História Presa no amor- Uma garota diferente! - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 15
Palavras 1.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Eu sei, fiquei bastante tempo sem postar(Não me matem!)mas é que eu estava muito ocupada, aconteceram várias coisas tristes na minha vida que eu prefiro ignorar e pensar que sou forte(como a Safira) e pensei bastante nessa personagem, fiquei com sds dela, da história, de vcs meus amores!! Eu realmente estava pensando em parar com essa fic, mas pensei em como iria desapontar vcs então aqui estamos em mais um capítulo:3 (desculpe pelo texto enorme ._.)

Capítulo 8 - Olhos na escuridão-Ele à vigia


Fanfic / Fanfiction Presa no amor- Uma garota diferente! - Capítulo 8 - Olhos na escuridão-Ele à vigia

Safira  

.....

 -Por que não?-Arthur me perguntou. 

 -Por Que Irei Me Apaixonar Por Você!!-a quelas palavras saíram de minha boca? Fui eu que disse aquilo? 

 -Arthur deixe-nos... agora por favor!-O rei ordenou. O que eu fiz? O que eu falei? 

 -Meu rei...-fui interrompida. 

 -Você Safira entra no meu castelo, derrota metade da minha guarda por puro ódio?-Aquela pergunta me calou.

 -.... 

 -Safira-o rei suspira e muda seu tom de voz como se estivesse tentando compreender uma criança -você não quer ficar aqui por que?

 -Por que não quero atrapalhar a vida de Arthur, se eu ficar aqui meu rei só serei uma preocupação para vocês-disse sincera. 

 -Diga-me por que você acha que seria preocupação?

 -Bem...Eu não seria uma dama-Ele continuou ouvindo-Não saberia comer com talheres de prata... Não saberia me encontrar no castelo... não saberia me comportar diante da côrte... não saberia me comportar com tantos quartos a explorar, não conseguiria dormir em um quarto, me acostumei a ser livre do jeito que sou, sou um bicho que dorme sobre as estrelas e acorda com o sol, um bicho que caça e leva a comida para casa, um bicho que banha em lagos e que escala árvores, que corre, que luta, que come e que...-suspiro- que...que não tem mais razão de viver, de ser livre- Quando termino o rei estava me escutando atentamente, ele não falou nada por alguns segundos, até que disse.

 -Safira, você acha que consegue ser a mesma aqui? Continuar a ser livre? Porém, não fazendo parte da nossa família como você prefere, mas sim como nossa... nossa Safira.

 -E o que você quer dizer com isso rei?-pergunto confusa. 

 -Que será nossa Safira, nossa pedra preciosa que tanto deseja ser livre, mas que tenha pessoas consigo. Seja nossa Safira, seja o que você deseja ser, seja livre. 

 -E como poderei ser livre aqui? Não poderei fazer as mesmas coisas que fazia. 

 -Claro que pode, quer dormir sobre as estrelas durma, vá até o telhado do castelo e durma, quer tomar banho em lagos saia e vá. Safira eu adoraria que ouvir risadas ou correria nessa casa, tanto que tenho 3 filhas mas nenhuma delas me faria tão feliz do que ter você como filha Safira. Aceite, por favor aceite ficar conosco, ficarei muito grato ao ouvir risadas nesse castelo. Você aceita? ficará conosco? 

 -...Eu...Eu não sei ainda, Só espero não ser um incômodo meu rei. 

 -Não precisa me chamar de Rei Safira, me chame de Sr White. Mas caso aceite ficarei muito grato. 

 -Obrigada S-sr White, por tudo que fez a mim enquanto estava desacordada. 

 -Sua mãe faria a mesma coisa com meus filhos Safira, mas agradeça-me espalhando risadas por esse castelo se desejar ficar. 

Dito isso o rei me liberou, fui para meu quarto e percebi que Arthur estava lá. 

 -O que faz aqui?-pergunto.

 -Você vai ficar?

 -Pra que quer saber?- respondo sem sentimento.

 -Ah... bom-Ele parece triste- Lhe comprei vestidos.

 -Vestidos?-pergunto.

 -Abra seu armário- quando abro vejo que tem vários vestido de ceda, setin e vários outros, de várias estampas, todos cheios de brilho- O que achou?-Ele perguntou empolgado-Pode usa-los no almoço hoje para que minha mãe e minha família a vejam. Eu pedirei as criadas que preparem...-o interrompi.

 -Mas como eles são...- Pego um vestido amarelo de seda com delicadeza, coloco sobre meu peito, em seguida o rasgo com brutalidade- RIDÍCULOS!-dito isso o jogo no ar na frente de seu rosto os restos do vestido- O que você pensou quando mandou provavelmente uma criada qualquer compra-los a mim? Que eu iria gostar? Ah Arthur por favor! Eu não sou uma dama e nunca serei. Quem você pensa que é?!!Está tentando me subornar!!!!?? Além de um príncipe ridículo que não sabe lutar nem caç...-Fui interrompida por ele. 

 -Só achei que você fosse gostar, me desculpe lhe impor gostos e desejos, creio que fracasso como príncipe e que nunca serei um bom governante se não tiver você do meu lado...Safira-Meu nome Saio tão delicado de sua boca.

 -O que você está insinuando?-pergunto. 

