História Possessivamente Dominador - Capítulo 71


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Asuma Sarutobi, Boruto Uzumaki, Chiyo, Chouji Akimichi, Darui, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Hidan, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Hotaru Katsuragi (Hotaru Tsuchigumo), Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Karui, Karura, Kiba Inuzuka, Kizashi Haruno, Ko Hyuga, Konan, Konohamaru, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Maito Gai, Mebuki Haruno, Mei, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Mito Uzumaki, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Samui, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Tayuya, Temari, TenTen Mitsashi, Toneri Otsutsuki, Tsunade Senju, Utakata, Yahiko, Yamato, Yugito Nii
Tags Bdsm, Naruhina, Revolução Naruhina, Sadomasoquismo, Sasusaku
Exibições 600
Palavras 5.784
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ATENÇÃO:
PRECISEI REEDITAR A PARTE 1 POR ERRO. QUEM LEU ASSIM QUE EU POSTEI, PEÇO DESCULPAS. JÁ CONSERTEI.


Gente, como prometido essa é a Parte2 narração e versão do Capítulo LXVII com o Naruto.

Aqui ele vai contar mais coisas que aconteceram naquele dia. Quando ele foi drogado ele fez coisas terríveis com a tia, mas quando o efeito passou ela quem o violentou, ok. Efeito do narcótico no organismo dele.

Próximo Capítulo já é o Epílogo da Parte II. Depois é o Prólogo da Parte III Um Novo Começo.

Aguardem.
Sugiro que leiam com atenção.
Muitas revelações importantes nesse capítulo.

Beijos e boa leitura.

P.S. Dedico estas 2 partes do Capítulo LXVII para todos os meus queridos leitores tanto os que tem comentado, quanto aos que tem me acompanhado. Obrigada a todos vocês de coração.

Capítulo 71 - Parte II Capítulo LXVII Passado Revelado Parte 2



 

(Naruto Uzumaki)

 

(...)

 

Eu sabia que mais cedo ou mais tarde esse dia ia chegar. Eu só não sabia como enfrentá-lo.

Hinata olhou para mim e sorrindo se pronunciou.

_ Eu vou estar ao seu lado em todos os momentos da sua vida e não importa o que acontecer eu nunca irei te deixar. O Boruto e eu nunca iremos sair de perto de você, eu prometo _ Disse-me ela sorrindo.

Assim que passou os quarenta minutos deixamos o quarto e meu pai nos esperava para irmos embora. Voltaríamos para Tóquio ainda hoje.

Quando chegamos a casa do meu sogro somente a minha família e a de Hinata estavam nos esperando. Já eram 21:00hs e eu queria ir embora.

_ Amanhã eu e seu pai iremos a sua casa para conversarmos, ouviu Naruto. Eu quero saber toda a verdade _ Disse-me minha mãe autoritária.

Ela se despediu de Hinata, passou a mão na barriga dela dando um sorriso e se foi com meu pai.

Hinata buscou suas coisas, nos despedimos da sua família e pegamos estrada.

Ela foi o tempo todo sorrindo para mim até que o cansaço a venceu.

Chegamos em Tóquio 00:43hs e eu subi com Hinata no colo para o nosso apartamento.

Ela estava tão exausta que nem acordou.

Troquei a roupa dela e depois me troquei.

Apaguei a luz e me deitei junto de Hinata a abraçando.

Acariciei a barriga de minha esposa e fiz uma oração.

_ "Kami, me ajude a resolver tudo. Eu não sei o que fazer."

Naquela noite eu mal consegui dormir. Todo aquele medo voltou como uma avalanche.

 

Eu só espero que minha mãe não me julgue ou me aponte o dedo. Eu não suportaria essa situação.

 

É agora ou nunca. Chegou a hora de colocar um ponto final no meu passado sombrio e dar início a um novo começo. Com Hinata ao meu lado eu sinto que nada vai estragar a nossa felicidade. Aconteça o que acontecer eu nunca vou deixar o meu anjo. Nunca.


 

Aquela foi a pior noite da minha vida. Toda vez que eu fechava os olhos e começava a dormir tinha um pesadelo diferente. Acordava com o coração disparado e suando em bicas pelo nervosismo que a situação me causava.

Deixei Hinata na cama e fui em direção ao meu quarto secreto. Quando eu estou como Menma sinto que tenho mais controle da situação. Talvez isso seja um sinal de que eu ainda tenho uma forte ligação com o meu irmão, mesmo ele estando morto. Éramos gêmeos e gêmeos tem essa ligação mais forte.

Já estava ali há mais de três horas e já ia dar 07:00hs da manhã.

Eu fiquei pensando em tudo o que me aconteceu e em como contar tudo para minha mãe sem deixá-la se sentindo culpada por tudo.

