História Primeiro beijo! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 777
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Foi sem querer ,eu juro!


Zeca

Sábado, na cachoeira, 1 dá tade

Andamos mais que Beduíno. A cachoeira não era longe, mas resolvemos passar antes perto do Pico sas agulhas negras.

  O pessoal que a gente encontrava na trilha dizia que era "logo ali". Já entendi o que quer dizer isso em mineirês. O logo ali é um trem que fica depois de trás do além do lado de lá de onde nem a vista alcança mais. Judas perdeu as notas bem antes da metade dessa trilha. 

Os pais da manu mandaram bem na caminhada.  Acho que é por que vêm bastante pra cá. Foram puxando a fila e só pararam pra descansar quando a Carol estava com meio metro de lingua pra fora.

  Foi ai que me senti num daqueles programas sobre a natureza .  A gente já tinha visto cobra, esquilo, umas teias se aranha gigantescas, uma pá de bichos. 

Mas nessa parada em especial vimos uma cena de perseguição. Um tucano ficava tentando pousar numa árvore perto dum buraco onde tinha outro pássaro, que era bem menor, mas voava atrás do tucano no maior pau. 

O tucano fugia, mas depois tentava de novo.  O Arthur disse que aquilo era um ninho de pica - pau,  e que o tucano queria comer os filhotes.

 Não sei como acabou a briga, mas até a hora que recomeçamos a caminhar o tucano estava levando a pior.  Eu e o Arthur viramos com a cena, e vimos que somos iguais numa coisa: adoramos quando a tal lei do mais forte não vence. 

Sempre torcemos pro time pequeno. Falei isso é ele respondeu na lata : "deve ser por que nunca me senti o favorito pra nada ". 

Na Copa do beijo na boca, por exemplo, eu e ele somos a zebra, e o Diogo é o time grande. É só ver com os as meninas ficam se derretendo por ele. As meninas estão adorando aquele papinho de surfe, prancha, tubo .

 Pô estamos a quase dois mil metros de altitude!  Aqui está pra falar mais de disco voador!

 Depois de aguentar tanta babação, chegamos na cachoeira. Vou ter que admitir que valeu.  É muito dez. Tem um lugar onde dá pra entrar debaixo da água caindo, e até passar pro outro lado.  É uma cortina de água, você some atrás dela.  

O Diogo(ele pra variar...)  descobriu isso é a gente ficou atravessando, tomando ducha nas costas, na cabeça.  A água é super gelada, mas o sol está forte, é só deitar nas pedras quentes que a gente seca num instante. 

Não seu se é ar puro , se  é  a massagem da cachoeira.  O fato é que tem gente que está bem diferente hoje.

 A manu, por exemplo, anda Lindissima, olhando de um jeito diferente pra gente.  Parece que esta querendo descobrir alguma coisa, ler alguma coisa na nossa cara.

  É até meio incômodo... 

Agora ela deu uma relaxada,  ainda bem. Daqui da pra ver ela escrevendo no Diário dela. Ela está cada vez mais gata. 

 E olha que jem fica se embonecando no shopping, como as outras meninas da escola.  É tudo sem esforço mesmo: o cabelão cacheado, a pele morena, e os olhos pretos... 

Eu vejo como os meninos lá da escola, até os mais velhos ficam ouriçados por ela. Que nem esse Diogo. Ele é profissional , disfarça bem, parece que não está nem ai. 

Mas é claro que a manu está na mira dele.  Meus pais sempre acharam a Manu super bonita, minha mãe dava indireta, e quando me perguntava de namorada, sempre arranjava um jeito de enfiar o nome da Manu no meio. 

Mas eu odeio esses papos e sempre Dou um  jeito de escapar.  Somos amigos desde que eu tinha 8 anos,  é um terço da minha vida.

  Sei lá, acho que a gente sempre foi tão próximo, de empinar pipas juntos, andar de rolimã, que nem vinha na cabeça essa coisa de namorar,  ficar, beijar.  Na verdade, quando eu comecei a pensar nesse assunto,  sempre imaginava com outras garotas, não com a Manu. 

 Na minha cabeça, ela era mais uma amigona mesmo.  Gosto de ver a covinha que ela faz quando ri.  Da vontade se não parar de falr besteira só pra ela continuar rindo pra mim. 

 De uns tempos pra cá tambem comecei a me pegar olhando pro corpo dela, até meio sem querer.  É maluco. O cérebro não comanda muito nessas horas,  o olho vai sozinho. 

Os peitinhos já estão aparecendo mais, fazendo volume. Aliás , lá vai meu olho de novo...  Só por que eu falei.  

É parece que a Manu fica mais bonita aqui nas montanhas.  Mesmo assim,  meio esquisita como ela está hoje 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...