História Poucas semanas. - Min YoonGi. - Yoonmin. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae
Tags Amizade Colorida, Drama, Drogas, Festas, Markson, Mortes, Pré-depressão, Taekook, Yoonmin
Exibições 91
Palavras 2.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Buh! -?

Oiii! Vortei gente~

Ó! Got7 chegou.... Mas então, sobre isso, só vão ter o Bambam, Mark, Jackson e o Youngjae. O resto eu não decorei o nome de novo tô com medo de fazer merdinha~ sou Igot7 a pouco tempo....

Mas vamos lá~

Fiquem com o capítulo fresquinho~









Leiam as notas finais, sério!

Capítulo 3 - 3# Destino.


Fanfic / Fanfiction Poucas semanas. - Min YoonGi. - Yoonmin. - Capítulo 3 - 3# Destino.

Acordei  de leve, sem dores no corpo ou indisposição, porém a vontade de levantar era zero. Levei minha mão até embaixo do travesseiro, pegando meu celular e desligando o alarme, aproveitando para despluga-lo do carregador. Queria como esse celular estar com 100% de energia... 

  Assim que me levantei, fiz minha higiene matinal e fui para a sala, olhei no relógio, - 6:23 da manhã - meu trabalho começava daqui uma hora. Passei pelo balcão e peguei uma maçã na fruteira, me dirigi até a janela abrindo as cortinas. 

  

  Nada de neve, decepcionante com o frio que está lá fora... 

Fui até meu quarto e peguei meu celular juntamente com meus fones de ouvido, sai de casa, o céu estava cinza, nuvens quase pretas. Gosto assim... Sem sol, sem claridade. 

  Os poucos raios de sol que se permitiam passar pelas nuvens iluminavam levemente a calçada enquanto andava ouvindo música, assim se inicia meu dia, - de segunda a sexta, era sempre assim. 


  Após chegar no meu trabalho, que não ficava muito longe, entrei pela porta dos fundos. Era uma lanchonete, eu era o atendente do caixa. Tudo bem eu sei, para alguém que terminou a faculdade esse trabalho não é bem algo muito digno. Mas eu gosto dele, simplesmente, gosto. Não sou do tipo que preciso de muito dinheiro, e o salário é ótimo - mesmo que eu tenha que falar com várias pessoas ao longo do dia, gosto do trabalho.

Ao entrar já consigo ouvir os gritos de Mark e Jackson. Quem são? Os garçons do local - Mark Tuan e Jackson Wang - , pra falar a verdade, Mark é o dono da lanchonete, mas trabalha como garçom também - longa história. 

  Assim que entro vou até o caixa, e óbvio que eles percebem minha presença. 

   — Yoongi! — grita Mark. Ele acena desnecessáriamente, como se eu já não pudesse vê-lo. Engraçado que, pra alguém reservado como eu, as pessoas mais próximas a mim são no mínimo barulhentas. 


   — chegou cedo hoje. —  comenta Jackson, já vindo até mim com Mark. Realmente eu tinha chegado uns quarenta minutos antes, mas assim era melhor pois eu podia sair mais cedo quando chego mais cedo também. 


   — é... — disse entrando atrás do balcão,... É até aconchegante aqui, pequeno e seguro. 


   — Youngjae vai chegar atrasado hoje. — diz Mark. Jackson se surpreende. 


   — oi? Então o Bambam também vai... — diz Jackson. Eu apenas dirigi minha atenção ao barulho da cozinha, onde tinha funcionários preparando comidas. Nunca falei com eles, nunca passo pela cozinha, raramente vou lá para chamar Mark ou coisa do tipo, porém não tenho interesse em conhecer as pessoas, então apenas ignoro quem está lá dentro. 


