História Primeira e Única - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baeksoo, Fem Baeksoo, Soobaek
Visualizações 26
Palavras 6.437
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, FemmeSlash, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa one é side de uma fanfic que eu ainda não terminei de escrever ( rsrsrsrs) mas eu amo tanto essas duas que tive que tirar um tempo para contar a historinha delas. A outra é hétero, então não sei se um dia terei coragem de postar.
Enfiiiim, espero que goste.

(sorry pelos eventuais erros de pt/br)

Capítulo 1 - Te desafio me deixar ser sua.


Eu até sonho com você em meus sonhos todas as noites (a noite toda)
Prometo que sou digna
De estar nos seus braços

One and Only - Adele + EXO

 

– Kyungsoo não vem mais aqui. – sua mãe constatou em almoço qualquer. – Vocês brigaram?

– Não... – a morena resmungou.

– Então o que houve?

– Eu não sei mãe. Acho que ela esta namorando. – Baekhyun respondeu e pode ver sua mãe arregalar os olhos em puro choque.

– Kyungsoo namorando? Uau! – riu – Você devia seguir o exemplo dela Baekhyun, ou vai ficar para Titia

A menina revirou os olhos desgostosa. Certamente, entrar naquele assunto não era do seu agrado.

– Mas me diga, quem é o felizardo que esta com a filha dos Do? – sua mãe perguntou, ainda interessada no assunto. Baekhyun só queria acabar de comer em paz, mas não, não seria sua mãe se não lhe fizesse uma pergunta que tirasse todo seu apetite. Não seria.

– Eu não sei mãe. – retrucou mal humorada.

– Como não? Vocês são melhores amigas desde o primário. Você devia saber com quem ela está.

– Mãe por favor, eu so quero comer em paz. Sem tocar no nome da Kyungsoo de preferência.

– Mas porquê?

– Por Deus mãe, porque eu não quero! Não quero saber dela e nem do namorado idiota machista dela. – acabou por explodir, mesmo que essa não fosse sua intenção. Achou que fosse ganhar uma represália daquelas, ou um castigo por quase xingar a mesa, mas não. A única coisa que recebeu foi o silencio da sua mãe e seu olhar compreensivo. Como se lhe dissesse que entendia. Mas o que ela entendia que a própria Byun não entendia?

Bufando e mais irritada do que o normal, a garota se levantou, deixando metade do seu almoço no prato e foi para o seu quarto, se jogando em cima da cama quando chegou no mesmo.

Essa semana estava mais irritada e não sabia o motivo. Não era tpm, não eram as provas que mal haviam começado.

Não, na verdade Baekhyun sabia sim o porquê de estar tão estressada ultimamente.

Ela sabia o motivo, sabia tanto que guardava ele dentro de seu peito para que ninguém nunca descobrisse. 

Provavelmente não havia dado muito certo, afinal vira no rosto da sua mãe o que ela tentava esconder a todo custo do mundo. Um mundo muito pequeno, com o sorriso mais lindo que Baekhyun tivera o prazer de conhecer e que antes de começar a namorar, via todos os dias.

O pequeno mundinho que chamava de melhor amiga.

Mas estava tudo bem. Do Kyungsoo nunca seria dela de qualquer jeito. Estava tudo bem serem melhores amigas. Estava tudo bem.

(*~~*)

– Unnie, você gosta de mim? – com os olhos marejados, a menor garota do grupo perguntou.

Já havia passado 2 anos desde que as quatro se conheceram. Luhan, Baekhyun e Kyungsoo moravam no mesmo bairro. Taozi morava no centro de seul. Então não fazia companhia para as outras meninas no caminho de casa. Luhan ja havia partido a um tempo, a sua casa era em outra rua, apesar de ser no mesmo bairro, sobraram só as outras duas. Baekhyun estava tagarelando quando foi interrompida com a pergunta da menor.

– O–o que? Porque está me perguntando isso? – não entendei porque seu rosto corou, nem porque suas mãos tremeram e muito menos porque sentiu vontade de vomitar de nervoso quando a menor virou para si, com sua carinha tristonha e perguntou novamente.

– Você gosta de mim, Unnie? Ultimamente...  eu tenho a sensação que você prefere que a Lu faça o caminho de casa com você, não eu...

– A Lu? – Baekhyun riu, mesmo que ainda estivesse nervosa sem motivo aparente, entendeu porque a mais nova estava perguntando isso. – Não... Não tem nada a ver isso. Ultimamente eu a Lu estamos mais próximas por outros motivos.

– Que outros motivos? – a mais nova perguntou curiosa, com as lagrimas já esquecidas.

– A–ah, coisas de meninas. – suas mãos suaram de nervoso, mas agora ela sabia o motivo e ficou feliz ao perceber que seu corpo reagia normalmente de novo.

– Eu também sou menina – tombou a cabeça para o lado, num gesto de irritação controlar que Baekhyun achou fofo – Porque não posso saber?

– Por que isso aconteceu com a Lu, e ela esta me explicando como o motivo de estar acontecendo comigo também. Por isso estamos mais próximas essa semana. Isso não quer dizer que eu não goste mais de você Kyung...– corou com a ultima frase, sentindo estranha novamente. Seu coração bateu ainda mais rápido quando Kyungsoo sorriu.

– Ah, que bom Unnie! Pensei que havia me esquecido. – riu novamente se sentindo envergonhada por fazer uma pergunta tap estupida.

