História Príncipe da Lua - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Personagens Originais
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo
Exibições 86
Palavras 2.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


*** Só avisando não tem yaoi nem lemon nesse capitulo**
Talvez tenha no próximo se eu tiver criatividade...
Quem sabe :P

Capítulo 2 - Talvez eu realmente o ame...


Fanfic / Fanfiction Príncipe da Lua - Capítulo 2 - Talvez eu realmente o ame...

“Sonhos são verdadeiros enquanto duram, e não vivemos nos sonhos?”


              -Fique bonito... vamos sair hoje, desde quando ele tem moral sobre mim assim, mas eu sou um trouxa de carteirinha e estou fazendo uma bagunça para encontrar a roupa perfeita.-
               

"Baek? Já está pronto, não precisa se arrumar tanto, você é lindo." Ele gritou da sala com certeza estava com as chaves do carro, podia ouvir o barulho.
                     

"Para onde vamos? Preciso saber para decidir o que vestir, não posso por exemplo chegar em uma festa de gala parecendo um mendigo."
                     

"Me poupe Baekhyun, vista algo leve."
                     

Nada que tinha pegado era algodão ou "leve", eram ternos luxuosos ou roupas com brilho pesado. No final escolhi um moletom vermelho e uma calça jeans, Chanyeol não estava muito diferente de mim.
                     

"Pelos deuses, pensei que iria sozinho..." Quando saí ele estava jogado no sofá de qualquer jeito.
                     

"Aliás, para onde vamos?" Perguntei parado na porta do quarto.
                     

"Você verá, irá adorar não se preocupe." Ele me puxou para dentro do carro que ele faz questão em exibir.
---------------------------
                     

Estavamos distantes da cidade, mas precisamente em uma floresta, ele parou o carro em uma area reservada -tenho quase certeza que isso também é propriedade dos Park-.
                 

"Se lembra desse lugar, docinho?" Ele me levou para o interior da floresta, tinha uma cachoeira alta no meio de uma clareira.
                 

 "Pelos deuses Chanyeol, isso é lindo." Parecia um sonho e eu lembrava daquele lugar. "Nossa primeira excursão do primario." Ele afirmou com a cabeça.
                 

 "Ali, foi ali que você caiu e torceu o tornozelo e eu tive que lhe carregar até a professora para tratar de seu machucado." Ele apontou para umas pedras altas do lado da cachoeira.
               

 "Parece que no fim estar juntos era nosso destino." Sentei encostado a uma árvore. "De todas as pessoas ao meu redor você foi o único que se preocupou comigo." Ele fez o mesmo.
               

 "Teria sido melhor sem ter essa confusão toda de casamento e matilha... mas não te trouxe aqui para saber que devemos ficar juntos, porque eu soube disso quando você deu aquele chilique hoje mais cedo." Ele se levantou e tirou a blusa revelando seu corpo bonito. "Vamos correr."
                 

Não sei como os Park foram criados, mas eu não podia me transformar toda hora, apenas em horas de treinos ou quando realmente precisava.
                 

"Não vai tirar a roupa? Vou ter que tira-la para você?" Ele já estava apenas de cueca na minha frente pronto para se transformar.
                 

"Não... não preciso que me ajude com a roupa." Neguei, mas bem que eu queria que ele me ajudasse a tirar a roupa, mas dignidade é tudo.
                 

 Nunca me senti tão livre, algo que não podia fazer em casa, correr igual um louco sem me preocupar com os gnomos de jardim de minha mãe ou os carros de meu pai. Park Chanyeol podia ser lindo até em forma lupina seu pelo era liso e negro, seus olhos vermelhos, claramente uma característica de líderes alfas.
                 

Meu corpo não era muito resistente como o do Chanyel, ou seja, enquanto ele dava inúmeras voltas pela floresta e eu corri até a árvore mais próxima e cansei -realmente estava gordo-.
               

  "Já cansou?" Ele falou vestindo a blusa. 
                 

"Você foi criado em parques assim... tem resistência, só sou resistente com minhas barras de chocolate." Já estava todo vestido sentado perto da árvore, ele veio em minha direção e se deitou em meu colo.
                 

"Seu gordo, só pensa em comer." Ele falou enquanto eu acariciava o cabelo dele, seus fios eram macios, podia ficar horas mexendo em seus cabelos. "Vamos fazer direito, não quero pensar que você é meu esposo só por que fomos obrigados." Ele pegou um anel do bolso da calça que vestia. "Não estou pedindo como filho do líder da matilha do Norte, estou pedindo como Park Chanyeol. Baekhyun você quer se casar comigo?" Ele levantou o anel até a altura de meus olhos.
                     

