História Possessive - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Chuck Shurley, Dean Winchester, Hannah, Lilith, Mary Winchester, Michael, Personagens Originais, Ruby, Sam Winchester
Tags Bottom!castiel, Casdean, Destiel, Gangster!dean, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Misha Collins, Supernatural, Tops!dean, Yaoi
Visualizações 280
Palavras 2.196
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaaa, demorei?
Eu tive um pequeno incentivo da @Kaka que vive pedindo atualização...Então, vocês lembram de Pillowtalk?! Vou atualizar em um dia aí, pra quem não leu é sobre daddy kink e se estiverem interessados a ler, só pedir o link.

Boa leitura.

Capítulo 13 - Hunters x Darkness


「Hunters x Darkness」

 

 

Esperei Emma sair e pegar certa distância e então comecei a segui-la, isso ia dar merda eu sabia, mas agora eu não iria parar o que eu comecei.

Eu sempre deixava um carro ficar em minha frente para Emma não perceber nada, eu achava que eu estava sendo esperto, mas isso só dificultava minha visão. Amadores. Eu tinha que ver pelo vidro frontal do carro que estava em minha frente. E o motorista não tinha um tamanho de cabeça favorável.

Continuei seguindo Emma com certa dificuldade durante meia hora e quando senti que ela ia estacionar, me deu uma dor de cabeça horrível, pois reconheci o lugar. Estremeci e quase
desisti de tudo e voltei para a casa para ver meu programa favorito, mas se eu estava na chuva era para me molhar.

Emma estacionou seu carro e eu esperei ela sair de dentro, estacionei o meu também um pouco distante, pois não queria estragar tudo. Um pouco depois de Emma ter saído de seu carro, eu saí do meu também e comecei a seguir-la novamente. Emma parou. E para minha sorte, eu achei um beco que ficava próximo de onde Emma parou e me enfiei ali dentro, era escuro pra caramba, mas era o jeito.

Ouvi passos de outra pessoa se aproximando de Emma, eu não conseguia ver, apenas ouvir. 

– E então, patrão. Como eu disse, Dean descobriu a porra toda, e faz tempo. – Emma dizia. – Porém ele nem sonha quem é o mandante, para a sua sorte, e o meu azar. ­– Eu já sabia quem era o tal mandante, porque eu já havia estado ali antes, e fazia pouco tempo. Merda.

– Bom, mas fique calma, vamos defender você. – Eu podia sentir a mentira ao ouvir a voz de Jackson. Eu sabia perfeitamente seu jeito de mentir.

– Vão mesmo? ­– A voz de Emma aliviou. ­– Porque você sabe, Dean é do tipo que se deixar ele quieto na dele, tá beleza, ele fica ali. Mas no momento em que tirar ele pra troxão, corre, o mundo está fodido. – Emma parecia uma bichinha medrosa falando daquele jeito sobre Dean.

– Ha-ha-ha – Jay riu irônico. – Você acha isso mesmo? Bom, você está errada. – Na verdade, Emma estava certa. E se Dean descobrisse que o mandante era Jackson, ele morreria.

Jackson sempre fode tudo, sempre.

De repente, se ouviu uma, duas, três, quatro freadas bruscas, meu coração, por algum motivo, quase saiu pela boca.

– O que é isso? ­– Jay perguntou assustado.

– O que é isso? – Droga, eu conhecia aquela voz. – Isso, são os Hunters. ­– Dean desceu de seu carro, que para o meu azar parou bem em frente ao beco onde eu estava escondido, mas para a minha sorte, o beco era estreito e escuro, e logo ao lado, tinha a praça onde ficava a cancha dos Darkness.

Dean não podia me ver, mas mesmo assim, fui mais para o
fundo do beco, pois se eles me vissem acho que Hunters e Darkness se uniriam para me matar.

– Você tem que parar de se meter com as pessoas erradas. – Dean disse tirando a arma da cintura e dando um tiro para cima, reprimi um grito.

Havia o carro de Dean na frente e mais três carros, dos garotos lógico, atrás. Lúcifer, Samuel e Alec também desceram dos carros e havia mais alguns outros Hunters que vieram junto, tinha Hunters até no capô.

Eu observei cada detalhe de Dean, mesmo com medo do que podia acontecer. Ele estava com uma calça preta de couro, uma regata branca por baixo de sua jaqueta, também de couro sem manga, seus braços estavam nus dando para ter uma perfeita visão de seu braço musculoso e então eu cheguei à uma conclusão: eu precisava sentir aquele homem outra vez.
– Achou que eu nunca descobriria, Jay? – Dean dizia encostado no capô de seu carro, tão sedutor. Os garotos logo atrás encostados no capô dos carros deles, enquanto os outros Hunters se espalharam e ficavam gritando coisa dos tipo "merdão" e "cuzão" pra Jackson. – Só para lembrar, que o iniciante aqui é você. – Dean continuava.

