História Príncipe do deserto - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Deserto, Lemon, Principe, Yaoi
Visualizações 33
Palavras 1.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura gente....

Capítulo 12 - Passado.3.3.


Fanfic / Fanfiction Príncipe do deserto - Capítulo 12 - Passado.3.3.

- Você acha mesmo certo ter que sair quase todo fim de tarde escondido dos teus pais? - perguntei a Hassan.

- Não foi você que disse que queria vir aqui todos os dias ver as estrelas? - respondeu ríspido.

- Mas não é certo ter que desobedece-los, você poderia ter chamado os meus pais para eles conversarem, já não serviria pra alguma coisa?

- Só se for para piorar, meus pais não deixariam eu sair com qualquer pessoa que não fosse da confiança deles, eu não consigo sair muito de casa por causa disso.

- E como vai resolver isso com eles? Tipo… eles vão querer te "matar" de algum jeito?

- Matar?! Isso é permitido, se você fizer algo que desonre a família ou posso fugir para algum lugar - Hassan parou um pouco e pensou - seus pais aceitam mais um filho? - perguntou.

- Bem que eles queiram, mas não conseguiriam - respondi brincalhão.

Só havia três dias que vínhamos aqui nos fins da cidade e nós estávamos discutindo sobre ele ter fugido de casa só para me encontrar. Eu sei que ele gosta de estar aqui, mas eu sei que tem que obedecer aos pais dele e não a mim. Ele está se sacrificando.

- Eu só queria ter um pouco de paz - disse Hassan - eu não saio de casa por vários motivos e meus pais não querem que eu veja pessoas até eu crescer. Por isso tenho aulas em casa.

- Mas por quê?

- Eles não querem que eu arrume uma pretende que não seja da minha altura. É isso que eles dizem.

- Então ela tem que ser muito alta, né? - brinquei.

- Ha ha - deu uma risada irônica - engraçadinho.

- Mas você tem treze anos, não é muito cedo para arranjar uma pretendente?

- Com treze anos muitas pessoas já tem o futuro feito aqui, eles fazem isso caso eu me apaixone por uma garota e acabe com algum tratado que um dia eles possam conseguir.

- Que tipo de tratado?

- Um casamento arranjado, talvez eles estejam fazendo isso agora, ou amanhã, a qualquer momento eu posso ficar noivo sem eu saber.

- Isso é triste, você deveria se casar por amor e não obrigado pelos seus pais…

- Mas eu vivo em uma cultura diferente da sua, aqui é normal, no seu país não. Aqui ou você se casa com o pretendente da escolha da sua família ou foge.

- E se fugir?

- Posso ser deserdado, expulso do clã ou até, em últimos casos, ser morto pelo meu pai. Ele teria todo o direito a isso. É oque manda a lei da nossa cultura.

- Vocês tem idéias tão erradas, se um dia eu me casar, quero que seja com alguém legal, que me ame, que me faça feliz e que me traga uma pizza no fim do dia. De preferência uma de quatro queijos. Quem ficar comigo vai ter muita sorte, sou uma pessoa rara no mundo.

- Essa garota teria muita sorte se casando com você, não é mesmo?

- É, garota… garota de sorte…

- Com quantos anos você pensa em se casar, Santiago?

- Com vinte cinco ou vinte sete anos, tipo. Quando eu já tiver uma estabilidade financeira e emocional legal. Que essa pessoa me ame incondicionalmente. Mas e você, no que pensa?

- Eu espero que a pessoa que eu me case seja legal pelo menos, afetuosa, amável e… bem, eu não sei mais. Sei lá se eu um dia vou me casar com alguém que eu ame, talvez seja impossível.

- Eu acredito no amor verdadeiro, no parceiro para a vida toda. Ficar velhinhos juntos um ao lado do outro. Eu gosto de pensar nele e no casamento.

- Nele? - perguntou Hassan rapidamente.

- Nele?! Nele… futuro, eu penso nele, o futuro - Quase, que suto! Acabei soltando algo que eu não poderia dizer.

- Mas, Santiago, você já pensou no futuro quantas vezes?

- Muitas vezes… não sei se vou ter um futuro, na verdade, prefiro pensar no presente, no agora. Muitos garotos da minha idade, como você também, vão passar por uma transformação, algo diferente. Mudanças no corpo, na voz e, principalmente, na mente. Alguns vai preferiria ser crianças ainda, já outros vão ser precoces e já agir como um adulto. Essa fase ainda não começou pra mim, mas falta pouco para ela vir.

- Que tipo de mudança na mente?

- Eles vão se achar donos da razão, mesmo que às vezes eles estejam certos. Vão querer sair para festas de pessoas mais velhas, vão contar como foi o seu primeiro beijo, primeira vez que transaram, primeira vez bêbados. Vão rir, mas sabe, eu não tiro toda a razão deles. A vida deve ser vivida da sua própria maneira, mesmo que seja feita de forma imprudente. Só não engravide ninguém, como diria minha avó.

- Engravidar? Tão cedo assim?

- Não é normal, mas também não é raro e isso vai ser das escolhas que a pessoas fizer. Já vi meninas de quatorze, dezesseis, dezoito anos grávidas. Umas escolheram, outras foi por um erro…

- Seu país, sua cultura é toda errada...

- Era isso que eu estava falando da sua agora a pouco. Pelo menos eu sou um pouco livre meu querido Hassan.

Querido? Essa palavra causou um arrepio estranho em Hassan.

- O que você faz no seu tempo livre? - perguntou Hassan.

- Eu brinco, desenho, tiro fotos, faço tudo que um quase pré adolescente poderia fazer. Eu estudo e me divirto, mas e você?

- Minha vida é meio calma, eu paço meus dias trancado em casa, com professores diferentes, estudando coisas diferentes. De tudo o máximo. Eu sou inteligente, então tenho que ser o maior possível.

- Sua vida não é meio calma, sua vida é chata. Por que você estuda tanto?

- Isso eu não posso contar, mas quem sabe um dia você volta e eu te conte toda a verdade.

- Toda? Não sei nem se um dia vou voltar. Mas eu prometo, te prometo Hassan que um dia eu volto, só para te ver.

- Obrigado, pelo menos um amigo eu tenho...

Talvez a palavra amigo tenha afetado demais os dois. E não da forma positiva. Talvez amigos não seja a denominação certa, só talvez…

Continua…


Notas Finais


Obrigado por lerem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...