Você devia estar matando os dragões, e não indo atrás de garotinhas!

A voz desta pessoa também era inconfundível, determinada e forte, não havia noite que não escondesse sua presença, era inconfundível quem era.

- Belserion, a mãe?! – soltou-a imediatamente com a surpresa, quase esquecendo-se de levar Lucy de volta.

- Eileen, não precisa ficar me chamando assim, sabe disso. – a mulher dissera ainda segurando a loira desacordada em seus braços. Ela encarava Acnologia, esperando suas palavras.

- Para onde vai levar ela assim do nada? – ele perguntou finalmente.

Brevemente, Eileen olhou novamente para Lucy antes que o respondesse, sua face estava serena, embora desacordada. Sabia muito bem que para Acnologia buscar alguém, esta pessoa tinha de ser especial, e de fato a ruiva sentia o mesmo quando a encontrou.

- Ela acabou desfalecendo enquanto tentava ajudar as pessoas quando o ataque começou, eu estava perto quando os dragões vieram, então também vim e trouxe alguns dragonslayers e dragões aliados comigo para derrotar os inimigos. – suspirou um pouco, estava meio ofegante com a corrida, assim novamente mudou o assunto. – Sabe, a garota é uma maga celestial, eu não podia permitir que se machucasse.

- Magos celestiais não são raros, ela nem tem chaves! – dissera inconformado com a atitude dela.

- Não seja estúpido! Este poder mágico... é diferente, mas tão igual ao de Anna Heartfilia, na verdade, ela pode ser até mais forte do que Anna. Nós podemos pedir ajuda a esta garota para fortalecer a magia dragonslayer, derrotar os dragões inimigos, tecnicamente fazer qualquer coisa. Ela nos é muito útil!

- Entendo. – foram as únicas palavras dele, junto de um olhar tendencioso.

Eileen entendia aquele tom na fala de Acnologia, quase se esquecera de que o azulado era obcecado por poder, falar das utilidades de Lucy talvez tivesse sido um erro, embora ele já sentisse algo assim sem nem precisarem o revelar nada. A mulher rapidamente buscou terminar aquele assunto, afinal não podiam deixar de lado o ataque que ainda estava acontecendo, assim como todos os sons de explosões e gritos.

- Enfim, eu estarei a levando para meu pessoal para a tratarem! – a ruiva logo informou, ajeitando Lucy sobre seu colo enquanto sentia o olhar de Acnologia a seguindo. – É melhor você ajudar as pessoas matando os dragões inimigos, depois quero uma conversa séria contigo.

Após a ordem, Eileen voltou a correr para a direção da qual tinha sido interrompida antes, enquanto ao homem, sem muita curiosidade sobre o que seria a tal conversa séria, por saber que Lucy estava em mãos amigas mesmo com todo esse mal entendido, decidiu correr de volta ao vilarejo.

Chegando lá, logo começou a matar os dragões que julgava merecer morrer, hora amigo, hora inimigo, por várias vezes recebeu gritos desesperados de outros dragonslayers para não matar as criaturas amigas, entretanto como já era previsível, Acnologia não gostava de escutar as pessoas e por isso, os dragões aliados começaram a se distanciar para não serem assassinados, afinal todos sabiam muito bem como era impossível parar aquele homem amedrontador.

Em meio a uma batalha extravagante contra um dragão de fogo, o quão estava incendiando tudo, Acnologia acabou tendo uma lembrança.

- Falando em fogo, onde tá o rosinha? – questionou-se, pela primeira vez perdendo um pouco da atenção naquela batalha entediante para ele.

Desviando o olhar, em altas alturas com seu inimigo, o azulado sem dificuldade encontrou o cabelo rosado sem muito movimento, e logo constatou que Natsu estava novamente desmaiado, tinha mais alguns ferimentos sangrando e pessoas estavam ao seu redor tentando o ajudar. Foi nessa visão que Acnologia também viu um dragão inimigo espertalhão indo atacar diretamente aquela direção aglomerada.

Se estava preocupado com o rosado? Talvez sim ou não, mas ficara animado com um dragão idiota perdendo altitude para tentar acertar aquelas pessoas que serviram de boa isca, inclusive Natsu. De sorriso no rosto, Acnologia tomou impulso pelo dragão que antes lutou, já morto sem nem ver, e se jogou como um cometa até o outro que ia acertar aquelas pessoas, por fim o impacto somado a um ataque do azulado resultou em outro dragão morto, assim como mais sangue jorrando naquele vilarejo.

Pois é, o que era diversão para alguns ver aquela chuva avermelhada, para outros era um completo e absoluto pesadelo. Enfim quase terminada a batalha, Acnologia todo sujo de sangue correu até Natsu.

- Saiam, saiam! – ordenou, fazendo realmente todas as pessoas quase voarem para longe dali. Sem importar-se, agachou e começou a dar uns tapas no rosto do rosado. – Qual é! Não matou nem um dragão e já foi dar uma dormida? Acorda sua flor de marica!

E enquanto Acnologia “delicadamente” acordava Natsu, retornando à corrida de Eileen para levar a garota até um lugar seguro e tratar de seus ferimentos, o inesperado estava para acontecer. Quase ao fim de sua curta viagem, a ruiva fora surpreendida por um clarão em meio àquela noite tão escura, duas pessoas apareceram com isso.

