História Pretty Reckless - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Demi Lovato, Justin Bieber, Katy Perry, Taylor Lautner, Taylor Swift
Tags Colegial, Festas, Justin Bieber, Romance
Visualizações 861
Palavras 1.507
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


"Bem, eu não quero perdê-la
Eu acho que não pode ficar sentado enquanto você está se machucando bebê
Venha pegar minha mão
Bem você sabe que você é um anjo? Que se esqueceu como voar"
-Fall, Justin Bieber

Capítulo 17 - Filme


 -Tá bom mãe. -Ela saiu da sala e iniciei o jogo.

-Quem bateu o record?-Justin disse se posicionando.

-Taylor, incrível. -Eu disse.

-Nossa, ela não tem cara de que joga.-Ele disse ainda espantado.

-É, ela joga, mas nada de vício. Vício mesmo é o violão dela.

-Sério? Ela toca? Eu vi ela com o violão hoje..

-Todas nós sabemos tocar, mas é mais fácil você ver a Taylor tocar do que eu.

-NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOSSA, você toca!-Ele meio que gritou.

-Sim, porque o espanto?

-Sei lá, você é muito "durona" pra tocar violão, sei lá.-Guri bobo.

-Mas eu toco sim. -Eu amo tocar, é gostoso, me relaxa.

-Toca pra mim? Por favor. -Ele pediu, sorrindo, aquele sorriso que eu acho lindo.

-Agora não, se eu estiver de bom humor, eu toco quando a gente subir.

-Tá, feito. Aí eu toco também. -COMO ASSIM ELE TOCA TAMBÉM??????????

-VOCÊ TOCA??????-Perguntei espantada.

-É, eu toco. -Ele sorriu novamente.

-Seu violão tem nome? O meu tem rá. -Falei.

-O meu não tem, com o nome do seu?-Ele disse meio curioso.

-Jerry! É fofo!

-HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. -Ele começou a rir, muito, parecia que eu tinha contado a piada do ano.

-Que foi?

-HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHHA BA - BA - BANHEIRO AHSHHHAHAAHHAHAHAHAHAHA. -Ele saiu da sala, atrás de um banheiro provavelmente. Menino doido! Tá vermelho de tanto rir. Comecei a jogar.

-HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH. -Ai meu Deus esse moleque não vai parar de rir não??-É SÉRIO QUE SEU VIOLÃO CHAMA JERRY?

-Sim porque?

-Sabe o que chama Jerry??

-O que ?

-HAHAHAHA, nada. Esquece. Você vai ter que descobrir sozinha. -Idiota, por que pergunta então? ¬¬'

-Aff, você é louco. -Falei e reiniciei o jogo. Ele pegou o controle e começamos a jogar.

-Vou ganhar!-Ele disse cantarolando.

-Vai nada. -Falei cantarolando também. -RÁ 1 A 0!

-Droga!- Ele disse.

-RÁ 2 A 0! TO GANHANDO TO GANHANDO!-Eu cantarolei.

-AAAAH idiota!-Ele ficou bravo, pirraça.-RÁÁÁ 2 A 1!

-AAAH CONTINUO GANHANDO!-Falei. Ele riu.

-RÁÁÁÁÁ 2 A 2!!!!!! AEEEEEER QUEM CONTINUA GANHANDO?!-Ele gritou.

-DROOOOOGA. TÁ EMPATADO, VOCÊ NÃO VAI GANHAR.-Eu não vou deixar ele ganhar, subi no sofá.

-A não, você tá roubando!!!!-Ele falou e subiu também.

-AAAAAH!! SAI!!!-Empurrei ele, ele riu e subiu de novo.

-RÁÁÁÁÁÁÁÁ 3 A 2 OTÁRIA!!!!!!!-Droooooooooooooooooooooooooooooooooga!!-YEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEAH URRRRRRRRRUHL!!!!!!

-PAAAAAAAAAAAAAAARA!!!!!!-Desci do sofá e pausei o jogo.-Seu chato!!!!!! PARA DE ME ZOAR.