   — não, não vai. Ele vem de ônibus, me mandou uma mensagem ontem dizendo isso... — diz Mark. Bambam é outro garçom daqui, e o mais novo. Youngjae? Outro garçom... Os dois são irmãos, e Youngjae que trás Bambam pro trabalho. Sabe, todos eles trabalham aqui pois não fizeram faculdade, e nem vão fazer. Youngjae foi o único que começou mas não terminou, eles vivem me dizendo que eu trabalho aqui por idiotice, já que fiz faculdade e terminei a mesma. Não dou importância, eu quis isso e pronto. 


   — eu ouvi meu nome? — grita Bambam entrando pela porta da frente e imitando brevemente uma modelo, com passos firmes no chão de madeira. Mark vai até ele iniciando uma sessão de tapinhas em uma cabeça. 


   — já mandei entrar pela porta dos fundos, desgraça! — diz Mark. Eu apenas reviro os olhos. 


   — tá tanto faz. — Bambam da de ombros ingênuo. Então sorri para mim e Jackson. — oi vadias, cê são diabéticas se preparem, seu docinho chegou! — ele diz fazendo posses chamativas. Bufo em resposta. Bambam sempre foi assim, escandaloso, com um vocabulário péssimo e extremamente gay. — tá, parei, vô por minha roupa. — ele termina e sai. 


   —  cada vez pior... — argumenta Jackson se referindo ao menor. Assenti. 


   — tenho de concordar dessa vez. — digo. Nos próximos minutos ficamos em silêncio, Mark estava meio impaciente e pensativo, andava de um lado para o outro, arrumava cadeiras que já estavam arrumadas e fazia batuques com os dedos na mesa. Jackson percebe. 


   — Mark, você está bem? Cê anda pra lá e pra cá como se estivesse esperando alguém... — diz Jackson. Mark para e o olha. 


   — na verdade estou. — ele fala. 


   — quem? — pergunta Jackson. 


   — um novo funcionário. — concluí Mark. 


   — garçom, cozinheiro, substituto... — Jackson começa a perguntar. 


   — garçom. — diz Bambam enquanto vinha até nós, a frente do balcão, antes que Mark pudesse responder. 


   — oi? Querida, andou mexendo no meu celular? — pergunta Mark mostrando surpresa. — era pra só eu saber sobre isso! 


   — exato! — começa Bambam, que agora já estava com a roupa de garçom que Mark insistia que eles deveriam usar. — no intervalo seu celular é basicamente meu. Pego ele de boa na sua mala e vejo todas as suas mensagens, novas músicas...  — Bambam diz e Mark fica pasmo. 


   — mas eu ponho senha na merda toda, vagabundo! — diz Mark. 


   — uma pena que sei ela... — Bambam pronúncia vitorioso. 


   —  eu vou—— Mark para a frase no meio ao olhar feliz para o fundo da lanchonete. Eu apenas olho para ver o que o faz abrir um sorriso tão grande de surpresa assim como os outros fazem. Simplesmente sinto meus movimentos irem embora, eu fico boquiaberto com quem vejo se aproximando de nós, pequeno de cabelos que me lembram neve, vem tímido porém levemente sorridente. — Jimin! — Mark finalmente conclui sua frase e vai até Jimin, o mesmo estava aqui, nesse momento - que eu acreditava não ser real -, Jimin recebe um abraço confortante de Mark que era bem maior que ele. 


  — então esse é o tal Jimin com quem você falava? — diz Bambam indo até Jimin para comprimenta-lo. 


  — sim, é ele mesmo, sabe... — não presto atenção no que Mark fala assim que Jimin me vê. Ele paralisa também. 


  — Hyung?! — Jimin acaba se surpreendendo e todos ali presentes olham para mim. 


  — Jimin, o que está fazendo aqui?! — digo sem entendimento. 


  — vocês se conhecem? — pergunta Mark confuso. 


  — tê pergunto o mesmo Mark! Desde quando você conhece o Jimin? — pergunto. Jimin estava calado e mais tímido ainda. 


