História Pra Sempre - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Visualizações 2
Palavras 2.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - O Almoço


-Almoçar na sua casa? - John foi pego de surpresa.

-Convite da mamãe. - digo.

John fica pensativo, começa a andar de um lado pro outro.

-Se não quiser ir não precisa, digo a mamãe que você teve um compromisso…

-Então quer dizer que vou conhecer minha sogra? - John abre um sorriso de orelha a orelha.

-John… - começo a rir. - Sogra? Essa foi boa!

-A mãe da minha namorada é o que? - John me encara.

-Namorada? - quem foi pega de surpresa foi eu agora.

John se aproxima e me segura pela cintura.

-Sim, minha namorada! - John é enfático.

-Oh John! - fico emocionada.

-Sarah… - Celeste nos flagra abraçados. - Acho que interrompi algo.

-Celeste! - me afasto de John o mais rápido que posso.

-Pior se você a dona Valéria! - Me arrepio toda ao pensar nessa possibilidade. - Olha… Não precisa ficar com essa cara de bobos, eu já desconfiava faz uns dias, e aprovo tá…

-Aprova? - John sorri.

-Você jamais vai encontrar moça melhor meu filho! - Celeste nos aponta o dedo. - Mas quero que a partir de hoje vocês dois tomem mais cuidado, dona Valéria pode descobrir vocês a qualquer momento, os aconselho a não demostrarem afeto aqui na casa…

-Mas é tão difícil! - John me abraça.

-John! - me solto dele de novo.

-Eu sei meu filho, essa idade é fogo, ainda mais quando se está apaixonado, mas tomem o máximo de cuidado, por favor! Me prometem?

-Sim! - respondo.

-Prometo tomar mais cuidado, mas não posso ficar 100% longe! - John me abraça de novo.

Celeste solta uma gargalhada.

-Você não tem jeito mesmo né John! - digo me afastando dele novamente. - Preciso continuar meu serviço, beijos! - jogo um beijo no ar e saio.


 

[…]


 

-Você viu o John por ai? - pergunta Patrik.

-Estava lá fora agora de pouco.

-Obrigado, preciso que ele me ajude a concertar um brinquedo da minha coleção.

-Que brinquedo? - fico curiosa.

-A perna do meu Homem de Ferro saiu, não consigo concertar. - Patrik me mostra o boneco quebrado. - Muito burro, pisei nele sem querer!

-Posso dar uma olhada?

Patrik me estende o brinquedo, o analiso, o viro de um lado e do outro, devagar consigo encaixar a perna do boneco novamente e devolvo para Patrik.

-Vê se ficou bom? - pergunto.

Patrik mexe na perna do boneco e sorri.

-Obrigado Sarah, você salvou minha vida! - Patrik me surpreende com um abraço.

-Não foi nada, magina! - retribuo o abraço.

“Que garoto fofo!”

-Ei, ei, posso saber o que tá rolando aqui? - John aparece.

-A Sarah conseguiu arrumar a perna do meu Homem de Ferro, olha! - Patrik mostra o brinquedo para seu irmão. - Ela não é demais?

-Oh se é! - John me encara e sorri.

-Obrigado Sarah, tchau! - Patrik sai correndo todo feliz.

-É… Com certeza você é demais! - John se aproxima e me encara.

-Não tá lembrado do que a Celeste disse não? - provoco.

-Que Celeste? - John brinca.

-Que maldade John!

-Maldade é eu ficar longe de você tanto tempo.

-Vinte minutos para ser mais exata. - olho as horas no celular.

-Uma eternidade! - John me segura pela cintura.

-Posso saber o que está acontecendo aqui? - dona Valéria aparece do nada.

“#morri!”

-A Sarah escorregou no tapete mãe… Estava passando e consegui salvá-la a tempo! - John sorri sem graça.

-Obrigado senhor John! - entro na mentira. - Se não fosse por ele teria caído feio! - tambem sorrio sem graça.

Dona Valéria continua nos encarando séria.

-E vai ficar segurando ela mais quanto tempo? - dona Valéria olha para as mãos de John.

John me solta.

-É… - começo a dizer.

-Vê se toma mais cuidado criadinha, na próxima pode ser que o John não esteja passando pra você se jogar em cima! - dona Valéria alfineta ao passar por mim.

