História Pretty Little Liars||Sou Luna - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars, Sou Luna
Personagens Personagens Originais
Tags Segredos, Shh, Sou Luna
Visualizações 62
Palavras 1.913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Saga, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Como vão? Bom, vamos para mais um capítulo...

Capítulo 3 - "O caso Yam"


Fanfic / Fanfiction Pretty Little Liars||Sou Luna - Capítulo 3 - "O caso Yam"

Pov Jazmín Gorjesi

Fiquei um pouco nervosa. A tempos eu não havia sido "pertubada" por Ámbar. Eu temia que ela estivesse morta, mas tinha medo se ela estivesse viva.

Mãe: Vamos Jazmín, eu já resolvi o seu problema. - Ela disse pegando as chaves do carro.

Jazmín: Mas como mãe? - Eu falei arqueando as sobracelhas. 

Mãe: Nada de perguntas Jazmín. Eu que faço as perguntas agora. - Ela disse saindo da delegacia.

Entramos no carro, as duas. Eu sentia um pouco de medo. Teria que explicar todo o roubo para a minha mãe.

Mãe: Jazmín, o que te fez fazer isso? - Ela disse fechando a porta do carro com muita força.

Jazmín: Mãe, os óculos eram caros... e nossa situação não está uma das melhores. - Eu disse balançando os ombros.

Mãe: Jazmín eu faço tudo para a sua vida social ser bem sucedida. - Ela fallu olhando fixamente para mim. - Eu compro tudo. Eu me sacrifico todos os dias para que você seja bem vista pelas pessoas.

Jazmín: É que da última vez que fiz isso, funcionou. - Eu falei cruzando os braços.

Mãe: Então quer dizer que você já roubou outras vezes? - Ela disse se olhando no espelho do carro.

Jazmín: É... é... sim! - Eu disse coçando a cabeça.

Minha mãe não disse mais nada. Ela ligou o carro e partimos em direção a nossa casa.

...

Pov Delfi Alzamendri

Após jantarmos pedi a minha mãe para ir na casa de Luna. Ela deixou, mas como todas as vezes disse que eu deveria tomar cuidado.

Fui em direção a casa de Luna, se existisse uma pessoa que eu deveria contar sobre a mensagem que recebi, ela com certeza saberia o que dizer.

Ao chegar na casa de Luna bati na porta. Sr Miguel me recebeu gentilmente falando que ela estava na varanda. E que eu poderia ir conversar com ela enquanto Mônica fazia um lanche para nós.

Delfi: Oi Luna! - Eu falei com uma voz ensurdecedora.

Luna: Oi Delfi. Que supresa! - Ela disse com uma cara desanimada.

Delfi: Olha só Lu, vim aqui para te dizer uma coisa, e vou ser direta. - Eu falei sentando-me ao lado dela.

Luna: O que aconteceu? Alguém te... - Ela interrompeu a voz na esperança de que eu completasse.

Delfi: Mandando mensagens? - Eu disse arqueando as sobracelhas.

Luna: Você recebeu uma mensagem também? - Ela disse segurando a minha mão.

Delfi: É recebi. E ela vinha intitulada de "-A". - Eu disse apertando a mão dela com uma certa brutalidade.

Luna: A minha também. É sobre uma coisa que eu não posso te contar, agora... - Ela disse tirando as mãos de dentro das minhas mãos e as colocando no rosto.

Delfi: Eu também não posso te falar. É um segredo... - Eu disse vendo a Sr.Mônica entrar com uma bandeija.

Sr.Mônica: Dois sanduíches de atum e um suquinho de laranja! Aproveitem, está uma delícia. - Ela disse rindo, e nos entregando a bandeija.

Comi junto de Luna. Nós duas não demos uma palavra durante a " refeição" o que fez tudo parecer muito constrangedor. Me despedi dela e da família e fui andando para casa.

...

Pov Nina Simonetti

Minha mãe não pôde ir ao jantar, o que fez ficarmos somente eu, meu pai, Nicolás e Daniela. 

Daniela: Bom façam os pedidos de vocês. O garçom está aqui. - Ela disse me fitando.

Ricardo: Eu vou querer um vinho, safra de 1980. - Ele disse entregando o cardápio na minha mão.

Nina: Eu vou querer um drink de vodka. Obrigado. - Eu disse entregando o cardápio a Nicolás.

Nicolás: Eu vou querer o mesmo da Nina. - Ele disse piscando para mim.

Vi que Daniela ficou um pouco tensa, após perceber a minha "intimidade" com Nicolás.

Daniela: Bom, e eu vou querer o mesmo de meu pai. - Ela disse movendo o pescoço de forma apavorante.

