História Pregnant - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, G-Dragon
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Personagens Originais, Seungri, T.O.P, Taeyang
Visualizações 218
Palavras 1.262
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Aborrecimento.


Young Bae — Point Of View

Era evidente ver que Esther ficou magoada com as palavras daquele idiota que eu ainda tenho coragem de chamar de amigo, não conheço pessoa mais cínica do que ele. 

— Pessoal, acordamos ela e a Ha Ni. Não é melhor irmos embora? — indaguei já me levantando. 

Eles concordaram e se levantaram também, fui até Esther e beijei sua bochecha.

— Não fique assim. — sussurrei no seu ouvido e me afastei em seguida.

Os outros nem a abraçaram, somente disseram tchau e saíram. Fechei a porta da sala assim que saí e andamos em silêncio até o elevador, mas quando adentramos o mesmo eu não me aguentei.

— O que você tem na cabeça? — indaguei já empurrando Ji Yong para a parede segurando a gola de sua camisa. — Por que falou aquilo? Quer ver Esther magoada? 

Ele riu.

— Eu que deveria estar magoado, não acha? 

— Sosseguem vocês dois, não é hora de discutir isso. — Seung-Hyun avisou assim que o elevador apitou indicando que mais alguém entraria no mesmo.

Soltei Ji Yong e fui para o lado oposto dele, mesmo que fosse um cubículo e não tivesse como nos afastarmos muito. 

Na rua entrei no meu carro rapidamente e fui em direção da YG, lá resolveríamos isso de um jeito ou de outro e não teria como fugir. Se ele acha que vai pisar em Esther, está muito enganado. 

Chegando lá fomos direto para a área de descanso, joguei meu celular no sofá e sentei-me.

— Qual é a sua? — perguntei para Kwon.

— Vai mesmo insistir com isso? Quer mesmo discutir por causa da nossa cabeleireira? 

— Ela não é apenas nossa cabeleireira, ela é mais do que isso e você sabe muito bem. Por que de repente resolveu ignorá-la? Você era o primeiro a se animar quando o assunto era ela, ia em todo local que ela ia. Você sentia algo por ela! Agora só porque voltou do exército tá achando que pode pisar nela? A Esther te ama! A Ha Ni precisa de você! E você vai mesmo ficar dizendo para ela que não pode ter filhos agora? Quer ver ela mal? 

— Ela mal? Ela sabe o quão decepcionado eu fiquei quando ela disse que Ha Ni não era minha filha? Ela faz ideia? E mais ainda, ela sabe o quão irritado fiquei ao saber que ela mentiu para mim? Eu juro que estava me segurando para não dizer coisa pior. 

— Por que vocês não param? — Seung-Hyun se intrometeu na conversa. — Ji Yong, acho que você tem idade o suficiente para agir com maturidade e Young Bae também. Por que você não aceita Ha Ni? E YB por que você defende tanto a Esther? Por acaso sente algo por ela? 

— Não gosto dela, apenas sou amigo dela e sirvo para isso. Talvez porque eu fui o único que nas pausas do exército a visitava e o único que foi assistir o parto, o único que fez as coisas para ela quando estava grávida enquanto o próprio pai da Ha Ni não estava nem aí. 

— Ela mentiu para mim! Mentiu! Você quer mesmo que eu chegue lá falando que sei de toda a verdade e você passe por fofoqueiro?

— O que vocês estão discutindo? — perguntou Teddy entrando na sala. — Mal voltaram e estão brigando? — riu e sentou-se na cadeira a nossa frente. — Afinal, o que vocês estão fazendo aqui? A entrevista de vocês é amanhã. 

— Ji Yong tem algo para falar com o Yang Hyun-suk. — Seung-Hyun falou. — Não é?

— Vocês me irritam. — Ji Yong disse. — Me deixem em paz. — levantou-se e saiu da sala deixando Teddy com cara de tacho.