"Pelos deuses Chanyeol, que anel lindo... É claro que aceito." Me inclinei para beija-lo e ele fez o mesmo. 
                 

 "Por um instante pensei que não iria aceitar." Ele se afastou. "Você fez muito drama por causa desse assunto..." Calei ele com um beijo.
               

 "O passado realmente importa? Eu disse que colocaria uma sacola com a foto do DiCaprio em você..."
                 

"DiCaprio? Quer dizer que ele é melhor do que eu?" Ele riu, mas foi ideia do Do.
                 

"Isso importa mesmo? Mas ele é mais famoso que você." Me levantei para fazer charme mas ele me puxou de volta para o chão.
                   

"Vamos esquecer o DiCaprio... ele não importa agora." Ele ficou por cima de mim pressionando minhas mãos na grama me deixando excitado. "Vamos para casa agora, já vai escurecer." Ele saiu de cima de mim.
                 

 "Poha Chanyeol... Vai fazer realmente isso comigo?" Me levantei atrás dele.
                   

"Não mandei dizer que iria colocar uma sacola com a foto do DiCaprio em mim." Estávamos voltando até onde o carro estava estacionado. 
                   

 Eu estava quase babando em cima do anel, com certeza foi o olho da cara, casar com Chanyeol... não por que nossas famílias obrigavam, mas por que ele me ama, ele não era tão ruim assim, toda vez que ele me olhava sentia meu coração explodir e é que nem precisei da foto do DiCaprio.
                     

"Vai querer uma festa?" Ele comentou enquanto prestava atenção na estrada.
                       

"Outra festa?" Se bem que a nossa 'festa de casamento' foi só para as familias.
                       

"Não temos nenhuma foto juntos desde que nos casamos, e a festa... foi toda escolhida pelo nossos pais, quero sentir a pressão de organizar uma festa de casamento."
                       

"Então vamos fazer uma festa." Agora poderia escolher tudo para minha MINHA festa de casamento... e não minha mãe falando.

------------------------

 "Lar doce lar." Chanyeol abriu a porta da casa.
                     

"Pelos deuses!" Berrei. "Chanyeol... socorro!" Berrei ao ver uma barata correndo pela sala. "Esse bicho asqueroso, Chanyeol tira esse bicho nojento daqui!" Subi instantaneamente na mesa -como subi lá realmente não sei, talvez adrenalina.-
                     

"Baekhyun é só uma barata..."
                     

"Não é 'só uma barata' é um ser nojento com 6 patas." Eu estava quase chorando e batendo o pé na mesa e Chanyeol rindo da minha cara. "Chany!!!"
                       

"Tudo bem Baek, ela já foi embora." Ele se levantou e olhou pela sala. "Não tem mais barata aqui."
                     

 "Tem sim, são bichos asquerosos, nojentos... CHANY NÃO VOU FICAR NESSA CASA COM ESSA BARATA AQUI."
                       

 "Baek não tem... Venha aqui." Ele andou até a mesa onde estava e me pegou no braço e me levou até nosso quarto e me colocou na cama. "Está mais calmo?"
                     

 "Feche a porta e coloque cobertores na frecha embaixo da porta e tranque as janelas." Eu realmente tinha medo de barata... não, não tinha medo, eu MORRO DE MEDO de barata.
                     

 "Baek por favor, é uma barata não tá tendo uma guerra biológica, irei matar a barata se você ficar calmo." Assenti com a cabeça, não demorou muito até o Chanyeol voltar de volta para o quarto. "Pronto Baek, pode respirar agora."
                     

"Chany... me desculpa por ter feito esse escândalo todo?" Eu estava sentado no meio da cama com a cabeça baixa.
                   

 "Você não tem culpa de ter medo de barata." Ele se sentou ao meu lado e aproximou o rosto. "Você até ficou fofinho com medo." Ele beijou meu rosto. "Então o que você quer comer no jantar?"
                   

 "KIMCHI!" Falei alegre.
                     

"Então vamos comer kimchi, vai me ajudar a cozinhar, sou um desastre na cozinha."Ele me tirou da cama... eu ainda tava com o brioco na mão com medo de andar pela cozinha e encontrar uma barata voadora.
                       

"Não tem medo de nada? Sei lá, nunca te vi estressado, nervoso ou com medo."Falei pegando as tigelas no ármario.
                       

"Nunca vi nada como ameaça, ou nunca tive algo para proteger como minha vida, alfas geralmente não tem medo de morte."
                     

 "Quer dizer que você não tem medo de nada, nunca fica estressado ou nervoso."
                       