Após finalizarmos o nosso pedido, Daniela deu uma ideia de algo que nos distraísse enquanto os nossos pedidos não chegavam.

Daniela: Vamos jogar "Altos e Baixos". - Ela disse olhando para Nicolás.

Nicolás: Como se joga isso? Eu nunca brinquei com algo parecido. - Ele disse olhando a todos na mesa, pedindo uma explicação.

Nina: Não me diga! Nicolás Navarro mão sabe brincar de "Altos e Baixos"? - Eu disse rindo tão alto, fazendo meu pai me repreender.

Ricardo: Ok! Você pode ver nós jogando e aprender. - Meu pai falou encerrando o problema.

Daniela: Então eu começo! - Ela disse jogando o cabelo para trás - Bom essa semana fui escolhida para ser a representante da minha sala na faculdade. Também fui escolhida a "rainha da presença"... Bom se eu fosse falar tudo em que fui escolhida, a brincadeira ficaria sem graça. - Ela disse lançando um olhar vitorioso sobre mim - Vamos Nina, sua vez! 

Nina: Bom eu... eu consegui... tipo... é... o diretor... - Eu falei gaguejando, nada de especial havia acontecido comigo nesta semana.

Ricardo: Bom filha, podemos você para o final. - Meu pai falou tentando esconder a decepção que ele sentia de mim.

Nicolás: Bom acho que é minha vez, não é? Bom... consegui um estágio em uma clínica perto do meu apartamento! - Ele disse rindo. 

Ricardo: Sério? Que boa notícia Nicolás. - Meu pai falou com um ar orgulhoso.

Daniela: Pai você sabe que o Nico está mentindo, não é? - Ela disse virando-se ao meu pai e pegando as bebidas que o garçom levou a nossa mesa.

Daniela falou o jantar inteiro... enquanto isso eu e Nico, trocavámos as bebidas, em meio a piscadas e meios-sorrisos.

Ricardo: Bom aqui está o dinheiro. - Ele falou pagando a conta e gorjeta. - Vamos crianças! Já está tarde.

Entramos no carro os quatro. Daniela e Nico foram atrás e eu meu pai nos bancos da frente.

...

Pov Delfi Alzamendri

Estava quase chegando em casa quando vi um grande movimento em frente minha casa e a de Flor.

Não hesitei e corri. Me aproximei da minha casa, e vi que haviam ambulâncias e viaturas de polícia amontoadas em frente minha casa e a de Flor.

Corri e fui até onde Flor. Ficamos as duas juntas vendo os funcionários correr de um lado ao outro, ansiosos.

Flor: Encontraram a sua amiga, a a a... Ámbar. - Ela disse me abraçando.

Delfi: Ai meu Deus, onde ela está? Posso entrar na sua casa? Tenho tantas coisas para conversar com ela! - Eu disse correndo para a frente da casa de Flor.

Flor: Bom, Delfi... encontraram o corpo dela, ela está morta. - Ela disse segurando os meus braços.

Eu apenas apoiei-me nela. As lágrimas brotaram no meu rosto. Ve-la assim, coberta e... morta. Era muito ruim...

...

Pov Narradora

As outras três meninas chegaram juntas: Luna, Jazmín e Nina. Ficaram a observar o corpo da sua melhor amiga, ser carregado por várias pessoas, a melhores amigas, tinham agora uma ligação eterna... Ámbar.

Luna: Eu não acredito que tudo acabou assim. - A garota falou colocando a mão na boca.

Jazmín: Eu também não... Achava que ela iria voltar e sorrir da cara de surpresa de todos. - Falou encostando a cabeça no ombro de Luna.

Nina: Eu achava que ela tinha fugido com uma pessoa qualquer, um cara qualquer. Mas agora, tudo acabar desta forma. É estranho...

Os acontecimentos da noite anterior fez o dia seguinte amanhecer cinzento. Todos os moradores iam, mesmo que involutariamente para o velório de Ámbar Smith.

...

Pov Luna Valente

Amanheci atordoada. Minha cabeça girou quando vi que tudo era real, e não passava de um sonho. 

Tomei um banho. Vesti uma roupa preta, e coloquei uns acessórios "dignos" de um velório. Desci as escadas e sentei-me para tomar café com minha família.

Pablo: Bom dia Lu! - Meu irmão falou rindo para mim.

Miguel: Senta filha. Vamos comer juntos... - Ele disse apontando pela minha cadeira.

Mônica: Iai filha? Conseguiu dormir? - Minha mãe falou mostrando preocupação.

Luna: Tentei apregar o olho. Mas não consegui, quer dizer, não muito. Confesso que dormi um pouco. - Eu disse comendo um croaçã.

