História Pra Você Guardei o Amor - Camren - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui, Romance
Visualizações 716
Palavras 2.572
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


gnt Pra Você Guardei o Amor ficou com os dias quarta e sábado... obg aos q votaram

Capítulo 25 - Construir Uma Família


Foi o estômago que obrigou as mulheres a sair da cama depois que lembraram que não faziam uma refeição direito desde o almoço do dia anterior. Elas haviam tido um dia maravilhoso, se amaram na banheira até a água gelar seus ossos e serem obrigadas a se retirar, passando para a cama, na qual compartilharam de carícias lentas, mas tão íntimas, daquelas que você não compartilha com qualquer um.

– A companhia aérea disse que minha mala deve voltar para cá em algum voo de amanhã ou depois. – Camila disse entrando na cozinha parando atrás de Lauren olhando por sobre seu ombro. – Não acredito que fez lasanha. – Depositou um beijo no ombro da mulher que sorriu ternamente.

– Não deve estar tão boa quanto ficaria se você tivesse feito, mas dá para encarar. – Respondeu Lauren cortando os pedaços dentro da forma que fumegava.

– Querida, você é a rainha das lasanhas! Não tenha dúvidas disso. – Respondeu colocando os pratos na mesa deleitando-se com a gargalhada que Lauren deu.

As duas começaram a comer em meio a conversas triviais aproveitando cada segundo da companhia uma da outra, como se houvesse eras que não se viam e bem depois das últimas semanas é como se tivesse acontecido isso mesmo.

Se elas parassem um momento para analisar, pouca coisa havia mudado no relacionamento delas, as conversas corriam fáceis como sempre. Os momentos continuaram regados do carinho que sempre compartilharam. A única diferença mais notável de todas é que agora além do entrelaçar dos dedos, seus lábios sempre se encontravam, fosse num curto ou num longo beijo. E é claro, elas poderiam dividir a cama de uma forma bem mais interessante.

– Camz – Lauren a chamou – tem algo que quero te perguntar a algum tempo sobre a Sophia – a latina somente assentiu já imaginando o que seria enquanto terminava de mastigar - o que ela disse para você aquele dia? Por que ela ficou tão brava? Quer dizer, eu meio que suspeito o porquê ela tenha ficado tão brava, mas eu realmente queria saber.

– Haa, aquela pestinha! – Camila riu – Ela viu o que nós demoramos a ver. O que eu demorei a ver, ou o que eu não queria ver, mais precisamente. Ela disse que você tinha nos traído porque éramos uma família e que Lucy atrapalhava tudo. Aí ela descontou a frustração de uma criança de sete anos em você. – As mãos se encontraram por cima da mesa e entrelaçaram-se, gesto tão comum entre elas, mas tão significativo.

– Acha que ela vai me perdoar? – Perguntou receosa enquanto seu polegar roçava pelo polegar de Camila.

– Crianças são resilientes Lolo, ela ficou chateada sim, mas ela te ama. Eu tenho plena certeza que quando conversarmos com ela vai ficar tudo bem. – sorriram uma para a outra em meio ao silêncio que seguiu.

– Diga o que você quer dizer. – Lauren disse sorrindo fazendo Camila corar.

– Como você me conhece tão bem? Às vezes eu tenho medo de você, sabia? – suas bochechas ficaram alguns tons mais vermelha e Lauren deu de ombros, mas apertou sua mão para encorajá-la – Eu... é cedo para falar disso Lauren, deixa para lá.

– Você pode me dizer o que tiver vontade, mesmo se for algo que extrapola o nível do esquisito – elas compartilharam uma risada – Se estivermos juntas Camz, poderemos solucionar qualquer coisa estranha que venha a existir entre nós, mas precisamos estar abertas a ouvir e a dizer, eu não vou te pressionar, mas quero que saiba que sempre estarei aqui a todo ouvidos.

