História Prey and the hunter - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~bill_nahistoria

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Dipper Pines, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Waddles, Wendy Corduroy
Visualizações 77
Palavras 1.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hoyy :3
Bom esse foi o capítulo que eu mais gostei de escrever e espero do fundo da minha alma que tenha dado no mínimo 1.000 palavras :'3

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Prey and the hunter - Capítulo 3 - Capítulo 3

- Ora, ora o que temos aqui?

Após escutar isso desabei. Lágrimas de puro medo começaram a rolar pelo meu rosto. Após minha ação seu sorriso aumentou e levou suas mãos sujas de sangue ao meu rosto e começou a limpar minhas lágrimas.

- Owww não chore pequeno! - disse num som de falsa preocupação que eu sabia muito bem como que era, sempre que Mabel falava sobre alguma coisa de ruim que acontecia com sua família eu usava esse tom de voz.

Ele abriu a boca possivelmente para me falar alguma coisa porém foi interrompido por um grito

- BILL! - era uma voz masculina, porém um pouco mais fina que a do homem que acariciava meu rosto com as mãos insaguentadas que agora se encontravam no meus ombros. Logo um outro homem saiu do meio das árvores, esse tinha um cabelo azulado, com sardas nas bocechas e nariz ele também tinha espécies de panos no corpo, me pergunto o que séria aquilo. O mesmo se encontrava ofegante, cheguei a conclusão que estava correndo pela floresta atrás de algum "Bill". 

- Bill eu te perdi, achei que não te ach- ele parou a frase após ver o estado do homem a minha frente. Ele tinha uma expressão mistisa de medo e raiva. Ele deu um logo suspirou e começou a falar

- De novo Bill?! Já é a quinta vez essa semana, quantos pretende matar?! - Disse com raiva e estremeci ao ouvir a palavra matar. Deduzi que esse homem seria o tal do Bill. Ele veio até mim e o Bill com uma expressão séria, mas Bill parecia achar graça da situação que no momento percebi que ele havia tirado suas mãos de meus ombros me possibilitando fugir. Mas quando me preparava pra fugir ele agarrou meu cifre esquerdo com certa força me machucando, me fazendo soltar um baixo gemido de dor.

- Onde pensa que vai pequeno? - disse frio com um sorriso insano no rosto. Eu apenas queria não ter acordado naquele dia. Ele me puxou e colocou um tipo de corda em meu pescoço porém essa corda era vermelha e possuía espinhos. O de cabelos azulados iria interromper o loiro porém o mesmo o lançou um olhar ameaçador logo o fazendo dar um passo pra trás e fechar sua boca a qual eu imagino que iria o xingar.

Não tive tempo de raciocinar quando ele tampou minha boca com um objeto estranho que se parecia com uma bola e prendeu meus pulsos também por uma corda. Agora so se podia escutar murmúrios vindos de mim, nesse momento eu ja chorava o de cabelos azulados me olhou triste como se tentasse sê desculpar.

- Agora vamos para sua nova casa pet - disse assim me puxando pela corda. Como assim nova casa?! Minha casa é a caverna por mais que eu odeie esse fato. Ele parou de puxar a corda como se tentasse se lembrar de alguma coisa.

- Mas que buceta, eu deixei meu almoço escapar! - disse com raiva, eu podia ver o ódio em seus olhos. Ele soltou um suspiro olhando pro de cabelos azulados e disse: 

- Quero que o leve para casa, caso contrário eu irei te punir - disse frio entregando a corda para ele pegando sua arma é saindo pelo meio da floresta.

Não conseguia entender o que estava acontecendo direito naquele momento. Meu coração parecia que iria saltar pela minha boca que continuava tampada pelo objeto esférico da minha boca me inpedindo fecha- la. 