Eu não quero ver Esther chorando por causa de Ji Yong, tudo bem que ele é um dos meus melhores amigos, mas as coisas que ele fala me dão raiva. O modo como age, como se não estivesse ligando me deixa perplexo e me perguntando o motivo dele ser assim. Tudo bem que ela fez errado em esconder a verdade dele, de ter mentido dizendo que era outro. Mas ele não precisa agir dessa forma agora. 

Choi Seung-Hyun me olhou, depois olhou para Teddy que continuava sem entender nada do que estava acontecendo.

— Por que ele está de mal humor? Deveria estar feliz por ter voltado. — Teddy disse antes de sair da sala.

Passei meu olhar pelo mais velho que permanecia sentado com seu olhar calmo como se nada tivesse acontecido.

— Você acha que ele vai atrás dela? — indaguei.

De alguma forma Choi sabia exatamente como decifrar as pessoas, era algo realmente estranho.

— Ele? Ji Yong? Estamos falando da mesma pessoa? — Choi debochou. — Se não fosse a imprensa ele nem teria assumido a Nana, quem dirá uma amante e uma filha. 

— Mas ele não gosta da Nana e você sabe disso.

— E quem me garante que ele gosta da Esther? 

Esther — Point Of View

Ignorar o que ele falou. Ignorar o que ele falou.

Ficava repetindo isso em minha mente enquanto limpava a casa na tentativa de me distrair, Ha Ni estava no berço na sala e eu varria o tapete. 

Então mesmo que se eu quisesse não poderia dizer a ele que o mesmo é pai da minha filha, pois não iria aceitar já que falou algo daquele tipo. Eu deveria saber antes que o jeito "meigo" dele era só fachada, deveria saber que aquele homem é um metido e esnobe que não liga para mais ninguém a não ser ele. 

— Om-m! — Ha Ni resmungou e logo começou a chorar. 

Peguei ela no colo e a aninhei em meus braços.

— Omma está aqui querida, xiu. — disse baixinho enquanto acariciava os lisos fios de cabelos. — Não chore querida. 

Fui até a janela e olhei para baixo, a rua estava vazia e não estava muito sol. Decidi então deixar a faxina para depois e sair um pouco com minha filha. 

A arrumei e me arrumei rapidamente, a coloquei no carrinho e assim saímos em direção ao parque perto do meu prédio.

Sentei-me num banco e peguei Ha Ni no colo a sentando em minha perna.

— Daqui um tempo vai ser você brincando aqui com outras crianças. — disse para ela. — Não vai ser legal? E o seu padrinho vai poder te trazer também. Você vai poder ver seu padrinho na televisão e falar para todos que ele é só seu.

Sorri e Ha Ni sorriu de volta.

— Omma! — ela disse e eu sorri segurando as lágrimas. — Omma!

— Sim, sou sua omma. E sou muito feliz por ter você na minha vida, querida!

— Esther? — ouvi uma voz conhecida e virei-me para olhar, era Kim, a novata da staff. — Omo! Essa bebezinha é sua filha?

Eu assenti. Ela parecia surpresa, havia tempo que a gente não se via.

— Posso pegá-la? — esticou os braços e eu assenti.

Kim pegou Ha Ni e fiquei encantada em como uma adolescente tinha habilidade com bebês, Kim adorou minha filha.

— Ela é muito linda e não parece com você. — brincou e eu fingi estar ofendida. 

— É, ela lembra mais o appa dela. 

— Ele deve estar muito contente de ter uma filha como ela, é adorável e pelo jeito vai dar trabalho quando crescer. 

— Ei! Vou ensiná-la desde cedo a como ser uma pessoa independente! Pode deixar comigo. — ri e Kim também. — Amanhã você vai arrumar os rapazes para a entrevista?

Ela assentiu.

— Você também?

Eu assenti.

— Ótimo! Nos vemos lá na empresa então, por que não leva Ha Ni?

— Ah, talvez eu leve. Não tenho certeza. — abaixei meu olhar para o chão. 

— Esther, você está bem? Tem algo lhe aborrecendo?

Na verdade tinha muitas coisas, mas eu apenas balancei a cabeça negando. 


Notas Finais


Bom, nada a declarar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...