História Prenda-se a mim - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Ans, Bts, Hetero, Suga X Oc
Exibições 97
Palavras 2.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~INVADINDO~

Bem, só queria começar dizendo que a nossa Ans está viajando, e pediu para mim postar para ela (~Tia_Hell aqui \o/ tem algum leitor meu por aqui também? Se pronunciem!), o que é uma grande honra, uma vez que eu amo muito essa fanfic e já a acompanho desde que era só um plot. u.u
ME SINTO COMO UMA TIA ORGULHOSA VENDO COMO ELA CRESCEU. Virou meu xodó!
Mas então, deu de enrolar, e bora pro capítulo?
Preparem o kokoro porque ta maravilhoso!

Gnash - I hate u, I love u (ft. Olivia O'brien)

Capítulo 12 - Você é você e ela é ela


Fanfic / Fanfiction Prenda-se a mim - Capítulo 12 - Você é você e ela é ela

“You want her, you need her, and i’ll never be her”

Quando Ally desceu com JiYeon, o almoço já estava pronto. TaeHyung acabara por substituir a Min mais nova na cozinha e por sinal desempenhara bem sua função; o Kim até tinha um bom senso para temperar as comidas e cortava os legumes muito rápido, o que acabou surpreendendo Yoongi, já que pensava que Tae fosse um quase completo desastrado.

Yoongi pensava em falar com Ally durante aqueles dias que estivessem ali, o mais breve quanto possível, até porque, o clima estranho entre eles havia sido percebido por quase todos os amigos, o que só piorava a situação ruim em que se encontravam.

Sentaram-se todos ao redor da grande mesa de carvalho branco que havia na sala de jantar, prontos para desfrutarem do verdadeiro banquete que era servido.

— Nossa, tem comida para um batalhão aqui. – TaeHyung comentou enquanto pegava seu prato.

— Claro! Vocês voltaram muito magros, nem parece que têm comida em casa. Tem certeza que estão realmente bem? – In Hae perguntou enquanto fazia questão de servir a todos.

A Min mais velha sempre era muito gentil e preocupada com todos, chegando muitas vezes a dizer que não possuía apenas dois filhos, mas sim cinco, por causa de Jimin, TaeHyung e SeokJin, que acabaram por ter espaço VIP na casa dos Min.

— Nós não estamos magros demais, tia, você que quer nos engordar como fazem com os porcos antes do abate. – Jimin retrucou ao passo que observava a quantidade com a qual fora servido.

— Se você não quer comer apenas se retire da mesa, idiota. – TaeHyung resmungou ofendido, fazendo com que os demais rissem. Claro que ele queria que todos comessem bastante da comida que havia ajuda a preparar.

Após todos servidos, começaram a comer. TaeHyung era um dos principais incentivadores da conversa que se seguia animada durante a refeição. Todos falando sobre seus trabalhos, alguns sobre seus relacionamentos e coisas do tipo. Yoongi apenas permanecia calado, comendo e observando a todos.

Não que o Min estivesse apático como normalmente era, ele apenas não queria falar nada naquele momento, absorto demais em seus próprios pensamentos.

— E você, Yoongi? Já conseguiu uma namorada? Você sabe, logo, logo fará trinta anos. Seria bom que já tivesse uma esposa. – Young Jae perguntou chamando a atenção de todos para o Min mais novo.

— Não. – Yoongi respondeu simplesmente, voltando seus olhos para a carne que estava em seu prato.

Sentia o olhar de todos queimando sua face e torcia aos céus para que não estivesse vermelho, pois suas bochechas queimavam, não por vergonha, mas por aquela pergunta ser realmente inconveniente.

— Não está nem mesmo gostando de alguém? – In Hae perguntou.

Claro, uma mãe conhece um filho como a palma da própria mão. Hae percebera o filho bem mais receptivo desde a última vez que ele a visitara. Até mesmo se atrevera a brincar na cozinha com TaeHyung enquanto cozinhavam.