– Nem se eu quisesse poderia esquecer de  Kyung... Afinal, moramos perto uma da outra e voltamos todos os dias juntas. Como eu poderia me esquecer?

– É verdade Unnie, desculpe.

– Não há nada com o que se desculpar, desde que você me dê um daqueles bolos magníficos que a sua mãe faz.

– Você é muito olhuda, sempre come tudo!

– Não sou não!

(*~~*)

Estava tudo péssimo. Desde que tivera aquele diálogo com sua mãe, nao conseguia parar de pensar na menina que jurava ter esquecido.

Não esquecido de Kyungsoo, isso era impossível por todos os anos que passaram juntas e que apesar de a mais nova estar namorando, ainda continuavam amigas.

Esquecido do sentimento. O sentimento de estar apaixonada por uma garota. Sendo ela, uma garota também.

– Você devia falar com ela. – Park Chanyeol, o orelhudo da educação física lhe disse enquanto eles estavam sentados atrás da arquibancada na quadra.

– O que? – Baekhyun perguntou, não havia escuto o que o mais velho havia dito. Estava distraída demais pensando aonde a mais nova estaria naquele exato momento.

– Falar com a Kyungsoo sobre seus sentimentos. Se abrir com ela. É ruim para mim te ver assim, sabe?

Baekhyun teve a decência de se envergonhar.  Ela costumava ficar com o Park, para tentar apagar da mente a garota de lábios fartos que ela nunca havia beijado. Mas so machucou o pobre garoto, que era apaixonado por Baekhyun desde mais novo. Ela se sentia culpada, mas aquando tentou se afastar ele doesse que seria pior, então continuavam amigos. Mesmo que o Park ainda fosse apaixonado por ela. Não havia muito do que ela podia fazer. Infelizmente no seu coração so tinha espaço para uma pessoa.

– Me desculpe, eu não queria fazer isso com você.

– Está tudo bem Bae, eu realmente não ligo para isso. – ele riu e parecia ser sincero. – So é ruim te ver mal.

– Eu não estou mal, só estou...

– Consternada? Triste? Magoada? Deprimida?

– Ei! – riu da cara que o garoto vez quando lhe deu um tapa.– Eu não estou deprimida.

– Você só esta apaixonada, eu sei. Mas ainda acho que devia falar com ela.

– E dizer o que? Ela namora o Jongin Park, não ha muito o que se fazer quando se luta contra um moreno de 1,79 metros, sendo uma garota. Não há vitória.

– É ai que você se engana minha cara amiga. – o mais velho deu um sorrisinho convencido– Kyungsoo terminou com o Jongin ontem. Mas, você está tão concentrada sofrendo desse amor nao correspondido que sequer procurou saber desse fato.

– Você está falando serio,  Park? – Baekhyun perguntou– lhe chocada. Aquilo era uma novidade e uma das boas.–  Você não devia ficar triste pelo seu amigo?

– Devia – deu de ombros enquanto mastigava o chiclete novo que havia botado na boca. – Mas eu prefiro ficar feliz por você.

A garota riu, balançando a cabeça em negação quase nao acreditando. Apesar de todos os pesares, Park Chanyeol era gente boa. E ficava triste por partir o coração do garoto daquela forma.

– Obrigada.

– Nah, só me agradeça quando vocês estiverem em um relacionamento estável e longo. Mas de preferência quando eu estiver longe daqui, valeu?

– Valeu.

(*~~*)

– Você vai à festa?

– Qual festa? – Baekhyun perguntou debilmente à loira. Era quinta feira e depois da conversa que tivera com o Park não havia tido a oportunidade de conversar com as amigas ainda. Ela esperava encontrar KyungSoo na escola, mas infelizmente, ou felizmente a menina não foi.

– Ah festa do Kris Wu, Taozi não te falou?

– Ah... Ainda não estive com a Tao, mas o Kris me chamou também. Eu não estou muito a fim de ir. – suspirou, pensando na quantidade de dever atrasado que tinha para fazer. – Esse final de semana pretendo atualizar meu caderno e depois se der tempo, os exercícios atrasados.

– Você não toma jeito não é? – a loira sorriu, balançando a cabeça de modo negativo. – Boatos de que certa ruiva vai a essa festa.

– Ham? – Baekhyun se fez de desentendida, mesmo que seu coração estivesse pulando em seu peito.

– Nós duas sabemos de quem eu estou falando, mas juro fingir que não sei – Luhan piscou para a morena que parecia atônita demais. – Vou indo, nós vemos amanhã?

– Sim, acho que sim.

– Então tá. – e com um beijo estalado na bochecha da mais nova, a loira se foi, saltitando. Mesmo que não passasse tanto tempo com as meninas, por causa de seus receios e porque passava tempo demais se lamentando com Chanyeol, percebeu que Luhan estava mais alegre. Ate mais bonita, se é que era possível esse feito. Afinal, a mais velha tinha um ar só dela, com seus cabelos longos e boca naturalmente mais avermelhada. Anos depois, quando Luhan veio a se tornar a estrela chinesa mais bem paga do país, Baekhyun não se surpreendeu. A garota era linda. Tanto por dentro, quanto por fora. 

Pessoas boas merecem finais felizes.

