História Cinema - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Skrillex
Personagens Sonny John Moore (Skrillex)
Tags Ansel Elgort, Dillon Francis, Diplo, Getter, Marshmello, Martin Garrix, Mija, Owsla, Slushii
Exibições 43
Palavras 762
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee! Voltei, obrigado pelos favoritos <3, amo vcs!
Cap. do Sonny, só pra saber da visão dele sobre minha querida Sam.

Capítulo 3 - Capítulo Dois:


Fanfic / Fanfiction Cinema - Capítulo 3 - Capítulo Dois:

 P.O.V Sonny Moore

  Alessandro me encaminha até uma área reservada e me senta em uma mesa cheia de bebidas.

   -Mas já? –pergunto e ele nega.

   -Vamos esperar o Ansel chegar.

   -Ansel, tipo, Ansel Elgort? O cara de A culpa é das estrelas?

   -Exatamente. –fala. –Ele e a irmã dele.

   -Sophie? –indago.

   -Não, a outra, mais nova.

   -Ele tem outra irmã? –pergunto curioso. Ale me serve um copo de cerveja e acente.

   -Samantha Ryan. Ela é adotada.

  Arregalo os olhos quando ele fala isso. Adotada. Exatamente como eu. Ale sorri ao me ver de olhos arregalados.

   -Sim, exatamente como você. Mas, ela foi adotada aos treze anos, quando os pais morreram em um acidente de carro. Ela morava no Brasil aquela época. Quando os pais do Ansel descobriram correram pra lá. A mãe dela era prima do Arthur, e apesar de Grethe só ter visto ela uma vez na vida, decidiu adotá-la. Poucas pessoas sabem sobre ela na verdade. Sam quis isso e eles respeitaram.

  Minha cabeça pesa com tanta informação de uma só vez. Nossa essa garota deve ser incrível. Principalmente por sua história.

  Sem falar nada Alessandro se levanta e abre um sorrisão. Viro para o lado e vejo Ansel parado perto de nós, mas não vejo ninguém, ou melhor, nenhuma garota com ele.

   -Ans! –ele exclama. –Vem pra cá cara, quero que você conheça alguém.

  -Você vai ter que vim aqui. Samantha não quer desgrudar da porra do chão.

 Então TEM mais alguém com ele. Mas ela deve estar escondida. Chegamos perto deles e Ansel me lança um sorriso simpático.

 Ele realmente é o tipo de cara que toda mulher sonha: Alto, bonito, musculoso e gentil.

  -É um prazer conhecê-lo Ansel. Eu sou Sonny. –digo lhe estendendo a mão.

  -Prazer cara, minha irmã é sua f... –ele arregala os olhos e abre a boca em formato de O. -–MEU DEUS SAM! ENTÃO É POR ISSO? –grita.

  Então, alguém sai de trás dele. Uma garota baixinha (mais baixa do que eu, acredite), de olhos castanhos escuro, bochechas fofinhas, carinha de criança e lábios, han... Extremamente beijáveis, pode-se dizer assim, pois não são nem muito carnudos nem muito finos.

  Ela usa uma Blusinha preta, por cima dela uma camisa xadrez, uma calça preta rasgada, tênis de cano longo cinza escuro, e óculos de sol na cabeça. Seu corpo não é gordo, nem muito gostoso e sim na medida certa.

  Ansel sorri ao seu lado e rapidamente ela bate em seu braço. A cena é tão cômica que eu dou uma gargalhada. Samantha abaixa a cabeça e deixa os cabelos negros e roxos caírem em seu rosto.

   -Prazer em conhecê-lo. –fala com uma voz calma e melodiosa, quando decide lovantar o rosto novamente. –Sou muito sua fã.

   -Prazer em conhecê-la, han..?

   -Samantha Ryan Elgort.

   -Sam. –respondo e acendo um cigarro.

...

  Samantha não era a fã que eu esperava. Ela não fez escândalo ao me conhecer, não tirou muitas fotos, nem odiou Charmaine como eu pensei.

  Impressionantemente ambas passaram horas conversando, enquanto nós homens bebíamos e nos divertiam.

   -Então Ansel. –falo após mais uma rodada. –O que sua irmã faz?

   -Bem, Sam acabou de se formar em fotografia na New York Film Academy, fazem uns quatro dias. Depois eu não sei, na verdade nem ela sabe.

   -Ela é confusa?

   -Isso é um elogio na verdade. Ela é maluca. Não sei o que aconteceu hoje. –olho pra ela.

  Sam prendeu o cabelo em um coque bagunçado assim como Charmaine, ambas conversam alegremente, sentadas uma do lado da outra.

   -Será que ela aceitaria trabalhar comigo? –pergunto a Ansel.

  Ele me encara com um ar de irmão super protetor, o que me faz pensar o quanto isso é engraçado, sendo que Samantha tem 22 anos.

   -Talvez. –fala e pega o celular. –anote o celular dela, ela vai ficar empolgada.

   -Ok.

...

 

  Não consigo parar de pensar em Samantha.

  São seis horas da manhã e minhas mãos estão coçando para ligar para ela e saber se ela já está indo para o aeroporto.

  Como isso aconteceu? Nem eu sei. Desde a hora que ela saiu daqui, ás duas e meia, eu não paro de pensar nela.

  Pela décima vez desde as cinco e meia eu procuro o nome dela nos meus contatos e abro seu perfil no Whatsapp.

  Sua foto de perfil é linda (pausa para a risada histérica interna), somos eu e ela fazendo biquinho. E seu status diz: “EU CONHECI ELE GENTEEEEE”.

  Começo a pesquisar seu nome no Instagram, mas me detenho.

  O que está acontecendo com você Moore? Porra, para com isso.

  Idiota. 


Notas Finais


Desculpa pelo capitulo curto, mas foi ima inspiração de momento.
E afinal, eu não consigo pensar como um homem, é chato.
Look da Sam: http://www.polyvore.com/love_it_lt/set?id=209069727


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...