História Princeps Proditor - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Comedia, Drama, Magia, Tragedia
Exibições 10
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Seinen, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E ai pessoal, como prometido qui esta o capitulo especial da Anya, caramba estou muito feliz, de verdade, quando comecei a postar Princeps, não esperava tantas pessoas lendo logo no começo,
Sério, isso só me faz ficar com mais vontade de postar mais e mais, mas como ja disse antes, minha época de vestibulares começou, então agora realmente vai ser daquele jeito que eu falei para vocês no ultimo capitulo: de um a dois capítulos por semana, um no começo e outro no fim dela.
Valeu por tudo até agora, até semana que vem.

Capítulo 18 - Especial: Bem-vinda ao Inferno.


Fanfic / Fanfiction Princeps Proditor - Capítulo 18 - Especial: Bem-vinda ao Inferno.

Anya já havia sido torturada de todas as maneiras possíveis, as amaras que a prendiam naquela cadeira já nem a incomodavam mais, ela ouvira aquela pergunta por horas e horas, mas Xander insistia em repeti-las.
-Onde está a chave? Responda e paramos de maltratar você.
Ela não estava entendendo mais nada, uma hora estava em Tenebris, e na outra estava naquele maldito quarto apanhando daquele maldito magistrado.
-Eu já disse, eu não sei do que está falando.
O magistrado pareceu gostar de ter mais um motivo para continuar batendo nela. Xander, não era um homem muito forte, mas em compensação era um sádico além de ter uma criatividade quando se relacionava tortura física e psicológica, tinha cabelo louro com corte militar, sua farda combinava seus olhos que eram verdes.
-Sabe princesinha, tudo isso está acontecendo por causa de seu primo, ele não deveria ter traído o rei, sabemos que a chave também foi roubada, diga onde esta?
Ele deu mais um tapa nela. Anya nem sabia quantas haviam passado desde o começo da tortura, ela já estava com o braço direito quebrado, com certeza não conseguiria lutar se soltasse as amaras que a prendiam na cadeira.
-O Hunt, ele está aqui? Podem perguntar a ele, eu não sei de nada, nem dos planos dele, nem dessa chave.
Com um sorriso Xander disse:
-Infelizmente o príncipe Hunter foi digamos, afastado por tempo indeterminado desta vida.
A farda do magistrado havia mudado de cor, antes ela era verde, agora ela está quase toda vermelha, fora tingida com o sangue de Anya, ela sabia que se ele não parasse logo ela estaria morta.
Ele se abaixou para pegar algo.
-Onde paramos, ah é verdade. -Ele disse batendo no braço com uma barra de ferro, a garota gritou de dor e agonia.
-Eu não sei de nada, pare, por favor, eu imploro-Ela disse em meio das lagrimas que escoriam de seu rosto.
Xander desembainhou uma faca e a colocou no pescoço de Anya.
-Muito bem, pode não parecer, mas eu não tenho todo o tempo do mundo, vou deixa-la viva, lembre-se, se um dia eu descobrir que você mentiu para mim, eu farei com que sua morte sege a mais dolorosa e dolorosa que eu já causei.
Ele usou a faca para cortar as amarras de Anya, depois puxou pelos longos cabelos para fora do quarto e jogando ela aos pés de dois outros guardas.
-Joguem ela em qualquer lugar da cidade, de preferencia o mais deserto possível, se ela morrer, quero que morra sozinha.
Eles a levantaram e andaram passando por alguns corredores e descendo algumas escadas até que abriram uma porta que dava para uma rua deserta e ela sentiu um chute em no meio das costas.
-Bem vinda a Colditz. -Disse um deles rindo.
Era noite, não havia ninguém na rua, por causa da areia que estava fazendo os ferimentos arderem, Anya percebeu que tinha mais do que havia notado, ela rastejou até a parede mais próxima para tentar se levantar, a ação foi em vão, ela estava muito fraca para isso.
Quando finalmente ela pensara que seria o fim e já tinha desistido, ela ouviu uma voz.
-Eram seus os gritos que não me deixam dormir?
Ela olhou pra ele, basicamente era um homem de estatura mediana, era jovem e tinha cabelo castanho ou era o que parecia, pois Anya já havia perdido muito sangue. Ele ficou olhando par ela, a túnica seminova que ele usava tinha uma pequena mancha de sangue perto da caixa torácica, além de uma costura onde deveria ter um corte.
-Desculpe por isso, mas pode ver que eles não pegaram leve comigo.
-Verdade. -Ele a examinou dos pés cabeça.
Num ato inesperado o homem pegou Anya nos braços.
-O que você está fazendo?-Perguntou ela.
-Prefere ficar no chão a se deitar em um colchão?-Ele perguntou sorrindo.
Por algum motivo, Anya não se sentiu ameaçado pelo homem, não ofereceu resistência nem mesmo gritou, apenas ficou parada. Ele a carregou como um bebe por algumas ruas, Anya estava com medo, os boatos de coisas que aconteciam em Colditz agora estavam sendo lembradas, as descrições não eram nada comparadas com a realidade. Casas destruídas, outras com escritos no que deveria ser sangue.
O homem parou em frente de uma casa, abriu a porta e levou a garota pra um quarto que estava iluminado por velas, ele a deixou em cima do colchão.
Ele saiu por um momento e voltou trazendo uma vasilha de agua e um pano, ele passou sobre as feridas da garota.
-Seu braço está quebrado mesmo, quanto a ele não poderei fazer nada.
Ele mais uma vez saiu do quarto levando a vasilha, quando voltou se aproximou da vela que iluminava o quarto.
-Dormirei aqui no chão, não se preocupe, não tentarei nada com você, se precisar de algo não hesite em me acordar.
-Obrigada. -Ela conseguiu dizer. –De verdade, nem sei o que aconteceria se você não tivesse me encontrado.
-E sei o que teria acontecido você teria morrido sozinha na sarjeta. -Ele disse como se fosse algo norma e sem importância.
Anya riu, mesmo que fosse verdade, o modo com que o homem falou com ela a fez se sentir melhor, de uma forma bem estranha.
-Meu nome é Anya Bellec.
-A filha de Messoren? -Ele disse espantado.
-Não, sou a bastarda de Aiacus, o antigo rei. -Ela disse, mesmo estando naquela situação, ela sempre se constrangia falando disso. –Por favor, não conte a ninguém quem eu sou de verdade.
-Pode confiar em mim, protegerei você com todas as minhas forças, a partir de agora seremos nós dois contra o mundo.
Ele apagou a vela e foi se deitar. Anya agora se lembrava das palavras de Xander, sobre Hunter ter traído seu pai, será que ele estaria bem? Será que ele estaria vivo? Ela sabia que se quisesse essas respostas, ela teria de sair daquela cidade.
-Ah, me desculpe, eu me esqueci de dizer o meu nome, me chamo Eliot Laurent, prazer em conhecê-la Anya Bellec.


Notas Finais


E ai o que estão achando da nova personagem?
Só para deixar claro ela é totalmente diferente dos gêmeos do rei Messoren.
Quem tiver alguma critica pode comentar, aceito também elogios.
Valeu por tudo até agora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...