(*~~*)

 Foi mal por os pés dentro de casa que encontrou sua mãe sentada na poltrona da sala. Ela estava com aquela cara, àquela cara que dizia “precisamos conversar”.

– Sente–se filha. ­ ­– apontou o sofá para a morena que logo vez o que lhe foi mandado. Estava nervosa, suando frio e ao mesmo tempo ansiosa. Orava mentalmente para que a conversa que viesse a seguir não fosse tão ruim quanto ela havia imaginado. Por favor, senhor, por favor.

– Mãe...

– Me conte Baekhyun. Estou desde domingo esperando que você tome a iniciativa e me conte. Eu percebi sabe? Mas, esperei por você. Como você não veio, sinto que vou ter que te obrigar a falar. – ela olhava seriamente para a filha. Havia um gosto ruim em sua boca, um gosto amargo. Mas ali estava ela, pedindo, implorando para que a menina contasse. Estava cansada de ver a garota, antes tão falante, alegre, cheia de vida, daquele jeito. Angustiada. Deprimida. Matava–lhe por dentro. Estava pronta para aceitar qualquer coisa. Estava mesmo. Desde que sua garotinha voltasse a ser quem era.

– Mamãe e–eu – a garota engoliu em seco, sentindo seus olhos arderem, estava pronta para desabar ali mesmo. Respirou fundo, olhando para  a mulher que lhe retribuía o olhar serio. Não se lembrava de quando sua família passou de três para duas pessoas. Mas lá estava sua mãe, sua atual única família lhe pedindo para contar seu segredo. Estava tremendo de medo, entretanto, reunindo uma coragem, confessou. – E–eu... eu gosto de beijar meninas, mamãe. – a cada palavra dita na frase mais importante de sua vida, seu coração falhou uma batida.

– E...

– E eu estou apaixonada por Do Kyungsoo.

Ficaram em silencio. Baekhyun não conseguia mais encarar a mulher que havia lhe dado a vida. E no meio desse silencio horrível, onde ela não sabia o que fazer, as lagrimas caíram, e caíram, Baekhyun caiu em um choro dolorido, um choro que saiu do fundo de seu âmago, do mais profundo do seu corpo. Um choro vindo diretamente do seu coração.

Ela sentiu os braços finos de sua mãe a abraçar, sentiu quando a mesma beijou–lhe o cabelo. A senhora Byun puxou o rosto da menina para cima, olhando para a face bonita da garota, agora contorcida na mais pura agonia. Sabia o que a garota estava sentindo e aquilo estava lhe matando.

– Não tem nada de errado com você. Não tem nada de errado com o fato de você gostar de meninas, minha filha.

– Mas mamãe, as pessoas... elas...

– Nada pode te machucar enquanto eu estiver aqui meu bem. Você não precisa mais se esconder. Nunca mais, entendeu?

A morena acenou e deitou no colo da mãe, enquanto a mesma lhe acariciava o cabelo, como fazia quando ela era criança. Enquanto era abraçada, e sentia todo o amor que sua mãe pudesse lhe dar, depois de semanas, ou meses ou talvez anos, Baekhyun nunca soube dizer exatamente quando aconteceu, quando ela finalmente percebeu que gostava de  meninos e meninas, ela se sentiu leve. Sem peso na consciência e no coração.

(*~~*)

Taozi criou o grupo: Fada Madrinha

Taozi adicionou Você

Taozi adicionou Kyunglícia

Taozi adicionou Boneca Chinesa

Taozi: NÃO, DROGA.

Taozi excluiu Boneca chinesa do grupo

Kyunglícia: O que está acontecendo?

Taozi: Eu quero fazer uma surpresa para a Luhan

Preciso da ajuda de vocês

Ajuda com o que, exatamente?

Taozi: Quem é viva sempre aparece, não é Baekhyun.

ONDE É QUE VOCÊ SE METEU GAROTA?

Baekhyun riu do exagero da mais nova. Apesar de estar sim afastada das amigas, sempre dava um jeito de ir ate onde elas estavam.

Eu estava meio ocupada essa semana

Desculpa

Taozi: NÃO EXISTE DESCULPAS NO MUNDO QUE ENGLOBE O FATO DE QUE VOCÊ DESAPARECEU GAROTA.

A SEMANA I N T E I R A

Tudo bem Taozi, juro que amanha levo aquele bolo que minha mãe faz e você ama, ai você me desculpa, okay?

Taozi: Vou pensar no seu caso

Kyunglícia: Opa se for assim também quero desculpas

Mas afinal, por onde você se meteu? Fiquei preocupada.

O coração de Baekhyun falhou uma batida. Era bobo, ela sabia. Mas não podia evitar. Era mais forte do que ela.

Estava resolvendo algumas coisas

Pondo minha cabeça em ordem

Pondo minha vida em ordem

Kyunglícia: Conseguiu?

Acho que sim

Kyunglícia: Fico feliz  ^^

Espero que não nos esqueça novamente

Eu já fui ameaçada umas duas vezes desde que voltei a me sentar na nossa mesa

Espero que não aconteça com você também.

kkkk

Não vai, eu juro

Taozi: ASSIM ESPERO

Agora vamos ao que interessa

Luhan precisa estar impecável nessa festa

E eu preciso da ajuda de vocês

Porque?

Taozi: Por que o que?

