História Presos no porão - Armin e Lysandre - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Lemon, Romance, Yaoi
Exibições 92
Palavras 1.540
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oin, cheguei! :v
Na montagem o Lysandre tá parecendo um vampiro, huahsuahss :'v
Mas né, aqui está mais um capítulo para vocês, espero que gostem, bye \(•°•)/

Capítulo 27 - Loucura


Fanfic / Fanfiction Presos no porão - Armin e Lysandre - Capítulo 27 - Loucura

. Pov Armin on .
Abro meu olhos e percebo que Lysandre não está mais na cama, e ainda estou algemado, pelo menos ele vai tirar quando chegar. Lysandre abre a porta e sorri para mim.
Lysandre:
_ Que bom que acordou.
_ Pois é... Tira isso de mim.
Lysandre:
_ *suspira* Vamos fazer assim... Se você prometer que não vai me tratar mal, eu te solto.
_ Ok.
Lysandre:
_ E não me deixe...
_ Tá tá... Me tira daqui, por favor.
Lysandre:
_ Claro.
Lysandre bem até mim e tira as algemas das minhas mãos, beija minhas duas mãos.
Lysandre:
_ Vamos tomar nosso café da manhã.
_ Vamos.
Ele parece normal... Ainda bem, acho que a atitude dele ontem foi por causa do choque de perder o pai. Fomos até a cozinha, me sentei na cadeira, alguns minutos depois Lysandre aparece com um prato com alguns sanduíches, ele se senta ao meu lado.
Não vou mentir, morrendo de fome mesmo, pegos uns três sanduíches, enquanto como, percebo que Lysandre está me observando.
_ É...
Lysandre:
_ Não se incomode, pode continuar comendo. - sorri.
_ Ok...
Termino de comer, Lysandre comeu apenas um sanduíche. com uma vontade de ir na loja "Otaku supremo", é a melhor loja que tem itens de animes, também vende mangás, HQ's, camisetas e alguns jogos. Fui até a porta e abro-a, Lysandre vem correndo até mim, me empurra e fecha a porta.
_ O-o que diabos foi isso?!
Lysandre:
_ V-você pode ser atropelado o-ou... Levar um tiro, o mundo está muito perigoso...
_ Eu só ia na loja otaku supremo para comprar algumas coisas. - me levanto e vou em direção da porta.
_ Dá licença, por favor.
Lysandre:
_ N-não...
_ Lysandre, sai do meio.
_ Já disse que não...
_ *suspiro* deixa de ser teimoso.
Empurro Lysandre para longe da porta, saio e fecho a porta.
Agora sim eu posso ir. Vou até a loja, eles inovaram bastante! Tem várias coisas novas, acho que fui um pouco chato com Lysandre, vou levar algo para ele, talvez um chaveiro da Hatsune Miku, ele gosta dela. Também compro uma camisa do League of Legends, vou até o caixa para pagar e volto para casa.
Assim que abro a porta não vejo Lysandre, deve estar no quarto. Dou mais alguns passos para frente e sou pego de surpresa, Lysandre me derruba de barriga no chão.
_ Tá louco?! Que me matar de susto?!
Lysandre:
_ Você não foi nada gentil comigo...
_ Eu trouxe algo para você. - aponto para a sacola que está perto do sofá. - Agora sai se cima de mim.
Lysandre:
_ Certo. - Lysandre coloca as algemas nas minhas mãos, rapidamente me levato, Lys pega a sacola, ele olhou para a bonequinha da Hatsune Miku e sorri. - que bonitinha, obrigado.
_ Por que você me prendeu de novo?!
Lysandre olha para mim e se aproxima, dou alguns passos para trás e acabo caindo no chão, Lysandre segura meu queixo e me beija ferozmente.
Lysandre:
_ Porque eu te amo, Armin. - sorri.
_ Você tá louco, isso sim!
Lysandre:
_ Já chega disso. - começa a lacrimejar e coloca as mãos no rosto. - Não estou louco... Me permita te proteger, só quero isso.
_ Isso não é proteger.
Lysandre ri.
Lysandre:
_ Tem razão, deixei você fugir, não te consegui te proteger o suficiente. Mas não se preocupe com isso, agora não irei vacilar.
Lysandre me faz levantar, segura minhas mãos e me leva ao quarto, tranca a porta, agora está tentando me prender na cama, não, isso eu não aceito. Tento me debater ao máximo, mas Lysandre está encima de mim, não consigo sair.
Lysandre:
_ N-não resista...
Prende a algema na minha mão e na cama, me impedindo de sair, Lysandre sai de cima de mim, me deixa de costas para a cama.
Lysandre:
_ Vamos fazer...
_ O que? Olha o que você fez, acha mesmo que vou te comer?!
Lysandre:
_ Vai ser diferente.
_ Ahn?
Lysandre tira minha camisa e começa a chupar um de meu mamilos, foi uma surpresa, acabei deixando um gemido escapar.
Lysandre:
_ Uh, gostou? - sorri.
_ C-calado! Sai de cima de mim.
Lysandre:
_ Quando eu acabar...
Lysandre distribui chupões no meu pescoço, em seguida me beija ferozmente, passa a mão lentamente no meu abdômen e beija-o.
Coloca sua mão no meu membro que está por baixo do tecido.
_ A-ah...