Estava eperando tirar a corda do meu pescoço, porém ele apenas tirou as cordas de meus pulsos e o objeto esférico que tampava minha boca. Após isso começou a andar puxando a corda de leve. Durante o caminho estava instalado um silêncio horrível então decidir esclarecer minhas dúvidas 

- V-vocês vão m-m-me m-matar? - perguntei com medo, afinal e se ele fosse igual a esse tal Bill, eu estaria fudido

- Hamm bem se v-você está vivo até agora então é provavel que não - disse calmo, mas não pudi deixar de notar o medo em sua voz. Ele não parecia uma ameaça por agora.

- Então, você....como se chama? - perguntei a ele, eu estava um pouco mais calmo mais ainda sim estava inseguro.

- Oh perdão, onde estão meus modos? - disse se virando para mim com um sorriso gentil e acolhedor - Sou Will Cipher, prazer em conhece-lo - disse estendendo a mão para mim eu apertei ela e ele me deu um sorriso gentil, não pude deixar de sorrir com isso, com minha ação ele corou de leve e não pude negar que ele ficou muito fofo.

- B-bem - disse soltando minha mão e se virando seguindo em frente, andei um pouco para ficar ao seu lado - Me desculpe pelo meu irmão ele é um pouco...como posso dizer? Sádico e louco. - terminou abaixando a cabeça dando um sorriso triste. Arquei uma das sobrancelhas, estava confuso e perplexo. Perplexo por saber que ele era irmão daquele "monstro" e também confuso por não saber o significado daquela palavra.

- O que é "sadiaco"? - perguntei para ele que soltou uma pequena risada. Inflei uma das bochechas em sinal de irritação. Ele se desculpou e me respondeu

- Sádico é uma pessoa que sente prazer ao ver a dor de outra pessoas - disse olhando pra frente com o mesmo sorriso triste. Agora eu estava mais perplexo ainda por saber que a pessoas que sente prazer com essas coisas

- Mas afinal, qual o seu nome e o que você é? - me perguntou curioso

- Bem, eu me chamo Dipper Pines e sou um cervo - respondi olhando pra floresta de pinheiros ao meu redor

- Hmmm entedi, bem de qualquer forma - disse parando em frente a uma casa de madeira bem grande e com três andares, que parecia ser bem aconchegante - Bem-vindo a nossa casa! - disse com um sorriso alegre abrindo a porta ne dando passagem para entrar.

Era uma bela casa, quando entrei me dei de cara com a sala, que tinha uma lareira não tão grande e nem tão pequena, a frente dela estava duas poltronas vermelhas com um tapete de pele no chão. Ao lado havia uma janela com cortinas brancas ,com dois sofás um de frente para o outro da cor branco e ao meio deles havia uma mesa de vidro com enfeites como jarras e potes, e um tapete que também era de pele estava em baixo da messa. Arfei e fiquei boquiaberto pois a minha carvena não tinha tudo isso, na verdade não tinha nada disso. As paredes da sala eram feitas de madeira escura o que deixavam o clima mais aconchegante, também pelas paredes haviam quadros de fotos, nessas fotos haviam cinco pessoas, o Will, o Bill, uma garota loira e um moreno de cabelos escuros.

Will riu da minha reação - Bem você precisa vestir algo - afirmou parando seu olhar para a lareira - vou pegar alguma roupa para você - disse sorridente entrando em uma porta me deixando confuso.

Roupa? O que deve ser isso? Bem, eu não conheço nada do mundo humano, so sei sobre os móveis e coisas de decoração por causa de uma revista que achei na floresta que falava sobre isso e junto a ela achei um dicionário então assim eu acabei a aprendendo um pouco sobre decoração e também a ler.

Acabei sendo tirado pelos meus pensamentos com o barulho da porta se fechando. Era Will ele trazia consigo panos, um objeto branco e um pacote de alguma coisa, que deduzi ser comida.

Olhei confuso e arquei uma das sobrancelhas. Ele me olhou sorridente e se sentou no chão, me sentei ao seu lado e o encarei curioso.

- Eu já imaginava que você não saberia o que são roupas então irei de explicar o que são roupas e mostrar os tipos que existem - disse sorrindo gentilmente para mim.

  

 


Notas Finais


Acabou :3
AMÉM
Enfim não sei oq falar aqui :v
Então bye ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...