Por que os dois, os dois taozi

Taozi: ISSO VOCÊ SO VAI DESCOBRIR AMANHÃ

É SEU CASTIGO

ENFIM

Eu espero que nenhuma das duas falte amanha

Se faltarem é morte certa

Agora, eu vou dormir

Kyunglícia: São três horas da tarde

Taozi: Existe melhor horária para dormir? Não

Ah e não ousem falar no grupo quando eu não estiver

Castro as duas.

 Elas obedeceram ninguém teria a audácia de desafiar a ordem da chinesa. E por mais que Baekhyun estivesse tentada a abrir um chat privado com Kyungsoo, ela não fez. Não fez, porque não tinha o que conversar com a mais nova. Por mais que se conhecessem a cinco anos, havia todo aquela coisa de amigos que se afastam. E elas estavam exatamente nesse meio, doía, sim, mas Baekhyun resolveu ignorar essa dor. Pelo menos por enquanto.

(*~~*)

Noutro dia Baekhyun acordou mais motivada a ir para a escola. Estudar de manha lhe dava dor de cabeça, sim, mas aquele dia em especial resolveu ignorar todos os empecilhos. Estava ansiosa para ver a mais nova depois de tanto tempo.

Arrumou–se da melhor maneira que pode,  botando p uniforme escolar coreano, prendeu seu cabelo alto, e sorriu ao constatar que estava bonita.

Mesmo chegando mais cedo ao ponto de ônibus não encontrou Kyungsoo. Dormiu nos quinze minutos que pode dentro da condução, e quando chegou a escola, já estava toda bagunçada.

A vida é muito engraçada não? Pois quando desceu do ônibus a pessoa que mais queria ver, estava ali, paradinha no portão da escola.

E pelo jeito esperava por Baekhyun.

– Baek! – a menina acenou afetivamente. Baek, como de praxe sentiu seu coração falhar uma batida enquanto abriu seu melhor sorriso.

Kyung correu até ela e sem esperar nenhuma resposta da mais velha a abraçou. Devia ser um abraço entre amigas. Coisa que acontecia normalmente com qualquer garota que havia tido sua bff afastada a décadas, mas ali, enquanto sentia os braços da mais nova lhe apertar os ombros, sentiu toda a emoção do que era estar realmente apaixonada. O cheiro do perfume doce, o cabelo sempre curto, as meia s3/4 marcando as coxas magras da mais nova e o sorriso quando ela se afastou... O maldito sorriso em formato de coração.

– Senti sua falta. – a mais nova confessou com o rosto corado. Baekhyun sentia seu mundo girar, como se estivesse fora de orbita.

–Também sentia sua falta Kyung. – lhe confessou, quando a própria voltou abraçar a mais nova em um abraço que não havia sido programado. Sentiu ser retribuída com quase o mesmo carinho que dedicava a mais nova.

– Você gosta de mim Unnie? – era a quarta vez em cinco anos que KyungSoo fizera aquela pergunta e Baekhyun sabia ser algo serio. Algo que nem ela sabia muito bem que possuía.  Aquilo havia virado um mantra entre as duas, porém um manta que se tornava necessário para provar a amizade das duas. Nada mais.

– Sim, eu gosto de você. – lhe disse sua do se afastou. A mais nova soltou uma risada gostosa e puxou a morena para o colégio enquanto algumas pessoas cochichavam sobre "você viu como as filhas dos Do e Byun se tocam?", mas assim como a senhora Byun havia dito, não se importou. Nunca mais iria se importar, nunca mais.

(*~~*)

Seu nunca mais veio na festa de Kris. Quando descobriu o que Taozi realmente queria fazer, prontamente se pôs a ajudar. Luhan ja havia sofrido demais, as menina merecia o melhor. Mesmo que o melhor, fosse o menor.

Descobriu que a loira estava apaixonada por Kim Minseok quando conversou com as duas amigas, sentadas em um banco naquela boutique cara.

Elas brigaram, riram e se arrumaram. Beijaram o espelho, as quatro,  para dar sorte.

Baekhyun e KyungSoo não se desgrudaram um segundo sequer, mesmo que quase não falassem. Mas lá estavam elas, rindo uma para a outra.

Quando chegaram à tal festa fizeram o combinado. Tao sumiu a procura do chinês esquisito e Baekhyun e Kyungsoo sumiram com a desculpa de que iam pegar alguma bebida.

Chanyeol disse que eles irão chegar daqui a 15 minutos. Baekhyun disse depois de bloquear a tela de seu celular.

Você disse que ela está na cozinha?

– Sim, o orelhudo vai direto para lá. A parte ruim disso é que o seu ex vem junto também.

– Eca...– Kyungsoo resmungou, enquanto tomava um gole da bebida que tinha em mãos. – Pelo jeito vou ter que fugir de Kim Jongin a festa inteira.

Baekhyun arqueou uma de suas sobrancelhas em pura curiosidade. Ainda não tinha tido a oportunidade de perguntar a mais nova o motivo do término e nem sabia se queria saber, mas a curiosidade falou mais alto.

– Vocês terminaram porque Kyung? – acabou por perguntar, mesmo que a resposta pudesse não lhe agradar. Talvez ela fosse como o Park, talvez ela gostasse de se torturar.

A mais nova suspirou, colocando o copo que segurava em cima da mesa.

– Nós somos incompatíveis. Eu e Jongin... Nunca daríamos certo.