Não demorou para Hinata vir me ver. Ela abriu a porta do quarto lentamente, mas eu a ouvi. Quando ela ia saindo eu a chamei.

_ Volte, eu preciso muito de você, meu anjo _ Disse olhando para ela.

Vi que ela ficou nervosa e já imaginei o motivo: "Menma".

Hinata veio até mim e ficou em pé parada a minha frente com a cabeça baixa.

Olhei-a de cima a baixo, Hinata estava muito mais linda com a gravidez.

_ Sente-se aqui no meu colo um pouquinho, quero tocar em você _ Disse a ela sério.

Ela me obedeceu sem pestanejar e sentou-se em meu colo. Comecei a acariciá-la suavemente por todo o corpo.

E então, comecei a desabafar com a minha esposa. Hinata é uma ótima conselheira, com certeza ela vai me dar uma direção nessa situação toda.

_ Sabe Hina, em todos esses anos eu só conseguia me controlar melhor quando estava assim, como Menma. E querendo ou não, mesmo não estando aqui, meu irmão sempre me ajudou quando eu mais precisei. Eu quase não dormi essa noite e decidi vir para cá para pensar _ Disse passando a mão em seus cabelos.

Eu amo a Hinata e por isso decidi conversar com ela, sentia uma angústia terrível e ela iria me acalmar com certeza.

_ Não sei o que fazer Hina. Se eu contar a verdade para minha mãe tenho medo por ela e pela vida da minha tia. Mas, por outro lado, se eu continuar escondendo tudo eu sinto que nunca vou ter paz na vida. O que eu faço meu anjo? _ Perguntei a ela em desespero.

Tinha medo do que a minha mãe poderia fazer. Ela não tinha aquele apelido à toa.

Hinata me olhou com doçura e me deu um conselho valioso.

_ Naruto-kun, a vida é como uma roda gigante. Uma hora você está em cima, outra hora você está embaixo, mas ela nunca pára de girar. Se você desistir agora você vai estar sendo um covarde, mas se você continuar, por mais que a princípio você sofra, você vai ter a paz que tanto procura mais a frente. Sei que vai ser muito difícil para você e para a sua família, mas desistir é para os fracos. Então, seja forte e enfrente tudo de uma vez.

Meu Kami, eu tenho muita sorte em ter Hinata.

Ela ainda completou dizendo com firmeza: _ Nunca se esqueça que eu vou estar sempre com você.

Aquele conselho era tudo o que eu precisava ouvir. Recobrei o ânimo e fiquei ainda mais feliz pela mulher maravilhosa que eu tenho.

_ Não sei o que faria sem você Hinata _ Disse a abraçando apertado.

Cheirei os cabelos de Hinata e eles tinham o cheiro gostoso do perfume de lavanda dela. Mas ainda tinha muito o que dizer para ela.

_ Tem tanta coisa que eu ainda quero te mostrar Hina, tantas formas de te dar prazer. Mas eu quero que você saiba que eu nunca fui um espancador. Tudo que acontecia era consentido e se causasse muito sofrimento, a submissa poderia dizer a palavra de segurança que eu parava no exato momento _ Disse a ela consternado.

Aquela piranha fez tudo aquilo para me envergonhar. Ladra dos infernos.

Ainda bem que eu tenho um sócio que é um gênio e criou um dispositivo que me avisa se alguém tentar invadir a senha do meu notebook. Devia ter mandado ela para a cadeia. Teria evitado muita coisa no futuro.

De repente, fui tirado do meu devaneio por uma pergunta de Hinata.

Foi muito bom ela ter me perguntado aquilo, eu já ia dizer a ela de qualquer maneira.

_ Naruto-kun, me explica melhor essa coisa de sadismo, Dominação, como isso funciona porque às vezes eu não consigo entender o porque essas mulheres tem essa obsessão toda por você _ Perguntou-me ela curiosa.

Olhei fixamente para Hinata e expliquei tudo a ela.

Bem, eu sou um Dominador com traços de um sádico. Se eu fosse um sádico total nossa relação nunca teria dado certo. Hinata não é masoquista.

Vi os olhos dela brilharem quando eu comecei a dizer que ela era a única para muitas coisas em minha vida.

_  Primeiro porque você é diferente de todas as outras que eu já tive. Segundo porque eu te amo e jamais teria coragem de te dar prazer dessa maneira. Você foi a única mulher que me tocou de toda as formas existentes. Você é a única que eu amei, nunca amei ninguém.

Depois expliquei a ela como funcionava o contrato e que eu sempre fiz questão de deixar bem claro que tudo aquilo era só sexo e tinha tempo limitado.

Eu acho que de todas as minhas submissas só duas foram excelentes, mas não a ponto de me fazer apaixonar, era mais uma amizade intensa. Foi a Tsunami e a Ryuuzetsu, mas essa conseguiu estragar tudo quando tentou me beijar. Eu fiquei furioso e perdi o controle. Acabei a machucando sem a intenção.