"Isso... considere-se sortudo por ter casado com um homem calmo e bravio." Ele falou com um tom ironico.
                     

"Sei, mas o DiCaprio é tudo isso e um pouco mais em titanic." Vi ele soltar as tigelas em cima da mesa.
                   

 "Tenho certeza que ele não beija como eu." Ele foi em minha direção e me virou com força me fazendo derrubar os pratos que eu segurava selando nossos lábios em um beijo quente, ele me beijava como se fosse a última vez que fariamos isso.
                   

 "Os pratos..." Ele não me deixou falar para me beijar de novo, suas mãos seguravam forte minha cintura.
                     

"Foda-se os pratos." Ele me levantou e me levou para o quarto me colocando na cama como da outra vez. 
                     

 "Realmente... quem precisa de DiCaprio quando se tem você..." Ele se deitou na cama ficando por cima de mim e selou nossos lábios mais uma vez.
                       

"Shiu... quero admirar seu rosto." Ele se afastou e ficou olhando para meu rosto, estava tudo indo bem, até sentirmos cheiro de queimado tomou de conta da casa.
                       

"Chany a comida!" Corremos até a sala, a comida estava fazendo cosplay de carvão. "É melhor pedirmos uma pizza."
                       

 Fui até a sala em direção ao telefone na mesinha, mas minha rota foi alterada com o som da campainha.
                     

  "Oi..." Um homem estava parado na porta com um sorriso lindo. "JongIn!?"
                       

"Baek... quanto tempo desde que nos vimos? 3 ou 4 anos?" Ele invadiu minha casa.
                       

 "10 anos." Corrigi. "O que faz aqui? Por que voltou?" Ele era meu melhor amigo de infância, eramos quase inseparáveis mas um dia sua família levou ele para o Japão e depois dai perdemos o contato.
                         

"Também estou bem... então o que está fazendo aqui? Sua mãe me deu esse endereço." Ele se jogou no sofá.
                         

"Eu... bom... Eu estou casado agora." Vi os olhos de decepção dele. 
                         

"Suspeitei... você está feliz com isso?"
                         

"Estou, meu marido é um homem incrível e estou feliz com ele." Respondi um pouco acanhado.
                         

"Baek onde está..." Chanyeol entrou na sala e viu o JongIn sentado no sofá. "Quem é ele?"
                         

"Não se preocupe em explicar Baek, eu já vou me retirar." Ele saiu pela porta.
                         

Por que fiquei tão assustado com a visita dele? Ele me abandonou, sumiu por 10 anos e depois voltou com um sorriso de orelha a orelha peidando arco-iris, ainda invadiu minha casa como se fosse a casa da mãe Joana, o que ele queria? Que eu abraçasse ele como era quando eramos crianças?
                       

"Quem é ele Baekhyun? Como ele entrou aqui em casa sem avisar o interfone?"
                     

"Um amigo de infância, mas ele simplesmente foi embora e voltou agora depois de 10 anos."  Sentei no sofá, minha cabeça pesava, minha visão estava ficando embaçada. "Pode pegar um copo de água para mim?" Ele fez o que pediu e me trouxe a água.
                     

"O que houve Baek? Me explique por favor." Ele sentou ao meu lado.
   

*Kyungsoo
                 "

Luhan cala a boca, preciso me concentrar na estrada." Falei brigando com o Lu enquanto que iamos para o cinema.
                 

"Mas eu queria assistir 50 tons de cinza." Ele fez birra.
                 

"Mas eu não vou assistir isso Luhan, e você não poderia entrar com essa cara de criança." Desviei minha atenção da estrada para reclamar com o Lu, foi questão de segundos quando senti um impacto na frente de meu carro.
                 

"Pelos deuses Kyungsoo você bateu em algo!" Luhan berrou do banco do carona, eu sai quase na velocidade da luz para ver em o que tinha batido. "Caralho Kyungsoo você matou um homem..." Luhan gritava em meu ouvido... tive vontade de colar a boca dele.
                 

 "ELE NÃO ESTÁ MORTO LUHAN!" Gritei tomando o pulso do homem, era um homem moreno e bonito, precisava saber quem era a vitima, peguei a carteira dele onde estava escrito 'Kim JongIn'. "Luhan seja útil para alguma coisa na sua vida e ligue para emergência."
 

---------
             

 Não demorou muito para chegarmos ao hospital, como eu teria feito os primeiros socorros pediram com que eu ficasse no hospital, depois de algumas horas o paciente estava acordando.
               

 "O que... Onde?" Ele falou algo enquanto acordava. "Kyungsoo!?" Ele falou olhando para mim.
                 

