História Predestinados - Shawmila - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawmila, Shawn Mendes
Exibições 335
Palavras 3.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello.
Mais um capítulo pra vocês.
E vos aviso que nesse capítulo tem flash back.
Espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 25 - Pedido especial.


Fanfic / Fanfiction Predestinados - Shawmila - Capítulo 25 - Pedido especial.

 

      Os raios de sol entravam entre as cortinas indo diretamente no meu rosto. Eu havia dormido pouco. Estava bastante animado com a noite anterior? Também, mas um motivo ainda maior estava me deixando uma pilha de nervos. Eu iria pedir a Camila em namoro. E se ela não aceitasse? Fiquei com esse pensamento a noite inteira e quando consegui finalmente pregar os olhos o relógio rondava às três da madrugada. Agora estava eu ali, acordado novamente e não era nem oito horas.

     Passei a mão pelo rosto, ainda deitado, abrindo levemente somente um olho enquanto o outro continuou fechado. Rolei para o outro lado tirando a coberta de cima de mim enquanto sentava na cama antes de me levantar por completo. Olhei para a cabeceira onde havia uma pequena caixa de veludo preta. Estiquei a mão alcançando a mesma enquanto abria lentamente. Haviam dois anéis de prata. Minha mão tremeu levemente e senti um pequeno incomodo na barriga.

- Deus, me ajuda – Eu disse suspirando enquanto fechava a caixinha e colocava-a no mesmo lugar de antes.

     Por fim me levantei indo ao banheiro fazer minhas higienes matinais. Como eu havia acordado cedo em vista dos outros resolvi descer para tomar um café no restaurante do hotel e tive a incrível ideia de ir malhar na academia do mesmo, já que eu não tinha nada pra fazer e era melhor ficar com a mente ocupada para não ficar mais ansioso do que eu já estava.

    Por volta de quase onze horas eu subi novamente, para tomar um banho. Havia uma mensagem de Stephen avisando que ele não poderia ficar mas que ele me levaria e estaria no saguão do hotel 11:30. Eu havia ficado bastante nervoso de novo, como se eu não fosse eu. Como estava um pouco calor coloquei uma calça preta e uma camisa branca. Peguei minha carteira e junto a caixinha de veludo. Criando coragem mais uma vez em pensamento antes de descer.

    Encontrei com ele e fomos tranquilamente. Ele falava comigo mas eu não escutava nada na verdade. A única coisa que eu sentia era minha mão ficando suada e meus ouvidos zunindo levemente.

- Flores – Eu disse repentinamente, pensando alto, na verdade.

- O que? – Stephen perguntou sem entender nada.

- Será que eu compro flores? – Perguntei olhando pra ele enquanto esfregava as mãos nas pernas.

- Você tem o que? 50 anos? – Ele disse rindo e eu olhei sério, respirando fundo – Oi? Você tá falando sério?

- Estou.

- Pensou em alguma opção, pelo menos?

- Rosas?

- Muito clichê – Ele disse fazendo uma careta – A menos que seja um buquê com rosas diferentes. Cores diferentes.

- Ok, aqui perto tem uma floricultura, vamos esticar até lá.

     Era bem perto. Eu ia descer pra comprar, mas pra não chamar a atenção ele desceu enquanto eu fiquei esperando no carro. Ele voltou cinco minutos depois com um buquê tamanho médio e ali tinha rosas vermelhas, amarelas e rosas. Era bem bonito.  

     Pouco tempo depois eu estava descendo no hotel onde Camila estava hospedada e pelo visto já havia sido anunciado pelo porteiro, pois quando cheguei ele já foi me cumprimentando e dizendo onde ela estava. O hotel dela era um pouco chique, confesso. Fui avisado de que eles estavam em uma área reservada. Na verdade aquele hotel parecia mais um condomínio, já que onde Camila estava era uma área aberta. Havia uma pequena cozinha aberta com uma grande mesa, algumas almofadas e um jardim, que parecia se estender mais.

    A primeira pessoa que eu havia avistado era a Sinu, que veio logo me dar um abraço.

- Que bom que você veio, querido – Ela disse se afastando enquanto segurava um de meus braços. Eu estava em estado de choque com aquele buquê nas mãos. Eu estava parecendo uma estátua.