_ E essas que nós encontramos? Porque elas fizeram tudo aquilo, todo aquele escândalo? Se era só um contrato não tem lógica toda essa obsessão delas _ Perguntou-me ela confusa.

Aquelas eram as mais problemáticas. Tive dor de cabeça com algumas delas. Expliquei tudo para Hinata, o dinheiro tem o poder de corromper qualquer mente fraca. E foi o que aconteceu com algumas delas. Já outras foi a carência, se apaixonaram pelo cara errado. Mas a Shion, a Hotaru e a Fuka não valiam nada mesmo. Deveria ter dado uma surra de chibata nelas bem dada para ver se elas aprendiam uma lição e viravam gente.

 

Conversei por bastante tempo com Hinata e quando achei que ela não ia me perguntar mais nada, fui surpreendido por uma pergunta inusitada.

_ Naruto-kun, posso te pedir uma coisa? _ Perguntou-me ela manhosa.

_ Pode Hina, você pode me pedir o que quiser, eu sou todo seu e faço tudo por você _ Disse a ela sorrindo de canto.

Vi que ela ficou muito animada e me empolguei com a pergunta dela.

_ Você me mostra como é esse mundo BDSM de verdade? Eu adoro você de todas as formas, mas eu sinto que você se segura muito comigo _ Disse-me ela tranquilamente.

Eu fiquei impressionado com a atitude dela. Mas fiquei feliz por ela ser tão inteligente ao ponto de me decifrar facilmente.

_ Hina, eu realmente me seguro muito com você porque você é baunilha, eu estou te levando aos poucos para esse mundo. Você acha que eu não sei que você fica louca quando eu estou assim, de Menma? Claro que eu sei meu anjo, mas vamos devagar, ok. Eu te prometo que depois que o bebê nascer eu te mostro tudo _ Disse a ela comprometido.

Eu conhecia Hinata tão bem que ela nem precisava me pedir aquilo. Eu já tinha a intenção de fazê-lo há algum tempo.

Hinata me abraçou fortemente, eu pude sentir a felicidade dela com a minha promessa, então decidi dar uma manhã diferente para ela.

Desci minhas mãos até as suas coxas e as apertei com mais força.

_ Você gosta do Menma, não é? Que tal nós brincarmos um pouquinho enquanto meus pais ainda não chegaram, hã? _ Perguntei a ela sedutor.

Beijei o seu pescoço e passei as mãos pelo corpo de Hinata ouvindo ela gemer de desejo.

_ Hai.

Ela mal conseguiu me responder, Hinata estava totalmente entregue e isso me enlouqueceu. Fiquei excitado só de vê-la daquela maneira.

Era hora de brincar um pouquinho.

_ Fique de pé agora Hinata _ Ordenei a ela.

Hinata me obedeceu, mas estava muito ansiosa como sempre.

_ Hum, você é muito ansiosa meu anjo, mas eu gosto assim _ Disse me levantando.

_ Levante os braços _ Ordenei a ela sério.

Assim que ela fez eu tirei sua camisola e babei vendo Hinata deliciosa na minha frente só de calcinha.

Me abaixei na frente dela e tirei sua calcinha cuidadosamente. Hinata estava muito ofegante.

Levei sua calcinha até o meu nariz e a cheirei. Meu pau ficou mais duro ainda.

_ Humm, gostosa como sempre _ Disse a olhando sedutoramente.

Me abaixei de novo na frente de Hinata e dei um beijo carinhoso em sua barriga. Ali estava meu bem mais valioso junto de Hinata: meu filho.

_ Papai te ama, viu _ Falei cheio de sentimentos.

Me levantei e levei Hinata até a cama.

_ Sente-se na beira da cama e abra bem as pernas para mim _ Disse a ela decidido.

Peguei uma banqueta que tinha no quarto e a coloquei em frente de onde Hinata estava.

Olhei para ela e senti meu pau pulsar de tanto desejo. Hinata estava do jeito que eu mandei que ela ficasse.

_ Agora eu quero que você se masturbe para mim Hinata. Eu vou ficar aqui te observando _ Disse a ela me sentando.

Hinata simplesmente levou o dedo a boca e sorrindo o chupou. Aquilo era sexy demais, tentador demais.

Em seguida ela levou o mesmo dedo até a sua intimidade e começou a se masturbar deliciosamente. Ela circulava o clitóris com o dedo enquanto se entregava por inteiro aquela sensação de prazer que ela mesma se proporcionava.

Fiquei tão excitado com aquela visão que parecia que eu estava lá, entrando e saindo de dentro dela.

_ Isso gostosa, eu quero ver você gozar _ Disse a ela sensualmente.