– Disso eu sempre soube – riu, mais para disfarçar seu nervosismo. – Eu quero saber o porquê...

– Acho que nunca gostei dele de verdade, no inicia era até legal, interessante... Depois, passou a ficar monótono. Acho que era curiosa.

– Curiosa com o que?

– Curiosa Baek, para ver como era...

As palavras da mais nova foram interrompidas por uma Taozi espalhafatosa, que veio correndo até o encontro das duas.

– Ele chegou, ele chegou! – ela quase gritou, mas ao invés disso, pegou na mão das duas e as puxou para um canto mais perto da cozinha. E lá estavam eles. Kim Minseok que parecia deslumbrado com a garota, e Luhan, que tinha aquele olhar apaixonadinho no rosto.

– Eles formam um casal tão bonitinho. – a mais nova das três enfatizou, sorrindo.

Baekhyun e Kyungsoo só puderam concordar.

(*~~*)

O que se passou depois disso, ficou guardado em algum canto da mente de Baekhyun. Ela tinha flashes de lembranças, mas nada de importante. Não mais importante que o final daquela noite.

Depois  delas dançarem como se não houvesse amanhã, beberem e depois de todas as coisas que aconteceram na festa, estavam finalmente indo embora. A rua estava vazia e seria até perigoso para as meninas irem sozinhas para casa, caso elas nao tivessem um baixinho de companhia. Baekhyun e Kyungsoo andavam mais a frente. As duas ainda meio altas por causa do álcool. Baekhyun sentia seus olhos pesarem e estava louca para chegar em casa e dormir. Se arrependeu de não ter aceitado a carona de Taozi. Já poderia estar em casa, debaixo da sua coberta quentinha, em contra mão, não teria o corpo da mais nova ao seu lado, nem a mão dela contra sua. Estava bom assim, por enquanto.

– Baek... – Kyungsoo que estava com a cabeça apoiada no ombro da morena, murmurou.

– Hum..

– Você pode dormir lá em casa... Se quiser. – ela parecia envergonhada, mesmo que aquela fosse uma pergunta comum entre as duas. – Vai ser perigoso ir sozinha.

– Não sei Kyung... – resmungou com a voz embargada de sono. Queria dizer Sim sim, por favor. Mas não confiava em si mesma sozinha com a menor. E para completar não estava muito sóbria.

– Vamos, eu não quero dormir sozinha.

Era de praxe, toda vez que Kyungsoo fazia aquele bico Baekhyun não conseguia negar nada a mais nova.

– Tudo bem. – acabou por aceitar, e a mais nova lhe sorriu animada.

– Lu – a ruiva virou para o casal que parecia sem graça – A Baek vai dormir lá em casa, você vem?

A loira parecia absorta demais em sua própria cabeça, que sequer havia percebido que elas estavam na esquina onde se separavam. Kyungsoo se soltou da mais velha e foi até Luhan, acenando enfaticamente a mão na sua frente.

– Luhan, você ouviu?

– O que?

– Eu disse que a Baek vai dormir lá em casa, perguntei se você iria querer também.

Baekhyun não sabia se queria que a mais velha dissesse sim ou não.

– Ah não, não posso, não avisei nada aos meus avós, eles vão ficar preocupados. – um vento forte passou, fazendo as três tremerem de frio. – Amanhã também tenho aula de dança cedo, não posso faltar.

– Mas como você vai, já são três e meia da... Ah... Ah... – Kyungsoo parou de falar no instante que Baekhyun, percebendo que o Kim sobrava ali, cutucou a menina em um claro sinal de cale a boca.

– Posso levar ela em casa.

–Mas é contramão da sua. – Luhan se pronunciou pela primeira vez diretamente a ele desde que o havia beijado. Sentiu suas bochechas corarem tanto de vergonha quanto de frio.

–Não tem problema.

Kyungsoo olhou para Baekhyun, que deu de ombros. Elas se despediram da loira, dizendo um cuidado e boa sorte, respectivamente.

Chegaram em casa dez minutos depois. Baekhyun mandou uma mensagem para que sua mãe não ficasse preocupada logo recebendo um Juízo como resposta. Estava feliz que sua mãe não lhe tratava como uma aberração, estava feliz por voltar a sentar–se à mesa com as meninas, estava feliz.

Entraram no mais completo silencio, subindo rapidamente para o quarto da mais nova.

– Sua mãe não vai reclamar? – Baekhyun perguntou quando Kyungsoo fechou a porta atrás de si.

– Não, ta tudo bem. Eu disse, ela perguntou por você essa semana. Senta ai, vou pegar uma roupa para você. – e entrou no closet.

Baekhyun sentou na cama da mais nova, sorrindo ao perceber que nada havia mudado. O pôster do TVXQ estava no mesmo lugar, os livros de ficção cientifica, até mesmo o computador, a única diferença era que esse ultima tinha muita mais figurinhas do que ela se lembrava. O porta retrato que as quatro tinham estava lá, do lado de outras fotos que cobriam a parede do quarto. Baekhyun adorava aquela foto. O uniforme, as mãos dadas nas costas como um sinal de que aquela amizade duraria para sempre.

E durou quanto o tempo deixou.

– Achei essa camisa sua, da ultima vez que dormiu aqui. – Kyungsoo voltou, tirando Baekhyun de seus devaneios.