– Não é nada esquisito em si. Eu... quando Sophia mencionou nós, eu, você, ela e Liam com uma família, soou tão certo para mim, tão perfeito, que eu queria deitar naquela cama e chorar junto com ela, e eu percebi que eu sempre vi isso, e quis isso, mesmo antes de pensar em nós... assiím, mesmo antes de pensar em você como minha – Camila parou, elas não tinham um nome para aquilo que estavam vivendo e isso pouco importava – mesmo antes de pensar que estaríamos juntas, romanticamente falando, eu já nos considerava uma família. Meio cedo para falar sobre isso, não? – Camila terminou mordendo seu lábio inferior e pôde presenciar o sorriso de Lauren se alargando e a latina poderia jurar que a cara dela iria partir a qualquer momento – esse seu sorriso está me assustando, sério mesmo. Está tomando todo seu rosto e você está prestes a se tornar um monstro medonho da boca risonha. – Lauren gargalhou.

– Você e essa sua capacidade de transformar o momento mais fofo e terno em gargalhadas – a latina deu um sorriso presunçoso – Camz, no instante em que eu vi você sentada no chão do pátio do orfanato com Liam em seu colo e Sophia ao seu redor, meu cérebro fez toda essa cena se materializar no chão da nossa sala, eu desejei tão ardentemente isso que até Madre Cecília percebeu. Ela sempre soube.

– Ela tem uma visão biônica. – Disse Camila rindo.

– Ela vê com o coração Camila.

– Quem diria que Lauren Jauregui seria tão sensível e romântica? – Camila começou a debochar da morena, mas sempre a olhando carinhosamente.

– Não enche! – disse jogando um guardanapo na latina.

– Lern – a morena deu um olhar mortal para a latina que a ignorou – uma vez eu te perguntei se você já havia pensado em construir família com alguém – a morena acenou com a cabeça mostrando que se lembrava do fato – então quando você disse que já havia pensado em alguém, mas que nunca esteve assim com essa pessoa você estava falando...

– De você? – Lauren perguntou.

– De mim? – Camila perguntou prendendo a respiração e Lauren sorriu tão ternamente que tudo dentro da latina derreteu.

– Quem mais seria? Só podia ser a pessoa mais tremendamente cega desse mundo. – Camila riu lembrando-se do que havia dito.

– Desde aquela época?

– Desde muito antes.

– E depois eu quase morri de ciúmes de você naquela boate, lógico que eu só admito isso hoje, mas quem é aquela mulher?

– Uma namorada do passado, uma que durou um pouco mais do que um par de semanas, não são lembranças muito boas. Não precisa ficar com ciúmes. – Lauren completou vendo a cara da latina e resolveu mudar de assunto - Ha, só para constar, eu ainda não te perdoei pelas rosas. – Lauren completou forçando um olhar bravo para Camila.

– Que rosas? Não sei do que você está falando. – A latina estava sinceramente confusa.

– Você não mandou rosas, mas insinuou que eu gostava. – Lauren segurou os pingentes do seu cordão, um pequeno sol e uma pequena lua – então eu recebi um buquê imenso delas que mal passou pela minha porta no dia seguinte. – Camila tentou segurar, mas não conseguiu e soltou uma sonora gargalhada enquanto sorvia um pouco do seu suco e acabou engasgando, mas ainda assim não conseguia parar de rir. – Esse suco deveria ter matado você engasgada, só porque você é uma idiota. – o sorriso nunca deixava seu rosto.

– Sua. – Disse secando as lágrimas depois que conseguiu finalmente parar de rir.

– Minha o quê?

– Sua idiota. – Respondeu enquanto sua pele voltava aos poucos para a coloração normal e Lauren sorriu mais largamente.

– Sim, minha idiota. E só minha srta. Cabello!

– Só sua e a sua disposição. – Camila levantou fazendo uma reverência a Lauren antes de levar seu prato e recolher o da morena para a pia. – My Queen.

Foi só o tempo de Camila depositar os pratos dentro da pia para sentir os braços de Lauren em volta da sua cintura e todo seu corpo prensando o da latina contra a bancada.

– Repita isso mi cariño! – Lauren pediu enquanto deixava Camila virar dentro de seu abraço.

– Céus! – Camila arfou com o apelido que Lauren a chamou – Você deve falar mais espanhol comigo My Queen, porque na sua boca isso soa tão quente como o fogo do inferno!

