História Predestinados - Shawmila - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Fifth Harmony, Shawmila, Shawn Mendes
Exibições 271
Palavras 2.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello :)
Duas coisas importantes pra falar pra vocês!
A primeira é: não me matem!
E a segunda é: estamos chegando no fim... mais ou menos.
Quando eu comecei a escrever eu não tinha um planejamento. Esse é o capítulo 41 e eu estou achando que vou encerrar a fanfic no capítulo 50. No mais tardar capítulo 55 :')
Tenho outros projetos futuros, mas prefiro manter em segredo. Pelo menos por enquanto.
Mais um capítulo pra vocês.
Espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 41 - Eu não posso.


Fanfic / Fanfiction Predestinados - Shawmila - Capítulo 41 - Eu não posso.

 

            As unhas arranhavam a parte do meu ombro até meu ante braço. A boca úmida e quente colada na curva do meu pescoço. Senti sua língua em contato com minha pele e perdi qualquer sentido sensato que havia na minha pessoa.

         Minha mão segurando a barra de sua camiseta enquanto eu levantava a mesma lentamente pelo corpo moldado e bronzeado. Meus dedos tocando cada centímetro de sua pele macia e arrepiada, tanto quanto a minha. Então um gemido de aprovação tomou conta do ambiente quando com uma das minhas mãos eu apertei fortemente sua bunda durinha.

            Eu podia ver como flashes. Memórias que não saiam da minha mente. Luzes e toques. A cada toque uma faísca. E mais flash. Fogo. Eu estava queimando, minhas mãos estavam queimando, minha alma estava queimando... de desejo.

          Os toques iam se intensificando conforme sua língua explorava cada canto da minha boca. Quente, molhada, macia e calma. Tão lenta que eu podia jurar que o mundo estava parado e que só havia nós dois.

         Camila se afastou enquanto mordia perigosamente meu lábio inferior puxando-o conforme se afastava. Quando soltou minha boca meu lábio voltou com tanta pressão que chegou a fazer um barulho seco. O ambiente estava seco, minha garganta estava seca, mas eu podia sentir o suor molhado escorrer pelas minhas têmporas e pela minha nuca.

      

      Abri os olhos assustado enquanto sentava bruscamente na cama à procura de ar. O telefone vibrava em cima do criado mudo, mas sem me incomodar. A claridade que passava pela janela incomodou minha visão me fazendo tampar os olhos ao mesmo tempo em que eu afundava mais uma vez a cabeça sobre o travesseiro molhado. Eu estava soando.

      Inclinei levemente a cabeça me certificando que eu precisaria tomar um banho. E um banho bem gelado para acabar com minha animação.

       Eu não aguentava mais sonhar com Camila. E não eram só sonhos eróticos. Na maioria deles nós estamos bem, felizes, realizados e apaixonados. Esfreguei a mão pelo rosto enquanto me levantava para tomar uma ducha.

 

- Bom dia – Andrew disse sentando-se ao meu lado no restaurante do hotel.

- Bom dia – Eu sibilei enquanto mastigava uma torrada – Sabe qual é o quarto da Camila? – perguntei antes de qualquer coisa. Ele me encarou confuso – Preciso falar com ela.

- Camila e Roger foram embora antes do sol nascer.

- Foram embora? Pra onde? – Perguntei engasgado.

- Pra Miami. A próxima apresentação é só semana que vem, em Los Angeles – Ele deu de ombros relaxado.

         Merda. Merda. Mil vezes merda! Quando eu havia criado coragem o suficiente para falar com ela, simplesmente ela não estava mais ali. Talvez fosse um plano do destino e as coisas deviam permanecer da mesma maneira. Hailee atravessou parte do restaurante andando juntamente com uma menina, então percebi que estarmos no mesmo hotel não havia sido coincidência. Passei os olhos pelo lugar observando mais algumas pessoas presentes no Jingle. Era isso, o hotel era pra todos que haviam participado do evento.

           Hailee acenou de longe sentando-se em uma mesa próxima à uma janela. Seria tão fácil se fosse com ela, não que com Camila tivesse sido ruim. Exatamente o oposto. Era bom demais. Ótimo. E lá estava eu mais uma vez pensando na garota que me atormentava a noite. Mesmo sem a menor pretensão de fazer isso.

         Levantei-me bruscamente da mesa e Andrew levantou o olhar rapidamente na minha direção sem entender muito o que eu estava fazendo.

- O que foi? – Ele perguntou com a boca cheia.

- Preciso fazer uma coisa – Arrastei a cadeira levemente pra trás enquanto caminhava rapidamente à mesa escorada na janela.

      Hailee levantou os olhos surpresa enquanto a garota a sua frente parecia dormir sentada.

- Oi Shawn – Ela sorriu simpática e eu não sabia o que falar. Sorri sem mostrar os dentes, mas permaneci em silêncio. – Quer se sentar conosco? – Ela perguntou apontando para uma cadeira vaga.