- Ér... que bom – Eu não sabia o que dizer – Então – arranhei a garganta tentando falar alguma coisa com nexo e fiz a única coisa que havia dado na minha cabeça – Trouxe para a senhora – Eu disse entregando-lhe o buquê. BURRO!

- Nossa, são lindas. Obrigada! – Ela disse sorrindo enquanto pega o buquê nas mãos. Pelo menos ela havia ficado feliz, pensei.

- Ta galanteando minha mama, é isso mesmo? – Ouvi uma voz mais do que conhecida e Camila apareceu no meio do jardim, toda linda com um sorriso que iluminava qualquer dia nublado. Por Deus, eu estava muito apaixonado. Se minhas mãos antes estavam tremendo agora eu estava era tremendo o corpo todo como uma vara verde. Eu fiquei sem respirar até ela se aproximar de mim.

- Não fale assim com o garoto Camila. Ele é da moda antiga. – Han, o que ela havia falado?

- Deve ser mesmo. Nunca vi mais bebê. Sabia que ele dorme antes das dez e me deixa falando sozinha? – Ela se aproximou me dando um abraço e um beijo na bochecha, um beijo estalado, dado com vontade.

- Eu já disse que dormir é muito importante – Foi a única coisa menos idiota que eu consegui dizer. Elas riram.

------

 

      Eu estava ansiosa, mas sem motivo. Pelo menos era o que eu pensava. Eu havia acordado extremamente cedo, o que era raro quando eu estava de folga. Teria aquele dia de folga e as meninas chegariam à noite. No dia seguinte iríamos iniciar os ensaios, repetindo isso sucessivamente na segunda e na terça, quando rolaria o Talk Show com o James Corden e então no dia seguinte partiríamos para o meu amado México.

*

     Pensa numa visão dos Deuses. Pensou? Ok. Eu estava vendo essa visão quando avistei Shawn todo lindo envergonhado entregando um buquê de flores para minha mama. Ta certo que eu esperava que fosse pra mim, mas era para uma pessoa que eu amava além, então estava valendo.

   Me aproximei dando-lhe um abraço e um beijo estalado em seu rosto. Ele estava com um perfume maravilhoso. Afastei-me enquanto ele falava que dormir era importante. Ele sempre falava isso, mas vivia dormindo. Vai entender... Roger que estava comigo no jardim se aproximou ao nos ouvir rindo.

- Hey Mendes, que bom te ver. Cadê o Stephen? – Ele perguntou apertando a mão do Shawn enquanto eu me aproximava da minha mama.

- São lindas – Eu disse me referindo às flores.

- Você sabe que são suas, não é?! – Ela disse colocando-as em um lugar apropriado.

- O que? Claro que não, mama – Eu disse fazendo cara de chocada – São suas.

    Ela apenas sorriu sem mostrar os dentes enquanto se aproximava do forno ali. O cheiro da comida estava maravilhoso. Comida cubana... nem queria mesmo. Sentei ali ao seu lado enquanto a observava terminar de fazer aquilo. Roger se aproximou juntamente com Shawn, cada um sentando de um lado e eu ficando no meio. Roger sabia que tinha alguma coisa rolando mas não sabia o que. Ele vivia falando pra mim: “Camila, eu não sei o que eu vi, mas eu sei que eu vi”. Ele era uma graça. Shawn chegou sua cadeira um pouco mais para o meu lado enquanto colocava as duas mãos em cima da mesa, batucando levemente os dedos.

         Escorrei uma das minhas minhã mãos até encostar na sua fazendo uma carícia ali. Ele virou o rosto na minha direção e pude sorrir pra ele, ele sorriu sem mostrar os dentes. Ficamos ali mais uns dez minutos e então a comida estava servida. A comida estava maravilhosa. Roger havia ido para o lado da mama enquanto Shawn continuava sentado ao meu lado.

- Hm, o almoço estava uma delícia, Sinu – Ele disse simpático após ficar bastante tempo em silêncio. Aquilo tava até me deixando um pouco encucada. Nossa, falei igual uma velha agora.

