História Possessive love - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hazzabs, Jungkook, Kooktae, Kookv, Menção Vmin, Policial, Possessão, Taehyung, Taekook, Vkook, Vmin
Exibições 132
Palavras 2.765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, Policial, Romance e Novela, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


aqui está mais um capítulo, cujo eu esqueci de verdade que tinha que atualizar sasjaj sério, eu só fui lembrar agora

Boas leitura, perdoem os erros manos e manas

Capítulo 3 - Pain and possession


Fanfic / Fanfiction Possessive love - Capítulo 3 - Pain and possession

Era um final de semana frio e chuvoso,  Taehyung aguardava a chegada de seu amigo para que,  como de costume,  passassem a noite juntos vendo filmes e animes, adolescentes quase formados,  eles queriam mesmo aproveitar o pouco tempo que tinha ainda livres de trabalhos e obrigações máximas. 

A mãe do garoto já se acostumara com tanta visita e Jeongguk,  o amigo de Taehyung,  já era de casa,  ele poderia vir quando quisesse e a hora que quisesse,  desde pequenos foram muito grudados,  no início eram vizinhos de casa,  a infância era somente eles, mesmo Jeongguk sendo dois anos mais novo que Taehyung,  ele sempre se mostrou mais sério, em todos os aspectos. 

Taehyung adorava tudo em Jeongguk,  Jeongguk adorava tudo em Taehyung,  não é a toa que eles são melhores amigos,  e foi com um super sorriso no rosto que o mais velho fora atender a campainha que soara com algumas batidas também. 

Era ele. 

Mas então,  estreitou os olhos e deu um passo para trás ao abrir a porta. 

- Jimin? O que faz aqui? 

Jimin,  era um amigo recente de Taehyung,  se conheceram no ensino médio pouco antes de ser encerrado, de cara eles se espelharam um no outro e quando menos perceberam já era amigos como se, se conhecessem à longos anos. 

- Desculpa vir sem avisar. Eu tive problemas em casa e... Bem... Eu pensei...

- Entra - Taehyung deu espaço - Que surpresa. 

- Está esperando alguém? - Jimin perguntou se sentando no sofá. 

- Nada em especial - Taehyung coçou a cabeça e logo em seguida a campainha soou mais uma vez. 

- TaeTae - Jeongguk pulou nos braços do mais velho para um breve abraço assim que abriu a porta,  sua cabeça se deitou no ombro dele, e ao olhar na direção da sala,  viu uma cabeleira castanha e logo o soltou - O que ele está fazendo aqui?

 

 

Meus olhos abriram rapidamente,  como se um choque tivesse me acordado,  um choque na mente, mesmo de olhos abertos eu via pouca coisa,  na verdade eu não via nada,  estava tudo completamente escuro e eu não tinha noção do que estava acontecendo. 

Antes de entrar em pânico,  respirei fundo,  eu sou um policial, preciso saber lidar,  embora isso nunca tenha acontecido antes comigo.  Eu estava deitado sobre algo macio,  meus braços estavam presos para cima e eu não conseguia solta-los de formal alguma, parei se me mexer ou deslocaria meu pulso.  Senti um frio atingir meu corpo e esfreguei minhas pernas uma na outra notando estarem nuas,  assim como eu sentia meu peito também,  mas ainda estava de cueca. 

Estava pronto para ligar os fatos dos acontecimentos quando uma luz fraca se acendeu iluminado todo o local revelando uma estatura ali presente em minha frente. 

- Jeongguk - saiu mais como um sussurro. Um sorriso meio maléfico cujo eu nunca tinha visto em minha vida surgiu em seus lábios e ele cruzou os braços. 

- TaeTae - ele sorriu feito criança. Nesse momento,  um barulho vindo de um canto do cômodo chamou atenção de nós dois,  murmúrios não compreendidos e batidas na porta de um... armário?

- Quem está aí? - Jeongguk bufou revirando os olhos,  caminhou à passos lentos até o armário e com um cassetete escorado em uma parede próxima, bateu forte. 

- FIQUE QUIETO.  AGORA!  - ele gritou e eu me encolhi na cama. 

- Jeongguk,  o que significa isso? O que você está fazendo? - soltei perguntas disparadas. 

Ele ainda estava fardado. Me lembrei de estarmos no carro e de repente meu corpo ser desligado,  Jeongguk havia me derrubado com uma arminha de choque e agora estou aqui,  algemado,  somente de peça íntima, assustado,  com alguém preso no armário,  merda,  por que ele está fazendo isso?

