História Portas da Alma - Capítulo 34


Escrita por: ~ e ~manucaximenes

Postado
Categorias As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane
Tags Clace, Malec, Sizzy, Tid, Tmi
Exibições 150
Palavras 2.163
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!!!

Capítulo 34 - Capitulo 34


Fanfic / Fanfiction Portas da Alma - Capítulo 34 - Capitulo 34

Arredores de Idris - Cabana de Ragnor Fell.

 

— Onde está Jace? Ele está atrasado! - Disse Alec se virando para Magnus que acabara de entrar no escritório de Ragnor.

O bruxo levantou uma sobrancelha para o caçador, Alec estava visivelmente nervoso, andava de um lado para o outro e sua mania de abrir e fechar as mãos para depois passa-la pelos cabelos deixando-os desarrumados o faziam parecer o antigo Alec. 

— Como sabia que era eu? - Perguntou o bruxo e viu o rapaz corar.

— Pelo seu cheiro, você tem um cheiro exótico. - Respondeu ainda mais vermelho, fazendo Magnus soltar um riso. 

— Respondendo a sua pergunta acho que ele está se despedindo de Clary. 

— Mas já fazem meia hora que eles sumiram! - Disse Alec indignado. 

— Bem Clary é uma garota difícil quando quer, não quero nem pensar no que Jace está fazendo para convencê-la. - Disse Magnus dando de ombros. 

Alec corou mais ainda e virou para a janela, Magnus percebendo a ansiedade do namorado o abraçou por trás e apoiou o queixo no ombro do rapaz. 

— Você está tenso, o que está acontecendo Alexander? - Perguntou o bruxo dando um selinho no ombro do namorado e começando uma massagem, fazendo Alec soltar um pequeno gemido. 

— Ei isso é bom. 

— Eu sei. - Riu Magnus. - Agora me diga por que está tão tenso? 

— Acho que porque vou encontrar meu pai, do qual não me lembro direito e que provavelmente me quer morto, ou talvez seja apenas paranoia da minha cabeça. 

Magnus parou a massagem e virou Alec de frente para ele. Seus olhos de gato encontraram os dois faróis azuis de Alec e ele pode ver o medo que o caçador sentia, o medo de saber se seu pai realmente o odeia tanto. 

— Alexander, se você quiser desistir ainda há tempo, você ficaria seguro aqui, mas acho que você realmente precisa ir, tem que tirar essa duvida do seu coração Alexander, e não importa se Robert é culpado ou inocente, eu vou estar aqui pra você. 

Alec sentiu seus olhos marejarem, aproximou seu rosto do de Magnus e lhe roubou um selinho. 

— Era tudo o que eu precisava ouvir. - Disse sorrindo. 

Nesse momento Jace entra na sala com Clary em seu encalço, ambos tinham as roupas amassadas e os cabelos desgrenhados, Magnus arqueou uma sobrancelha para o casal. 

— Não quero nem saber que tipo de despedidas vocês estavam tendo. 

— Magnus! - Disse Clary vermelha, enquanto Jace ria. 

— Ei Alec está pronto? - Perguntou o loiro ao parabatai. 

— Sim, vamos. - Disse Alec respirando fundo.

— Pensando bem Alexander, esqueça tudo o que eu disse, bem menos a parte em que estarei aqui pra você, isso eu vou estar sempre, mas talvez não seja uma boa ideia você ir. Por que não deixa o Jace ir sozinho? Ele está cem por cento e tem todas as lembranças e sabe lutar muito bem! - Disse Magnus. 

Alec levantou as sobrancelhas surpreso, nunca vira Magnus assim, o feiticeiro parecia em pânico. 

— Magnus, já conversamos sobre isso, eu vou ficar bem. - Disse cansado. 

— Tudo bem, Clary, você pode abrir o portal, antes que Magnus surte de vez? - Perguntou Jace. 

— Claro, mas fique ciente que não gosto dessa ideia Jace! 

Dizendo isso a ruiva foi até a parede oposta à janela e começou a desenhar suas runas, enquanto Alec a olhava admirado. 

— Achei que o Magnus fosse abrir o portal e eu não sabia que caçadores também podiam abrir um. - Disse o garoto fascinado. 

— E não podem, Clary é unica. - Disse Jace olhando orgulhoso para a namorada e Alec teve um leve vislumbre do amor incondicional do loiro para a ruiva. 

— E também Clary conhece o Gard melhor que eu, ela seria a mais indicada a abrir. - Disse o bruxo. 

Alec o olhou por um momento, enquanto seu nervosismo parecia ter sumido, o do feiticeiro parecia ter chegado e com força total, Magnus estava visivelmente com medo por ele, Magnus temia que algo acontecesse com ele, aproximou-se do bruxo e o abraçou. 