A morena riu quando lembrou que da ultima vez que dormira ali sua blusa havia ficado para trás por causa da guerrinha de glacê. A mãe de KyungSoo quase matou as quatro, mas havia sido tão engraçado que valeria a pena morrer.

– Achei que sua mãe nos mataria aquele dia. – ela riu e KyungSoo lhe acompanhou.

– Ela quase me matou. Minha roupa de cama nunca mais foi a mesma.

– Imagino.

– Trouxe esse short também. – lhe deu um short largo de baby doll. – Para você não precisar dormir de jeans.

– Obrigada. – se levantou da cama, indo em direção ao banheiro, mas foi parada pela mão da ruiva em seu pulso. Olhou para a mais nova confusa, que se retribuía com a mesma confusão.

– Aonde você ta indo?

– Ao banheiro...?

– Pra que?

– Trocar de roupa, eu acho.

–  Baek, – riu, soltando o pulso da garota. – Tudo que você tem ai, eu também tenho. Além do que você sempre trocou de roupa na minha frente, qual o problema agora?

Todos, ela queria dizer. Todos os problemas do mundo trocar de roupa na frente da mais nova agora, porque isso  daria a liberdade para a outra fazer o mesmo. E ela não queria isso. Ela não queria porque tinha a sensação de estar se aproveitando. Vendo algo que não veria quando a mais nova descobrisse tudo que se passava na cabeça dela.

– Ta tudo bem? – Kyungsoo perguntou, lhe olhando com a expressão de confusão mais fofa do mundo. Se Baekhyun curvasse um pouco mais a cabeça poderia sentir os lábios da mais nova contra o seu e...

– Tudo. – e se virou, sem nenhuma explicação, saiu direto para o banheiro deixando uma Kyungsoo confusa para trás.

(*~~*)

Quando voltou, devidamente vestida, encontrou Kyungsoo sentada em sua cama. Baekhyun prendeu a respiração quando percebeu que a mais nova não vestia nada mais do que seu pijama mais curto e um par de meias. Os cabelos curtos presos, assim como os seus, em um rabo de cavalo e parecia ansiosa.

Arrependeu–se amargamente de ter aceitado a proposta da mais nova, quando a mesma olhou para cima, e tinha nos lábios o tão famoso bico. Queria recolocar sua roupa e sair daquela casa de tentações o mais rápido possível. Mas nem se quisesse poderia.

– Você demorou, achei que tinha morrido no banheiro. – A mais nova lhe disse quando a reparou parada na porta do quarto. – Tem certeza que ta tudo bem, Baek?

– Sim, – suspirou, sentando ao lado da garota na cama, o corpo tenso, o coração batendo como se nunca tivesse feito isso um milhão de vezes antes. – De qualquer jeito, você não me contou do real motivo de ter terminado com o Kim. Me deve isso depois de te ajudar a fugir dele a festa inteira. – riu e viu a mais nova corar, desviando os olhos intensos para o chão.

 –Ah... Isso... – engoliu em seco, voltando a olhar para frente com o olhar perdido.  – Eu não sei se é uma boa ideia...

– Porque não? Eu ainda sou sua melhor amiga, não é?

Viu Kyung acenar e virar para si.

– Baek... Se eu te pedir uma coisa, você jura não achar estranho? – a mais nova pediu segurando a mão da mais velha entre as suas.

–Depende, da ultima vez que me disse isso, nós vimos 120 dias de Sodoma. E foi horrível, serio, não quero repetir a dose.

–Não. – a ruiva riu. – Não é nada tão estranho assim...

– Qualquer coisa que não seja filme do mesmo gênero, eu estou aceitando de boa. – deu de ombros, tentando parecer indiferente, mas quando Kyungsoo lhe olhava com aqueles olhos intensos, ela poderia ficar de qualquer jeito menos indiferente.

– Eu queria saber... como é beijar outra menina. – a ruiva engoliu em seco. – E queria que fosse com você.

O mundo de Baekhyun fez um giro completo, ela podia sentir cada poro do seu corpo, cada parte mínima de si, sua respiração ficando mais pesada enquanto sentiu seu coração acelerando descontroladamente. Tantas coisas passando por sua cabeça, pensando se a mais nova havia descoberto, pensando que ela queria correr para a segurança da sua casa, queria guardar seu coração para que ela não visse seus sentimentos mais profundos. Mas a única coisa que ode fazer foi piscar seus olhos incontáveis vezes e balbuciar:

– O-o que?

– Eu quero saber como é beijar outra menina e queria que fosse com você Baek.

– Ah meu Deus, ah meu Deus... – ela se levantou, afastando-se da menina como o diabo foge da cruz. Não sabia o que poderia fazer caso ficasse perto demais. Tinha a sensação de estar caindo. Tão perto mais tão longe... – Tem noção do que está me pedindo? – tem noção do que está fazendo comigo?

– Se você não quer, não tem problema, não precisa agir como se eu tivesse uma doença. – Kyungsoo murmurou, envergonhada e irritada. – É só esquecer isso e amanhã você pode ficar mais longe o possível que quiser de mim.

– O que? – a menina perguntou do outro lado do quarto, sentia um bolo na garganta e uma vontade de chorar terrível, – Do que você está falando Kyungsoo?!

– Estou falando de como você está agindo. Foi uma ideia estúpida, esquece. – a mesma se levantou, puxando as cobertas com uma irritação palpável.

Ela acha que eu não quero a beijar?