-AHAHAHAHAH, VOCÊ TAVA ME ZOANDO!-Ele desceu também e falou. -Bobona. -Ele se aproximou e me beijou. Pulei em seu colo e ele me segurou. Passei a mão por suas costas e fiquei massageando seu cabelo. Ele andou até os sofá e sentou comigo ainda em seu colo. Parei de beija-lo, ele me olhou. Confuso talvez. Ele acariciou minha bochecha, ele olhava em meus olhos, eu estava totalmente hipnotizada na cor de seus olhos. Ele respirava irregularmente, nervoso. Acariciei sua bochecha, coloquei minha mão em seu pescoço e o trouxe para mais perto de mim. Nossos lábios se encontraram, sua língua pediu passagem e eu cedi. Havia, fogo, desejo, nesse beijo. Eu o quero e ele me quer. Interrompi novamente e saí de suas pernas, levantando e pegando o controle do jogo.

-Arregou?! -Eu perguntei pra ele. Ele sorriu, levantou e continuamos a jogar. Em dez minutos estava 6 a 6.

-Você não vai ganhar. -Falei.

-Vou sim. HAHAHAHA. -Ele disse rindo.

-HÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ ACAAAAAAAAAAAAAAABOU!!!!!! GANHEI GANHEI GANHEI!!!!! OTÁÁÁÁÁÁRIO!!!!-Eu gritei enquanto pulava no sofá.

-DROOOOOOOOOOOOOOOOOOGA, QUERO REVANCHE!!!!!!!!!!!!!!! -Ele gritou também.

-Não, não quero revanche. -Eu falei e desci do sofá, deitando nele.

-Tá com medo de perder né? -Ele falou e sentou perto do meu pé.

-Não, só não quero mais jogar. -Falei e coloquei meus pés em suas pernas.

-Medrosa. -Ele disse sorrindo.

-Não sou. Eu ganho de você quantas vezes eu quiser. -Eu disse me sentando.

-Ganha nada, isso foi sorte. -Ele disse se referindo a partida que eu acabara de ganhar.

-Você que não sabe perder. -Falei sentando de frente para ele.

-Sei perder, só não gosto. -Ele disse e me trouxe para perto de si.

-Não tem nada a ver, você não sabe perder. É muito orgulhoso. -Falei e me afastei um pouco dele.

-Por que está fugindo de mim? -Ele perguntou sorrindo de lado e se aproximando de mim.

-Por que você está fugindo do assunto da sua derrota? -Perguntei sem me afastar.

-Curiosidade. Vai me responder? -Ele disse e segurou meu queixo.

-Não, não vou. -Falei, levantei do sofá e fui pra cozinha. -Oi mãe.

-Oi filha, vamos comer? -Ela disse colocando os pratos na mesa.

-Sim, vou chamar seu convidado.

-HAHAHAHAHA, meu convidado?? -Ela disse rindo.

-É. HAHAHAAHHA. -Ri e voltei pra sala. -A janta tá pronta, quer comer?

-O que tem de janta? -Ele disse levantando.

-Não sei. -Disse dando de ombros.

-Queria que fosse você minha janta HAHAHA. -Revirei os olhos com seu comentário idiota e fui pra cozinha.

-Mãe, o que temos hoje? -Perguntei sentando na cadeira, Justin veio logo atrás e se sentou na minha frente.

-Lasanha. Justin, você gosta de lasanha né? -Minha mãe disse me servindo.

-Que criança não gosta de lasanha? -Ele disse sorrindo.

-Viu, eu tinha razão quando te chamei de criança. -Falei sorrindo.

-Boba. -Ele falou e mostrou a língua. Minha mãe o serviu, serviu ela e sentou.

-Hmmm.. está muito bom Sra. Coleen-Justin falou puxando saco.

-Obrigada, querido. -Minha mãe falou. Minha mãe cozinha muito muito bem, eu também. Herdei dela. Assim que acabei, levantei e coloquei meu prato, meu copo e meus talheres na máquina de pratos. Justin e minha mãe acabaram e fizeram o mesmo.

-O que vamos fazer agora? Tá cedo.. -Minha mãe falou.

