História Preto Acinzentado - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol
Visualizações 6
Palavras 955
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único- Era sua liberdade.


Perdi Park Chanyeol com 17 anos, eu o perdi quando o mesmo me disse que queria ser livre e eu o respondi dizendo para apenas ser, nada nos impedia, afirmei, não imaginei que era essa liberdade que Park Chanyeol queria. Poderia ter feito um esforço para entender qual era seu problema, e ajudado meu Chanyeol a conseguir sua liberdade de um jeito diferente, poderíamos ter fugido para bem longe onde ninguém das nossas famílias jamais nos encontraria. Mas o que eu poderia ter feito afinal? Chanyeol queria sua liberdade mais que tudo. Com o passar dos dias aceitei e o deixei partir para longe do meu amor, tentei seguir com a minha vida, tentei fazer tudo que costumava fazer antes, mesmo que sem a sua presença. Quando acordava de manha e ia até a praia ainda esperava ver Chanyeol fumando um cigarro enquanto olhava a paisagem cinzenta e fria da praia, se hoje de manhã quando eu atravessasse a plantação de arvores de maça arrancaria uma maça vermelha e levaria para ele, na praia, provavelmente estaria descalço me esperando, o vento frio arrepiando os pelos dos meus braços nus e fazendo meu cabelo voar estragando a minha singela tentativa de ficar bonita para Park Chanyeol.

Há ultima vez que vi Park Chanyeol sem ser em meus sonhos ele estava lindo, descalço na praia, com jeans escuros e a camisa branca, o cabelo preto e liso voava em mais um dia frio. As ondas do mar quebravam forte ao longe e quando me aproximei tirando o cabelo curto do rosto, Chanyeol se virou pra mim, sorrindo, “O dia está lindo, não está?”, “Está cinza, Chanyeol.” A sua risada esquentou o meu coração, como sempre, é claro. “Eu também sou cinza, mas estou sempre lindo” piscou um de seus olhos cinzentos em minha direção, quando o conheci jurei que Chanyeol era cego por conta dessa peculiaridade, mas o mesmo me explicou tempos depois que tinha nascido com os olhos dessa cor, que eles ás vezes variavam do preto para o cinza escuro “São lindos”  deixei escapar, porem não me arrependi, pois Chanyeol me mostrou pela primeira vez o seu sorriso e quando meu coração acelerou eu soube que era paixão, estava apaixonada pelo garoto de sorriso tranquilo e olhos peculiares. Se tivesse prestado atenção eu teria notado o que Chanyeol quis dizer com ser cinza, teria notado que não era de seus olhos que ele falava. 

Depois de termos passado um tempo na praia, sentados lado á lado vendo as ondas do mar enquanto eu contava em silencio quantos cigarros Chanyeol havia fumado naquela última hora. Sete. Eu o perguntei o porquê de tantos “Eu estou feliz hoje” e piscou novamente atiçando a minha curiosidade, mas não pude perguntar o porquê de sua felicidade, “Você gosta desse lugar?”  me perguntou fitando seriamente meus olhos enquanto tragava o oitavo cigarro “Sinceramente?” assentiu, desviei nossos olhos antes de responde-lo “Eu gosto daqui, mas não conseguiria ficar por muito tempo...” “Então você não gosta” “Yah me deixe terminar Chanyeol, eu gosto daqui porque você esta aqui senão não conseguiria ficar por tanto tempo” sorri quando senti Chanyeol entrelaçar nossos dedos, sua mão era maior que a minha e fria assim como a minha. “Eu estou feliz por ter você comigo” meu coração bateu forte com a sua fala.

Mais tarde naquele mesmo dia, quando o Sol já tinha sumido á muito tempo e a Lua brilhava com varias estrelas em seu encalce, Chanyeol bateu na porta do meu quarto fazendo muito barulho, quando a abri me deparei com seus olhos pretos como a noite me olhando com desespero e lágrimas inundando seu belo rosto, o puxei pelo braço para dentro do quarto, fechei a porta e o abracei sentindo o cheiro de nicotina e mar quando Chanyeol me abraçou forte de volta, eu sabia o que havia acontecido, sua mãe em estado de câncer terminal havia falecido. Meus pais tinham vindo de longe para se despedir da senhora Park nos seus últimos meses, a família Park havia se trancado nos últimos dois anos na fazenda de maças e coelhos para poder aproveitar á senhora assim que descobrira o câncer, senhor Park parou de trabalhar e Chanyeol largou os estudos para se dedicarem á senhora.  Desfiz nosso abraço depois de longos minutos e levantei a cabeça para olhar seu rosto, os lábios grossos de Chanyeol tremiam, os olhos fechados com força tentando inutilmente segurar as lágrimas minhas mãos se ergueram até alcançar suas bochechas, e Chanyeol pôs as suas mãos em cima das minhas apertando as com força contra seu rosto “Eu queria ser livre, queria que nós pudéssemos ser livres” ele abriu seus olhos escuros, as lágrimas ainda desciam de seu rosto molhando minhas mãos, mas isso definitivamente não importava “Nós podemos Chan, nada nós impede” e ele sorriu antes de me beijar, eu não sabia, mas era o adeus de Chanyeol. Naquela noite ele dormiu no meu quarto, nada nos cobria, nem as roupas e muito menos o lençol, existia apenas aquele sentimento de ter provado em grande dose o amor.

Quando levantei na manhã seguinte Park Chanyeol já não estava mais lá, eu encontrei seu corpo deitado na praia enquanto a água trazia seu corpo mais para dentro da praia arrastando areia acima, chamei seu nome e me aproximei com lágrimas nos olhos, ele não respondia e quando testei seu pulso foi á certeza que Chanyeol havia se matado. Eu nunca soube e nem saberia seus motivos, mas eu sabia os meus quando me joguei do penhasco que ficava acima da fazenda do Park, acendi um cigarro do meu Chanyeol e a última coisa que pensei antes de pular mar á dentro é que eu amava Park Chanyeol.


Notas Finais


Essa fanfic não foi feita com o intuito de romantizar o suicídio. Suicídio nunca é a saída.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...