História Pretty Reckless - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Demi Lovato, Justin Bieber, Katy Perry, Taylor Lautner, Taylor Swift
Tags Colegial, Festas, Justin Bieber, Romance
Visualizações 464
Palavras 1.613
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


"Quando você era apenas uma garotinha, era tão preciosa
Mas agora você cresceu
Tão linda que é como uma benção
Mas não aguenta um homem olhando para você por 5 segundos
Sem ficar insegura"
-How to Love, Justin Bieber (Cover Lil Wayne)

Capítulo 67 - Coisas do Brasil


-Não diga que eu não te avisei. -Falei saindo do banheiro.

-Caralho, que gostosa! -Ele falou vindo até mim.

-Será a mesma coisa que os brasileiros vão falar. -Falei colocando um shorts e uma blusa de alça.

-E daí? Eu estarei do seu lado, quero ver eles olharem. -Ele falou fechando a mão em punho. Justin tinha criado bastante músculo, mesmo, seu corpo estava bem bombado, menos ainda que Caio, mas estava sim, bem gostoso.

-Podemos ir? -Falei pegando a bolsa que preparei.

-Deixa eu passar o protetor primeiro. -Ele falou.

-Lá a gente passa. -Falei.

-Tutu bem. -Ele falou rindo e fomos pra porta. Eu preciso dizer que ele segurou minha mão quando entramos no elevador? Não né? Quando passamos pela recepção, a tal da secretária estava lá. Eu a ignorei e fomos pra praia. Lotada... Mesmo!

-E agora? -Justin falou.

-Vamos procurar um lugar e eu pego as cadeiras em qualquer lanchonete. -Falei andando  pela areia quente.

-Tá. -Ele disse me acompanhando.

-E se eu ver seu pescoço girar para alguma bunda você apanha e fica em casa. -Falei sorrindo.

-Eu não vou fazer isso! E não quero a madame olhando para nenhum tanquinho. -Ele falou.

-Nem o seu? -Falei.

-Só pro meu, tola! -Ele falou rindo pelo nariz. Achamos um lugar vago, e não tinha nem uma mulher gostosa ao lado e nenhum gordo comendo frango assado. 

-Aqui tá bom, amor. -Falei parando.

-Legal, hm... E agora a gente senta na areia? -Ele falou.

-Traste! Toma, pega a minha canga, aqui. -Falei jogando a bolsa pra ele. -Já volto. -Falei e fui atrás de algum 'bar' desses de praia.

Sentia olhos em mim, mas nada que eu não fosse acostumada. Cheguei em um quiosque e o cara me ajudou a levar as cadeiras para onde estávamos. E eu consegui voltar! Sem ter que jogar pedrinhas para não me perder! LOL Justin levantou e me ajudou a montar as cadeiras e o guarda sol, agradeci o cara e pedi duas águas de coco.

-Vem delícia do Canadá. -Falei pegando o protetor.

-Tem mesmo que passar? -Ele perguntou.

-Sim, se não você vai se queimar. -Falei espalhando na minha mão. -Tira blusa, meu lindo. -Falei.

-AAAAAAAAAAAAh é verdade! -Ele disse tirando e jogando na cadeira. Espalhei em suas costas e passei por toda sua extensão.

-Pode virar. -Falei e ele fez isso. Passei em seu tórax, causando arrepios em Justin quando eu arranhava de leve. -Dá a mão, amor. -Falei e ele estendeu-as sem entender Coloquei um pouco. -Passa nas pernas enquanto eu passo nas minhas. -Falei e ele assentiu. Espalhei em minhas pernas, tirando o shorts. Fechei os olhos para passar um pouco no rosto e senti mãos em minha bunda.

-Eu passo aqui, pode deixar. -Ele falou e eu ri.. Ele acabou ali e eu estava toda cheia de protetor, só faltava a parte de cima. Tirei a blusa, a colocando junto com o shorts e finalizei. Passei no rosto dele, deixando algumas partes sem espalhar.