Lauren riu pelo linguajar que a mulher assumia somente com ela, antes de tomar os lábios da latina para si em um beijo ardente. Quando já não podiam mais suportar Camila inverteu as posições enlaçando Lauren pela cintura a sentando na bancada a frente delas, as pernas da morena nunca deixaram o quadril da latina.

Camila interrompeu o beijo nos lábios de Lauren e passou a descer pelo seu pescoço, rapidamente as alças do vestido da morena já estavam fora de seu ombro bem como a de seu sutiã. O vestido leve foi parar na cintura dela e aquele pedaço de renda foi rapidamente retirado revelando o belo par de seios de Lauren que já estavam rígidos implorando por Camila que os olhava como um lobo faminto, a latina realmente não sabia de onde vinha todo esse desejo, mas ela sabia que somente Lauren poderia provocá-lo.

– Mi cariño, ellos son tuyos. – A voz rouca de Lauren foi como um choque elétrico em Camila que avançou sobre aqueles montes maravilhosos os chupando com todo vigor enquanto a morena segurava sua cabeça por entre seus cabelos negros soltando frases desconexas que latina poderia jurar que eram em uma língua desconhecida pela humanidade.

Lauren parecia que iria vir só com isso, mas Camila queria dar mais, a morena merecia mais, sua mão saiu das costas da morena entrando no meio da saia da mulher encontrando sua intimidade por cima do pano da calcinha já completamente molhado.

– Meu Deus Laur. – Camila conseguiu dizer entre os seios da morena – você ainda vai me matar. – A morena riu apertando ainda mais suas pernas na cintura de Camila. A latina afastou a calcinha da mulher com a mão passando seus dedos sobre os lábios escorregadios. Lauren arfou arqueando suas costas. Quando os dedos de Cabello encontraram o clitóris da mulher e começaram a massageá-lo Lauren parecia que iria explodir, então a campainha tocou assustando ambas.

– Eu não acredito nisso. – Lauren choramingou ofegante – Não se atreva a parar Cabello – disse olhando para Camila que começava a diminuir os movimentos em sua intimidade.

– Mas Laur... – ela quis protestar, mas Lauren enfiou suas mãos em sua camiseta apertando seus seios.

– Mais hermosa, mais, mais forte. - Sussurrou em seu ouvido flexionando seu quadril para frente e Camila perdeu qualquer noção de juízo, e deveria ser contra a lei duas pessoas estarem tão excitadas. A latina fez sua mão trabalhar com mais vigor na morena que rebolava para ela enquanto compartilhavam um beijo arrebatador, e deveriam agradecer aos deuses por suas bocas estarem ocupadas quando Lauren chegou ao ápice e o barulho que pareceu vir das profundezas de sua garganta foi abafado pelos lábios da latina.

Ambas ficaram abraçadas por um momento controlando suas respirações até ouvirem a campainha tocar novamente e dessa vez vir acompanhada da voz de Vero.

– Vocês estão vivas aí dentro?

– Depois a gente conversa sobre isso, vai para o banheiro se recompor que eu atendo sua cunhada. – Deu um beijo leve nos lábios da morena que recolheu suas roupas e saiu, mas antes de sumir completamente sussurrou.

– Eu ainda vou tirar a campainha dessa porta. – Camila teve colocar a mão na boca segurando a gargalhada.

A latina correu no banheiro, lavou as mãos, jogou água em seu rosto e veio secando com a toalha enquanto gritava.

– Já vai, já vai! – Abriu a porta para encontrar Vero e Taylor paradas com o pequeno Lucca entre eles.

– Pelo amor de Deus, que demora para abrir essa porta. Achei que iria ter que derrubar e encontraria dois corpos aqui. – Vero resmungava enquanto entrava. Camila suspirou aliviada ao menos, por hora a mulher não havia percebido nada.

– Olá Camila, – disse Taylor entrando com o pequeno menino e beijando a latina na bochecha – não ligue para Vero, ela é sempre o cúmulo do exagero.

– Mila. – Lucca se manifestou procurando o colo da latina.