-Sei lá. -Eu falei indo pra sala. -Vamos ver algum filme então?

-Pode ser, por mim tudo bem. -Justin disse se sentando.

-Tá, vou pegar uns edredons. -Minha mãe falou e subiu.

-Psiu, senta aqui vem. -Justin disse piscando o olho direito. Idiota. Coloquei Crepúsculo. -Vem cá.

-Para de me encher, to colocando o filme. -Falei e peguei o controle do DVD e do Home Theater. Sentei ao lado dele, que se aproximou de mim. Minha mãe chegou na sala.

-Toma, Jamie, peguei o seu, divide com o Justin. -Ela falou jogando meu enorme edredom na minha cara.

-Ele é gordo, vai ficar pouco pra mim. -Falei abrindo o edredom e jogando sobre mim.

-Não sou, para. -Justin falou e colocou o edredom sobre ele. Minha mãe riu e sentou do meu lado.

-Posso começar? -Falei.

-Que filme? -Minha mãe falou ajeitando seu edredom.

-Crepúsculo. -Falei e dei play. -Espera. -Levantei e apaguei a luz. Voltei pra debaixo do edredom. Senti a mão de Justin em minha coxa, e tirei-a de lá. O vi sorrir.

 

 

Depois de alguns minutos, Justin tornou a colocar sua mão em minha coxa. Olhei pra ele. Ele sorriu e voltou o olhar pra TV, tirando sua mão de mim. Esse menino é a pessoa mais folgada que eu já vi. O celular da minha mãe tocou, ela levantou, pegou o celular e saiu da sala. Quando voltou, pegou seu cobertor e falou:

-Filha, vou ter que deixar vocês vendo sem mim.

-Que foi?

-Vou ter que fazer umas coisas, pela internet. Vou lá pra cima, qualquer coisa, me chamem. -Ela disse pegando seu edredom.

-Tá bom então mãe, se precisar de alguma coisa me chama tá? -Falei e ela sorriu e subiu.

-Estou com calor. -Justin falou.

-Tira o edredom, gênio. -Falei revirando os olhos.

-Não, é a blusa mesmo. -Ele disse e tirou sua blusa, a colocando de lado. -Vem cá, pra perto de mim.

-Sai fora moleque. -Falei e me cobri mais, voltando minha atenção ao filme. Ele riu e se aproximou de mim, ele estava quente, gostoso. O calor dele é gostoso, não ele. Ele deu um beijo na minha orelha, me fazendo arrepiar.

-Para com isso. -Sussurrei.

-Estou te causando arrepios né? -Ele sussurrou também. Droga. Odeio que percebam meus arrepios.

-Está. Para. -Sussurrei. Ele me trouxe para perto de si e começou a beijar meu pescoço, chegando até a orelha. Deixei. Arranhei seu abdômen e ele sorriu de lado. Me afastei dele e continuamos a assistir o filme. Na metade do filme, me aproximei dele e ele me abraçou pela cintura. Eu estava meio deitada, com a cabeça em seu peito e as pernas no sofá, e as mãos dele em torno de minha cintura. Eu estou bem desse jeito e fiquei assim. Quando o filme acabou, levantei, desliguei as coisas.

-Vamos dormir? -Ele perguntou se aproximando de mim.

-Vamos subir. -Falei e comecei a subir as escadas. Fui direto pro quarto da minha mãe, que se encontrava com seu note deitada em sua cama.

-Mãe, já subimos. O filme acabou. -Eu falei e ela me olhou.

-Tá, vão dormir? -Ela disse.

-Não to com sono.

-Tá, cuidado.

-HAHAHA, ok. Boa noite mamãe. -Eu disse e me aproximei dela.

-Boa noite filha. Eu te amo. -Ela falou e deu um beijo na minha testa.

-Eu também te amo mãe. Beijo. Até amanhã. -Eu falei e lhe dei um beijo também.

-Tchau filha, se precisar me chama. -Ela falou.

-Ok. -Saí do quarto dela e fui pro meu.


Notas Finais


uuuuui que se arrisca a comentar o que vai acontecer? kkk *u*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...