    Ficamos mais um tempo ali conversando enquanto Roger mostrava alguns videos para Mama. Shawn falava, mas falava pouco, comparando à alegria que ele tinha e ficava sempre fazendo graça das coisas. Olhei pra ele três vezes o observando olhar pensativo para uma parede. Alguma coisa ta rolando, pensei.

- Você tá bem? – comecei a frase quando ele disse junto.

- Preciso falar com você! – Ele disse baixo. Olhei pra ele sem entender nada, mas ok.

- Mama, nós vamos ali e já voltamos.

- Ok, não demorem que ainda tem a sobremesa – Ela disse sorridente enquanto me levantava e Shawn andava atrás de mim. Levei ele em direção ao pequeno jardim que tinha ali, com uma pequena fonte.

      Ele passou a mão pelo rosto atônito e por um momento toda aquela sensação de que algo grande estava por vir havia simplesmente desaparecido.

- Aconteceu alguma coisa? – Eu perguntei logo, um pouquinho preocupada enquanto franzia a testa sem intenção.

- Sim... Não... Sim – Ele estava confuso e eu também estava ficando confusa. Eu fiz uma cara de ponto de interrogação e ele completou – Bem, vai acontecer – Ele sussurrou mais pra si do que pra mim.

- O que? – Perguntei enquanto parava em sua frente olhando bem dentro dos seus olhos esperando ele me dizer alguma desgraça.

-----

            

     Calma, respira fundo e começa. Eu dizia para mim mesmo. Camila parou na minha frente enquanto segurava os próprios braços com uma cara um pouco preocupada. Coragem, porra! Respirei profundamente antes de começar a falar.

- Ok, não sei como começar a falar isso.

- Comece pelo começo – Ela disse ficando tão inquieta quando eu.

- Bem – eu comecei a dizer enquanto estendia uma das mãos esperando que ela me desse a sua, e ela estendeu.

- Se você tiver tentando me assustar eu juro que vou afogar você nessa fonte – Ela disse me fazendo rir e tirando um pequeno peso das costas. Agora vai.

- Então, nós já estamos saindo há um tempo. E eu gosto de ficar com você, na verdade eu amo ficar com você – Eu disse vendo um sorriso escapar pelo canto de seus lábios – Eu sei, você sabe também que nossa profissão exige muito da gente – Eu disse e a vi concordar com a cabeça enquanto acariciava levemente minha mão me passando toda confiava possível – Viajamos muito e nem sempre estamos juntos, mas o que importa é que quem quer consegue. Isso pode ser um pouco difícil, mas eu quero que você seja sincera comigo. Hm, quando a gente gosta de alguém a gente quer que essa pessoa fique junto, sempre que possível. Independente de qualquer coisa...

- Fala logo e para de enrolar – Ela disse. E eu respirei fundo enfiando a mão livre no meu bolso da calça puxando levemente os anéis que ali estavam. Eu havia tirado eles da caixinha de veludo. Isso era muito cara de quem ia casa e isso não era um casamento, pelo menos por enquanto não.

- Você quer namorar comigo? – Eu perguntei estendo a palma da minha mão e mostrando ali dois anéis de prata.

-----

 

     E então nós estávamos lá no Late Late Show com James Corden. A princípio em vários Talks Shows funcionava da seguinte maneira: o convidado entrava, sendo aplaudido e apresentado. Ali nós havíamos entrado, e claro que a plateia aplaudiu, mas funcionaria de outra maneira. A câmera primeiramente focaria somente em James para depois ir abrindo no momento em que ele nos apresentava. Aquele dia havia sido tão puxado. As meninas já estavam em Los Angeles e eu havia passado a tarde toda no ensaio e no dia seguinte iríamos para o México, então estava tudo um pouco corrido demais.

    A entrevista foi rolando tranquilamente, até que ele chegou na parte das perguntas dos fãs enviadas pelo Twitter, hm, vai ser tranquilo, pensei. Ele fez duas perguntas tranquilas sobre o quesito roupas e até aí tudo bem, então ele entrou na seguinte pergunta.

- Vocês estão namorando? – Ele disse lentamente olhando para nossa cara. Eu acho que já estava esperando por um tiro daquele nível, minhas mãos inclusive já estavam no meu coração antes mesmo dele perguntar.