Mônica: Que bom filha! Espero que você consiga dormir agora. A justiça será feita! Você vai conseguir dormir novamente. - Ela disse comendo também.

Passamos o restante do café da manhã calados. Entramos no carro os quatro. No caminho... silêncio mais uma vez. Fui a primeira a descer do carro ao estacionarmos. 

Ao entrar na igreja vi a Sr. Sharon. Ela tinha olheiras e a aparência cansada. Com certeza havia chorado a noite toda.

Sr. Sharón: Oi Luna! Que bom que você veio. Senta lá na frente, junto com as suas amigas. A Ámbar gostaria de ve-las juntas, ao menos ve-las pela última vez. - Ela falou fazendo com que lágrimas brotassem no rosto de ambas. Limpei as lágrimas do rosto dela, na esperança de faze-la se sentir melhor.

Luna: A justiça será feita! - Eu disse abraçando-a.

Ela apenas acentiu, fungando levemente. Me dirigi ao Sr.Rey e apenas trocamos uma saudação.

Fui até o primeiro banco e avistei as meninas, que pareciam me esperar, acenei e consegui um sorriso amarelo do rosto de cada uma.

Jazmín: Senta aqui. Ela falou batendo no espaço que havia para que eu me sentasse.

Luna: Obrigado, Jazmín. - Eu disse dando um risinho. - Oi meninas!

Meninas: Oi Lu! - As meninas falaram baixinho.

Em cerca de cinco minutos, a capela estava lotada. Algumas pessoas iam até o caixão de Ámbar, dar a última despedida.

Recebi uma mensagem. Notei que todas as meninas olharam para mim assustadas. 

Luna: Era só a minha mãe. - Eu disse guardando o meu celular na bolsa.

Notei que todas elas soltaram um suspiro aliviado. 

Luna: Acho que não só eu e Delfi que estamos recebendo mensagens estranhas, não é mesmo? - Eu falei olhandi fixamente a todas elas.

Todas acentiram. Iam falar algo, mas a Sr.Sháron interrompeu.

Sr.Sháron: Eu não sabia que Yam era amiga de Ámbar! - Ela disse coçando o pescoço, parecia incomodada com o véu.

Meninas: Nós também não. - Falamos nos virando todas ao mesmo tempo.

Ver Yam mecheu um pouco comigo, e com as meninas também. Fazendo-me lebrar de algo que eu lutara tanto para esquecer.

Flashback On:

Era noite e todas as meninas trocavam entre si suas próprias roupas, na casa de Delfi. Tudo corria na sua habitual paz, até que Ámbar a quebrou.

Ámbar: Ei seu tarado! Eu te vi, aí. - Ela disse apontando para a janela. - Vistam-se meninas. Gastón Perida está nos observando.

Meninas: O que? Ai meu Deus. - Falaram todas juntas vestindo suas roupas.

Ámbar: Isso não vai ficar assim. Você vai nos pagar. - Ela disse ainda gritando.

As meninas se vestiram imediatamente. Todas sentiram como se estivessem sido violadas. Gastón as vira nua...

Ámbar: Precisamos dar o troco. E eu sei o que fazer. - Ela disse cruzando os braços.

Luna: Ámbar o que podemos fazer? Uma máquina para apagar as lembranças do Gastón? - Ela disse cruzando os braços.

Nina: É Ámbar, esse garoto nos viu nuas... - Ela disse com um ar preocupado.

Ámbar: Vamos colocar uma bomba artesanal dentro da garagem. Nada especial... lá na garagem, não tem ninguém lá dentro. Vamos apenas dar um susto nele. - Ela disse com um olhar malicioso.

Jazmín: Eu estou dentro...

Luna: Eu também, quem ele pensa que é?

Nina: Também estou dentro. Ele vai pagar pelo que ele fez.

Delfi: Eu estou dentro mais tenho medo.

As meninas fizeram todo o combinado. Mas, uma coisa deu errado... elas escutaram um grito, que parecia ser de uma garota. Elas não fizeram nada a respeito, apenas, intuidas por Ámbar, voltaram para a casa de Delfi.

Dias depois a notícia chegou a Rosewood. Chiara havia ficado cega e Gastón havia sido levado a um reformatório. 

Tudo parecia resolvido.

Flashback End

...

Pov Jazmín Gorjesi

Diante da situação nenhuma de nós conseguimos esconder o desconforto por Yam está de volta!

Sentia como se parte de um segredo estivesse perto de ser revelado...

Luna: Meninas, vocês acham que ela veio para nos...

Nina: Desmascarar?





Notas Finais


Espero que tenham gostado...
Beijooooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...