 – Você entendeu tudo errado, não é nada disso...

– O que é então Baekhyun? – perguntou finalmente se virando para a mais velha. – Qual o problema comigo, afinal? Eu não sou tão bonita quanto a Irene, nem tão legal quanto a Jennie, mas sou sua melhor amiga... Pensei que... Pensei que

 – Do que você está falando? – Baekhyun empalideceu ao reconhecer os nomes recém–saídos da boca da mais nova, perdendo as forças nas pernas, encostou-se na parede.

– Das meninas que você beijou.

– Como você sabe disso? – sentia as lagrimas nos cantos dos olhos, mas não deixou que caíssem. Sentiu seu corpo escorregar enquanto se dava conta do que estava acontecendo.Aquilo definitivamente não estava acontecendo.

– Jongin... Jongin me contou. – a mais nova disse envergonhada, sentindo-se culpada por deixar a amiga naquele estado. Baekhyun estava atônita, sentada no canto do quarto da mais nova. Uma dor lhe surgiu ao peito ao ver o que estava fazendo. – Desculpa Baek, eu... Não queria te deixar assim. Eu sou uma imbecil, me desculpa – Se ajoelhou ao lado da mais velha, que parecia atônita demais.

– No que você pensou? – a morena perguntou, olhando com a expressão vazia para a ruiva. – No que você pensou KyungSoo?

– O que?

– Você estava dizendo, que não era tão bonita quanto a Irene, nem tão legal quanto a Jennie, mas que era minha melhor amiga, no que você pensou?

Kyungsoo engoliu em seco, se dando conta do que a mais velha queria saber. Ela pensou em varias coisas aquela semana, desde que Kim Jongin havia lhe dito que Baekhyun era lésbica. Tantas coisas rondaram sua mente. A duvida que lhe rondava a mente desde os 12 anos, quando Baekhyun sem explicação se afastou dela por uma semana inteira, a raiva que sentia de Park Chanyeol, a inveja que tinha de Irene e Jennie, de como ela sentia falta da Byun mais do que sentira falta das outras, uma porção de coisas que fizeram o peito de Kyungsoo quase explodir de agonia, em apenas alguns dias.

 Mas o que ficou preso, para ela se lembrar pelo resto da semana, era que ela precisava de uma desculpa, uma desculpinha de nada para beijar a boca da melhor amiga. Mas sua mentira havia sido pega, da pior maneira possível. E lá estava ela, tentando entender o porquê da amiga reagir de forma tão drástica com o pedido.

– Pensei que você não se importaria de me beijar. – confessou de modo baixo, sentando– se ao lado da mais velha. – Mas tudo bem não querer, eu entendo.

– Não, você não entende. – a morena riu, mesmo que não tivesse nenhum traço de humor em sua risada. – Você não entende o porquê eu não posso te beijar – Baekhyun engoliu em seco, sentando de frente para a mais nova, que fez o mesmo. – Pelo menos não antes de você saber uma coisa...

– O que?

– A pergunta... me faz a pergunta... – A respiração da mais velha estava pesada e ela tinha um olhar diferente em seu rosto, que mesmo inconsciente fez a ruiva corar.

– Você gosta de mim, Unnie?

A pergunta que quebrou todas as barreiras da mais velha derrubando todas as suas paredes, deixou–lhe no chão.

– Não, eu não gosto de você Kyung, – disse que se aproximava da mais nova, ficando de joelhos enfrente a ela, enquanto a ruiva lhe olhava confusa debaixo. – Não mais.

Com uma delicadeza que não era dela (Baekhyun sempre fora muito estabanada) segurou o rosto da mais nova entre as mãos, passando pelo cabelo, bochecha, contornando os lábios grossos, arrepiando-se quando Kyungsoo suspirou.

– Eu estou apaixonada por você, faz tanto tempo que já perdi as contas.  Por isso não poderia te beijar, você não é como as outras, nunca foi... – suspirou quando os olhos naturalmente arregalados da mais nova se arregalaram ainda mais. – Ainda quer que eu te beije?

E elas ficaram assim, se olhando, tentando desvendar o que acontecia uma na cabeça da outra, mas Baekhyun não se afastou, não quando poderia ter para si o prazer de ser a primeira garota a beijar os lábios fartos da mais nova. Se afastaria se tivesse um não, enquanto ele não vinha, poderia fantasiar todo tipo de coisa que o beijo que daria na ruiva poderia levar. Inclusive seu coração. E quando a resposta veio, de um sim sussurrado, quando KyungSoo olhou para boca da mais velha, ela não pode conter do seu corpo.

Aproximou–se devagar, a todo instante olhando dentro dos olhos da mais nova, para o caso dela desistir no meio do caminho, mas quando ela não desistiu, fechou os olhos e finalmente tomou–lhe os lábios para si.

Começou como um caricia, sem realmente encostar provocando, lhe deu um selinho, sentindo Kyungsoo suspirar contra si. Prendeu a mão na nuca da mais nova, segurando os cabelos curtos entre os dedos, sentindo a menina se arrepiar enquanto ela própria suspirava em deleite, quente como uma brasa, sentiu a mão de Kyungsoo lhe segurar a cintura, em um pedido mudo para que ela se aproximasse mais e quando o fez, sentiu a boca cheia abrir entre a sua e aprofundou o beijo. Suspirou contra a boca da menor, sentido o aperto em sua cintura ainda mais forte. Por instinto, acabou por fazer a garota se deitar no chão frio, sem quebrar o contato. Explorava cada canto que lhe coubesse, marcando seu território, tanto na mente quanto no corpo da mais nova, lhe agarrando a cintura, passando pelas suas pernas, agarrando-lhe os cabelos enquanto era castigada pelas mãos exploradoras da ruiva. Sentiu-se nas nuvens, não pode mentir.