Meu pau doía tanto que não consegui esperar por mais tempo. Ia praticar voyeurismo com ela pela primeira vez. Hinata já o tinha feito para mim, mas eu ainda não tinha feito para ela. Tirei meu membro extremamente duro da minha calça e também comecei a me masturbar para ela. Tive o prazer absurdo de ver Hinata arregalar os olhos e ficar ainda mais excitada, ao ponto de se masturbar freneticamente a minha frente.

_ Ahhhh Naruto _ Gemeu ela extasiada.

Hinata tinha a boca entreaberta e respirava curto e rápido.

_ Isso é o que me faz sentir Hinata, eu fico louco de tesão por você _ Disse a ela com a voz rouca.

Hinata já estava próximo de gozar e eu senti que também estava. De repente Hinata fechou os olhos e jogou a cabeça para trás sentindo o orgasmo que estava chegando. Me levantei e fui até ela ainda me masturbando. Hinata nem percebeu quando eu parei de frente para ela e me curvei sobre o seu corpo abocanhando seu seio esquerdo.

Ela ficou ainda mais ofegante.

_ Uhuuu Naruto.

Hinata movia os quadris no intuito de ajudar com o movimento do dedo e aumentar a sensação de prazer que ela sentia.

Suguei com força o seio esquerdo de Hinata vendo ela ficar desesperada de tanto desejo. Ela já estava no seu limite e gozaria a qualquer momento.

_ Goza pra mim meu anjo _ Disse a ela cheio de lascívia.

Abocanhei seu seio mais uma vez e mordi de leve o seu mamilo. Hinata simplesmente se entregou ao prazer gemendo e chamando por mim.

Não me contive, virei para ela e gozei fartamente sobre seus seios.

_ Narutoooo!!!

_ Hinataaa!!! _ Sussurrei com a voz rouca.

Me sentia pegando fogo ainda. Nem descansei muito tempo, eu queria mais e daria mais também para Hinata.

Vi que ela apoiou os braços sobre a cama e respirava profundamente.

_ Ainda não acabou, tem mais uma coisa que eu quero fazer com você _ Disse a olhando nos olhos.

_ Deite-se na cama e dobre as pernas _ Disse a ela autoritário.

Hinata obedeceu sem questionar nada.

Me ajoelhei no meio das pernas de Hinata e ela olhou diretamente para o meu pau que já estava bem ativo outra vez.

_ Vou fazer algo bem diferente com você agora, mas se te machucar ou estiver muito incômodo me diga que eu paro, tudo bem? _ Disse a olhando afetuosamente.

Hinata balançou a cabeça em concordância, e então, peguei suas pernas e as coloquei sobre os meus ombros.

Me posicionei, segurei meu membro com a mão a penetrando lentamente.

_ Ahhhh _ Gemeu ela inebriada.

Ao ouvir Hinata gemer daquela forma eu não consegui mais me segurar.

Comecei a estocá-la indo bem fundo, entrando e saindo com maestria de dentro dela. Hinata parecia ter ficado mais agitada com meus movimentos.

_ Está gostando Hina? _ Perguntei a estocando fundo.

Hinata gemeu rendida a mim e sem que ela esperasse levei minha mão a sua intimidade, e com meu dedo massageei seu clitóris enquanto entrava e saia de dentro dela.

Hinata já estava a beira de mais um orgasmo e foi meu pau ser apertado pelas contrações de sua vagina para eu sentir que gozaria a qualquer momento também.

Mordi meus lábios para abafar um gemido e chamei-a para gozar comigo.

_ Goza comigo agora gostosa _ Disse a ela num sussurro.

E com mais duas estocadas Hinata gozou mais uma vez apertando meu pau dentro de si e me fazendo gozar mais uma vez.

Dessa vez minhas pernas ficaram bambas. Continuei me movendo lentamente dentro dela até sentir que derramei a última gota.

Quando terminei eu e Hinata mal conseguíamos respirar, tamanho era o cansaço físico que sentíamos naquele momento.

Mas fiquei satisfeito em ver o sorriso enorme que Hinata tinha no rosto. Mesmo respirando de boca aberta ela estava linda.

_ Isso foi incrível anata! _ Disse-me ela eufórica.

Iria repetir a dose muitas outras vezes. Hinata merece sentir todo o prazer do mundo.

 

Aquela manhã foi um marco em minha vida. Tomei decisões importantes, analisei melhor tudo o que me aconteceu e o melhor: já não sentia mais aquele ódio todo de antes.

Chamei Hinata para tomarmos um banho e depois comer alguma coisa. Fiquei nervoso em saber que já eram 09:45hs da manhã e Hinata estava até agora sem comer nada.

Preparei ovos mexidos, torradas e suco de laranja para nós dois. Mas fiz bastante, queria ver Hinata comendo bem.

_ Tome, coma tudo, ouviu? _ Disse a ela entregando um prato cheio com ovos mexidos.