Logo alguns Darkness chegaram e vi Emma fugindo, fui mais para frente a fim de visualizar algo a mais. Era Dakness de um lado, e Hunters de outro. Onde Dean estava escorado em seu carro. Diferente dos Hunters, os Darkness tinha uma certa organização, tão organizados como um exército. Os Hunters eram mais casuais, estavam nem aí para isso, faziam o que dava na telha e mesmo assim, eu pude ver medo nos olhos de alguns Darkness, por mais que eu enxergasse super mal dali.

Dean tinha um pequeno cigarro no canto de sua boca, ele deu apenas mais uma tragada, soltando uma fumaça formando um anel perfeito, o deixando mais atraente ainda. Droga. Em seguida, Dean parou de fumar e jogou o cigarro em frente aos pés de Jackson, logo pisando em cima e em nenhum momento eles deixaram de se encarar.


– Bom, minha proposta é a seguinte, pequeno Jay. – Dean foi sarcástico e se aproximou mais ainda de Jackson. – Hoje, eu estou de bom humor, então talvez eu não te mate, mas tem um simples porém.

– Eu não tenho medo, Dean. – Jackson disse mostrando segurança em sua voz.

– Não? – Dean disse arqueando apenas um sobrancelha. ­– Mas devia ter. – Ele riu e virou-se de volta indo até seu carro para se escorar novamente, ele fazia tudo numa calmaria sem fim, como um profissional, ele sabia jogar. Mas antes de Dean fazer isso, Jay deu um grito:

– PARA CIMA, DARKNESS.

Dean virou­-se em uma agilidade absurda e atingiu Jay com o cano de sua arma, o derrubando. Eu estava totalmente nervoso. Os gangsters estavam em um tiroteio do caralho, mas tinha alguns que iam na mão mesmo, tentavam a sorte. Outros estavam atirados no chão atingidos por algum tiro. Eu nunca havia passado por aquilo. E como sempre, os Hunters estavam com vantagem.

– Bom. – Dean gritou chamando a atenção de todos. ­– Eu acho que vocês terão que escolher outro líder, porque esse... ­– ele riu. – esse já era. – Dean dizia com a arma na cabeça de Jackson e os braços em volta do mesmo, o imobilizando, eu estava apavorado. ­– E então, você vai devolver meu dinheiro, ou eu terei mesmo que tirar sua vidinha de merda? ­– Dean dizia para Jay com raiva.

– E-­e­-eu gastei. – Jack disse com a boca escorrendo sangue. Ambos os lados estavam parados observando, tirando alguns homens feridos que estava no chão gemendo de dor.

Aquilo estava horrível.

– Todo? – Dean perguntou. – Então adeus. ­– Ele deu de ombros.

– Cara, você é rico, aquilo não é nada para você. ­– Jackson disse. – E pode me matar, se eu entrei nessa é porque eu sabia as conseqüências.

– Chega com essa porra de filosofia, sua bicha azeda e me responde: você gastou todo o dinheiro? ­– Dean perguntou mais uma vez.

– Não... Gastei 5 milhões. – Jay disse.

– E onde está os outros 10?

– Eu não vou te devolver, roubado é roubado. – Jackson era um idiota, não tinha medo de morrer mesmo.

– Sim, você vai... Morto ou vivo. Você que escolhe. – Dean disse.

– Então, prefiro morto. Não vou desonrar os Darkness.

– Darkness... Acho que era para vocês estarem matando, e não morrendo. ­– Dean debochou. – Quais são suas últimas palavras?

– VAI PRA PORRA!

– Ok, justo. ­– Vi Dean mover o dedo indicador para atirar, Jackson é um pau no cu, mas eu não podia deixar isso acontecer, eu ainda tinha esperanças de ele voltar a ser como antes.

– DEAN, PARA, NÃO FAÇA ISSO! – Gritei desesperado ao sair do meu fiel esconderijo, todos me olhavam incrédulos, mas Dean continuava com a arma na cabeça de Jackson.

– Castiel? – Os dois disseram em uníssono. ­– O que você está fazendo aqui? Você só pode ser louco, vá para a casa, não se envolva. ­– Dean disse bravo.

– É, Castiel... Vá para a casa, não se envolva. ­– Senti uma voz chegar por trás de mim e um cano frio em meu pescoço, droga. Era Zack. ­– Solte ele, Dean. Ou seu garotinho morre. ­– Nossa, grande coisa para convencer Dean, é capaz até de ele dizer "Foda­-se", mas não, eu pude ver a tensão nos olhos dele.

– Sério que você vai deixar seu amiguinho morrer para salvar sua vida? ­– Vi Dean dizer a Jack, óbvio que ele deixaria. – Grande homem você. – Dean ironizou. ­– E porra, Castiel. Você sempre estraga tudo! ­- Ele disse puto da vida, gritando comigo.

Eu não tinha reação alguma, e nem mentalidade para aquilo tudo, só sabia chorar igual um garotinho de 3 anos, ainda mais com aquele cano frio em meu pescoço, Zack não hesitava nem um pouco, mas eu sei que talvez ele não faria aquilo. Talvez.