A Min sabia que muitas vezes o amor podia ajudar um pouquinho a superar algumas coisas, já que fora exatamente assim com seu filho anos atrás, e, por Deus, esperava realmente que isso acontecesse novamente, pois doía muito ver Yoongi definhando lentamente sem sequer perceber.

— Sim, eu estou gostando de alguém, mãe. – Yoongi se sentia como na época de colegial novamente. A diferença é que não precisava contar para seus pais antes de sequer começar u relacionamento sólido com alguém.

— Isso é realmente ótimo, Yoongi. Quando é que vai trazê-la aqui? – O mais velho entre todos ali perguntou, fazendo Yoongi ter que se controlar ao máximo para não revirar os olhos diante daquela pergunta. Odiava que as pessoas fossem tão invasivas assim consigo, ainda mais se essas pessoas fossem seus pais.

— Não sei.

— Ah, isso por enquanto não importa. Ela é alguém como DaHee? Se for, vale a pena que você insista. Espero que ela te faça tão bem como DaHee te fez. Eu realmente lamento muito por tudo o que aconteceu. DaHee era uma menina de ouro, eu estava tão animada em tê-la como nora e então vocês romperam o noivado... – In Hae parou de falar ao ouvir uma cadeira sendo arrastada bruscamente e uma pessoa se levantando da mesa.

Pensou que fosse ver Yoongi de pé, mas era Ally quem se encontrava de tal forma. JiYeon apenas a olhou compreensiva, visto que sabia do grande dilema que a estrangeira estava enfrentando com Yoongi.

Ally por um momento ficou sem reação, apenas encarando a todos que a encaravam de volta. Fizera aquilo no momento, apenas sabia que não podia ficar sequer mais um minuto ali ouvindo enquanto todos falavam da ex. Mais uma vez estava sendo comparada, mesmo que agora fosse indiretamente, a DaHee e aquilo a incomodava por deveras.

— Me desculpem, eu não estou me sentindo muito bem. – A texana inventou a primeira coisa que lhe veio à mente, o que pareceu convencer o casal Min. — Acho que não estou muito acostumada com a culinária típica coreana.

— Tudo bem, querida, apenas suba e descanse até se sentir melhor. – In Hae acenou com a cabeça, mesmo que no fundo não estivesse convencida daquela desculpa e associasse bastante aquela reação da estrangeira com a menção de DaHee. Sabia muito bem o que era aquilo. — Yoongi, a leve até o seu quarto e aproveite para pegar alguns remédios para enjoos no banheiro. Você sabe como esse tempero é forte.

Yoongi nada disse, e apenas se levantou, deixando sua comida quase intocada para trás e rumando para o andar de cima, sendo seguido por Ally, ambos em completo silêncio, da forma mais desconfortável possível. No fundo, Ally se arrependia amargamente de ter se levantado daquela mesa, já que claramente deixara todos confusos e constrangidos com a situação que havia criado, além de colocar a si mesma em uma armadilha perigosa.

Yoongi entrou no quarto seguido da garota e fez questão de fechar bem a porta atrás de si. Mesmo que uma péssima forma sua mãe lhe dera a oportunidade perfeita para conversar com a garota sem haver o perigo de serem incomodados, já que provavelmente todos a deixariam sozinha achando que ela realmente estivesse descansando.

— Por que você fez aquilo? – Yoongi perguntou sem rodeios, observando a garota se sentar na sua cama onde JiYeon havia ocupado tempos atrás.

— Eu já disse que estou me sentindo mal, visto que ainda não me acostumei com a culinária. – Ally mentiu, fazendo de tudo para não precisas olhar Yoongi diretamente.

Havia tensão e um certo desconforto pairando no ar, o que só piorava ainda mais as coisas.

— Eu sei que isso é mentira. Você já comeu comida coreana muitas vezes e nunca passou mal por isso. – Yoongi retrucou, se aproximando da cama e ficando em frente a garota, ainda de pé.

— Por que você quer saber? Isso não te importa tanto assim, Yoongi. – Ally disse com certa brutalidade, se arrependendo segundos depois ao ver o olhar de Yoongi.

Tudo aquilo era uma grande de uma bobagem, mas não havia nada que pudesse ser feito.