Dei a ela um copo grande de suco de laranja e três torradas com geleia.

Para mim coloquei ovos mexidos, torrada com mel e um copo grande de suco também.

Hinata comeu dois pratos de ovos mexidos e disse que estava uma delícia.

Fiquei muito feliz por vê-la se alimentando tão bem daquele jeito.  

De repente meu celular tocou e fui atender. Era o meu pai.

_ Oi Tou-chan_  Disse o atendendo.

_ Daqui há pouco chego aí com sua mãe. Ela está muito nervosa e chateada com você meu filho, então chamei seus avós e o Kakashi, vai ser bom eles estarem presentes para acalmarem melhor a sua mãe _ Disse-me ele apreensivo.

_ Tudo bem, Tou-chan, já estamos esperando.

_ Certo, chego aí em quinze minutos.

_ Ok _ Disse a ele confirmando.

Desliguei o celular e olhei para Hinata. Eu estava uma pilha de nervos.

_ Ei, não se preocupe, vai dar tudo certo _ Disse-me ela carinhosamente apertando de leve a minha mão.

Primeiro chegou meu tio.

_ Preparado Naruto? _ Perguntou-me ele seriamente.

_ Lie, estou muito nervoso _ Respondi com sinceridade.

_ Não fique, nós estamos aqui com você _ Disse meu tio me dando um sorriso de leve.

Vi quando um furacão de cabelos vermelhos adentrou a sala me olhando seriamente. Minha espinha gelou.

Olhei para o meu pai e vi que ele estava apreensivo com a minha mãe.

_ Tou-chan, Kaa-chan, ohayo _ Cumprimentei meus pais serenamente.

_ Ohayo meu filho _ Respondeu meu pai sorrindo.

Já minha mãe estava séria demais, nem me respondeu.

_ Kushina, não faça isso com o Naruto, nós já conversamos antes de vir para cá _ Disse meu pai mansamente.

Ele conhece muito bem a esposa que tem.

_ Conversar nós conversamos Minato, mas ainda falta o Naruto me explicar tudo direitinho. Eu sou mãe dele e mereço saber de tudo.

Minha mãe me olhava fixamente. Eu já estava nervoso só com aquele olhar.

Meu tio percebeu o clima estranho na sala e resolveu interferir.

_ Calma Kushina, o Otou-san e a Okaa-san já estão chegando, aí nós conversamos todos juntos, ok?

Parecia até que eles tinham combinado, pois em menos de três minutos a campainha tocou e eu fui abrir a porta para os meus avós.

_ Baa-chan, Ero-Sennin, ohayo _ Cumprimentei-os ao abrir a porta.

Os dois entraram e se acomodaram no sofá e a conversa começou.

_ Bem Naruto, eu creio que agora você já pode começar. Seus pais e sua avó merecem saber toda a verdade. Eu prometi que estaria com você nesse momento junto com o seu avô e aqui estamos _ Disse meu tio me olhando condescendente.

_ Como assim seus pais e sua avó? O senhor já sabia Jiraiya-sama? _ Perguntou minha mãe confusa.

_ Kushina, eu sabia o que tinha acontecido, mas não quem tinha feito. O Naruto só me contou há pouco mais de um mês _ Disse meu avô sério.

_ Como assim o que tinha acontecido? Isso tem alguma coisa haver com aquela viagem de dez anos atrás? _ Perguntou minha mãe outra vez.

Eu apenas balancei a cabeça sem coragem de olhar para eles.

_ Naruto, olhe para mim, eu quero que você me diga o que exatamente aconteceu com você em Sapporo. Quero que me conte tudo, está me ouvindo _ Disse a minha avó.

Eu comecei a tremer de nervoso.

_ Calma anata, eu estou do seu lado _ Disse Hinata segurando minha mão.

_ Vocês vão me julgar _ Disse com a voz embargada.

_ Ninguém vai te julgar meu filho, conte para sua avó e sua mãe. Nós estamos aqui para te ajudar, não parar e condenar.

Olhei para o meu pai e vi que ele me olhava com carinho, mas minha mãe estava confusa e muito séria.

A vergonha e a dor apertaram meu coração dolorosamente. Eu, um rapaz fui drogado e estuprado sem poder me defender, e ainda abusei da minha tia doente num surto de loucura causado pelo efeito do narcótico pesado que estava em meu organismo.

Respirei fundo, apertei os olhos com força e quando os abri comecei a contar.

_ Naquele dia que eu fui para Sapporo ver a casa a pedido do Tou-chan eu não sabia o que me esperava. Quando eu cheguei na casa e coloquei a chave na porta ela já estava aberta. Abri com cautela achando que tinha um ladrão ou que a casa foi arrombada, mas para minha surpresa me deparei com minha tia Mei fazendo o jantar _ Contei a eles sério.