- Jeongguk,  me solta,  somos amigos cara. O que está acontecendo? - eu tentava ser calmo.

- Eu sei que somos amigos,  mas eu simplesmente cansei - ele deu de ombros e sacou uma arma, analisando com se fosse uma obra prima. 

- Jeongguk,  por favor,  não me machuca - já sentia lágrimas descendo pelo meu rosto. 

Ele acariciou a arma mais algumas vezes e riu pelo nariz,  seu olhar me encontrou,  ele passou a língua entre os lábios e começou a caminhar até mim, passos lentos,  o barulho de suas botas ecoavam naquele chão de madeira,  tudo estava tão silencioso.  Engoli um seco quando Jeongguk pôs um joelhos em cima da cama que eu estava,  depois outro,  subindo até mim devagar,  de forma que suas pernas ficassem uma em cada lado de minha cintura, ele me olhava sorrindo com a arma na mão.

- TaeTae,  eu não vou machucar você - ele disse baixinho, tocou a arma em minha barriga fazendo uma carícia com a mesma e eu tremi, apertei os olhos com força sinto mais lágrimas - Não chore,  eu odeio te ver chorando, sabe que só quero seu bem.

Com a outra mão livre,  ele acariciou meus rosto limpando minhas lágrimas,  soltou a arma em cima da cama ao meu lado e mordeu o lábio.  Suas mãos foram parar em sua calça, na qual ele desabotoava lentamente até ter seu membro puxado para fora,  Jeongguk estava sentado sobre minha cintura e eu arregalei os olhos quando ele começou a rebolar em cima de mim fazendo seu membro deslizar em minha barriga conforme os movimentos.  

Ele mordia seus lábios com força e fazia movimentos vagarosos,  porém intensos,  sentia sua bunda roçando em meu membro coberto, ele soltava suspiros baixos e, de olhos fechados,  suas mãos foram subindo pela minha barriga até chegarem em meu pescoço parando ali e me enforcando de forma involuntária pelo fato dos toques terem aumentado a velocidade. 

- Jeong... - não conseguia terminar de falar e tossi um pouco, não podia faze-lo parar,  me esperneei e ele abriu os olhos. 

- Opa, forte demais - ele soltou meu pescoço e recuperei o ar quase perdido. 

Ele ficou parado em cima de mim e começou a acariciar seu membro ereto sobre minha barriga,  sem perder contato visual,  não conseguia de forma alguma decifrar sua expressão,  primeiro que eu não conseguia decifrar nada do que estava acontecendo aqui. 

- Para com isso, Jeongguk - eu pedi baixo - Me deixa ir, eu não conto para ninguém,  vamos fingir que isso foi só um pesadelo,  não conto nem para Jimin.

- Cale a boca,  Kim. Não fale o nome dele aqui, não fale,  NÃO FALE - ele gritou caindo sobre mim, suas mãos bateram forte no colchão e nossas respirações ficaram próximas - Não fale dele, meu amor. Não... shhh... 

Sua voz suave foi chocada contra o meu ouvido e não sei qual o motivo,  mas eu fiquei arrepiado, ainda mais quando senti minha orelha sendo molhada de leve,  era quente,  seu hálito,  sua língua, tudo o que eu fiz foi fechar os olhos e segurar minha respiração enquanto seus beijos eram distribuídos pelo meu ombro e pescoço,  depois subindo para a bochecha, canto da boca e quando eu pensei que ele ia tocar meus lábios,  mais uma vez um barulho vindo daquele armário nos assustou,  virei meu rosto de pressa.

- Merda - Jeongguk disse entre os dentes, pegou a arma do meu lado  e se levantou guardando seu membro dentro de sua calça - Eu não queria que as coisas fossem desse jeito, mas você não me deu outra opção - ele depositou a arma em uma mesa que tinha ali e coçou a cabeça ficando parado de costas para mim de cabeça baixa,  um pouco distante da cama.

- Eu não... Não entendo...

- Claro que você não entende, você nunca percebeu Taehyung,  eu gosto de você - ele se virou para mim - Mas você só enxergava o Jimin,  Jimin,  Jimin. Taehyung eu odeio aquele garoto,  ele roubou você de mim, você acha isso certo? EU NÃO ACHO. 

Jungkook colou as mãos nos cabelos bagunçando-os e urrando de raiva,  chutou uma cadeira próxima e xingou mais alguns palavrões direcionados à Jimin,  meus olhos se encheram de lágrimas novamente,  como ele poderia ser assim? Jeongguk sempre nos apoiou,  sempre esteve ao meu lado,  tão paciente,  companheiro,  amigo,  meu melhor amigo,  como isso pôde acontecer assim? 