— Vai dar tudo certo, eu já disse, vou ficar bem, só vão estar Jace, meu pai e eu naquela sala, não tem o que temer. 

— Sempre pode dar algo errado, Alexander, eu já perdi demais e não suportaria te perder também. 

Ambos trocaram um beijo, mas logo foram interrompidos por Clary que havia terminado o portal. 

— E quanto a vocês, não nos disseram qual seria a distração. - Disse Jace.

— Bem pedi a Sheldom que fosse buscar Lilly e Maia, eles estão procurando por nós, não é? Então nós iremos aparecer em Nova York, vamos dar uma festa digna do submundo, meu antigo apartamento vai ferver, alias,Sheldom já deve estar lá com meus convidados. A Clave já deve estar sabendo uma hora dessas e devem mandar os caçadores para lá, essa é a maior distração que podemos arrumar pra vocês. - Disse Magnus. 

— Você está louco Magnus?! Você e Clary são procurados porque possivelmente são as únicas pessoas que sabem nosso paradeiro e vão aparecer assim?! Que droga Magnus eu pedi que cuidasse de minha namorada e não que a levasse para sua possível prisão e tortura! - Disse Jace irritado. 

— Magnus! Você me cobra para que tenha cuidado, mas vai se expor assim? - Acusa Alec. 

— Vocês estão exagerando, vai dar tudo certo, escapar da Clave é o que faço de melhor. - Disse Magnus confiante. 

— Acho melhor vocês irem, o portal já vai se fechar, não esqueçam, vocês no máximo duas horas, vão até a antiga casa de Amatis, pois é lá que abrirei o portal para vocês voltarem. - Disse Clary preocupada. 

— Certo, cuida-se ruiva, lembre-se que não sei viver sem você. - Disse Jace a beijando e seguindo para o portal. 

— Cuidado Alexander, lembre-se que você prometeu voltar pra mim. 

— Você também se cuide. 

Alec deu um ultimo beijo no bruxo, respirou fundo e seguiu o loiro para o portal, Magnus e Clary ficaram observando o portal se fechar atrás deles. 

— Acho que é a hora do nosso show. - Disse Magnus para Clary, enquanto abria um portal para seu apartamento no Brooklyn. 

— Sim e é bom que ele seja digno de Óscar, pois a vida dos nossos namorados dependem disso. - Respondeu a ruiva inquieta.

 

 

                             * * * 

 

Idris - Gard. 

 

— Boa garota. - Murmurou Jace para si mesmo, Clary fora esperta, o portal se abrira na sala ao lado do escritório de Robert, era uma sala que praticamente não era usada já que Robert não gostava de barulho praticamente ninguém queria trabalhar ao seu lado. 

— Onde estamos,Jace? Estamos no lugar certo? - Sussurrou Alec ao seu lado. 

— Sim, estamos na sala ao lado da de Robert. - Respondeu Jace no mesmo tom, enquanto pegava sua estela e desenhava uma runa cuidadosamente na parede. Alec observava fascinado um pequeno quadrado se abrir na parede dando um vista do corredor que estava vazio.  — É apenas uma runa Alec, você também pode fazer, quer dizer podia, quando recuperar sua memória completamente vai conseguir fazer também. Mais uma coisa, não deixe seu pai perceber que você não se lembra das coisas está bem? 

-Não, eu já fiz uma em você. Quando chegou ferido, não foi só Magnus que te ajudou naquele dia. - Alec disse concordando com a cabeça e viu Jace desenhar uma runa em si mesmo, logo se aproximou dele e segurou seu braço, Alec arregalou os olhos quando viu Jace apontar a estela para seu ante braço. 

— Magnus com certeza vai me matar por isso, não sei se você já está preparado para isso, mas essa é a runa do silêncio, vai silenciar nossos passos, não podemos correr risco de alguém nos ouvir, acho que a distração deve estar sendo bem sucedida, pois não há ninguém nos corredores, mas mesmo assim todo cuidado é pouco. Alec está entendendo o que estou te dizendo? Isso pode te machucar seriamente se você não estiver preparado, é a primeira runa que você vai receber desde que voltou. 

— Não é a primeira, olhe eu já tenho algumas. - Disse Alec apontando para seu pescoço e braços, enquanto via Jace negar com a cabeça. 

— Não, Alec, essas são suas runas antigas e permanentes como as primeiras que ganhamos, essa na sua mão, por exemplo, é a runa da visão, a do pescoço é a do poder de desviar e bloquear, porém runas mais simples e básicas como a do silêncio precisam ser feitas toda vez que precisamos, elas somem depois que a utilizamos. Se você não estiver pronto o processo pode te machucar, mesmo você sendo um caçador muito bem treinado, seu psicológico é o que manda. 

