História Princeps Proditor - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Comedia, Drama, Magia, Tragedia
Exibições 8
Palavras 2.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Seinen, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E ae pessoal, só passei aqui para afradecer a quantidade de exibições de Princeps Proditor que continuam aumentando.
Valeu por tudo até agora.

Capítulo 20 - Adeus pequena Anya.


Fanfic / Fanfiction Princeps Proditor - Capítulo 20 - Adeus pequena Anya.

Anya nunca esteve tão feliz, primeiro encontra com seu primo, agora tem uma chance de fugir, realmente aquele era o melhor dia da vida dela, parecia que ela nada podia mudar isso, claro ela não estava completamente despreocupada com as vidas perdidas na fuga, muitos presos estavam sendo mortos pelos guardas, ela era assim, ela se preocupava com os outros, talvez por isso ela não se considerava uma Bellec, eles tinham a fama de serem sádicos, orgulhosos e cruéis, e ela era o oposto de tudo isso, só aprendera esgrima por necessidade, mas ela odiava conflitos.
Colditz parecia um cenário de guerra, soldados com o brasão dos Bellecs corriam pelas ruas da cidade brandindo suas espadas e gritando, Anya e os outros tinham que se esgueirar para não serem vistos, nenhum deles tinha ideia de quem havia atacado a cidade só sabiam que se cruzassem mais algumas ruas, eles estariam livres.
Barulhos os gritos de vitimas agonizando e de choques de espadas podiam ser ouvidos a todo o momento na via principal, soldados de Segregatorum lutando contra homens que não portavam nenhuma bandeira, estandarte ou brasão. O portão que antes era totalmente impenetrável, agora estava aos pedaços.
-Abaixem se. –Berrou Eliot.
Todos foram para o chão, na mesma hora, um estrondo foi ouvido e logo depois, um projetil mediano acertou uma casa próxima deles.
-O que foi isso?-Perguntou Lyanna voltando a correr.
-Não sei e não vamos ficar aqui para descobrir. -Concluiu Anya.
Eles continuaram, quando estavam próximos do portão eles se esconderam atrás de uma casa.
-Qual é o plano, Anya?-Perguntou Hunter.
-Desde quando eu estou no comando?-Perguntou ela.
-Desde que eu cheguei aqui ontem e você há dois anos.
Ela refletiu sobre isso.
-Vocês correm e atravessam o portão, eu e Eliot iremos logo em seguida nos certificando que não seremos seguidos.
-Muito bem, ao seu comando. -Disse Hunter.
Ela se posicionou na quina da parede de onde poderia ver o portão, ela esperou, mas os soldados que estavam lá ainda não haviam sido vencidos pelos invasores, continuavam trocando ataques sem efeitos em ambos.
-Mudança de planos, vamos todos juntos, não podemos esperara mais. -Ela disse voltando a correr. Eles estavam a menos de 5 metros do portão, Anya já podia ver a estrada real e a floresta, ela finalmente sairia daquele lugar, ficou prestando tanta atenção nisso, que mal ouviu a voz de Eliot, ela voltou a si quando sentiu alguém empurrando ela.
-Anya, abaixe-se!-Gritou Eliot.
Ela caiu, não havia se machucado, ela voltou seu olhar para Eliot esperando um motivo para ele ter feito aquilo, mas ele se mantinha no mesmo lugar, de costas para a garota.
-NÃO!-Berrou Lyanna a o lado dela.
Eliot caiu de joelhos e Anya pode ver, Xander segurando sua espada agora ensanguentada até a metade. O magistrado olhou para o lado e usou a espada pra defender do ataque de Hunter, ele havia pegado a espada de um dos soldados que haviam morrido.
-Oberon e Lyanna, ajudem o Eliot a sair daqui, Anya vá com eles eu alcanço vocês logo em seguida.
Ele voltou-se para o combate, Lyanna e Oberon pegaram Eliot pelos braços sendo seguido por Anya, eles não tiveram dificuldades m passara pelo portão, Anya olhou para trás e viu o trocar de laminas entre Xander e Hunter. Ela sabia que Hunter era um ótimo espadachim, mas não com aquele tipo de espada, sua especialidade era em florete, não a espada convencional de dois gumes.
-Levem ele para longe, eu e o Hunt encontramos vocês depois.
Antes que os dois irmãos pudessem dizer qualquer coisa, Anya saiu correndo em direção do combate de Hunter e Xander, só parou para pegar uma espada que estava perto de um soldado morto.
Ela chegou no exato momento onde Xander Havia derrubado Hunter, ele levantara a espada pronto para dar o golpe final em Hunter.
-Pronto para se encontrar com seu tio? -Ele falava com um grande sorriso sádico no rosto.
