História Prefira a noite - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Sehun
Tags De Época, Exo, Kaihun, Sekai, Yoloirl
Visualizações 57
Palavras 807
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Arte da capa por Daehyun Kim, editada para fins estéticos.
Inspirada na música “Olhos de Luar”, de Chrystian&Ralf.

Capítulo 1 - Aos olhos da lua;


Kim JongIn era o típico trabalhador rural. Com a pele morena castigada pelo sol e braços fortes manejando a enxada, o garoto que trabalhava do nascer ao pôr do sol raramente tirava o sorriso largo do rosto; poderia não ter o melhor dos trabalhos, mas era o suficiente para viver dignamente, e era isso que importava para si.

Vez ou outra, em meio ao trabalho, JongIn cantarolava uma das músicas que sua mãe lhe costumava cantar ao nina-lo em seus braços quando criança. As letras costumavam falar de amor, e grande parte das histórias em versos cantados era verdadeira, pois contavam de um amor que, há muito tempo, havia surgido alí mesmo, entre os pés da plantação.

Aos fins de semana JongIn largava o batente mais cedo, trocava sua vestimenta do dia-a-dia — regata surrada, bermuda curta e chapéu de palha — por algo mais ajeitado, se perfumava e ía à cidade para se reunir com dois ou três amigos em uma mesa de bar, bebendo o que o dinheiro lhe permitia e jogando papo fora entre um copo e outro.

Vez ou outra um cantor ou banda se apresentava no bar custumeiro de JongIn, e fôra em uma dessas vezes que pode descobrir quem verdadeiramente era Oh Sehun, o filho de seu patrão.

Oh sempre fora do tipo quieto, tímido e que não era de falar muito. Falava com JongIn vez ou outra no dia, quando precisava de ajuda dos funcionários para mover uma carga ou dar recados de seu pai. Nunca haviam conversado verdadeiramente um com o outro, mas alí estava Oh, cantando um soul melódico enquanto encarava o Kim com uma expressão passiva.

Algumas pessoas dizem que “um olhar vale mais do que mil palavras”, e para JongIn aquela troca de olhares certamente valeu por todas as palavras que um nunca haviam proferido ao outro.

Ao fim da música o mais novo se ausentou com pressa, se dirigindo aos fundos do estabelecimento. Também apressado, JongIn despediu-se de seus amigos e correu bar a fora, apenas para encontrar Oh o esperando à duas esquinas de distância com um olhar que variava de receoso para intimidador em milésimos de segundos.

— Não conte a meu pai que me viste aqui. — o mais novo fôra direto ao ponto.

— Não irei. — disse ao sorrir acolhedor, desarmando os ombros arqueados do outro — Cantas muito bem.

— Obrigado. — agradeceu em meio um riso tímido, coisa que o Kim nunca o havia visto fazer.

E alí, naquela dobra de esquina, nasceu uma das mais improváveis amizades que poderiam nascer na época.


•°•°•°


Era oito e meia da noite de uma quinta. JongIn havia deixado o serviço mais tarde que o de costume, mas mesmo assim o moreno sorria, pensando no que viria a acontecer naquela noite.

Ao entrar na casa que dividia com dois outros trabalhadores, JongIn logo se dirigiu ao banheiro para se limpar. Ao terminar saiu nu, não se importando em, ocasionalmente, ser visto.

Não costumava sair no meio da semana, visto que estava cansado de mais para o fazer, mas abrira uma excessão depois de ser muito bem convencido pelo Oh.

Ao entrar em seu quarto logo viu o pedaço de papel amarelado em cima de sua cama. A caligrafia desenhada do outro sempre lhe impressionava com tamanha beleza. Leu calmamente palavra por palavra, lembrando do dia em que o remetente havia lhe ensinado a ler e escrever por toda uma madrugada.

Oh acrescentara muito na vida de JongIn, e o sujeito também não ficara para trás. Ambos compartilhavam suas experiências de vida secretamente durante as noites que passavam juntos.

Logo o moreno já estava no local escrito no papel: um dos celeiros onde estocavam os alimentos colhidos. Entrou sem fazer muito barulho, surpreendendo Sehun ao tocar o ombro alheio.

— Assustou-me! — o garoto exclamou ao se virar para trás, mas não pode deixar de sorrir segundos depois.

— Desculpe-me. — pediu entre um sorriso pequeno, porém sincero.

JongIn se abaixou calmamente até ficar na altura do outro que se via sentado em um bloco de feno. O moreno levantou a mão e traçou a curva do maxilar de Oh com suavidade que não lhe era comum. Sehun abria e fechava a boca, passava a língua nos lábios no intuito de molha-los, falhando. O maior tentava se controlar ao estar perto do outro, mas alí não era necessário, então puxou Sehun para um beijo regado a desejo e paixão. Sua mão passeava pelo corpo magro do garoto, apertando e deixando algumas marcas em sua coxa e cintura. Já Oh tinha mania de separar o beijo para deixar mordidas e chupões no pescoço e ombros do Kim.

Assim costumavam passar as poucas e preciosas horas que tinham a sós, e deitados no feno bruto ou nos sacos de pano cheios de grãos um se entregava ao outro com vontade, desejo e paixão, aproveitando cada fração de tempo, cada gota de suor, cada beijo afoito.


Notas Finais


Isso é meio que uma oneshot que parece uma twoshot e que tem material pra uma long.

Oi oi, turubo? Turuok. Eis que estava eu empacado e entediado revirando minhas notas, dando olhada em uns troços antigos e então acho isso escrito pela metade. Refiz tudo — pois antes era uma long — um pouco mais poético e adicionei a temática de época — que não é meu forte, visto que não sei nada k —, e aqui estamos nós, com minha segunda fic de exo sendo postada, e, novamente, temos o JongIn e protagonista. Pensou em 'moreno forte da pele castigada pelo sol' pensou em Kim JongIn, desculpa o estereótipo fodido.

Bem, a fanfic é super auto explicativa, só o final ficou em alguém. Eu realmente planejei uma long, mas não vou escrever porque ía meio que seguir a letra e ía ser mó rolê então k, se alguém estiver interessado numa parceria a MP/DM estão abertas rsrsrs

Obrigado por ler, até a próxima 💖💞

{ Por sinal, não querendo ser aqueles escritores chatos, mas falta 20 favoritos para eu postar o especial de 100 favoritos de Brave Boys, com direito a Lukunwoo, sexo no banheiro e sexo a três. Da uma olhadinha na fic, é meu xodó, minha única long ❤
Linkkkk: https://spiritfanfics.com/historia/brave-boys-9175004 }


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...