  — ué? Nos conhecemos à muito tempo! Em um acampamento, não é Jimin? — Mark começa e Jimin assente. — antes de voltar pra cá, Jimin me estava me dizendo por chat... — Mark lança um olhar desconfiado para Bambam, que no momento fica risonho. —... que precisava de um trabalho fácil, então eu disse pra ele vir trabalhar conosco! Não imaginei que vocês fossem conhecidos, que legal! — Mark se mostra feliz. A princípio eu não sabia o que pensar, os outros - Taehyung, Hoseok, Namjoon... - não sabem onde trabalho, não quero que saibam também, pois se ocorrer de saberem, irão vir aqui a todo momento, e isso vai ser péssimo! — como vocês se conheceram? — pergunta Mark e eu olho para Jimin.


   — mas enquanto isso, oi Jimin, prazer....! — diz Jackson indo comprimentar Jimin, Bambam faz o mesmo. 


   — somos amigos desde a infância... — digo para Mark que bate palmas. 


   — ótimo, eu shippo. — ele diz. 


   — eu também! — exclama Bambam. Eu apenas reviro os olhos em reprovação, Jimin tímido cora. Os outros partem para falar com Jimin, Mark começa a comentar sobre a mudança de visual dele, Bambam faz comentários nada discretos sobre a bunda dele - a qual é aparentemente grande, e não pretendo reparar -, enfim, eu apenas observo lá fora pela porta enquanto Mark leva Jimin para conhecer o local nos últimos vinte minutos que tínhamos antes do estabelecimento abrir. Após algum tempo de conversa todos conferem se tudo estava correto, Jimin já estava vestido com um terno branco, - sim, esse era o traje dos garçons - e eu tenho que admitir, quando o olhei, senti algo estranho percorrer meu corpo, tomar conta da minha mente. Jimin estava me causando sensações estranhas, mas não entendo o significado de tais. 


  Preciso falar com Jimin, mas se fizer isso agora irei alimentar ilusões e piadas desnecessárias vindas dos outros.. Falo com ele assim que possível, tenho que tratar de ser rápido mesmo assim..  


— vamos abrir. — diz Mark e abre o estabelecimento, assim já posicionando placas de anúncios na frente do local. Apenas alguns minutos e o sino de cliente foi ouvido. Três garotas,... Elas sempre frequentam aqui, mas eu preferia que elas fossem mais discretas, afinal a mais alta sempre me manda piscadas, beijos pelo ar e olhares sedutores quando ninguém está vendo, algum dia ainda as mando para uma casa de prostituição, cadelas. 

Adivinha quem vai atende-las? Sim, Jimin. Se me importei? Não. Mas é incrível o como ele é inocente, as garotas falam de um jeito sedutor e quase se esfregam nele pra pedir um simples suco. 


  

  Me desliguei desses pensamentos, assim apenas prestei atenção em deixar o caixa pronto, sempre olhando a porta pensando em sair dali assim que possível. 


                                                       ~*~



  O dia passou mais rápido que o normal, eu olhava o tempo todo para Jimin, não conseguia desviar o olhar, meus olhos simplesmente se deslocavam em sua direção e quando me dava conta eu estava o observando. Mas ele era realmente fofo, um sorriso que atraía, uma voz doce e uma breve timidez o faziam ser lindo e apreciável, as pessoas que eram atendidas por ele acabavam sorrindo em reflexo, a educação dele também era admirável; "... com licença e, desculpe se demorar com o pedido, estamos cheios hoje."


  Mas quando ele diz que estamos cheios, realmente estamos, nunca vieram tantas pessoas assim em um dia só. Parece que Jimin atrai e puxa as pessoas com seu sorriso e cabelos de coloração que me lembra neve - amo repetir isso -, trabalhei o dobro hoje e tive que enfrentar diversas cadelas extrovertidas puxando o meu saco sem falar nada. 


  

  Observava mais uma vez Jimin trabalhando quando me dei conta que já era quase hora de ir para casa, o sol forte que iluminava o local agora tinha se tornado avermelhado mais uma vez, se punha diante de meus olhos, atravessando a porta transparente e tendo sua luz substituída por lâmpadas.