Fico sem reação, John me encara e me abraça.

-John por favor, sua mãe pode voltar! - tento me afastar dele.

-Juro que não me importo! - John é firme. - Não aguento ela te tratar assim!

-Mas preciso desse emprego John… - o encaro. - Por favor! - imploro.

Relutante ele me solta.

-Até mais minha namorada! - John beija minha testa.

-Tchau! - aceno e ele vai embora.

“Como pode um cara perfeito como ele ser filho dessa megera?”


 

[…]


 

Me olho no espelho toda nervosa, afinal logo o John estará aqui, nunca na vida apresentei um namorado a minha mãe, bom… Nunca namorei de verdade, só me lembro de um único carinha gostar de mim na oitava série, só dei um beijo nele e foi pra nunca mais, cara pegajoso!

-Deixa que eu atendo! - grito ao ouvir a campainha.

Desço correndo as escadas, chego em frente a porta da sala e respiro fundo, assim que a abro me deparo com John todo sorridente.

-Olá Sarah! - diz ele.

-Oi John! - sorrio de volta.

-Posso entrar ou corro risco de vida? - brinca ele.

-Claro que você pode entrar, e sem risco algum de vida!

Assim que ele passa por mim me da um selinho.

-Senti saudades! - sussurra ele.

-Tambem! - respondo.

-Oi cunhadinho! - Loren vem descendo as escadas.

-Oi Loren! - cumprimenta John.

De repente a campainha toca de novo.

-Deve ser o Theo! - Loren vem até a porta toda sorridente.

-Oi amor! - diz Theo assim que Loren abre a porta.

-Que saudades amor! - Loren se joga nos braços de Theo.

Eles conversaram sobre sair de Hover City e tal, e como já era esperado o Theo aceitou esse plano da Loren, disse ele que onde ela for ele vai nem que seja o fim do mundo, romântico esse meu cunhado, mas se ele faz minha irmã feliz tambem fico feliz!

-Oi Sarah, oi John! - acena Theo.

-Oi! - eu e John dizemos ao mesmo tempo.

-E ai cara já conheceu a fera? - Theo pergunta para John. - Cara se prepara, dona Margo não é mole não, ela é super brava e ultra protetora com as filhas… - John vai ficando branco. - Eu achei que não ia conseguir passar por seus testes, a Sarah não te falou dos testes? É um teste de sobrevivência mesmo cara, sinistro…

-Bom saber o que você acha de mim querido genro! - mamãe aparece na sala.

John engole em seco.

-Então você é o John? - mamãe se aproxima.

-É… Sou eu sim… Senhora. - John tá super nervoso.

-Querido John não precisa ficar com medo de mim não, Theo ama fazer gracinhas, eu não mordo! - mamãe sorri. - Vem aqui e me dê um abraço!

Relutante John se aproxima de mamãe e lhe da um abraço.

-Nossa mas que menino cheiroso! - mamãe se solta de John. - Soube escolher bem hein Sarah! - mamãe me lança uma piscadinha. - Ta vendo… Não mordo! - ela sorri para John.

John sorri sem graça mas aliviado.

-Quase matou o John do coração amor, tadinho! - diz Loren sorrindo.

-Mas foi legal ver ele quase saindo correndo branco feito cera! - Theo cai na risada.

-Juro que por um momento achei que fosse verdade! - comenta John.

-Relaxa cara, dona Margo é um doce de pessoa, pense numa sogra liberal…

-Menos né Theo, menos! - mamãe faz sinal com a mão. - Enfim… O almoço está na mesa, vamos lá?

Todos seguimos mamãe até a cozinha, John senta-se ao meu lado, Theo e Loren na minha frente e mamãe na cabeceira da mesa… Anfitriã.

-Você gosta de arroz com frango John? - pergunta mamãe lhe servindo.

-Confesso que como de tudo, não tenho frescura não! - John olha para seu prato. - Parece bem apetitoso, o cheiro está uma delícia!

-Pra mim é o melhor arroz com frango que existe, melhor até que o da minha mãe! - comenta Theo. - Que ela não fique sabendo que eu disse isso! - Theo avisa todos na mesa.

-Pode apostar que quando você chegar em casa vai levar maior bronca por isso! - provoco.

-Como você é má cunhadinha! - Theo semi serra os olhos em minha direção.