— Claro que isso me importa. Eu quero saber o que está acontecendo, sabe? Você não precisa me tratar grosseiramente só porque nós transamos e você se arrependeu, Ally. Eu não vou impor nada a você, então por favor não seja indiferente comigo. – O Min suspirou, passando a mão pelo rosto.

Agora quem estava arrependido por ter dormido com a garota era ele, visto que qualquer fala ou ação sua parecia afastá-la cada vez mais, o que era um tanto quanto frustrante, como se a cada um passo que ele fosse para frente, ela regredisse dois.

— Isso não tem a ver com termos dormido juntos se você quer saber. – Ally comentou, tentando soar displicente, mas falhando miseravelmente.

— E isso tem a ver com o quê, então? Porque eu não estou entendendo a forma como você agiu hoje, de verdade.

— Isso tem a ver com você me usando apenas como uma substituta para sua ex noiva. – A estrangeira praticamente cuspiu aquelas palavras, como se aquilo lhe causasse um enorme asco.

— DaHee? Desde quando ela está relacionada com nós dois? – A confusão no rosto do mais velho estava estampada para que Ally visse; entretanto aquilo para ela não passava de um teatro barato para convencê-la de que estava errada.

— Você não precisa fingir, Yoongi. JiYeon me contou sobre vocês dois e eu sei que você me vê como uma outra DaHee, só ‘gosta’ de mim porque me assemelha com ela. Nossas personalidades são parecidas, certo? – Ally se levantou, encarando o Min face a face, muito próximos.

— Pelo amor de Deus, você está se ouvindo? – Yoongi disse como se aquilo fosse absurdo, encarando completamente abismado a garota à sua frente. — DaHee foi para os Estados Unidos faz dois anos, eu já a superei a muito tempo. Gostar de você nada tem a ver com DaHee. Claro, vocês duas são parecidas, mas você é você e DaHee é DaHee, e eu a amei muito, mas já foi, acabou.

— Yoongi, como eu posso acreditar nisso? Vocês até mesmo foram noivos!

— Bom, nós fomos noivos no passado, agora não somos mais nada. Eu não ia passar tanto tempo assim esperando alguém que eu sabia que não iria voltar, Ally. Não vale a pena, entende? – Uma parte do Min esperava que Ally refletisse sobre aquelas palavras e as aplicasse em seu término com Namjoon. — Eu estou olhando para frente agora.

— Tem certeza? – Ally perguntou num sussurro, deixando transpassar naquele simples murmúrio seus medos e inseguranças de ser apenas mais um estepe para alguém. Havia se tornado uma segunda opção para Namjoon e não queria que isso se repetisse.

— Absoluta! – Yoongi sorriu e acariciou os cabelos castanhos da garota. Sentia-se como se estivesse tirando um peso de suas costas. — Você sabe o que eu sinto por você, então pense bem sobre o que você sente por mim. Não estou dizendo isso para te pressionar nem nada, só quero que você não me deixe no escuro, Ally. A sensação não é boa.

Antes que a garota pudesse falar algo ele se afastou, saindo do quarto logo em seguida, deixando-a sozinha com seus próprios pensamentos, pensando em tudo que fora dito momentos antes e em como ela havia agido desde que chegara em Daegu. Claro, ignorar Yoongi desde quando dormiram juntos não fora algo muito legal, mas o que mais a deixava arrependida era ter agido daquela forma enquanto almoçavam todos juntos.

Pelo ao menos, sua mente não criava mais situações envolvendo DaHee, apesar de que lá no fundo ainda estivesse um pouco insegura sobre tal fato. DaHee fora um passado muito intenso para Yoongi, mais intenso até do que Namjoon fora para si.

Ouviu batidas na porta e em seguida esta sendo aberta, revelando a figura de In Hae, trazendo em mãos uma bandeja com uma tigela de sopa e um copo com um suco que Ally julgou sendo de laranja.

— Vim trazer isso para você, querida. – In Hae fechou a porta e foi até Ally, se sentando de frente para ela na cama e posicionando a bandeja entre as duas. — Não queria que você ficasse com fome então pedi para JiYeon fazer algo mais leve, te garanto que você vai se sentir melhor.