Ele com certeza teria matado com aquele golpe, se Anya não tivesse repelido ele com sua espada. Com a outra mão Anya deu um soco no rosto de Xander. Ele recuou um pouco, Anya ajudou Hunter a se levantar.
-Sabe, eu fui irmão de armas de Messoren, sei que ele era bom, mas eu sempre fui melhor. Vamos ver se o filho e a sobrinha dele são tão bons quanto ele.
Hunter se abaixou próximo de outra espada, ele a pegou e junto de Anya avançaram contra Xander, ele se esquivou de uma das espada de Hunter e defendeu a de Anya, ambos ficaram face a face enquanto ele a empurrava.
-Péssimas noticias querida, não poderei lhe conceder a morte lenta que prometi.
Ele a cabeceou, ela recuou meio desorientada, Xander se voltou para Hunter, agora ele estava na defensiva, apenas desviava dos golpes do magistrado, em raros momentos Hunter atacava, ele sabia que a técnica com duas espadas era ótima para defesa, mas quando atacava, não havia modo para defender e com o peso de duas espadas ficava mais difícil se esquivar.
-Digam-me. –Ele disse cessando seus golpes. –Qual de seus aliados veio salva-los?
-Pensávamos que você saberia? -Disse Hunter.
-Eles vieram pelo norte, sendo que não tivemos notícias do Duque Salazar? Vou perguntar novamente. – Disse ele empurrando Hunter e avançando contra Anya, ela defendeu um dos golpes, mas Xander a chutou no tórax e ela caiu no chão, Xander chutou a espada dela e pé em cima dela para que ela não se levantasse, com a outra mão ele pontou a espada para Hunter. - Quem nos atacou?
Anya segurou na perna de Xander e percebeu que o homem não usava armadura, provavelmente não teria tido tempo por causa do ataque, Hunter a olhava.
-Já disse que nós não sabemos. -Ele disse.
-Que pena. -Disse o magistrado.
Por impulso, Hunter arremessou uma das suas espadas, foi forte o suficiente para alcançar magistrado, ele penas se esquivou calmamente e ela caiu próximo dele.
-Você errou. –Disse o magistrado.
Hunter sorriu.
-Não estava mirando em você.
Anya entendeu o recado, ela espada com uma das mãos golpeou a perna de Xander. O magistrado urrou de dor enquanto Anya rolava para perto de Hunter. Ele se abaixou e arrancou a espada da perna, não havia sido um ferimento muito grave, apenas a ponta da espada estava manchada de sangue, ele a jogou longe e segurou sua espada com as duas mãos, ele estava furioso, mas ainda mantinha o sorriso.
-Peço desculpas, eu subestimei vocês, não acontecera novamente, agora sim vamos começar a luta de verdade, podem vir os dois ao mesmo tempo e assim que eu terminar com vocês, eu irei atrás dos seus amigos e podem confiar em mim quando digo que serei criativo nas punições deles e darei a morte longa que te prometi. -Ele ria e olhava para Anya.
Anya e Hunter avançaram juntos contra Xander, enquanto Hunter defendia os ataques com a espada, Anya atacava com os punhos. Ficaram se revessando o inimigo até que Xander desviou um dos ataques de Hunter, colocou o braço do garoto entre o braço e o tórax e com a outra mão arrancou a espada da mão dele.
Quando Xander largou Hunter, Anya derrubou Xander com um golpe de suas pernas, o magistrado caiu ela chutou a espada dele para longe, pegou a espada que Hunter havia derrubado. Xander ao ver a situação gargalhou.
-Diga-me, o que pretende fazer depois que cruzar aquele portão? Voltar para Tenebris? Está cometendo um crime muito grave aqui, agredindo um dos três magistrados, seus atos continuam manchando o nome da família Bellec assim como sua própria existência, você acha que é quem para poder voltar para aquela cidade?
Ela levantou e espada e olhou para Xander.
-Eu sou é Anna Bellec, sou filha de Aiacus Bellec, princesa de Segregatorum, você por outro lado, não passa de um bandido que com ajuda de outro conseguiu subir seu status.
Ela então cravou a espada no peito de Xander, logo em seguida correu junto de Hunter para fora da cidade só para sentir uma forte pancada na nuca de desmaiar.
***
Anya acordou no que deveria ser uma tenda, basicamente era apenas um colchão improvisado e mais nada.
-Seu idiota, e se acontecesse algo com ela?
Era com certeza seu primo, ela se levantou, no lado de fora haviam pelo menos sete tendas semelhantes a aquela, na frente da tenda vizinha a que Anya estava, Hunter estava discutindo com um homem que parece não muito interessado no que ele dizia, ele revirava seus olhos azuis e suspirava, vestia uma túnica preta e tinha cabelos louros extremamente claros.
-Está vendo, ela acordou. –O homem disse apontando para ela.
Hunter se virou e correu para abraçar a prima.
