História Presa a você - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katekyo Hitman Reborn!, Kuroshitsuji
Tags Ciel, Hibari, Romance, Sebastian
Visualizações 2
Palavras 1.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Voltei. Vocês perceberam que o rumo que a história está tomando está diferente? Isso tem haver com o fato deu estar me inspirando em outras coisas...

Capítulo 33 - Contrato.


Já estavam andando por algumas horas pela névoa, e Rehallit já sentia seu corpo febril e seu sangue corria nas veias como um formigamento. Sebastian percebeu o que estava acontecendo, mas não falou nada, afinal isso não era tarefa sua.

Ciel:

-Chegamos. - eram mais ruínas. No meio dessas ruínas havia um grande pentagrama com uma mesa de pedra no centro.

Sebastian:

- Vamos? - Guiou a jovem para o meio do lugar. - O jovem mestre vai fazer um ritual de selamento das suas memórias.

Rehallit:

- selamento?

Sebastian:

- Isso. Esse tipo de "coisa" - ele falava de sentimentos.- não pode ser destruída, mas pode ser guardada.

Ciel:

- Mas é claro, se os sentimentos contidos nas memórias forem muito intensos, podem deixar resíduos. - Falou seriamente.

Rehallit:

- O que eu tenho que fazer?

Ciel:

-Primeiro preciso de uma parte do seu corpo. Podem ser unhas, sangue, carne ou cabelos. Você decide. - sebastian entregou-lhe um punhal.

Rehallit sorrido cortou os cabelos na altura do queixo, e entregou para sebastian.

Ciel:

-pode se deitar na mesa...

Rehallit fazia o que lhe pediam sem falar quase nada. O que incomodava um pouco o demônio mais velho, pois sabia que isso não era coisa boa.

Sebastian:

- O que te incomoda? - Falou perto do ouvido da garota.

Rehallit:

- Nada. Só... - Sebastian ria sarcástico. - Esqueça.

Sebastian:

-Não precisa se preocupar com nada. Só vai doer um pouco.

Rehallit:

-hun. Idiota. - virou o rosto para o lado.

Ciel:

-Vamos começar? - o jovem demônio pegou o cabelo da garota e colocou dentro de uma caixa.

Normalmente uma pessoa que gostaria de executar magia deve falar algumas palavras, mas como estamos falando de demônios o processo é diferente.

Um feiche de luz vermelho saiu da caixa em direção ao corpo de Rehallit, que sentiu uma das maiores dores da sua vida. Do seu corpo a luz se dividiu em vários caminhos em direção ao céu.

Sebastian:

-Hoo, isso é interessante. - posicionou-se calmamente ao lado do seu mestre.

Ciel:

- O que? - Falou sem dar atenção.

Sebastian:

-Eu mesmo já fiz várias vezes esse ritual, e até mesmo demônios huran de dor. Mas essa jovem está em silêncio, como se estivesse dormindo.

Ciel:

-Ela pode ter desmaiado.

Sebastian :

- Não. Ela está consciente.

Rehallit:

-Quanto tempo isso vai durar? - Ela perguntou de uma forma fria.

Ciel:

-Não muito. Mas se você quiser podemos fazer em partes.

Rehallit :

-Não há necessidade. Se quiser fazer mais rápido, eu agradeço. - ciel tomou como um desafio e mesmo sabendo que a dor poderia ser insuportável, ele acelerou o processo.

Rehallit fechou os olhos e respirou fundo. A dor era terrível, como houvessem várias facas atravessando seu corpo inúmeras vezes.

Ciel:

-Porque ela não sente dor? - ele estava ficando frustrado.- sebastian! Descubra.

Sebastian:

-sim. - O demônio mais velho seguiu em direção à jovem. Percebeu que o corpo dela estava relaxado e sua respiração estava calma. - Mas que diabos...

Rehallit:

-você que saber porque não estou gritando? - riu divertida. - Nunca senti uma dor física tão grande, na verdade já estou no meu limite, mas não vou dar o gostinho de gemer de dor na frente de vocês.

Sebastian:

-Ora, você já fez isso na minha frente, hime-sama. - Riu.

Rehallit:

-Porque não morre de uma vez, lolicon. - Falou entediada, mas com a face corada.

Sebastian saiu de perto, rindo da garota.

Ciel:

-E então?

Sebastian:

-se isso continuar por muito tempo ela não vai resistir. Tem certeza que quer feri-la?

Ciel:

-Não, apenas queria me divertir um pouco. Aliás, já terminou. - O jovem demônio fechou a caixa e se aproximou da garota. - está terminando.

Rehallit:

-ótimo. Já sei qual vai ser meu próximo desejo... Quero que você libere seu mordomo. Ciel, desfaça o contrato! - Falou seriamente, ainda deitada olhando para o céu.

Sebastian começou a rir discretamente. -"então o que fará, jovem mestre? " - pensou o demônio.

Ciel:

-Você não pode estar falando sério. - resmungou. E como resposta, a garota mostrou-lhe a língua, onde havia o selo do contrato. -tsc...

Sebastian:

-Ora Hime-sama, existe um motivo para isso?

Rehallit:

-Mas é claro, não gosto de ficar em dívida com ninguém. -sorriu. - e também, o ronco do seu estômago está muito alto. É sério, você parece um cachorro na frente de uma churrascaria. -Os dois foram pegos de surpresa com a resposta da menina. - ou você ficou tão dependente desse demônio, c-i-e-l.

O jovem ficou tenso, afinal sebastian fazia parte do seu plano, e graças a diferença de força entre os dois sebastian podia querer se vingar. Rehallit sabia muito bem sobre isso, logo previa tudo que poderia acontecer.

Rehallit.

-você pode realizar esse pedido por último, pois do meu último pedido será agora, mas graças ao contrato, você só poderá ter o "pagamento" apenas depois de realizar todos os meus pedidos. - Ela riu ao se sentar. - Eu quero ter a essência de kaoro.

Ciel:

-Ora, como pretende que eu faça isso, hime-sama? -sorriu.

Rehallit :

-Eu não sou idiota, você pode recuperá-la se você for ao inferno e buscar. Nossa essência não faz parte da nossa alma, mas está junto à ela. - Ela sorriu. - Eu sugiro que se aprece...

Ciel estava muito irritado com a situação, não gostava de ser controlado, mas não tinha muita escolha. Rehallit fazia pedidos sem sentido nenhum para ele, não que estivesse interessado, mas ainda sim nada fazia sentido. Será que a garota sentia algum remorso ou raiva?

Tudo bem, não poderia ser uma tarefa muito difícil, só precisava ser o mais rápido possível. E depois ainda teria que liberar sebastian, mas tudo por um bem maior.

Ciel:

-certo, vocês dois podem esperar aqui. Eu vou sozinho. - desviou o olhar dos dois. - sebastian, cuide dela até a hora chegar.

Sebastian:

-yes, my Lord.

Rehallit:

-seja cuidadoso. - sorriu.

Ciel:

-Sim, Lady valentine.

E em uma nuvem de pétalas de rosas o corpo do jovem demônio sumiu...

.

.

.

.

Horas depois.

.

.

.

.

Sebastian:

-Eu sei o que pretende. -O mordomo falava de costas para a mestiça. - acha que ele vai conseguir.

Rehallit:

-Não acho. - Ela falava com um pirulito na boca. - Mas tudo bem, se ele morrer eu também irei e você estará livre.

Sebastian:

-Mas se ele voltar? - o demônio sorriu sádico. 


Notas Finais


Bons sonhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...