História Pregnancy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais, Sehun
Exibições 17
Palavras 966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura~
Leiam as notas finais ♡

Capítulo 3 - 3


18:30.

A campainha pode ser ouvida e pedi pra Irene atender a porta.

Após sairmos da cafeteria viemos para o meu andar, já que deveria me arrumar para o jantar que omma daria.

-Ahra? Vamos? -Ire  apareceu no início da escada. Tomei coragem e desci os degraus com cuidado, já que costumava ser muito desastrada.

Olhei para Sehun, que estava parado perto do sofá, e ele logo tratou de desviar o olhar.

Meu coração apertou com isso. Mas a culpa é exclusivamente minha, eu fui a idiota que não conseguiu falar uma palavra sequer sem gaguejar.

Assim que cheguei perto deles o de cabelos negros saiu rapidamente pelo porta e Ire me abraçou de lado, me reconfortando.

Ter que descer até o subsolo no pequeno elevador com os dois foi um tanto cômico e agoniante. Bae fez com que eu ficasse ao lado de Sehun e ficou a nossa frente segurando a risada. Essa raposa.

Hun tentava ficar o mais longe possível de mim, como se eu tivesse algum tipo de doença contagiosa.

Ele ia me ignorar agora? Ótimo.

Revirei os olhos.

Assim que chegamos ao estacionamento do prédio olhamos um pro rosto do outro, nos perguntando silenciosamente quem iria dirigir.

-Meu carro está no concerto. -disse Oh. -decidam entre vocês. -se afastou alguns passos.

Assim que Irene olhou pra mim já soube o que ela pensava.

-KAI BAI BO. -nós gritamos juntas.

Chorei internamente com o resultado. Sua mão cobriu a minha em forma de pedra. Bufei e ela riu.

Andamos até o meu carro e Irene rapidamente se jogou na frente da porta traseira, bloqueando Sehun. Ele suspirou e sentou-se no banco do passageiro.

Assim que o carro começou a andar pude ver de soslaio uma mão se esticando até o rádio. Uma melodia animada e vozes irritantes começaram a ser ouvidas.

Olhei para Oh Sehun, que simplesmente deu de ombros. Bufei e troquei a estação de rádio, deixando a música de uma boygroup que eu gostava tocando.

-Meu carro, minhas músicas. -tenho certeza que após minha fala Oh revirou os olhos.

~

-Vocês estão 5 minutos atrasasos. -nós três mal havíamos atravessado a porta. Omma começou a sorrir assim que viu Irene. -Ire! Senti sua falta, querida. Entre, seus pais estão na mesa de jantar lá no jardim, sinta-se a vontade. -a agora ruiva se curvou para minha mãe e se dirigiu ate o lugar indicado, deixando Hunnie e eu na companhia de omma. Sua expressão mudou completamente quando ela nos olhou.

-Senhor Min, Senhor Oh, Yujin e eu temos algo sério para tratar com vocês durante o jantar. -Sehun e eu nos curvamos brevemente em sinal de compreensão. Ela sorriu. -Hunnie, querido. Você e Ahra poderiam pegar alguns pratos que faltam na cozinha pra mim? Obrigada.

Ela sequer nos deu a chance de responder e saiu do hall de entrada.

Andamos silenciosamente até a cozinha. Sentei em cima da bancada de mármore e ele me olhou curioso.

-Er, então, sua mãe di-isse que vo-você não estava comendo dire-eito. -Isso, Ahra, sua estúpida, gagueje.

-E do que isso te interessa agora? -suas palavras rudes cortaram como lâmina.

-Nós ai-inda so-omos amigos, não somos? -falei receosa e com a voz transbordando fragilidade. Ele suspirou e puxou os fios de cabelo da nuca. Suspirou novamente.

-Somos. -olhou para os pés. -Eu só... preciso de um tempo. Não entendo porque você está fazendo isso.

-E-Eu também não sei. -pus alguns fios teimosos atrás da orelha e passei a observar minhas mãos que descansavam no mármore frio. Senti ele chegar mais perto.

-Você gosta de outra pessoa? -e dor se fez presente em sua voz.

-Não. -disse baixinho.

-Então por que raios está me ignorando? -bateu as mãos na bancada.

-Eu na-não sei o que faze-er, tá legal? -uma de suas mãos foi até meu queixo, o elevando para que eu o olhasse. -Você se confessa depois de um momento quase traumatizante e espera que eu faça o que?

-E-eu... -tirou a mão do meu rosto e puxou mais alguns fios de cabelo.

-AHRA? -ouvimos a voz de omma gritando lá de fora. Me apressei em descer da bancada e pegar os pratos que ela tinha pedido. Saí e deixei Oh pra trás.

Assim que cheguei na mesa de jantar fui abordada por minha tia e pela senhora Oh, que apesar do que estava acontecendo entre seu filho e eu, continuava gentil como sempre.

Após falar com todos presentes na mesa fui me sentar ao lado de Irene. Assim que Sehun se juntou a nós, omma levantou, atraindo atenção para si.

-Muito obrigada por todos vocês terem vindo aqui hoje. -sorriu. -Após muito discutir com meu marido e com o senhor Oh, chegamos a uma conclusão.

Nessa hora senti um frio no estômago, sabia que qualquer coisa que omma diga agora pode ser algo extremamente ruim, ou extremamente bom.

-Sehun, você já trabalha há muito tempo na empresa ajudando seu pai. Nós gostaríamos de promove-lo. -ela sorriu e o Oh mais novo aparentava estar muito surpreso. E feliz. Ele esperava por isso há muito. -Mas... -foi nessa parte que a animação cessou e deu lugar a um clima tenso. -Você terá de ser o supervisor de Ahra.

Congelei. E engasguei com a água que estava prestes a engolir. Todos se viraram pra mim e Irene perguntou se eu estava bem.

Omma ignorou e prosseguiu.

-Minha pequena Min está só começando, você pode ajudá-la com sua experiência e guia-la. Até porque você já terminou a universidade. -virou a atenção para mim. -E Ahra tem um longo caminho pela frente. -suspirou. -Ela pode servir de secretária também.

Não tive certeza se essa notícia era boa ou ruim, talvez estivesse em uma linha tênue entre os dois.

-O que vocês acham? -omma com certeza estava contente. Quando ela não está trabalhando como mãe trabalha meio-período como meu inferno particular.

-Ótimo. -Sehun se pronunciou. -Não é mesmo, Ahra?

Todos olharam para mim com expectativa. Me senti pressionada.

-Claro, fico contente em poder aprender mais sobre a profissão. -forcei um sorriso.

Seria um longo ano.


Notas Finais


Oii bolinhos ^ㅅ^
Desculpa pela demora pra postar > < tá acontecendo umas tretas loucas no meu grupo de dança, e isso me deixou um pouquinho sem ânimo.
Espero que gostem e desculpem qualquer errinho ♡
Ps: alguém quer fazer um grupo de dança novo comigo? :v tá difícil viu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...