_ A Mei? Mas a sua tia não tinha ido para os Estados Unidos? _ Perguntou a Baa-chan confusa.

_ Era o que eu achava, mas ela estava lá me esperando. Eu perguntei o porque ela estava lá, mas eu a senti estranha e perturbada. Ela me respondeu com uma pergunta: "Sua mãe não te disse?" Eu achei estranho, mas nem liguei muito. Subi, tomei um banho e quando voltei ela tinha terminado a janta, tinha feito lámen miso para mim e eu comi três vezes, estava muito gostoso. Depois ela me deu um copo grande de coca-cola que eu bebi tudo. Alguns minutos depois eu comecei a me sentir mal. Meu corpo esquentou muito, minha mente ficou vaga, meus olhos desfocados e meu pênis muito duro. Aí eu comecei a falar desconexamente um monte de coisas e obscenidades. Pedi desesperado para ela me aliviar de tanta dor que eu sentia. Nunca tinha sentido uma dor tão intensa lá embaixo como se meu saco fosse explodir.

Eles estavam chocados com tudo o que eu contava. Nem meu tio sabia daquilo, só Hinata.

_ Eu vi minha tia conversando sozinha e chorando, mas eu queria ser aliviado, então eu a agarrei por detrás e ela se rendeu. Quando eu acordei estava totalmente amarrado na cama sem consegui me mexer. Chamei por alguém e ela entrou no quarto só de calcinha. Eu morri de vergonha por vê-la daquele jeito porque até então eu não lembrava de nada. Só fui lembrar de tudo há pouco tempo, depois de um pesadelo que eu tive e foi muito real. Aí ela disse que queria estar fazendo com o Tou-chan, mas como eu era a cópia dele eu ia pagar por tudo. E foi aí que ela me violentou de verdade porque eu estava lúcido e pedi chorando para ela parar. Foram dois dias sendo drogado para fazer sem inibição e duas vezes amarrado para ela fazer o que tinha vontade. Depois para que ninguém desconfiasse de nada ela me deu uma surra de chicote e deu muitos tapas no meu rosto ao ponto de ficar inchado e com cortes na boca. Eu chorei uma noite inteira sem conseguir me mexer. Meu corpo todo doía, eu tinha nojo de mim, estava sujo de sangue e sêmen, e minha única vontade era de morrer. Quando eu consegui me mexer fui devagar até meu celular e chamei meu tio para ir me buscar. E o resto da história vocês já sabem o que aconteceu e no que eu me transformei.

 

Quando eu terminei de contar minha mãe e minha avó estavam chocadas. Até meu pai, meu avô e meu tio estavam em choque.

_ Quando eu cheguei e vi o Naruto daquele jeito ia ligar para a polícia achando que ele tinha sido espancado por bandidos. Foi então que ele me contou o que aconteceu e eu prometi que ia guardar segredo até ele estar pronto para contar tudo _ Disse meu tio me apoiando.

Minha mãe começou a tremer e a gritar feito uma louca. Meu pai teve que segurá-la.

_ COMO FOI QUE VOCÊ ESCONDEU UM NEGÓCIO DESSES DE MIM NARUTO? EU DEVIA TE DAR UMA SURRA POR ESCONDER ISSO DE MIM. VOCÊ FAZ IDEIA DO TANTO QUE EU SOFRI? VOCÊ FAZ A MÍNIMA IDEIA DO QUE É VER SEU FILHO DEFINHAR E QUERER SE MATAR?

_ Calma Kushina, você vai passar mal _ Disse meu pai a segurando.

Ele estava nervoso, minha mãe alterada e minha avó chorando desconsoladamente.

_ POIS EU VOU MATAR AQUELA DESGRAÇADA KUSHINA. KAKASHI PORQUE VOCÊ ESCONDEU ISSO DA GENTE? ME RESPONDE _ Gritou minha avó aos prantos.

_ Como eu ia contar uma coisa dessas Okaa-san? Eu tinha medo do Naruto tentar se matar como ele já tinha tentado. Foi por causa dele que eu me especializei em psiquiatria _ Disse meu tio cautelosamente.

_ Vamos todos esfriar os ânimos aqui. Ninguém vai matar ninguém e ninguém vai surrar o Naruto. Já não basta o que ele passou? _ Disse meu avô compadecido.

Minha mãe chorava desconsolada, eu não consegui ver aquilo sem chorar também. Por isso eu nunca quis contar nada a ela.

_ EU CONFIEI NA MINHA IRMÃ MINATO. EU DEI NAS MÃOS DELA O MEU BEM MAIS PRECIOSO E PARA QUÊ? PARA ELA ENLOUQUECER E O ESTUPRAR? _ Disse minha mãe nervosa.

Eu já chorava de vê-la sofrendo daquele jeito. Nunca quis que ela sofresse por isso.