-Pronto? -Ele falou quando fechei a embalagem.

-Não! -Ri espalhando as manchas brancas. -Agora põe aquela camisa ali e espera o protetor pegar na pele.

-Por que? -Ele falou arregalando os olhos.

-Porque não quero que te olhem. -Eu falei e ele bufou.

-A gente vai entrar no mar? -Ele perguntou.

-Sim, a gente pede pra esse casal cuidar daqui. -Falei sorrindo.

-É que eu to com calor. -Ele disse sentando na cadeira. Me sentei ao seu lado e ele ficou me encarando. -Jay, posso tirar a blusa? -Ele falou com carinha de criança.

-Pode bebê. -Falei. Ele tirou e soltou um 'ah' de alívio. -Daqui a pouco  você se acostuma com o calor, amor.

-Impossível, baby. -Ele disse dando seu melhor sorriso. -Quero brincar na areia! -Ele disse saindo da cadeira e sentando na canga.

-A areia dai é ruim, Jus! Vem cá! -Falei levantando e estendendo minhas mãos para ele. -Oi, vocês poderiam dar uma olhada nas nossas coisas? -Falei para o casal de idoso ao nosso lado.

-Ah, claro querida, vão se divertir. -O vovô falou. 

-Obrigada. -Falei com um sorriso. -Vamos?

-SIIIIM! -Ele falou me pegando no colo. Não tinha como eu me mover para bater nele. Ele foi correndo até o mar e me soltou, se jogando também. Voltamos a superfície.

-Ah que água boa! -Ele disse. Ri e ele me pegou pela cintura.

-Meu príncipe. -Falei a centímetros de sua boca.

-Minha princesa. -Ele falou e juntou nossos lábios. Minhas mãos puxavam de leve seu cabelo e por incrível que pareça, as mãos de Justin estavam em volta de minha cintura. Ficamos um bom tempo nos beijando, até eu sentir uma batida em minhas pernas.

-O tia, foi mal aew. -Um guri que aparentava ter seus 7 anos falou.

-Ahhn, tá.. -Falei.

-O que? -Justin falou pra mim e o guri.

-Vixe tio, não sei falar sua lingua não. -O menino falou.

-Jus, ele se desculpou por trombar conosco.

-Ah, que bom! -Justin falou.

-Eu eihn, tio doido. -O guri falou saindo do mar.

-Ele se assustou com você! -Falei rindo.

-Eu achei que ele tivesse te assediado! -Justin falou me puxando mais pro fundo, estávamos muito no raso.

-"Gostosa" assim que se elogia em português. -Falei o gostosa em português.

-E bonita? -Ele perguntou.

-"Bonita". -Falei.

-Agora já sei. -Ele sorriu. Voltamos a fazer o que estávamos fazendo antes de uma criança nos atrapalhar. -Amor, calma! -Ele gritou antes da onda quebrar em cima de nós e nos fazendo levar um caldo. Justin começou a rir e eu entrei na dança, só que tossindo muito, porque eu tinha engolido água igual uma criança.

-Que merda! -Falei rindo entre tossidos.

-Culpa sua! -Ele disse rindo e tossindo também.

-MINHA??? -Falei fingindo estar indignada.

-Sim! -Ele falou rindo. -Respiração boca-a-boca? -Ele sorriu pervertido.

-Por favor. -Falei sorrindo e ele colou nossos lábios novamente. -Vamos, olha lá. -Falei avistando nossas cadeiras e vendo que haviam dois cocos lá.

-É bom? -Ele perguntou.

-Nunca foi a seção de produtos importados não? -Falei.

-Não.. -Ele falou.

-Bestinha. -Falei subindo em suas costas. -Avante! -Ordenei brincando e ele riu e saiu andando. Chegamos a nossas coisas e eu peguei o coco. Estava bem geladinho. -Vai, chupa.

-Não gosto de chupar.. -Ele falou.

-Que besta! Toma! -Falei rindo.