- Mas sabe,  Tae... Eu cheguei primeiro - ele tentava controlar sua respiração por conta do ato de raiva repentino - Você é meu agora,  como sempre deveria ser - Jeongguk voltou a se aproximar da cama,  mas não subiu,  ele se agachou ao lado e sorriu para mim - Esqueça o Park.

Sua mão direita subiu em minha barriga e dedilhadas foram espalhadas por ali, também começou a dar selares próximos ao meu mamilo junto com lambidas. Logo sua mão foi descendo para a barra da minha cueca e eu encolhi as pernas, o que foi em vão,  sua mão se infiltrou no meio das minhas pernas e eu soltei um grunhido involuntário quando ele apertou meu membro por cima da cueca,  sua outra mão fazia movimentos circulares em meus mamilos dando atenção aos dois como podia,  fechei os olhos quando senti meu membro sendo revelado. 

- Uaaal - ele deu uma risadinha - Que grande,  será que cabe na minha boca?

Com certeza era uma pergunta retórica, eu estava morrendo de vergonha nesse momento,  não que ele  nunca tinha me visto sem roupas,  mas agora era diferente,  a situações era diferente e isso era errado demais.  Sgundos depois eu já estava molhado pela boca de Jeongguk, foi como um choque,  sua boca quente pareceu aquecer meu corpo frio em centésimos,  movi minhas mãos me remexendo na cama mas não havia o que fazer para ele parar,  meu pulso doía muito pelo forçamento e o mais novo segurava forte minhas coxas com as mãos enquanto meu membro afundava em sua garganta.  Era impossível sair dessa,  meu corpo ficava fraco a cada segundo que se passava, encolhia meus dedos dos pés, não sentia nem mais frio por estar sem roupas. 

A forma que ele me sugava era descontroladora,  se não estivessemos em um momento tão crítico eu estaria gemendo e agarrando seus cabelos para foder sua boca ainda mais, mas era errado,  ele havia me sequestrado como sua posse e agora estava me chupando,  era como se eu estivesse traindo o Jimin a força, mas como ele conseguia ser tão controlador? A ponto de me fazer tremer prestes a se desmanchar em sua boca,  toda essa excitação vinha de um misto de medo,  desejo, posse... Mordi o lábio para não gemer muito alto quando gozei,  ele não deixou resquícios  sequer de sêmen sugando tudo e engolindo,  erótico e errado. 

- Sempre quis sentir seu gosto,  hyung - ele lambeu os lábios - Você é delicioso,  e meu. 

Ele estava louco, literalmente. Antes de se levantar,  guardou meu membro dentro da minha cueca, depois foi até uma mochila que estava em cima de uma mesa  mexendo lá por um tempo,  tentei observar o que ele estava fazendo mas ele se voltou para mim com uma seringa nas mãos. 

- Agora você vai dormir um pouquinho,  ok? - ele se sentou ao meu lado - Amanhã eu voltou para te ver,  durma bem, TaeTae - ele me deu aquela agulhada com calma, meu corpo fora relaxando aos poucos e por fim eu me apaguei. 

 

 

- Ele está com problemas em  casa, releva essa - Taehyung dizia baixo para Jeongguk,  que encarava o baixinho na sala. 

- Mas Tae, e a gente? - Jeongguk disse num tom manhoso

- Sempre vai ter 'a gente, fica tranquilo,  é só essa noite,  e olha,  temos amanhã de sobra.  Eu prometo - Taehyung tentava conforta-lo.

Ele aceitou aquilo a força porque por dentro queimava de raiva, durante o filme,  Jimin se aconchegou entre Taehyung e Jeongguk o deixando prestes a soca-lo ali mesmo. 

- Tae, esse filme é muito bom - Jimin comentou. 

- É... Jeongguk que escolheu,  ele sempre escolhe as melhores coisas - Taehyung lançou um olhar para o mais novo que não deu a mínima para o comentário feito,  ele só queria sair do lado daquele garoto o mais rápido possível. 

- Tae, eu não estou muito afim de assistir... - Jeon  disse baixo. 

- Mas por que?

- Ah, só dor de cabeça,  acho que estudei muito hoje,  se importa se eu subir? Vou descansar um pouco. 

- Claro,  se precisar de algo me chame. 