-Mal é você falar mal da comida da sua própria mãe! - Loren defende a sogra. - Eu gosto do tempero dela tambem tá!

-Você não conta, é puxa saco! - Theo provoca Loren.

-Olha… Conheço a Conceição a anos, ela sempre cozinhou muito bem! - mamãe defende a amiga.

-Meu deus! O que tem nesse arroz, pó das fadas? - comenta John ao experimentar o primeiro bocado.

Todos caímos na gargalhada.

-Tem muito carinho e amor John, aliás… Isso é o que não falta nessa casa! - comenta mamãe se servindo do arroz com frango.

-Queria poder dizer o mesmo da minha família. - John deixa escapar.

O clima fica tenso, todos ficam em silêncio.

-Você acha que é só na sua família que o clima é tenso? - começa Theo. - Minha mãe briga comigo todo santo dia cara, “pega pra mim moleque?” “não faz nada útil mesmo hein!” - Theo imita sua mãe.

Todos começamos a rir e o clima pesado vai embora.

-Mas seu irmão é um fofo John! - comenta Loren.

-Concordo com a Loren, Patrik é um doce de menino! - comento.

-Ah, você tem um irmão mais novo? Que adorável! - mamãe fica interessada.

-É fofo e adorável com vocês, mas comigo ele apronta bem… Teve um dia…

E assim o almoço segue com John relatando coisas sobre seu irmão, Theo não perde a graça, mamãe demonstra que gostou de John, ela tambem lhe pergunta algumas coisas pessoais, que confesso… Nem eu sabia, acho que é por que quando estou com John não precisa muitas palavras, já nos entendemos com o olhar, e vendo ele aqui agora com minha família me da uma paz, uma sensação boa, parece que John pertence a esse lugar, ele é o cara certo pra estar na minha vida!

-O papo tá ótimo, o almoço estava mais ainda, mas preciso ir, o trabalho me chama. - Theo se levanta da mesa.

-Mas já amor? - Loren tambem se levanta.

-Peguei o jardim o seu José pra dar um trato.

-Que pena, achei que ia passar o Sábado com você! - Loren faz biquinho.

-Mas preciso mesmo ir amor, afinal, pra dar o fora de Hover City vamos precisar de dinheiro né, como topei essa aventura com você, preciso fazer minha parte! - Theo abraça Loren pela cintura. - O que não fazemos por amor hein! - ele roça o nariz no dela.

-Já que é por um bom motivo vou te liberar dessa vez! Te acompanho até a porta. - Loren e Theo saem.

-Deixa que eu te ajudo a tirar a mesa dona Margo. - John começa a recolher os pratos.

-Magina! Que isso meu filho! Pode deixar que me viro! - mamãe tira os pratos da mão dele. - Vão dar uma volta vão!

-Por favor dona Margo, me deixe ajudar! - insiste John.

-Não precisa, de verdade, vou ficar constrangida se fizer isso. - mamãe coloca os pratos na pia. - Por que não leva ele ao parque Sarah? Depois do almoço é sempre bom curtir uma sombra. - sugere mamãe.

-Boa ideia mãe! Vamos John! - começo a sair da cozinha.

Relutante John começa a vir atrás de mim, de repente ele para, vai até onde mamãe está e lhe da uma abraço.

-Obrigado dona Margo, pelo maravilho almoço e pela companhia, a senhora é fantástica, não é atoa que a Sarah é o que é… Uma garota mais que especial!

Mamãe que é uma manteiga derretida fica com os olhos marejados.

-Que isso John, magina! Gostei muito de te conhecer, você é um rapaz excelente, sei que minha filha está em boas mãos!

-Ouvir isso da senhora me da uma alívio enorme! Obrigado! - John abre um sorriso de orelha a orelha.

-Eu ficaria mais aliviada se não me chamasse mais de senhora, por favor, me sinto uma velha de 90 anos! - todos caímos na gargalhada. - Só me promete uma coisa!

-O que a senhora… Quer dizer… Você quiser. - John presta atenção.

-Me prometa que vai cuidar da Sarah e que nunca vai magoá-la! - mamãe encara John.

-Não só vou prometer isso e muito mais, prometo fazer a Sarah a garota mais feliz do mundo! - John soa convicto.

-Ótimo! Agora vão e bom passeio! - mamãe se despede.


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...