 Elas eram uma mistura de salivas, línguas, dentes, suspiros e pernas emboladas. Baekhyun começou a suar quando a mão gelada de Kyungsoo lhe adentrou a blusa, chegando perigosamente perto de seu peito, quebrou o ósculo, finalmente olhando para a mais nova, com o rosto corado e boca inchada. Quantas vezes já havia sonhado com aquela cena? Quantas vezes acordara excitada ao sonhar com Do Kyungsoo abaixo de si, corada, descabelada e suando, com seus dedos entre as pernas enquanto sussurrava seu nome?  Por Deus, ela ia surtar.

Estava a ponto de fazer uma besteira. Uma ainda maior do que já havia feito.

– Kyung... –  engoliu em seco – Acho melhor irmos dormir.

– Por quê? – a menina perguntou ingenuamente, acariciando a cintura da mais velha superficialmente.

–Porque eu não quero fazer nada que possa fazer você se arrepender. – respondeu, acariciando o rosto da mais nova, lhe dando um selinho, já pronta para levantar, quando foi surpreendida pela menor, que sem que deixar que ela se levantasse, inverteu a posição que elas se encontravam, deixando Baekhyun deitada enquanto a olhava de cima.

– Eu não vou me arrepender de nada Baek, para de ser tão super protetora.

– Não posso evitar quando você tem essa carinha de buldogue feroz, mas que ainda assim parece uma criança. – riu da carranca que transformou o rosto até então corado de Do Kyungsoo.

– Assim você me ofende  – sorriu e se levantou, dando a mão para a mais velha que prontamente aceitou. – Vem, vamos para a minha cama. O chão é gelado.

– Dormir? – a mais velha perguntou, mesmo que no fundo torcesse para que fosse qualquer coisa, menos isso.

– Não bobinha... – riu, balançado a cabeça em negação. – Primeiro você vai me ensinar tudo que eu preciso saber sobre relacionamento entre meninas e...

– E... – Baekhyun chegou ainda mais perto da menor, lhe apertando a cintura, quando ela lhe acariciava o rosto.

– E depois que eu estiver bem ensinada, vou retribuir o favor, várias e várias vezes...

Baekhyun suspirou quando Kyungsoo se afastou para tirar a blusa que lhe cobria o torço, ela não usava sutiã então ficou nua, da cintura para cima. Quando se aproximou da mais velha para fazer o mesmo, Baekhyun segurou sua mão, olhando dentro dos seus olhos, perguntou–lhe:

–Você quer isso mesmo?

E ela não precisou de uma resposta, porque dizem que beijos falam por si só.

E elas deram beijos demais àquela noite para que a pergunta de Baekhyun fosse varias vezes respondida.

(*~~*)

– Você vai lá para casa hoje?

Era sexta quando Kyungsoo perguntou à Baekhyun, depois de um dia de aula infernal, se ela queria dormir lá. Como se elas fossem realmente dormir.

– Sua mãe pode reclamar sabia? Ela já já vai começar a desconfiar. – a morena ditou, quando chegou mais perto da mais nova, lhe roubando um beijo e sentando ao seu lado, atrás da arquibancada.

– Não tem problema. – deu de ombros. – Uma hora ela vai ter que saber, não é?

– Vai? – perguntou curiosa para onde aquela pergunta às levaria.

– Sim Baek, pensei que já soubesse disso. – e lá estava o tão famoso bico, com sua melhor expressão de irritação.

– Você é sempre uma caixinha de surpresas Kyung, eu nunca sei o que esperar. Da ultima vez que me fez uma pergunta dessas, eu tive o melhor sexo da minha vida.

– Eii – a mais nova corou, olhando para os lados para ver se ninguém havia ouvido o que Baekhyun havia dito. ­– Não precisa explanar.

A mais velha riu, abraçando a menor de lado e foi prontamente retribuída. Beijou-lhe os cabelos.

– Então, da próxima vez que eu for à sua casa, não serei sua melhor amiga?

– Não, da próxima vez que for à minha casa, você  vai continuar sendo minha, só que com outro substantivo na frente.

Fim


Notas Finais


É isso, Baeksoo is love, Baeksoo is life
A intenção dessa one era apenas um beijinho de nada, uma coisinha simples, mostrando só o final da noite e como tudo ocorreu, maaaaaaas assim como eu disse na minha outra one Baeksoo, eu sou uma contadora de historias (*chorando*) eu não consigo escrever nada pequeno. E eu precisava desenvolver o relacionamento da Baekhyun com a sua mãe. Espero que não tenha ficado cansativo (seis mil palavras, meu Deus) e que tenha dado para entender, mesmo sendo side de uma fanfic não postada ( porque eu sou idiota)
Obrigada por ter lido até aqui e passe na minha outra one Baeksoo (completamente diferente dessa, ja aviso de ante mão) : https://spiritfanfics.com/historia/ce-me-ajuda-10220060
Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...