Alec respira fundo e olha para Jace decidido. 

— Faça. 

Jace vendo a decisão nos olhos do parabatai começa a desenhar a runa e Alec sente uma pequena queimação no local, quando o loiro terminou o moreno observou a runa por um momento encantado, era uma sensação familiar, até nostálgica.

— Está tudo bem, Alec? - Perguntou Jace preocupado. 

— Sim, queimou um pouco no começo, mas eu estou bem. 

Jace abriu um sorriso aliviado, Alec não surtara com a runa e nem se machucara e outro fato bom era que seu parabatai poderia usar runas, se algo saísse errado sempre poderia usar uma iratze nele, já que essa, ele com certeza se lembrava.

— Vamos. - Disse o loiro olhando mais uma vez para o corredor vazio. 

Jace abriu a porta e rapidamente foi em direção à sala de Robert, colocou o ouvido encostado na porta para tentar ouvir se Robert estava lá ou se havia mais alguém na sala, porém estava tudo silencioso. O caçador abriu a porta devagar e percebeu que a sala estava vazia, fez um sinal para que Alec entrasse e fechou a porta logo em seguida. 

Alec olhou para a sala com o coração aos pulos, por um momento pensou que seu pai estaria ali, mas isso não aconteceu, olhou para  a mesa bem organizada e viu uma foto em cima da mesa, era um garoto pequeno, bem franzino, não devia ter mais que nove anos, usava óculos e tinha os olhos brilhantes, os olhos de Alec se encheram de lagrimas, aquele era Max, seu irmão, não se lembrava direito dele, mas sabia que seu pequeno irmão estava morto. 

— Esse era Max, caso você esteja se perguntando. - Disse Jace.

— Ele está morto não está? 

— Sim, foi . . . um choque pra gente, ele . . . ele era tão jovem. - sussurrou Jace. 

Ouviram passos do lado de fora e Jace fez sinal para que Alec se escondesse atrás do armário enquanto ele ficava estrategicamente atrás da porta. Não podiam dar bandeira, não sabiam se Robert iria estar sozinho. 

— Muito bem,Corry, conto com você para ir até a casa do feiticeiro, um esquadrão de caçadores daqui, quero os melhores, peguem aquele maldito bruxo e se a ruiva estiver com ele a tragam também. Agora pode ir, preciso resolver alguns assuntos, enquanto Jia não acordar eu tenho que resolver tudo por aqui! - Os caçadores ouviram a voz de Robert do lado de fora e logo em seguida a porta se abriu. 

O Lightwood mais velho entrou na sala e seguiu direto para o armário onde tinha algumas bebidas, Alec sentiu seu coração disparar, se Robert chegasse mais perto ele o veria ali. Porém o barulho da porta sendo fechada chamou a atenção do mais velho que se virou a tempo de ver Jace trancando a porta. 

— Olá, Robert, acho que precisamos conversar. - Disse o loiro com um sorriso irônico. 

— Jace, finalmente resolveu dar as caras? 

— Quando você manda pessoas atrás da minha garota eu tenho que aparecer não é mesmo Robert. 

— Entendo, foi uma distração, não é? A festa do feiticeiro e da ruiva, você me queria sozinho, bem aqui estou, o que quer? 

— Por que fez isso com seu próprio filho, Robert? Isso não entra na minha cabeça, você me acolheu, tratou-me como seu filho, como pode fazer uma coisa dessas? 

— Você caçou por isso Jace, se não tivesse mentido não teria se machucado. Tudo o que precisava me dizer era onde Alexander estava, acha que não me doeu ver meu filho sofrendo ali, segurando a espada e se machucando?! - Perguntou Robert nervoso.

— Não estou falando de mim Robert, eu sei que causei aquilo mentindo com aquela maldita espada nas mãos. Estou falando de Alec! - Acusou Jace com raiva.

Alec viu seu pai hesitar, ele olhava para Jace como se tentando adivinhar onde o loiro queria chegar. 

— Do que está falando? Tudo isso porque não aceito um filho gay? 

— Estou falando de você mandar sequestrar e torturar seu próprio filho! - Explodiu Jace. 

— Você enlouqueceu! Não sei que tipo de loucura Alec te contou, mas com certeza isso é loucura! - Disse Robert visivelmente perturbado. - Diga onde está aquela escória que vou tirar isso a limpo! 

— Estou aqui pai. - Disse Alec saindo de trás do armário. 

— Alexander! - Sussurrou Robert em choque. 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!
Bjss até o próximo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...