-É gostoso.. Parece água com gosto.. -Ele disse. -De coco. -Completou.

-Chama-se 'Água de Coco'! -Falei rindo.

-Ahh, justo.. -Ele disse sentando na canga. -A gente não ia brincar?

-Sim, mas precisamos de baldinhos. -Falei.

-Onde tem? -Ele falou.

-Hmmm, espera. -Falei procurando com o olhar algum daqueles carrinhos ambulantes. -Avistei um há uns dez guarda sol. Daqui a pouco ele passa aqui.

-Ele quem? -Justin perguntou.

-O cara, amor! -Falei rindo. Sentei ao seu lado e fiquei mexendo em seu cabelo.

-Sal não faz bem pro meus fios. -Ele disse.

-Ai que viadisse! -Falei dando um tapa em seu peito. Ele jogou sua cabeça pra trás rindo. O cara do carinho passou e eu comprei dois kit's que vem baldinho, pazinha, forminha e etc.

-Proooonto! -Falei. -Vai pegar água pra gente não ter que ficar se queimando naquele sol.

-Não é mais fácil levar o guarda sol? -Ele disse.

-Não, porque ai teríamos que levar tudo isso pra lá, e fazer outro furo na areia.

-Tá tá tá, entendi. -Ele disse e me deu um selinho. Levantou, pegou os baldinhos e foi em direção ao mar. Quando ele estava na bera do mar duas biscates apareceram. Meu sangue subiu. Justin ficou parado e se virou pra mim rapidamente. Depois de uns 3 segundos vi as putas se afastarem. Tinha duas coisas, uma boa: Justin não falava português. E a má: Elas podiam falar em inglês. Justin encheu os baldinhos e veio até mim.

-Oi amor. -Ele falou colocando os baldes na areia.

-O que as biscas queriam? -Falei.

-Eu não entendi direito, mas elas falaram algo como 'gostoso' eu acho, porque lembrei do que você me ensinou. Ai eu falei que não era daqui e que eu não falo em português. Ai uma delas falou que sabia e perguntou o que eu estava fazendo aqui. Eu falei que tava viajando com você, e mostrei você pra elas. Aí elas comentaram algo entre elas e falou se eu queria ir para uma festa, eu disse que não e elas foram embora. -Ele falou.

-Mesmo com anel no dedo não se manca! -Falei.

-Deixa elas pra lá, vamos fazer castelos. -Justin falou.

-Nunca fez castelos? -Falei.

-Já, sim, mas faz tempo, amor! -Ele falou cavando um buraco com a pazinha.

-Tudo bem, vamos! -Falei pegando a areia e fazendo montinhos.

No final das contas, passamos a manha inteira fazendo o tal do castelo, ficou perfeito! Depois disso, fomos comer, fomos naquele mesmo quiosque e pedi camarão e cebolas fritas.

-É, eu to com fome! -Ele falou e sentamos.

-Você que ficou brincando.. -Falei.

-Chata, nós ficamos fazendo castelos de areia! -Ele falou. -Você que não me ofereceu.

-Nhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaw tadinho de você! -Falei apertando suas bochechas.

-Vou falar pra minha mamãe que você não me dá comida! -Ele falou. Ri e nossa comida chegou. Comemos rindo e conversando sobre as coisas que já fizemos durante nosso namoro. Era tão bom estar ali  com ele.. Parecia um sonho.. Um perfeito sonho. Acabamos de comer e Justin queria ir pro mar:

-Mas vamos! Não vai fazer mal! -Ele falou levantando.

-Vai sim! -Falei levantando também.

-Mas eu to com calor! -Ele falou.

-Vai pro chuveirão, lá não dá pra mergulhar. -Eu falei pegando uma raquete de frescobol que veio no kit.

-Ai como você é chata! Deixa eu jogar com você vai! -Ele falou e eu lhe joguei a raquete.


Notas Finais


heeeeeeeeeeeeeeeeey
obriiigada por tudo meninas *0*
epero q tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...