"Te... conheço?" Perguntei me aproximando. "KAI?" 
                 

"O mundo é realmente pequeno." Ele ironizou. "O que estou fazendo aqui?"
                 

 "Quase te matei atropelado." Comentei. "Mas você não estava no Japão?"
                   

"Estava, fui visitar Baek." Ele falou tentando se ajeitar na cama. "Está tão bonito quanto da última ver que nos vimos." Senti meu rosto queimar, sempre gostei da companhia do Kai, eramos o trio lupinos -Eu, Baek e JongIn- ai quando o JongIn foi embora o Lu entrou. "Você está vermelho." Ele tocou no meu rosto.
                   

"Eu... preciso... falar com Luhan." Quando tentei me levantar ele segurou minha mão. "Hãm?"
                   

 "Meu dia foi um pouco difícil, fica aqui comigo, por favor." Ele me olhou com um rosto fofo de derreter o coração e não consegui dizer não.
       

           
----------------
             

   *Baek


             "Baek, você não me explicou que porra estava acontecendo aqui." Chanyeol tentava olhar para meu rosto que estava apoiado sobre minhas mãos.
             

 "Estava com um mal pressentimento, mas estou bem."
             

 "Estou falando DELE." Ele se alterou. "Olha seu estado, você gostou dele?"Foi a primeira vez que escultei uma alteração em sua voz.
             

 "Como eu disse a você, o passado não importa, eu escolhi que vou casar mais uma vez com você, se alguma vez por algum motivo cheguei a gostar dele ficou no passado."
               

"Vamos esquecer o que aconteceu aqui, você ainda quer pizza?" Um sorriso se formou no rosto dele que instantaneamente arrancou um sorriso do meu rosto.
                 

Nunca tive um amor... pelo Kai, era um sentimento de amizade profundo, eramos mais que amigos, eramos irmãos e do nada ele foi embora e depois volta invadindo minha casa, o que ele queria? Que eu me jogasse por cima dele?
                 

"Anchova ou pepperoni?" Ele perguntou já com o telefone na mão.
                 

"Me venha com anchova e eu enfio essa anchova em seu orifício anal." Brinquei.
                 

"Então pepperoni." Ele falou completando o pedido, demorou no maximo 30 minutos.
                   

"Oppa vamos assistir um filme!" Falei manhoso. "Qual você quer assistir?"
                   

"Nunca assisti Titanic... podemos assistir esse." Eu afirmei e ele se levantou ligando o DVD. "Porque isso tinha que acontecer?" Falei me afogando em lágrimas com a boca cheia de pizza.
                   

"Baek porque você está chorando? Eles só entraram abordo do návio." Chanyeol perguntou me abraçando.
                     

"Não entendo por que isso tem que acontecer? Se ele não tivesse entrado abordo nada teria acontecido."
                     

 "Está tudo bem..." O telefone atrapalhou a fala dele." "Alô? Luhan?" Tirei minha atenção da tela e me virei para ele. "Eu digo a ele." Ele desligou o telefone.
                   

 "O que houve? O que o Lu queria?"
                     

"Parece que o Kyungsoo atropelou alguém, mas nada grave, no entanto o paciente já foi para casa."
                     

 "O D.O? Como? Ele é tão atencioso... e atropelou alguém." Falei ainda comendo pizza, ir para o hospital seria quase inutil.
                         

"Temos que falar do nosso casamento, roupas, flores, convidados e tals." Ele mudou de assunto.
                         

"Ahh, eu pensei quem nos casarmos na primavera, só os amigos e talvez uns familiares." Comentei. "A não ser que não queira..."
                         

"Não, vamos no casar na primavera como você quer." Ele me atrapalhou me arrancando um sorriso largo.
                           

"Own... você é fofo Chaniee." Falei fofo. "Até uns dia atrás eu chamaria você de Vara de cutucar estrela e socaria esse anel onde o sol não bate.
                           

VOU CASAR, MEU DEUS!! PORQUE ESTOU TÃO FELIZ? TALVEZ POR QUE EU REALMENTE O AMO?
 

 

“Às vezes, nossas vidas mudam tão depressa que a mudança é mais rápida do que nossas mentes e corações. É nessas vezes, acho, quando nossas vidas mudaram mas ainda sentimos falta do tempo anterior, que sentimos a pior das dores. Mas posso te dizer, no entanto, por experiência própria, que você se acostuma. Aprende a viver a nova vida e não consegue imaginar, ou sequer lembrar, de como as coisas eram antes.”


Notas Finais


Já começou o Kaisoo... pq né...
(As citações da fanfic são do livro Anjo Mecânico da Cassandra Clare) <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...