- Eu não posso lhe permitir a levar esta menina contigo para além daqui, Eileen Belserion. – a primeira voz foi escutada, era firme e feminina.

- Ela parece com você, não acha? – a segunda pessoa dissera, facilmente perceptível seu jeito sedutor.

A ruiva dera um passo para traz, conhecia os donos daquelas vozes e honestamente odiaria as escutar em um momento tão precário.

- Anna e Leo. – recitara os nomes com raiva, apertando Lucy ainda mais sobre si.

Dessa forma, Anna aproximara-se junto de seu espírito das duas, com a ajuda da magia de Loki que criara luz, a mulher pôde ver o rosto de Lucy melhor para confirmar a semelhança. Surpreendera-se o suficiente para arregalar os olhos e perder as palavras por um instante.

- É uma Heartfilia, sem dúvidas... – disse num sussurro cheio de surpresa.

E assim, um grande olhar tenso sobressaiu a todos. A luta era iminente, nenhum lado queria que o outro tivesse uma maga celestial tão notável quanto Lucy. Sem nenhuma palavra, Eileen voltou a apertar a garota contra si para que não caísse, lutou apenas com as pernas restantes contra Loki.

- Abra-te portão da Virgem e Touro. – Anna falara de repente ao virar duas chaves, fazendo com que outras dois espíritos aparecessem, Virgo e Tauros.

Em alguns momentos daquela batalha entre três contra um, Eileen usou sua magia além da dragonslayer, começou a enfeitiçar o local fazendo raízes crescerem e atrapalharem Virgo de criar buracos, fez as folhas das árvores caírem para atrapalharam Taurus na hora e empunhar seu machado, porém nada impedir a Loke.

Ao fim, Eileen usara tudo o que tinha, na verdade a mulher estava com um grande problema além dos inimigos. O fato de estar esperando uma criança em seu ventre fazia com que sua magia se desregulasse e não fosse tão efetiva, se se esforçasse demais, poderia chegar ao ponto de perder o bebê. Tentou de verdade, mas na primeira contração que sentiu ao enfeitiçar algo mais uma vez, seus braços começaram a perder a força, e os espíritos de Anna a pressionarem ainda mais.

Sem desistir, a mulher começou a usar a magia dragonslayer, sua força era tamanha que foi capaz de fechar os portões de Virgo e Taurus, porém sentiu algo estranho em seu rosto, como já dito, ela estava passando de um limite que não seria nada bom.

- Uma escama de dragão? – Leo questionou surpreso.

Inesperado até para Eileen, uma escama draconiana em seu rosto? Teria haver com a magia dragonslayer, mas até o momento ela não podia fazer nada quanto a isso. E menos ainda no momento que as contrações aumentaram e a fizera desfalecer das pernas para baixo, Leo tirou Lucy de seus braços antes que caísse, e a ruiva quase desacordada viu Anna, Lucy e seu espírito indo para ao longe.

- Acnologia... – a mulher murmurou a um segundo de apagar, no fundo desejava tanto que ele tivesse vindo com ela até lá, Anna não teria chances.

 

Ao amanhecer da tão conturbada noite, Natsu despertou parecendo uma múmia de tantos ferimentos enfaixados. Aparentemente estava na casa de Acnologia, ou o que restou dela, mais uma vez.

- Ai! – reclamou ao sentir alguns machucados abrindo.

- Fica quieto! – ordenou o azulado de mau humor.

- Cadê a Luce?! – ignorou a ordem, sua voz também mostrava raiva pela falta da amiga.

- Eu também queria saber! Aquela mulher Eileen devia estar com o grupo dela, mas ela sumiu com a loirinha e eu não faço a menor ideia onde estão essas duas!

O semblante de Acnologia estava tão irritado, batia o pé e quase rachava o chão, ficava para lá e para cá cheirando aqui e ali procurando pelas desaparecidas, neste momento Natsu calou-se direcionando seus pensamentos apenas a Lucy.

 

E já em outra localidade um tanto longe dali, Anna deixava a outra loira deitada em uma cama em uma casa humildade. Por alguns segundos, direcionou o olhar a ela, não sabia quando acordaria.

- Fico feliz que lhe tirei do alcance de Acnologia, ele poderia ficar mais forte do que já é... – sorriu com sua vitória enquanto olhava o rosto de Lucy.

Como tinha trabalho para fazer, Anna saiu da casinha e com alguns espíritos invocados, continuou a busca pelas outras chaves douradas para que sua missão fosse concluída. Bom tempo depois que ela saiu, Lucy abriu os olhos ao sentir alguém tocar-lhe no ombro, com a visão meio confusa, demorou a notar o garoto de cabelos e olhos negros em sua frente, porém não identificava quem era.

- Quem é você? – ele perguntou desconfiado.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do retorno!
E nossa, esse capítulo apareceu bastante gente
Desculpem os erros, logo revisarei

Se vocês puderem, deem uma forcinha lendo a minha nova fanfic? Eu amo muito ela hehe, garanto que vão gostar da proposta diferente <3
Link: https://spiritfanfics.com/historia/namoro-fingido-10340485

Dessa vez não temos escolhas por aqui, certinho?

Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...