- Não, obrigado – Esfreguei uma mão na outra antes de falar.

- Então, o que te traz aqui?

- Ér, eu queria saber se, sei lá, você quer ir almoçar comigo?

- Olha, almoçar eu não posso... – Ela disse tirando uma mexa de seu cabelo que havia caído no seu rosto – Mas eu tenho a tarde livre.

- Hm, ok, a gente se encontra aqui então? – Dei dois passos pra trás.

- Pode ser, às 15:00 tá bom pra você? – Assenti com a cabeça e sorri mais uma vez antes de voltar à minha mesa para terminar de tomar o meu café.

 

*

 

      A chuva fina caia do lado de fora. Dentro do carro uma música qualquer tocava num som baixo na rádio local. Eu havia parado o carro na porta do hotel, mas não iria entrar. Havia combinado de encontrar Andrew em uma lanchonete ali perto para podermos partir para o Canadá, mas antes teria que deixar Hailee ali.

- Então... – Ela virou-se pra mim com a boca levemente aberta – Obrigada pelo passeio. A gente não contava com essa mudança de clima, mas eu gostei – Ela riu parecendo envergonhada.

- Eu que agradeço. Estava mesmo precisando de um tempo assim – Meus olhos capturaram os seus. Meu coração estava batendo mais rápido do que o normal, mas nada comparado ao que eu sentia quando estava na presença dela.

        Hailee soltou o cinto apoiando-se sobre a mão esquerda enquanto se inclinava na minha direção. Minha primeira reação seria de espanto, mas eu meio que já estava “esperando” por aquilo. Seus lábios com o batom claro chocaram-se com os meus enquanto minha mão esquerda ia parar em seu rosto.

       Seus lábios se moveram de forma lenta e calma. Eu queria sentir alguma coisa, mas eu não estava sentindo nada. Não estava dando liga. Deslizei minha língua para dentro da sua boca e quando ela se chocou com a sua pude sentir um gosto de morango. Ainda assim eu não sentia nada. Nem um frio na espinha, nem o coração bater como uma escola de samba. Nada. Eu não devia ter feito aquilo. Era errado. Não era ela.

        Minha mão que segurava seu rosto à afastou delicadamente.

- Me desculpa. Eu não posso fazer isso. – Eu sussurrei ainda de olhos fechados.

- Por quê? – Ela perguntou tão baixo quando eu.

- Não é você...

- Por favor, não diga “O problema não é você, sou eu” – Ela se afastou e eu abri os olhos percebendo seu olhar ressentido.

- Eu não devia ter feito isso, Hailee – passei a mão pelo rosto de forma desesperada – Olha, você é linda, é gente boa, é inteligente e enfim. Eu gosto de você, da sua amizade.

- Mas?

- Mas eu amo outra – Saiu sem que eu segurasse e pude observar nela uma expressão curiosa, mas não surpresa – Eu não posso fazer isso com você, nem comigo. Me desculpa.

- Ok, eu te entendo – Ela deu de ombros – Pior de tudo é que eu te entendo. E pra ser sincera eu sempre desconfiei.

- O que? – perguntei surpreso olhando para ela que observava a chuva contra o vidro.

- A maneira que você olha pra ela, conversa com ela, ou fala dela. Outras pessoas podem não perceber, mas eu te conheço e está escrito na sua testa que você a ama – Ela olhou pra mim – Eu só não entendo porque diabos vocês estão separados. Esse sentimento é recíproco e você sabe disso!

- Eu só preciso de tempo...

- Shawn, não tem essa de tempo! Se você quer, você vai lá e faz. Com esse pensamento você só esta enganado a si mesmo. Se você não correr atrás o tempo não vai fazer nada por você – Eu permaneci quieto, engolindo lentamente aquelas palavras ditas que soaram mais como um tapa na minha cara. Hailee sorriu e me deu um abraço – Eu espero que você tenha entendido o que eu quis dizer e não seja idiota a ponto de deixar aquilo que você mais ama escapar pelos seus dedos, apenas porque o tempo quis assim. Te adoro, se cuida! – Ela se afastou enquanto abria a porta e saia praticamente correndo tentando fugir da chuva fina que caia do lado de fora.

 

------

 

     Miami, Flórida.

           

           Arrumei os óculos escuros sobre o rosto enquanto andava distraidamente pela calçada limpa. Algumas crianças brincavam do outro lado da rua enquanto Josh, o carteiro, passava com sua bicicleta jogando os jornais nas portas das casas simples que ali tinha.

- Bom dia, Josh – o cumprimentei com um sorriso enquanto o mesmo passava por mim.

- Bom dia, senhorita! – Um sorriso sincero foi lançado juntamente com o pacotinho de jornal.