  — quinze minutos, Yoongi! Conte comigo os minutos para sair daqui e ir para fora daquela porta... — diz Jackson que estava pegando um segundo bloco de notas no balcão. 


  — nós saímos pelas portas do fundo, esqueceu? — disse normalmente e Jackson riu com sarcasmo. 


  — idiota, larga de ser assim. — ele diz já com o bloco de notas em mãos esperando a comida ficar pronta para levar ao seu destino. E mais uma vez eu estava ouvindo aquilo... "deixe de ser assim". — meu pai, Yoongi, pare de secar o garoto! — diz Jackson e me dou conta de que meus olhos estão seguindo Jimin mais uma vez. Desvio meu olhar desconcertado. 


  — cuida da sua vida. — digo e Jackson ri. 


  — o amor jovem é lindo. — ele concluí e vai até uma mesa que o chamava, bufei desgastado. 


  


                                                       ~*~


   — Jimin! — disse brevemente, chamando o menor que estava quase saindo, ele se assusta levemente, parecia que estava apressado pois não queria meu encontro. 


   — sim...? — ele diz me esperando. Já havíamos terminado nosso expediente, agora o rumo era nossa casa. 


   — vamos embora juntos. — digo firme. 


   — tudo bem... — ele diz tímido e treme um pouco. Apenas saímos dali, Jimin já tinha se despedido dos outros,  então começamos a andar rumo a nossa casa. Quebro o silêncio.


   — contou sobre seu trabalho aos outros? — perguntei, Jimin ainda olhava o chão chutando algumas pedras que encontrava. 


  

   — não, por que? — ele diz, eu suspiro. 


   — Jimin... Vamos fazer um trato. — digo e percebo Jimin arrepiar, agora algumas estrelas já se misturavam ao avermelhado intenso e faziam uma mistura de cores dignas de uma pintura para museu. 

    

   — que trato...? — ele pergunta. 


   —  não conte aos outros sobre seu trabalho por mim, por favor. — falo e ele me olha confuso. — não faça perguntas. 


   — mas... O que você vai fazer se eu contar? — ele pergunta, sinto o vento bater em meu cabelo, os balançando em uma cena clichê. 


   — irei tê castigar, Jimin. — eu falo. — de um jeito que você irá gostar na noite e se arrepender pela manhã. — falo, Jimin inocente não entende. 


   — vai me bater? — ele pergunta. 


   — não. — eu nego. — esqueça. 


   — tá. — ele fala. Já tínhamos percorrido metade do caminho, cansados. 


   — espero que neve,... — digo agora flitando o céu estrelado, a lua dificilmente aparecia por trás de nuvens cinzas pintadas com preto e um leve branco. Era uma mistura de borrões, pintas brancas, e uma imensidão escura. 


   — também... — concorda Jimin, agora olhando o céu também, deixando o frio gélido atingir seu pescoço.


   — como isso foi acontecer? — pergunto. — você vir trabalhar no mesmo trabalho que eu,... — Jimin me olha e então acompanho o ato, o flitando mais uma vez naquele dia que passou como pássaros migrando - rápido -, ele sorriu mostrando seus dentes, seus cabelos agora balançavam em uma velocidade rápida, como meu coração, - não sei explicar o do por que isso acontecer - e seu nariz estava levemente avermelhado pelo frio. 


   — não sei... — ele diz breve. — acho que foi destino




Notas Finais


[LEIAM ÀS NOTAS PLEASE!!!!]


- primeiramente - olha o meu desespero pedindo pra vocês lerem esse aviso~ kkkkk. ;U;


Mas então~

Vou viajar, - ninguém se importa - e onde eu vou, adivinha.... NÃO TEM INTERNET~ AAAAAAAAAAAEEEEEEE!!!!!


Deu merda gente, uma semana sem postar, mais essa, por que é semana de provas e eu tenho que estudar- ;U;


Então,...

Kissus de Yoonmin, até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...