    A plateia soltou um “woooooooooow” que parecia mais uma comemoração e Shawn olhou pra minha cara encontrando meus olhos. Dá pra disfarçar, miséria?! Quis falar isso pra ele. Mas sabe quando você pensa em tudo tão rápido que parece um filme. Minha cabeça estava assim. Desviei o olhar pro público enquanto ele fazia a mesma coisa. Ele se preparou pra dizer alguma coisa quando eu me virei novamente para Corden.

- Bem... Não – Eu disse primeiro e ele disse um “não” depois de mim, mas o não dele não foi convincente e aquilo tinha que ficar convincente – Não, nós não estamos.

- Ok, vocês estão dizendo que não, posso ser honesto?

- O que?

- Eu não acredito em vocês – Ele disse e Shawn começou a rir igual a uma hiena com a plateia enquanto eu tentava negar até a morte.     

- Nós realmente não estamos – reforcei mais uma vez.

- Não é possível que vocês não tenham ficado ainda – Ele insistiu e eu fiquei sem o que falar, minhas lacunas estavam se fechando.

- Não ficamos, na verdade – Shawn assumiu um tom engraçado enquanto entrava na pele de um ator sei lá como e eu concordei reforçando que não tínhamos nada.

- Nunca? Por quê? Por que não? – Ele fez uma cara de perplexo e eu fiquei sem saber o que falar. Então pra não falar besteira apontei para o Shawn jogando a peteca pra cima dele – Quero dizer, vamos lá: você é bonito, você é bonita.

- Sempre que eu tento fazer um movimento, ela me rejeita.

- Então você já tentou alguma coisa?

- Claro, totalmente. Nunca vai acontecer. – Ele disse e Corden demorou um pouco pra formar uma frase.

- Então, espera... – Antes que ele pudesse falar alguma coisa eu disse.

- Ele me colocou na friend zone, ele me chama de criança! – Eu disse tentando de alguma maneira mudar o foco do assunto mudando de “namoro” pra “amizade” enquanto Shawn ria.

- Certo, vamos resolver isso aqui agora – Corden disse meio que se animando e eu podia ver a merda ficando mais tensa. Shawn resmungou um “oh não” enquanto eu tentei acabar com o assunto logo de uma vez.

- Não não não, só estamos brincando – Eu dizia enquanto gesticulava desesperadamente.

- No final das contas não estamos namorando – Shawn disse falando junto comigo, o que soou um pouco desesperador.

- Vocês estão muito na defensiva. Por que vocês estão na defensiva? – Corden disse eu pensei “oh merda, fudeu” e a única coisa que saiu da minha boca foi um “não” enquanto a plateia ria – Deixe-me falar, você disse que já tentou e ela disse não.

- Totalmente – Shawn respondeu e eu estava quase jurando que ele ia jogar a porra toda pro alto.

- E você está falando que ele está mentindo e nunca tentou nada.

- Ele nunca tentou nada – Eu disse olhando para alguém da plateia enquanto Shawn ria.

- Agora, me parece que vocês dois amam um ao outro e não sabem como dizer isso. Estou certo? – Ele continuava insistindo. Ele esperava uma resposta minhas eu simplesmente não tinha nada a decretar – Não tem como vocês não terem ficado - Ok, ele não estava mais perguntando. Ele estava afirmando.

- Nós não ficamos – Shawn respondeu mais uma vez e eu concordei.

- Nós realmente não ficamos.

- Eu não acredito em vocês – Corden disparou esperando uma reação maior nossa.

- Eu não ligo! – Shawn simplesmente deixou sair, foi um pouquinho grosseiro, mas nós acabamos rindo pra não ficar um clima chato. A plateia riu também.

   Provavelmente ele ficou com peso na consciência, pois tirou as mãos de trás de mim.

- Nós não ficamos – Ele já estava a ponto de enfiar isso pela garganta de Corden – Estou dizendo, toda vez que eu tento fazer algo ela fica “Não você é estranho”.

- Então você já tentou ficar com ela? – Puta que pariu, ele não desistia mesmo.

- Ele nunca tentou nada – Eu disse antes que ele falasse algo que iria nos fazer ficar naquela conversa até o programa acabar. James percebendo que não teria confissão nenhuma vindo de nossa parte resolveu desistir. Amém, pai!