_ PORQUE VOCÊ NUNCA ME CONTOU ISSO MEU FILHO? EU SOU SUA MÃE, TERIA FEITO ALGUMA COISA.

Minha mãe estava arrasada, minha avó nervosa e meu tio tentando acalmá-las.

Minha mãe chorava brigando comigo.

_ IA FAZER O QUE KAA-CHAN, HÃ? A SENHORA IA MANDAR SUA IRMÃ DOENTE PARA A CADEIA? Eu nunca quis contar nada por isso, para não te ver desse jeito.

Deitei minha cabeça no colo de Hinata e chorei de soluçar. Eu estava totalmente arrasado por ver minha mãe desesperada daquele jeito. Meu pai a segurava para ela não me bater de nervoso.

_ Kushina, olha para mim, bater no Naruto não vai mudar a situação, muito menos espancar a Mei. Ela é doente amor e você sabe disso. Você sabe que ela já foi louca por mim, sabe que ela já tentou me agarrar, você sabe amor _ Disse meu pai a acalmando.

_ Ai Minato, o que eu faço agora? _ Perguntou minha mãe chorando _ A culpa é minha Minato, eu mesma dei meu filho nas mãos dela.

_ Kushina, o caso da Mei se agravou muito. Ela tem muitos traumas, a Mei já sofreu abuso e o que ela fez com o Naruto foi durante uma crise psicótica. Ela tem um amor doentio e obsessivo por ele, assim como ela teve pelo Minato quando era mais nova. Só que os anos que ela conviveu com o Naruto ela descobriu um amor puro, o qual ela nunca sentiu _ Explicou meu tio seriamente.

_ A Mei foi abusada? Meu Kami! Ela disse quem foi? _ Perguntou meu avô boquiaberto.

_ Disse Otou-san e o pior é que não foi só ela, eu pesquisei e teve outros casos. Ele fugiu para os Estados Unidos e mudou de identidade lá. Passou a ser conhecido como Doutor Mazuke Miyamotto.

_ Mazuke Miyamotto? Aquele psiquiatra famoso por tratar do caso do maior serial killer americano? _ Perguntou minha avó espantada.

_ Esse mesmo Okaa-san. E tem mais, ele vinha na sua casa Minato e abusou dela lá muitas vezes. Teve um dia que ele ameaçou abusar do Naruto se a Mei não fosse obediente. Foram anos sendo abusada por ele até ele conseguir fugir para os Estados Unidos.

_ Então, o caso da Mei é mais grave do que todos imaginam! _ Indagou meu avô curioso.

_ Hai, as crises psicóticas só pioraram devido aos traumas. A Mei simplesmente se apegou a única pessoa que tinha um relacionamento puro com ela: o Naruto _ Explicou-nos meu tio.

_ Então se ela fez isso durante uma das crises ela é tão vítima quanto o Naruto. Kami! Que tragédia! _ Disse a Baa-chan em choque.

_ Isso mesmo Okaa-san, ela não estava em seu juízo perfeito e fez o que tinha desejo, mas o medo a impedia. Quando ela voltou a tomar os medicamentos e se deu conta do que tinha feito jurou pra si mesma voltar um dia e se casar com o Naruto para resolver tudo. Mas quando ela viu o estrago que ela causou o arrependimento veio como uma avalanche e então tentou se matar por ter magoado a única pessoa que a amou de verdade na vida.

_ Meu Kami do céu! Eu não sei nem o que falar de tudo isso. O problema é que mesmo com a doença e os abusos que ela sofreu não redime a Mei da culpa. Ela violentou o próprio sobrinho.

A Baa-chan estava tão estarrecida assim como todos ali na sala.

_ Tsunade-sama, eu acredito que a Mei esteja realmente arrependida. Ela demonstrou isso procurando ajuda médica. Ela está se tratando com o Kakashi _ Disse Hinata depois de ouvir tudo.

_ Eu acho melhor conversarmos com o seu pai Kushina e decidir o que fazer em relação a Mei. Depois disso, acho que o Iruka vai pedir o divórcio.

Eu olhei para o Ero-Sennin e fiquei preocupado com o que ele disse. O tio Iruka ia ficar mal quando soubesse de tudo. Pior ainda é a Sara quando descobrir.

_ Mas tem mais uma coisa que você não nos contou Naruto. E aquela história de ser espancador de mulheres? Eu não criei você para isso _ Disse-me minha mãe limpando o rosto.

_ Eu sou um Dominador, eu confesso, mas tudo o que fazia era consentido. Se alguém "apanhou", é porque permitiu e gostou. Quanto aquela vagabunda que me chamou de espancador, aquilo é uma ladra que tentou invadir meu computador e acessar minha conta bancária. Ela é prima da Hinata e a odeia desde criança. E tem mais, ela está trabalhando para o cara que quer pegar a Hina _ Respondi a minha mãe seriamente.