          Eu estava caminhando para uma lanchonete que tinha ali perto, quando eu ia quando mais jovens com minhas amigas Marielle e Sandra. Eu estava trabalhando demasiadamente, e elas haviam se mudado para estudar, então havia muito tempo que eu não via minhas amigas. Com a chegada de dezembro e a proximidade do natal, elas estavam ali para comemorarem com sua família.

           Abri a porta de forma tranquila observando as duas concentradas em seus celulares. Sentadas em uma mesa ao fundo, mas ao lado de uma grande janela de vidro. Aproximei-me devagar com o intuito de assustá-las.

- RÁÁÁÁ – gritei pulando entre elas e fazendo uma pose engraçada.

- AHHHH meu coração – Marielle pôs a mão no peito enquanto Sandra ria desajeitada. Eu ri de forma engraçada tentando prender o ar que saia forçadamente pelo meu nariz – Sua idiota! Você quer me matar? – Ela se levantou enquanto me abraçava apertadamente.

- Que saudade de você, coisa chata! – Senti Sandra se aproximar e nos abraçando coletivamente – Senti saudade de vocês, das duas!

- Nós também sentimos – Sandra disse quando nos afastamos.

       Nos sentamos e pedimos um café bem reforçado, já que minha barriga estava roncando horrores de fome. Marielle e Sandra me contaram sobre suas novidades na faculdade. Como andava a vida, as outras amizades que tínhamos em comum e outras diversas coisas.

       Elas me perguntaram como estavam as outras meninas, como estava indo o lance da turnê e como eu estava me dando com a vida tão movimentada daquele jeito.

       Marielle arriscou cantar uma música muito desafinada arrancando algumas risadas nossas. Eu estava com tantas saudades delas, que pouco tempo juntas e eu praticamente já esquecia dos meus problemas. Problemas esses que eu teria que enfrentar quando aqueles dias calmos passassem.

- Então, Mila – Marielle disse com a boca cheia.

- Marielle, que horror. Come primeiro e depois fala – Sandra disse repreendo-a.

- Que horror nada. Então, coisa fofa... – Ela fez uma cara engraçada.

- Hm, o que você quer saber?

- Como anda sua vida amorosa? Preciso saber disso!

      Coloquei a mão na cabeça como se tivesse tentando me esconder de alguma coisa.

- Precisa saber disso por quê? – Perguntei colocando minhas mãos sobre a mesa.

- Ué, pra ver se eu aprovo né, querida.

- Marielle tá achando que é tio Alejandro pra aprovar alguma coisa. Se situa, garota! – Sandra disse rindo.

- Então Camila, tá namorando? Pegando quem? Gata desse jeito não é possível que você esteja sozinha!

- Estou. Pior que estou. – Eu disse me lembrando de Shawn e minha feição mudou de felicidade para algo como uma feição de “tanto faz”.

- Se você está é porque você quer, porque olha, vou te contar... É cada gato de boyband te dando mole que eu chego a ficar com inveja. Mas só um pouquinho.

- Eu tenho um crush naquele Shawn Mendes que eu não consigo entender – Sandra disse e eu levantei os olhos em sua direção. Marielle gargalhou quase cuspindo o suco que havia engolido segundos antes.

- Eu sabia que vocês estavam tendo alguma coisa! SABIA!

- Nós não estamos juntos! – Eu disse batendo os dedos sobre a mesa tentando não pensar muito nele.

- Por quê? Pega ele logo! Faz esse favor pra gente... – Marielle disse e Sandra assentiu com a cabeça concordando. – Se você não pegar, eu pego!

         Seu tom de voz saiu cômico e Sandra riu diante de tal confissão. Um riso saiu da minha boca enquanto eu me arrumava melhor sobre a cadeira para começar a contar a história para elas.

 

*

 

  Los Angeles, Califórnia.

 

         Eu andava de forma desleixada enquanto ouvia Rihanna cantar nos fones de ouvido. Estava nos preparativos para o Jingle, quer dizer, um outro show dos muito que faríamos.

       Distraidamente enquanto cantarolava baixinho a música que se repetia por dias na minha playlist. Então senti uma mão grande segurar meu ombro e me virei assustada tirando um dos fones do ouvido.

       Shawn estava parado na minha frente ofegante, com um semblante de quem havia corrido uma maratona. Ele soltou me ombro enquanto apoiava as mãos sobre os joelhos buscando o ar que havia perdido no caminho. Respirou fundo levantando a cabeça e direcionando uma mirada que fez todos os músculos do meu corpo se enrijecer.

- Eu preciso falar com você. E tem que ser agora! – Ele disse de forma séria e nervosa ao mesmo tempo.           

 


Notas Finais


Entãããão, o que acharam?
ALERTA SPOILER
Quero deixar registrado que daqui pra frente as coisas vão melhorar!
Love u guys. Bora interagir!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...