Então ele subiu, estava mesmo com dor de cabeça,  desde que viu Park Jimin na casa de Taehyung,  aquela noite que era para ser somente deles,  estava toda estragada.  Se jogou na cama e fechou os olhos,  se revirava,  afundava a cabeça no travesseiro,  se sentava novamente,  era uma inquietação extrema,  sua cabeça doía ainda mais, pensar no fato de que Jimin estava lá em baixo sentado ao lado do seu Taehyung lhe dava nos nervos,  esse lugar era de Jeongguk,  quem ele pensa que é para chegar ocupando um território que já tinha dono? Isso não poderia ficar assim, não pensou duas vezes antes de sair do seu quarto as pressas e descer a escada para dizer tudo àqueles garotos,  mas suas pernas bambearam e seus olhos se cegaram...

Ao aparecer na sala,  viu a pior cena já vista em toda sua vida. Jimin e Taehyung se beijando. 

Era frustrante e doloroso,  queria gritar e xingar,  tampou o rosto e voltou para cima pegando suas pequenas coisas que sempre trazia pronto para sair dali,  voltou a descer as escadas fazendo o maior barulho possível tentando limpar as lágrimas,  não queria ver mais beijo e nem chorar na frente deles. 

- Guk? Aonde está indo? - Taehyung perguntou se levantando. 

- Eu vou embora, até logo - isso foi tudo antes de virar as costas rumo a porta. 

- Mas... - não ouviu o que Taehyung iria dizer,  apenas saiu batendo a porta com força. 

Desejou estar batendo em Park Jimin como bateu aquela porta,  desejou xinga-lo e dizer que Kim Taehyung o pertencia e ele não tinha o direito de se intrometer entre eles. 

A partir de agora,  ele odiava Park Jimin com todas as suas forças,  mas aquilo não ficaria assim, Jeongguk jamais pensou em entregar o que é seu tão facilmente,  e foi aí que a posse tomou conta. 

 

 

Não sei  por quanto tempo dormi, mas me despertei assustado por conta de uma forte batida vinda daquele armário,  aquele cômodo estava escuro e apenas pequenos raios solares invadiam o lugar por uma pequena janela no alto,  estava vazio e só ouvia-se as batidas naquele armário,  Jeongguk estava mantendo preso outra pessoa,  mas quem?  Pelo que parecia, estava em uma situação pior que eu,  agora eu mal sentia minhas mãos, estavam dormentes por conta da posição.  

- Quem está aí? - eu perguntei mas não ouve respostas, apenas ficavam mais fortes a cada segundo,  prestes a arrebentar a porta, em segundos,  só se via um corpo rolando para fora caindo no chão junto à porta que fora arrebentada,  levantei a cabeça e vi uma cabeleireira vermelha se remexendo no chão - Ji-Jimin ? JIMIN!  

Seus braços estava amarrados para trás e suas pernas também estava presas, ele se virou revelando seu rosto pálido, com a pouca quantidade de luz eu pude notar sua fraqueza,  em sua boca uma fita adesiva impedia-o de se pronunciar.

- Jimin,  Jimin meu amor - eu disse tremendo. Ele se virou no chão tentando impulsionar seu corpo para cima até conseguir ficar de joelhos,  e depois,  de forma desajeitada, ficou de pé. Sua situação era deplorável,  sua roupa estava rasgada e com manchas de sangue,  assim como em seu rosto onde se encontrava algumas gotículas de segue perto de seu nariz e bochecha - Vem aqui,  eu puxo essa fita de sua boca. 

Ele veio pulando em em minha direção e se abaixou no rumo da minha mão presa na cabeceira da cama,  ele fechou os olhos e eu puxei devagar pelo pouco movimento do meu pulso,  mas consegui com muita demora.

- Tae,  Jeongguk vai me matar - Jimin disse chorando. 

- Não,  ele não vai. Ele não faria mau à você. 

- Ele faria, ele fez,  eu vou morrer,  eu vou morrer, Tae.

- Shhhh, não fale assim,  vai ficar tudo bem,  alguém vai nos ajudar,  ok? - minha voz estava trêmula,  eu tentava passar confiança para Jimin mas eu também estava inseguro,  e se ninguém nos achar?

Jimin estava abaixado próximo ao meu rosto e quando ele se pôs de pé normalmente,  só vi uma sombra atrás de si. Jimin caiu no chão fazendo um baque enorme e um grito meu ecoou cheio de desespero. 


Notas Finais


Oh, mas o que é isso? kkkk Gabs sua loka sjsaksjj gente, pode parecer que as coisas estão indo rápido demais mas estão mesmo qqq é que eu já disse que a fic não vai ser graaande, entaaao...
Ah, e se vcs estão com dúvidas de quem vai ser seme\uke, não se preocupem huehuehue vcs vão ver.
beijos e até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...