— Obrigada! – Ally abaixou levemente a cabeça, sabendo que aquilo mostraria respeito ou algo do tipo. De qualquer forma, estava realmente agradecida por ela ter se preocupado consigo.

— Você gosta do Yoongi ou algo do tipo? Eu sei que era de você que ele falou na mesa mais cedo. — Pelo visto serem diretos era o ponto de todos os integrantes da família Min, porque In Hae sequer fez rodeios sobre o que queria falar.

— Eu não sei... – Começou meio incerta sobre o que dizer. Era estranho falar com a mãe de Yoongi como se ela fosse uma tia ou algo do tipo. — Eu e meu ex terminamos recentemente, e eu e Yoongi acabamos dormindo juntos. Eu sei que ele gosta de mim, mas não sei como agir diante de tudo isso.

— Entendo... Por favor, não faça o Yoongi sofrer ainda mais. Foi bastante difícil para todos nós o rompimento com DaHee. – In Hae tinha um olhar melancólico, o que deixou Ally curiosa, pensando sobre o que era aquele passado de Yoongi em que todos se sentiam melancólicos ao lembrarem.

— Como o Yoongi era antes? – Não conteve sua língua e acabou perguntando, o que talvez fosse íntimo demais, mas a mãe apenas sorriu nostálgica.

— Nós sempre o pressionamos demais, apesar de ele sempre ter sido um bom filho. Desde a infância nós o colocamos para aprender música clássica – tanto que o piano na sala é dele. – In Hae suspirou em frustração. — Yoongi gostava de fazer rap. Nunca fora revoltado com o clássico ou conosco, mas aquilo nunca foi de fato algo que ele quisesse levar a diante.

— E então?

— Nós nunca impedimos Yoongi de praticar, de fotografar ou jogar basquete, mas deixamos bem claro que aquilo era só um hobby. Então, na hora de ir para a faculdade, nós o obrigamos a fazer administração, sendo que ele queria ir para uma empresa de entretenimento ou fazer fotografia. Sequer deixamos que ele conseguisse uma bolsa através do basquete e o forçamos a estudar para passar nas provas...

In Hae parecia arrependida ao falar sobre aquilo, e Ally conseguia entender. Ela havia privado o filho de ter uma vida saudável e agora estava vendo como aquilo afetou Yoongi diretamente e trouxe mais consequências do que imaginavam.

—.... Desde essa época ele começou a se isolar, mas acabou conhecendo DaHee na faculdade, o que fez com que ele voltasse a ser o mesmo Yoongi da adolescência, mas depois que ele teve que começar a trabalhar dobrado para nos mandar dinheiro, as coisas começaram a ruir novamente. E desde então Yoongi só piorou, por isso DaHee é tão importante, já que ela foi a maior causa da recuperação de Yoongi, mesmo que não tenha sido por tanto tempo.

Ally não conseguia entender ou sequer pensar em como deveria ter sido a vida dele todo aquele tempo. Sendo privado de fazer o que realmente gostava, sendo preso por amarras invisíveis que seus próprios pais haviam criado, feitas em medidas para ele.

Não tinha muito o que falar naquele momento, então ambas as mulheres permaneceram em silêncio, absortas em seus próprios pensamentos.

— Você não se importa com nossa diferença de idade? Você sabe, eu tenho vinte e dois anos enquanto Yoongi é cinco anos mais velho que eu. – Ally quebrou o silêncio ao se lembrar daquele detalhe.

— Eu acho que nós já privamos o Yoongi demais de muitas coisas. – In Hae se levantou da cama e sorriu. — Está na hora de ele tomar as próprias decisões enquanto apenas o apoiamos em qualquer que seja. 


Notas Finais


Música do capítulo:

Eu não falei que estava maravilhoso?
Já podem surtar, viu?
Esses capítulos me destroem, mas amo ser destruida por eles!
Acho que é isso moranguinhos! Deem muito amor para essa fic!

Beijinhos com glitter da Tia Hell! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...