– Vem cá meu lindão. – A mulher esticou os braços – Deixa-me ver como esse menino cresceu. Meu Deus você está enorme! – O menino sorria orgulhoso.

– Tia Mila você me viu antes de hoje. – O menino disse. – Estou do mesmo tamanho.

– Ontem. – Vero o corrigiu

– Foi o que eu disse. – Ele respondeu fazendo Vero revirar os olhos.

– Não. Você cresceu sim. E ficou mais pesado. – Ela começou a balançá-lo em seu colo aplicando-lhe cócegas enquanto o menino ria.

Poucos minutos depois Lauren apareceu na sala completamente normal, como se não tivesse acabado de ter um orgasmo em cima do balcão da cozinha.

– A que devo a honra dessa visita? – Perguntou cumprimentando Vero com um beijo na bochecha e recebendo um de sua irmã na testa.

– Nós viemos checar a integridade física de vocês, já que essa semana vocês estavam mordendo quem passava na rua, mas pelo visto vocês estão ótimas. – Lauren sorriu para a morena. – Há um brilho estranho no seu olhar – a mulher comentou olhando para Lauren e Camila quase entrou em pânico do outro lado da sala. Não era possível que Vero iria sacar tudo por causa de um simples olhar.

– Não sei do que você está falando Vero. – Lauren respondeu e começou a caminhar para a cozinha com a morena e todos os outros em seu encalço.

– Há esse brilho e eu conheço esse brilho. – ela completou – Você fez sexo quente em lugares impróprios.

– Por Deus Vero! – Camila tampava os ouvidos de Lucca – Seu filho está aqui.

– E a irmã dela também, eu posso ir dormir sem essas imagens na minha cabeça. – Lauren bufou, mas não foi capaz de esconder o rubor que subiu pelo seu pescoço e chegou a suas bochechas.

– Oh meu Deus, Oh meu Deus. Ela teve mesmo. Conte-me tudo. – A morena seguia Lauren como uma sombra.

– Não há nada para contar Vero. – Lauren respondeu enquanto retirava a lasanha da mesa. Sua cunhada observava todos os movimentos com a testa ligeiramente enrugada.

– Você fez lasanha? Você só faz lasanha em ocasiões especiais. Vocês comeram e foram tomar banho? – Lauren tentava ignorar a onda de pensamentos da morena, se ela continuasse assim ela iria descobrir tudo por ela mesma, e a morena não sabia se Camila queria isso, ao menos por agora.

– Chega Vero, você está ficando doida. Taylor controla essa sua mulher, ela acha que ela é o que? Investigadora? Delegada? CSI? – Mas a morena não parecia que iria se render tão facilmente assim e continuou com suas perguntas indiscretas.

– Tia Mila você está me apertando demais – disse Lucca para a latina que estava quase matando o menino sufocado. A mulher estava em pânico, e se Vero descobrisse que elas realmente estavam fazendo sexo, e na cozinha, em cima da bancada? A latina iria morrer de vergonha. A morena olhou de Lauren para Camila que estava apavorada ainda segurando o menino como se ele fosse protegê-la do que estava por vir.

– Pera aí. Pera aí! Pera aí! – A voz de Vero era pura excitação, ela mal podia se conter – vocês duas. – seu olhar ainda balançava entre a latina e a morena – vocês duas...

– Vero – Lauren tentou alertá-la, mas foi descaradamente ignorada pela mulher.

– Vocês duas finalmente? – Vero olhou para Lauren que a essa altura estava em cólicas olhando para Camila que estava com os olhos tão arregalados que poderiam sair pulando de sua órbita a qualquer momento – vocês estavam fazendo sexo quente antes de chegarmos! – Ela gritou mal se contendo enquanto Taylor sacudia a cabeça por conta da indiscrição de sua mulher. Camila assumiu um tom tão vermelho que tomou até seus braços. – Não deixe meu filho cair.

– Eu tentei Babe. Desculpe. – Disse Lauren enquanto depositava um beijo na bochecha da mulher latina paralisada de vergonha.

– Oh meu Deus. – A voz de Vero guinchou entre muitas risadas – este é o melhor dia da minha vida.


Notas Finais


até sábado...

flw glr


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...