Não tinha motivo para eu ter vergonha daquilo, eu sou o que sou e pronto.

_ Mas você nunca foi visto perto de uma mulher e nunca tratou uma bem meu filho _ Falou a vovó Tsunade espantada.

_ Porque eu não gosto de nenhuma delas Baa-chan. Eu só amei uma na minha vida, a Hinata, as outras era só um contrato, mas nunca quis nada com nenhuma delas nem com nenhuma outra, só com a Hina.

_ Mas como foi que você virou um Dominador Naruto? Quem te levou para esse mundo?

Minha mãe me olhava séria esperando uma resposta.

Quem respondeu foi meu tio.

_ Fui eu quem levou o Naruto para o BDSM. Eu também sou um Dominador e conversei com o Otou-san sobre a ideia de levar o Naruto para esse mundo afim dele aprender a ter controle sobre a sua raiva. Ou era isso ou o Naruto acabaria como um psicopata assassino de mulheres.

_ Meu filho, você é um sádico? _ Perguntou-me minha mãe surpreendida.

_ Não exatamente _ Respondi vagamente.

_ Bem, sobre o Naruto ser um Dominador não há o que julgar. Isso eu e você conversamos Kushina e nós também somos praticantes de BDSM não ativos. Só usamos alguns brinquedos e alguns comandos _ Disse meu pai seriamente.

Eu fiquei boquiaberto, nunca imaginei que meu pai gostasse disso. Meu tio eu já sabia, ele quem arrumou a minha primeira submissa que também era uma Dominadora e aceitou se submeter a mim e me ensinar tudo.

_ Então era para isso que você estava fazendo aquelas pesquisas Jiraiya? Me enchendo de perguntas? _ Perguntou a Baa-chan intrigada.

Eu e todos ali olhamos para os dois pasmos. Nunca sequer cogitei a ideia da Baa-chan e do Ero-Sennin serem assim. Se bem que a Baa-chan é meio violenta.

_ Baa-chan, a senhora é uma Dominadora? _ Perguntei a ela boquiaberto.

_ Lie, eu só gosto de coisas "mais fortes", digamos assim. Isso é algo que eu e o seu avô gostávamos muito quando éramos mais jovens. Até então o sadismo e o masoquismo eram considerados um distúrbio psiquiátrico, mas deixou de ser de um tempo para cá.

_ Bem, se estamos todos conversados e entendidos o melhor agora é pensar no que fazer com a Mei, já que ela é a causadora de tudo isso _ Falou meu tio decidido.

_ Vou conversar com o Tou-chan e minhas irmãs e resolveremos tudo. Naruto, só mais uma coisa: nunca mais esconda nada de mim e do seu pai. Eu nunca julgaria você meu filho, mas isso que aconteceu não tem perdão e no que depender de mim a Mei vai ser internada.

Minha mãe estava magoada e demoraria anos para ela poder engolir tudo aquilo.

 

Quando eles foram embora minha mãe ainda me abraçou chorando e me pediu perdão. Eu chorei, não era culpa dela nem de ninguém. Aconteceu, foi uma triste fatalidade e nada mudaria o passado.

Assim que eu fiquei sozinho com Hinata a abracei e fiquei pensando em tudo. Tinha pena da minha tia, ela cavou o próprio abismo.

_ Hina, hoje eu tenho pena da minha tia, acho que a vida não foi fácil para ela também _ Disse a ela reflexivo.

_ Esse é o preço que ela vai ter que pagar sozinha Naruto-kun. Por mais que eu tenha pena dela, ela foi inconsequente ao deixar de tomar as medicações. Agora só nos resta esperar para ver o que vai acontecer _ Disse Hinata me abraçando.

Agora sim eu poderia dizer que sou um homem livre. Sem culpas, sem medo, sem pesadelos com o passado, nada. Eu tenho um anjo como esposa e ela foi a cura para todas as minhas feridas, e eu a amo muito.

_ Arigatou por não desistir de mim meu anjo. Aishiteru.

 

Agora eu posso viver uma nova história de verdade com Hinata. Meus segredos foram todos revelados e eu não tinha mais com o que me preocupar.


Um novo começo vem aí e com ele meu filho, uma nova casa, e um futuro cheio de sexo e amor com a mulher mais linda do mundo: minha esposa Hinata Uzumaki Namikaze.


Notas Finais


Bem, é isso gente.
Não demorei porque eu quis, foi realnente um capítulo muito difícil, mas espero que vocês tenham gostado. No Epílogo da Parte II vocês terão o destino da Mei, certo?.

Vou fazer o possível pra postar amamhã o Epílogo, o Prólogo e o Capítulo LXVIII que dá início a Parte III Um Novo Começo.

Abraços
Dani.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...