Sem seguida tira minha calça e box, lambe lentamente a glande, depois coloca todo meu membro em sua boca e movimenta sua cabeça rapidamente, me fazendo gemer, me desmancho em sua boca, Lysandre engole todo aquele líquido, tira sua calça e box.
Lysandre:
_ A-armin, fica de quatro.
_ O que?! Não mesmo.
Lysandre:
_ N-não vai doer! Se resistir vai ser pior, pois vai sentir dor.
_ Pff... Você vai me pagar. - fico de quatro.
Lysandre leva seus dois dedos até minha boca. Lambo eles, em seguida Lysandre coloca um dedo na minha entrada, sinto uma enorme dor, que expresso no gemido.
_ P-pare...
Lysandre:
_ Vai ficar tudo bem.
_ L-lysandre!
Coloca o segundo dedo, dou um gemido mais alto que o anterior, Lysandre beija minhas costas, faz um movimento de tesoura com os dedos, em seguida retirá-os.
Lysandre:
_ É agora, ok?
_ Não, já chega.
Lysandre:
_ Você não precisa se preocupar, não vai doer tanto...
_ Eu disse já chega. - Tento me levantar mas Lysandre segura minha cintura.
Lysandre:
_ Você é meu... Estou tentando ser gentil, não me faça ser desagradável.
_ Você já está sendo, ao me fazer de escravo.
Lysandre:
_ E-escravo?! Não, não não! Pare de falar essas coisas...
_ Mas é a verdade! Eu te odeio! Me tira daqu-
Lysandre me faz ficar deitado de costas para a cama.
Lysandre:
_ PARE COM ISSO! *suspira* Tentei ser gentil, tentei mesmo, mas você não colabora nem um pouco.
Lysandre abre minhas pernas.
_ Nem pense nisso!
Lysandre coloca apenas a metade de seu membro em mim, acabo gemendo muito de dor e deixo algumas lágrimas escaparem.
_ A-ahhh... I-isso dói!
Lysandre:
_ Eu sei disso, por isso vou continuar, você me fez fazer isso.
Lysandre coloca todo o seu membro na minha entrada, dou um outro gemido de dor, Lysandre me beija, lentas estocadas e vai aumentando a velocidade, me fazendo gemer, mas dessa vez é de prazer.
Lysandre:
_ I-isso, geme para mim.
_ C-cala a boca!
Lysandre começa a me masturbar e um beijo na minha testa, aumenta a velocidade das estocadas, nos arrancando gemidos, até que chegamos ao nosso limite e gozamos juntos.
Lysandre cai no meu abdômen, em seguida retira seu membro da minha entra e vai ao banheiro, volta com uma toalha lhe cobrindo.
Lysandre:
_ Vou te soltar para tomar banho.
_ Pelo menos isso.
Lysandre:
_ Não seja desagradável...
Lysandre tira minhas algemas e vou até o banheiro.
As gotas d'água percorrem por cada parte do meu corpo, Lysandre não está normal... Não sei o que devo fazer. Alguém bate na portado banheiro rapidamente me enxugo com a toalha e saio.
_ O que foi?
Lysandre:
_ E-eu vou ter que sair, você fica aqui, certo? Vou deixar a porta do quarto aberta, para você tomar um pouco de ar.
_ Ok...
Lysandre sai do quarto, alguns minutos depois vou até a sala para ver se ele saiu, pronto, é a minha chance! Eu tenho uma chave reserva no quarto, vou até , deixei de baixo do teclado do computador, isso! Pego e saio correndo para a entrada, estava destrancando a porta mas ouço um barulho, assim que abro a porta vejo Lysandre na minha frente. Droga! Ele voltou rápido
Lysandre:
_ Eu não acredito que você tentou fugir! - agarra o meu braço. - eu esqueci da minha carteira e vim buscar, mas agora não irei sair!
Lysandre me leva até o quarto e me joga na cama tranca a porta.
_ L-lysandre?
Lysandre:
_ Você vai ter o que merece.
_ Do que você tá falando?
Lysandre pega uma gilete pequena, se aproxima e agarra meu braço esquerdo, pequenos cortes, mas ainda são dolorosos.
_ P-para!
Lysandre:
_ Eu... - Lysandre faz um corte mais profundo no meu braço direito.
_ A-ahh...
Lysandre olha para mim, e se afasta.
Lysandre:
_ Me desculpe, mas você mereceu.
Lysandre beija minha bochecha, e sai do quarto, o sangue está escorrendo... Estou com dor... Vou até o banheiro e molho meus ferimentos e enxugo com toalha.
Em seguida ouço um barulho da porta se abrindo, viro-me, Lysandre deixa uma bandeja encima da cama e tranca a porta, se aproxima de mim, segura meus cabelos e me beija.
Lysandre:
_ Vamos dormir. - Me para perto da cama.- Dessa vez não vou colocar algemas em você.
_ ...
Lysandre:
_ Boa noite. -se aproxima para me beijar, mas desvio e me deito na cama. Lysandre se deita.

Demorei um pouco para dormir, isso tudo é loucura... Eu tenho que falar com os outros, preciso de ajuda imediatamente, e o Lysandre não nem um pouco normal, ele também precisa de ajuda.

                   Continua...


Notas Finais


Oir :'v espero que tenham gostado do capítulo huahsusyays ok parei.
Muito obrigada por ler! Até o próximo, bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...