História Primeira vez de tudo - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Revelaçoes
Exibições 10
Palavras 874
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tenham uma boa leitura.

Capítulo 9 - Primeira vez


– Mas o que... – falei confusa

– SURPRESAAA – todos falaram juntos, na mesma hora em que ascenderam as luzes

Estava tudo decorado, com balões de diversas cores, uma faixa branca com letras rosas escrito "Parabéns, Nêssa" colada na parede, tinha uma mesa enorme lá, com um monte de salgadinhos, e um bolo SUPER lindo de chocolate, que tinha as mesmas palavras que tinha na faixa, só que feito com cobertura de morango, a cabana parecia mais limpa, não tinha mais cheiro de poeira e mofo. Amei tudo aquilo, estava todo mundo do grupo ali presente. Todos vieram me abraçar e me parabenizar

Felipe veio me abraçar, mas minha verdadeira vontade era de mata-lo, por ter me feito de boba. 

– Eu vou matar você – falei ainda abraçada com ele

– O que eu fiz? – falou ele se desfazendo do abraço

– Me chamou de "Vanessa" , me ignorou por dias, hoje nem olhou pra minha cara, fora que eu fiquei que nem uma abestada naquele dia. – falei num tom sério e rápido

– Mas aquilo ali serviu pra que tu não desconfiasse de nada – Falou ele sorrindo

– Pior que eu nem me toquei mesmo – nós rimos, depois fomos sentar no sofá – Como tá a sua irmã? 

– Ah... A mesma coisa de sempre, sabe? Liguei pra mamãe e ela me disse q ainda fica saindo a noite, só que dessa vez é o meu irmão mais velho que vai busca-la – falou ele meio cabisbaixo

– Não fique triste, pelo menos o Gabriel está indo ajuda-la, e ele vai ser mais eficaz que você, porque é de maior, e ela também vai tomar jeito, apenas relaxe – falei tentando ajuda-lo, odiava o fato da irmã dele ser uma problemática

– É, vou tentar – falou ele sorrindo

– Ei, Vanessa, quantos anos tu tá fazendo ? – perguntou a Marina

– Tô fazendo 16 – respondi

– Já pode levar um porre – falou o Breno

Alguns riram, olhei extremamente confusa, levar um porre? O que é isso? Só espero que não envolva nada de drogas e nem bebidas

– Sim gente, vamo cantar os parabéns? – perguntou o Jonathan

– Vamos – todos disseram juntos, de novo

Todos cantaram a tradicional musiquinha do "parabéns pra você" e pela a primeira vez, em todos os meus aniversários, não foi uma chatice, não foi ver os falsos da família, não foi ver meus primos chatos pequenos botando o dedo no bolo, não foi minhas primas nojentas olhando pra mim com cara de nojo, e também não foi minha mãe chorando nos braços do meu pai, não foi. Dessa vez, era um grupo de adolescentes, meu primeiro grupo de amigos, porque era sempre eu e o Felipe, pela a primeira vez...

E por fim, como esperado, cantaram o com quem será, assim que começaram a cantar, não consegui parar de rir, já sabia com quem iria ser, e sabia que ia ficar com vergonha. Foi dito e feito, no final, foi feito com o Felipe, e eu já sabia que eu estava vermelha que nem um tomate

Botaram música e o pessoal começou a se divertir como sempre, levaram bebidas alcoólicas e ficaram lá bebendo, e o Felipe, pra minha surpresa, foi junto com eles. Meu deus, Felipe foi levado pro mal caminho

Aquilo ali já tava virando a zona que sempre fica, então resolvi ir lá fora respirar ar puro, e hoje era dia de lua cheia, ou seja, perfeita pra ficar olhando. Assim que saí, vi o Jonathan deitado de novo, olhando as estrelas, que nem naquele dia em que deitamos na grama. Fui até ele e me sentei ao lado dele, no qual ele levou um susto

– Ah, é você – falou ele se sentando também

– E pensou que seria quem? – perguntei 

– Não sei, quem sabe algum professor – Respondeu ele

– Nossa – Eu dei uma risadinha

– Ah, parabéns – ele me entregou um pacotinho pequeno

– O que é isso? – Falei pegando o pacote

– Seu presente, abra – falou ele sorrindo

Abri o pacote, e lá tinha um anel, no qual parecia uma aliança banhada a prata, na hora botei em meu dedo que fica do lado do dedo mindinho, onde eu sempre costumo botar meus anéis, e coube perfeitamente

– Obrigada mas... Por que um anel? – perguntei sem tirar o olho do anel

– Não sei, não sabia o que comprar pra você, e me veio isso na mente – Falou ele também fitando o anel que estava em meu dedo

– Eu adorei, sério mesmo. Pra falar a verdade, sempre quis um anel estilo aliança, mas minha mãe minha comprava pra mim, pois sempre achava que eu estava namorando ou algo do tipo, então, obrigada mesmo – Falei no maior sorriso que pude dar

– De nada – Falou ele sorrindo – Bom, eu já vou, te vejo amanhã, e parabéns, de novo – Ele ia dar um beijo na minha bochecha, mas na hora eu virei e acabamos dando um selinho rápido, ele se afastou corado, e eu também sentia que estava vermelha, aquilo não era pra ter acontecido – Desculpe, Eu não queria fazer isso

– N-Não tem nada, foi uma acidente – falei olhando pro chão, totalmente vermelha

– B-Bom, já vou indo então, tchau – ele se levantou e foi embora

Suspirei e logo me deitei, hoje aconteceu tanta coisa, mas essa noite foi a melhor, não pelo meu primeiro beijo que foi na verdade um engano, mas sim, por ter passado essa noite com meus amigos




Notas Finais


Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...