( Link da entrevista.: https://www.youtube.com/watch?v=7ip0J8bqH4s )

   Depois da conversa nós fomos cantar, mas não iria ao ar um atrás do outro. Primeiro iriam lançar a entrevista e depois iriam lançar a gente cantando, já quase no fim do programa. Quando o programa finalmente acabou nos despedimos de Corden. Normalmente iriamos para o camarim, mas como eu teria que viajar cedo no dia seguinte eu sai indo ali para pegar apenas meus pertences.

- Uh, essa foi por pouco – Shawn comentou baixo.

- Achei que ele não fosse desistir nunca – Assumi mais pra mim mesma do que pra ele.

- Talvez mais cinco minutos e ele teria arrancado a verdade da gente – Ele disse brincando enquanto eu ria. Ele me acompanhou até o camarim enquanto eu me despedia das pessoas ali e foi comigo até o carro. Roger estava me esperando no camarim e foi junto com a gente.

     Ele se aproximou me abraçando enquanto eu fazia a mesma coisa. Roger olhou a cena e riu, virando-se e entrando no carro pra dar, de alguma maneira uma privacidade pra gente. Assim que ele bateu a porta Shawn colocou uma mão de cada lado do meu rosto enquanto selava seus lábios nos meus num beijo rápido e singelo.

- Bom show amanhã, amor! – Ele se soltou me apertando mais uma vez me fazendo sorrir. Eu me aproximei dando um selinho nele.

- Obrigada, meu namorado gostoso – Eu disse dessa vez o fazendo rir. Dei um ultimo sorriso antes de entrar no carro rumo ao hotel para descansar um pouco antes de partir na madrugada.

 FLASH BACK on

- Você quer namorar comigo? – Ele perguntou estendo a palma da mão e revelando ali dois anéis de prata. Minha primeira reação foi abrir a boca. Eu não esperava por aquilo, quer dizer, eu esperava, mas um outro momento. Ele olhou para sua mão e então meu rosto. Sua mão tremia levemente – Então, o que me diz? – sua voz saiu um pouco falhada. Ele devia estar tendo um colapso nervoso internamente.

- Oh, Deus – Eu sussurrei enquanto soltava minha mão da sua colocando-a sobre a minha boca.

- Se você não quiser eu não vou ficar chateado – Ele disse mais pra si mesmo do que pra mim e eu fiz a única coisa que poderia fazer naquele momento. Voei agarrando seu pescoço enquanto pulava em cima dele enchendo-o de beijos. Ele deu uma risada gostosa. – Isso significa o que eu estou pensando?

- Sim – Eu afastei meu rosto do seu antes de lhe dar um selinho – Sim – mais um selinho – Sim, sim e sim.

    Ele respirou aliviado enquanto colava sua boca na minha, ainda me segurando com os braços. Uma de suas mãos estava fechada, segurando os anéis. Ele se afastou me colocando lentamente no chão.

- Eu estou tão feliz – Ele disse colocando o anel no meu dedo.

- É lindo – Eu sussurrei olhando para o mesmo – Eu só... queria te pedir uma pequena coisa.

- Qualquer coisa, só peça – Ele disse feliz.

- Eu não quero tornar isso público. Digo, por experiência própria sei que isso pode não ser bom. Tem muita gente boa no mundo, mas do mesmo jeito tem gente ruim – Eu disse de uma maneira calma tentando não machuca-lo de alguma maneira.

- Uhum – ele pareceu pensativo, mas havia aceitado de boa – Vamos voltar, namorada? – Ele perguntou colocando sua mão junto a minha enquanto entrelaçava nossos dedos.

- Vamos, namorado. Vou lhe apresentar oficialmente para minha mama – Eu disse fazendo-o arregalar os olhos – Vem, amor – Eu disse puxando-o pelas mãos. Eu estava tão feliz.

FLASH BACK off.

 


Notas Finais


Bom, essa é minha semana de prova na faculdade e são provas bem difíceis - sou de exatas - Então não sei quando vou ter tempo novamente para postar, mas sempre que der estarei aqui.
Não me abandonem, por favor.
Espero que tenham gostado.
Adoro vocês! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...