-Que bom que você está bem prima, por um momento eu pensei que... -Quando a soltou, Anya teve a impressão de que Hunter parecia que iria chorar, mas ele apenas se virou para o homem.
-Agora nos diga quem é você? Oberon e Lyanna apenas me disseram que eu podia confiar em você, mas quero um nome.
-Você sabe que sou não é Anya? Ah me desculpe, Anna.
-Anya já está bom, e não sei quem é.
-Triste, realmente ninguém em Segregatorum e Oblitus me conhece, deve ser por isso meu irmão me quis para missão, apesar de pertencer a uma grande família e ser um exímio espadachim, continua vagando nas trevas chamadas...
-Não estou interessado em suas crises existências, apenas me diga quem é. –Interrompeu Hunter já um pouco exaltado.
O homem suspirou.
-Meu nome é Oscar Vale, sou o meio irmão de Cadmo Vale, o rei de Sad.
-Meio irmão?-Perguntou Anya.
O homem sorriu.
-Sou como você Anya, sou um bastardo do antigo rei de Sad, Arthur Vale, quando o trono foi para meu irmão mais velho, Cadmo, ele não se esqueceu de mim e recentemente criou essa pequena “elite” e me colocou no comando dela para encontrar o antigo amigo de minha sobrinha, o príncipe Hunter.
-Como sabia onde eu estava?-Perguntou Hunter.
-Eu estava indo em direção a Oblitus a sua procura, e sempre que me aproximava dos aliados mais próximos do rei Messoren coloco espiões infiltrados e espero alguns dias, logo soube que o príncipe foi pego no ducado de Salazar e mandado para Colditz. Então decidi fazer uma visitinha naquela cidade prisão.
Oscar estalou os dedos e um soldado se aproximou trazendo uma espada.
-Aqui está a sua espada e a sua regalia celestial, recuperadas da mansão do próprio duque, ah peço desculpas por ter usado ela, mas o portão estava fortemente protegido, e coma penas a minha regalia eu não conseguiria destruí-lo.
Anya interveio.
-Como Eliot esta?
Oscar e Hunter se olharam.
-Melhor ser forte, minha prima. –Ele disse com uma expressão triste.
***
Oscar e Hunter levaram Anya até a ultima barraca, ao entrar nela, estavam Oberon e Lyanna ao lado de Eliot, que estava deitado e fazendo pressão com a mão no lugar onde Xander o havia ferido.
-Como está Anya? –Ele perguntou sorrindo.
Ela se sentou ao lado da cabeça dele.
-Obrigada por salvar a minha vida. -Ela disse começando a chorar.
-Disponha, eu te fiz uma promessa, lembra? Disse que te protegeria com todas as minhas forças.
Anya olhou para Eliot, o ferimento no peito não parava de sangrar, mesmo ele ainda pressionando.
-Calma, você vai ficar bem.
-Mas eu estou ótimo, melhor impossível.
Anya olhou para o primo.
-Hunt, não pode cura-lo ou algo parecido?
O garoto negou com a cabeça.
-Sinto mito, é um ferimento muito profundo...
-Tudo bem. –Interrompeu Eliot. – Não me importo de morrer, se você estiver na companhia de pessoas boas.
Oscar se aproximou.
-Não se preocupem cuidarei da princesa.
-Não seja tão arrogante Lorde Oscar, sei que você e seus soldados seriam perfeitos para protegê-la, mas não a nada melhor para se sentir seguro do que estar com a família. –Ele olhou para Hunter- Garoto, proteja Anya, não deixe isso acontecer com ela, tenho sua palavra?
-Sim, assim que levar Oberon e Ly pra Tenebris, eu cuidarei de Anya. -Ele respondeu calmamente.
-Bom, e você garota. -Ele olhou para Lyanna. -Não deixe o orgulho ou falta dele interferirem em seus sentimentos.
-Entendo, farei meu melhor, obrigado por tudo, palhaço. -Ela disse sorrindo enquanto reprimi uma lagrima.
-Anya, obrigado. -Ele continuou.
-Pelo que? Foi você que me salvou- Ela perguntava em meio às lagrimas.
-Eu agradeço por tudo, as vezes que me fez rir, as vezes que me fez ficar irritado, posso lhe garantir que foi a melhor amiga que tive nessa vida, você foi uma filha que eu não tive chance de ter, adeus minha pequena Anya.
Ele disse enquanto fechava os olhos, Anya continuava a chorar.
Hunter se aproximou dela.
-Vamos sair daqui prima.
-NÃO! -Ela gritou- Saiam todos, me deixem sozinha com ele.
Hunter deixou a barraca junto de Lyanna, Oberon e Oscar.
-Lorde Oscar, leve minha prima de volta a Ilíacos, espere uma carta minha no prazo máximo de uma semana, se eu não entrar em contato até lá, podem me considerar morto.
-O que pretende? -Ele perguntou.
-Minha irmã e meu pai estão a minha espera em Tenebris, bem não quero deixa-los esperando.


Notas Finais


Quem quiser comenta o que esta achando da historia e se tiverem gostando de verdade de Princeps, pode favorite.
Valeu por tudo até agora. Até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...