– Esse garoto é um estraga prazeres. – Alec disse todo brabão. ­– Até nessas horas ele aparece. ­– Ele dizia. – Você merece um tiro no meio da testa, sai daí seu Dark imundo, deixa que eu mato ele. – Alec disse para Zack vindo em minha direção, e ele não parecia estar brincando.

– Alec, larga essa arma, por mais que seja uma ideia tentadora até para mim, você não vai matar-lo. – Dean ordenou e me olhou de um jeito como se estivesse decepcionado e irritado com a minha aparição, e ele estava.

– É, pelo visto eu não vou mesmo. – Alec disse. ­– Os tiras estão vindo. ­– Pude ouvir o barulho das sirenes se aproximando.

Dean largou Jackson e Zack me largou, cada gangue estava
fugindo para um lado, Hunters indo para os carros e Darkness voltando para a praça. Ah e claro, eu parado igual um idiota sem saber o que fazer.

– Isso não vai ficar assim. – Dean gritou para Zack e logo olhou para mim ali, parado. – Mas que garoto burro! Anda de uma vez, se não seu papai vai ter desgosto em ter que buscar o filhinho na delegacia. ­– Ele disse me puxando com força para o carro, onde Lúcifer estava na direção, pois não deu tempo de os garotos irem para os seus carros, então os outros Hunters entraram neles, e Lúcifer, Alec e Sam foram com Dean.

Dean entrou no banco do carona e não deu tempo para eu ir para o banco de trás, onde Alec estava me olhando com cara de cu e Sam mastigando uma barra de chocolate como se não tivesse acontecido nada.

Então tive que sentar no colo de Dean mesmo.

– Prontos para mais uma fuga? – Lúcifer perguntou á todos com diversão em seus olhos.

– Ah moleque, eu nasci pronto. – Dean disse.

Alec e Sam começaram a gritar, tipo um grito de diversão, só que mais estranho.

– Mas eu não nasci. ­– Falei.

– Aí é com você, ninguém mandou querer dar uma de espertinho. – Dean me repreendeu e eu fiquei quieto, pois ele estava certo. Não, eu não disse isso.

Eu me agarrava fortemente no pescoço de Dean, ainda assustado com a situação passada e a velocidade do carro. Então eu estava com a cabeça enterrada em seu pescoço, sugando todo o seu maravilhoso perfume para mim e dependendo do movimento do carro, meus lábios iam de encontro à essa sua parte do corpo, mais uma coisa para me deixar tenso.

Logo atrás vinham os carros dos outros Hunters, mas cada carro entrou em uma rua diferente e desapareceram, eu pensava que após o barulho das sirenes cessarem, Lúcifer diminuiria a velocidade do carro. Eu estava errado.

– Agora você já pode ir para trás. – Dean disse com a voz falha como se tivesse tentado resistir a fazer algo, e eu acho que ele tinha, pois eu podia sentir seu volume. Olhei para ele e sussurrei algum tipo de ''desculpa'' com a voz toda chorosa, mas Dean não disse nada, apenas ficou quieto.

Fui para trás e Alec me fuzilou com os olhos, eu realmente não me importava, apesar de ele querer me matar.

– Lúcifer – Dean disse. – Largue eu e Castiel lá no apartamento, nós temos muito o que conversar. – Gelei, mas não descordei.

– Matar é melhor do que conversar, Dean. – Alec disse.

– Pega leve. – Sam me defendeu.

– Alec, você não mata nem uma mosca. ­– Tomei coragem e arrisquei.

– É isso que você acha? ­– Ele disse pegando sua arma. ­– Então fique paradinho. – Estremeci.

Ele mirou a arma para mim, Dean o olhou sem entender, Sam também, Lúcifer se mantinha no volante e eu apenas o olhava, seguro, bem dentro de seus olhos.

– Você não vai atirar nele, se liga cara. ­– Dean o repreendeu.

– Que isso mano?! Vai defender essa putinha? Ele arruinou a nossa chance de matar Jackson.

– Baixa a arma, caralho. ­– Dean disse e dessa vez Alec o obedeceu.

– É cara, não tem necessidade disso. – Lúcifer disse e Alec caiu na risada, fazendo todos ficarem sem entender.

– Eu estava zoando, cara... – Alec disse entre risos. ­– Nunca que eu ia me sujar por causa desse garoto. – Ele disse e me olhou fixamente, fazendo eu chegar a uma conclusão: ele mentiu para aliviar as coisas. Aquele garoto realmente me odiava.

Dean também se ligou na mentira, mas Lúcifer e Sam riram juntos.

 

Lúcifer nos deixou no apartamento e logo arrancou o carro junto com os garotos...


Notas Finais


LEVANTA A MÃO QUEM ACHA QUE O ALEC IA MESMO MATAR O CASTIEL?!

Amanhã eu atualizo de novo, pra felicidade de vocês...

AGORAAA aquela pergunta básica: Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...