-Que quero que fique-sua voz saio como uma ordem. 

 -Você não manda em mim se é isso que pensa vossa ALTEZA-enfatisei a palavra. 

 -Não... não estou mandando, estou pedindo que fique Safira-dessa vez sua voz saio como se implorasse. Fiquei olhando seu rosto tentando entender, olhei seu nariz, olhos, queixo, lábios e virei o rosto quando percebi que ele olha para mim. -O que está fazendo?-Ele pergunta quando eu desvio o olhar. 

 -Saia daqui-falo olhando para meus pés corada, porém sinto sua presença mais perto de mim. Ele chega mais perto, me afasto a cada passo que ele dava, até perceber que estava contra a parede, ele apoiou sua mão na parede perto da minha cabeça, em seguida se aproximou mais até ficarmos somente alguns centímetros longes um do outro.

 -Não, não irei- sua voz perto do meu rosto me fez ter arrepios, fiquei nervosa e continuava a encarar seus lábios por algum motivo-No que está pensando?

 -Em...em...seus...la-lábios-Ele fica corado e se afasta. 

 -Sinto muito por lhe ter causado transtornos Srta Safira- Srta?- Só... preciso que saiba que....Eu.. Eu..te...-sua voz morreu. Em seguida ele saio sem dizer nada. Quando ele sai me sento no chão e abraço meus joelhos. 

O que eu estou fazendo?por que tenho essa sensação?? quando comecei a fazer tantas perguntas sem repostas?? 

.... 

 Resolvo sair do quarto, exploro o castelo e consigo encontrar a cozinha. Vejo meu arco junto com minhas aljavas encostado na parede do lado de uma mulher encostada no fogão a lenha preparando algo para almoço, provavelmente. 

-Amm, olá meu nome é Saf...-ela me interrompe. 

 -Não quero saber qual seu nome, nem quem é CRIADA, preciso que vá até a floresta e pegue algumas folhas coametiveis!!!-ela me entrega uma cesta, espera criada???-O QUE ESTÁ ESPERANDO??? VAMOS VÁ LOGO!!!!-Ela grita e me empurrar para fora da cozinha. Me impressiono quando vejo que fora da cozinha só havia um pequeno espaço para lavar e entender roupa, os muros altos feitos de pedras não estavam tão ameaçadores vistos dali, vejo u portão pequeno feito de ferro e empurro ela, saio dos muros e entro em uma parte da floresta densa. 

 -É fácil sair do castelo por aqui-falo sozinha. Pensei em por que voltar. Por que não ir embora ja que já estava do lado de fora do castelo, por que eu iria voltar? O problema não era se eu voltasse, mas sim para onde eu iria provavelmente se voltasse a feira irião me chamar de bruxa e dessa vez realmente me queimariam viva.

Começo a procurar algumas ervas sem sair muito longe dos muros, acho algumas é começo a colher... Sinto alguma coisa a me observar, Olho para os lados e não vejo nada.

-Que está aí!?-falo para o nada qo redor -hunf-volto a colher as ervas e me levanto. Olho para trás e vejo um lobo me observando, fico paralisada com o olhar cortante do lobo gigante, Olho para ele de volta e me afasto devagar-......-O lobo gigante fica parado seguindo meus passos com seu olhar, saio devagar ainda olhando nos olhos intimidadores dele, senti um arrepio em minha espinha tentei andar mas fiquei paralisada. O lobo de mais ou menos 2 metros se aproximou de mim e em uma fração de segundos me já estava de cara a cara comigo, minha respiração acelerou fiquei ofegante, me afastava a cada passo que ele dava a frente, acabei caindo em um emaranhado de raízes na sua frente visto daquele ângulo sua altura parecia dobrar, ele se aproximou mais e fiquei paralidada, até que ele encostou seu focinho molhado em minha testa, feito isso saio de perto de mim caminhando a dentro da floresta.

-O que foi isso?-falei a mim mesma, recuperei meu corpo ainda tremendo um pouco, peguei as ervas e entrei novamente pelo portão pequeno de ferro, chegei na cosinha e soltei em cima da mesa as ervas com raiva, a criada me olha com cara feia, a ignoro e pego meu arco.

-O que pensa que está fazendo senhorita!!!!!???-Ela grita a mim.

-Pegando meu arco sua velha caduca!!!-grito de volta e saio correndo da cozinha despistando algumas panelas que ela atirava em mim, rindo corrindo peguei uma maçã que ela atirou em mim e sai correndo pelos corredores do castelo comendo a maçã fugindo da velha.

-Velha caduca-rio ao abrir a porta de meu quarto, ao olhar em volta vejo uma menina pequena com longos cabelos loiros e olhos azuis como os do rei, me assusto ao ver que ela mexia no meu armário-Quem é você é o que está fazendo?-Ela olha para mim espantada e depois limpa a garganta.

-Meu nome é Hana e eu sou irmã de Arthur, Diga-me, vocês dois são namorados??-Ela pergunta curiosa arqueando uma sombrancelha.

-.........-fico muito cor-Eu? N-n-namorada de A-a-arthur???-Sinto minhas bochechas pegarem fogo.



Notas Finais


Esse foi curtinho, mas espero fazer maiores, ate o próximo bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...